REUNIÃO GRUPO DE TRABALHO CBAN GT 07                                                                       11 de outubro d...
2    2.      Redação OCBAN 03 – Valor Justo          Ressaltada a importância da Orientação, sobretudo no aspecto em que ...
3    3.     ESTUDOS SOBRE AVALIAÇÃO DE ATIVOS INTANGÍVEIS          Decidiu-se por fazer uma Diretriz Técnica (DT) e não u...
4            Locais de reunião com salas com aparelhos Polycom de videoconferência – Rodney ficou    de ver na Levin Glob...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Ata Reunião GT 07 - 11 de outubro 2012

743 views

Published on

Ata da 7a. reunião do Grupo de Trabalho do Comitê Brasileiro de Avaliadores de Negócios _ CBAN _ da ANEFAC

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
743
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
166
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ata Reunião GT 07 - 11 de outubro 2012

  1. 1. REUNIÃO GRUPO DE TRABALHO CBAN GT 07 11 de outubro de 2012 PRESENTES: Ana Cristina França (APSIS ANEFAC)  Rodney Apiano (Levin Global) Giana Araújo (APSIS ANEFAC)  Bruno Maloper (Grant Thornton) Luiz Paulo C. Silveira (APSIS ANEFAC)  Gerardo Merola (Ferrari Avaliações) Izabel Kloske (Pozzato & Ruiz)  Jorge Augustowsky (Lexus – ANEFAC) Roberta Boin (PP&C Auditores) 1. INFORMES  Informes: Jantar Palestra com diretor técnico do IVSC Chris Thorne – setembro 2012– recomendações do IVSC incluíram:  Profissionalização do avaliador – uma demanda global!- padronização dos procedimentos em busca das melhores práticas impulsiona o processo.  Tarefa de fortalecimento de organizações nacionais (e iniciativas como o CBAN!) para normalização dos padrões de avaliação com as peculiaridades locais, inclusive legais, onde o IVSC procura não interferir.  Acordo de revisão da tradução preliminar dos IVS (padrões de avaliação do IVSC) realizada pelo IBAPE – na medida em que só há uma possibilidade de tradução por língua, preferem aprovar uma versão multi revisada – ver newsletter do IVSC na apresentação em slides.  Informes 2: Cadastro de membros – será enviada solicitação por email – há um modelo de como vai aparecer no blog, no slide. Objetivos:  Networking  Consolidar contatos e público participante do Comitê.  Sugestões e recomendações de membros são bem vindas.  Envio das recomendações de tradução preliminar do IFRS 13 ao CPC – aguardando novos contatos.
  2. 2. 2 2. Redação OCBAN 03 – Valor Justo  Ressaltada a importância da Orientação, sobretudo no aspecto em que vão constar questões específicas do Brasil em torno da avaliação a fair value.  Observou-se que, já que não temos normas para avaliação no Brasil, o que impera nas avaliações é um bom senso em torno das práticas. Neste sentido, é bastante desejável que as Orientações do CBAN incluam uma boa parte deste bom senso em seu conteúdo. Daí a captação de pareceres e comentários sobre as questões, que devem incluir questões práticas.  Outra característica importante da Orientação é o seu caráter aberto – sempre prontas a absorverem as mudanças do mercado.  Foi sugerido o seguinte roteiro para a OCBAN 03: 1. Resumo dos objetivos do IFRS 13 2. Definição dos conceitos – com o objetivo de normalizar a terminologia e tornar o entendimento transparente. 3. Resumo das demandas de VALOR previstas no Brasil (por instituição e por padrão de valor) 4. Orientações para melhores práticas em avaliação para mensuração e divulgação do valor justo sobre todos os IFRS que constam ao final do IFRS 13 5. Tópicos a serem comentados sobre os ativos ou passivos avaliados a valor justo: i. Qual o tipo de informação relevante? ii. Metodologias e Hierarquia aplicáveis? iii. Listar os pontos de atenção em cada metodologia e exceções. iv. Listar as boas práticas na divulgação – pontos relevantes para disclosure – tomando por base as principais críticas feitas às declarações deste ano.  Foi sugerido ao pessoal do jurídico do GT, um levantamento sobre as limitações legais existentes dos ativos – pode se tornar mais um item a ser comentado e analisado na Orientação.  O diretor Luiz Paulo ficou de elaborar uma segmentação dos principais ativos e pontos de atenção envolvidos, em uma planilha Excel, que poderá ser debatida na próxima reunião de novembro.
  3. 3. 3 3. ESTUDOS SOBRE AVALIAÇÃO DE ATIVOS INTANGÍVEIS  Decidiu-se por fazer uma Diretriz Técnica (DT) e não uma Orientação (veja revisão das características de cada documento na apresentação, no blog ou na OCBAN 01).  Último documento liberado pelo IVSC sobre Ativos Intangíveis tem formato de Technical Information Paper (TIP), que é mais próximo de nossa DT.  Fontes a serem consultadas – listadas na apresentação. Aberta a sugestões e contribuições.  Quanto à monografia e ao Toolkit da Appraisal Foundation (aplicação MPEEM e CACs) – será apenas mencionada, por ser muito minuciosa e detalhada - pode causar ainda alguma confusão no mercado.  Esta metodologia é citada no TIP do IVSC e no IFRS 13, por isso deve ser mencionada em linhas gerais, após discussão de suas etapas em conjunto numa reunião do GT.  O TIP 3 só está disponível para compra (15 libras), as demais obras, disponíveis para download nos links colados na apresentação.  Modelos serão discutidos na próxima reunião, juntamente com o material recolhido. 4. PRÓXIMOS PASSOS  Curso internacional básico em avaliação de negócios em novembro próximo – ministrado pelo IACVA – do inglês, International Valuation of Consultants, Valuators and Analysts – do Canadá (será divulgado para os participantes em breve).  Demanda surgida em questionário do curso anterior de ativos intangíveis, por um conteúdo mais básico e com mais casos práticos.  IACVA tem membros certificados em 54 países do mundo inteiro. Foi fundado em 2000 com o objetivo de dar suporte à formação em avaliação de negócios e dissuasão da fraude (fraud deterrence).  Escolhidos por serem maiores geograficamente e mais acessíveis a propostas de expansão.  Professor mundialmente reconhecido – William Hanlin Jr. – ver currículo e programa do curso na apresentação da reunião.  Iniciativa do CBAN está de acordo com um de seus objetivos – qualificação do avaliador profissional no Brasil.
  4. 4. 4  Locais de reunião com salas com aparelhos Polycom de videoconferência – Rodney ficou de ver na Levin Global (contato: Rodney), para marcarmos a próxima reunião. Marcar teste antes.  Canais de informação atuais das atividades do CBAN:  Blog http://blogrio.anefac.com.br  Facebook  Assessoria de imprensa da ANEFAC.  Próxima reunião, que estaria programada para ser aberta, será ainda fechada ao GT – discussão do esqueleto da OCBAN 03 – Valor Justo e DT Ativos Intangíveis.  Reunião geral programada para dezembro, a princípio marcada para 6 de dezembro por ser a primeira quinta feira do mês (ver calendário abaixo). 5. CRONOGRAMA PREVISTO local Videoconferência RJ e SP PARTICIPANTES 8 Reunião GT CBAN 08 - 08/nov Grupo de Trabalho novembro 6 Associados ANEFAC e Reunião Geral CBAN 04 dezembro convidados

×