Apresentação dos Resultados do 2T09
          12 de agosto de 2009
Mensagem do Presidente

          Continuamos a mostrar no 2º Trimestre de 2009 nossa rápida capacidade de reagir com efic...
Destaques Financeiros – 2T09


         Destaques Financeiros                                  2T09x        2T09x
        ...
Guidance vs. Resultado Acumulado 2009 (2T09)

                                              Demonstramos abaixo o resultad...
Receita Líquida (R$ milhões)
                                                    Por Produto
                           2T...
Brasil: Estratégia de desenvolvimento das marcas

        Aumentar vendas de produtos industrializados no Brasil

        ...
Exterior: Estratégia do desenvolvimento das marcas


                                  Crescimento


                     ...
Composição da Receita Líquida (R$ milhões)

                               1T09                                           ...
Vendas e Volume – Por Divisão


                                                     Vendas
       Vendas Líquidas (R$ mil...
Análise da Receita – 2T09 x 1T09
                            2T09                 Destino das Exportações                 ...
Evolução dos Custos e Despesas

                                 Custo dos Produtos Vendidos (CPV – R$ milhões)

         ...
EBITDA e Lucro Líquido

                                        EBITDA (R$ milhões) e Margem EBITDA
                      ...
Endividamento Consolidado – R$ milhões

                                                                                  ...
Gestão da Estrutura de Capital – Financiamento
                                                                           ...
Investimentos

                                                Investimentos Consolidados
               R$ milhões       ...
Responsabilidade Socioambiental
                             A partir de 22 de junho de 2009 a Companhia se comprometeu a ...
Perguntas e Respostas




17
CONTATO DE RI

              Contatos – Diretoria de Relações com
                          Investidores




Marfrig Alime...
Aviso


       Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Marfrig - Resultados do 2º trimestre de 2009

778 views

Published on

Marfrig - Resultados do 2º trimestre de 2009

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
778
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
75
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marfrig - Resultados do 2º trimestre de 2009

  1. 1. Apresentação dos Resultados do 2T09 12 de agosto de 2009
  2. 2. Mensagem do Presidente Continuamos a mostrar no 2º Trimestre de 2009 nossa rápida capacidade de reagir com eficácia às mudanças nas condições econômicas, onde a volatilidade das taxas de câmbio exigiram rápida ação nas exportações e na produção, implementando as sinergias previstas entre nossas divisões perante o cenário desafiador que tem se apresentado neste ano de 2009. A Marfrig Alimentos é uma empresa multinacional em rápida expansão, onde temos culturas diferentes sempre buscando uma rápida integração pela manutenção do elo comum que é nossa tradição de atuar de forma simples e ágil. Essa capacidade de reação nos propiciou apresentar um lucro líquido trimestral recorde na história da Marfrig, alavancado pelos ganhos cambiais cujo efeito oposto havia nos prejudicado na segunda metade do ano anterior. Nossas Vendas Líquidas no 2T09 cresceram +97,5% se comparadas ao ano anterior e em 6,8% quando comparada ao 1T09. Houve crescimento de 5,8% no volume vendido em relação ao 1T09. Acreditamos que a sustentabilidade da rápida expansão da Marfrig deve ser acompanhada pelo nosso comprometimento e engajamento com uma produção sustentável, direcionada ao respeito ao meio ambiente e ao bem estar animal em todos os elos da cadeia produtiva. 2
  3. 3. Destaques Financeiros – 2T09 Destaques Financeiros 2T09x 2T09x 2T08 1T09 2T09 (R$ Milhões) 1T09 2T08 Receita Líquida 1.217,1 2.250,8 2.403,9 6,8% 97,5% - Mercado Interno 589,0 1.302,6 1.449,9 15,1% 154,6% - Mercado Externo 628,1 948,2 904,0 -4,7% 43,9% EBITDA 138,9 163,6 183,4 12,1% 32,0% Margem EBITDA 11,4% 7,3% 7,6% 30 p.b. -380 p.b. Lucro Líquido 66,4 (38,2) 405,0 N.D. 510,0% Margem Líquida 5,5% (1,7%) 16,8% 1.850 p.b. 1.130 p.b. 3
  4. 4. Guidance vs. Resultado Acumulado 2009 (2T09) Demonstramos abaixo o resultado acumulado de 2009 comparado com o patamar inferior do Guidance fornecido ao mercado em 19/03/09: Atingimento Resultados Atingidos Guidance 2009 acumulado (acumulado em 2009) (s/ patamar inferior) R$ 10,5 bilhões Receita Líquida R$ 4,7 bilhões 44,7% R$ 12,0 bilhões R$ 840 milhões EBITDA¹ R$ 346,9 milhões 41,3% R$ 1.200 milhões 8% Margem EBITDA 7,5% 93,7% 10% CAPEX² R$ 220 milhões R$ 164,6 milhões 74,8% 1 Lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações 2 Não inclui aquisições Principais premissas de câmbio: R$ 2,30 / US$; USD 1,50 / Libra Esterlina, USD 1,35 / Euro 4 4
  5. 5. Receita Líquida (R$ milhões) Por Produto 2T08 1T09 2T09 11,5% 8,8% 8,1% 17,0% 30,1% 29,4% 61,1% 62,4% 71,5% Carne Fresca Industrializados Outros Por Mercado 904,0 948,2 628,1 1.302,6 1.499,9 589,0 2T08 1T09 2T09 Mercado Interno Exportação 5
  6. 6. Brasil: Estratégia de desenvolvimento das marcas Aumentar vendas de produtos industrializados no Brasil Novas embalagens Maior distribuição dos novos produtos em redes de supermercados Redes de comunicação – internet, novas mídias, pontos de venda etc. Novos produtos da linha SUPERITOS - marca DaGranja Hambúrguer PATY GRILL SUPER 6
  7. 7. Exterior: Estratégia do desenvolvimento das marcas Crescimento Maior alcance e Desenvolvimento de Novos Produtos presença da marca na Cadeia de Distribuição 7
  8. 8. Composição da Receita Líquida (R$ milhões) 1T09 2T09 2.500,0 32,3% 3.000,0 2.500,0 34,9% 2.000,0 727,0 10,7% 2.000,0 838,7 1.500,0 13,9% 10,6% 241,3 17,6% 1.500,0 10,4% 251,8 313,9 2.250,9 1.000,0 17,0% 250,0 2.404,0 25,4% 396,5 1.000,0 27,2% 409,8 500,0 500,0 572,2 653,7 0,0 A Receita Líquida no 2T09 foi de R$ 2.403,9 milhões, crescendo +97,5% se comparada ao 2T08 (R$ 1.217,1 milhões) e +6,8% quando comparada ao 1T09 (R$ 2.250,8 milhões). No trimestre foram vendidos 532,7 mil toneladas, representando um aumento de 5,8% no volume vendido em relação ao 1T09. Os destaques foram as unidades no Brasil, com 9,8% de crescimento sobre o 1T09, equilibrado entre 10,1% no mercado interno e 9,4% de aumento nas exportações e o desempenho nas unidades da Europa (particularmente Reino Unido), com 15,4% de elevação nas vendas líquidas sobre o trimestre anterior. A Receita no trimestre foi impulsionada pelo aumento de volume e impactada na exportação pela desvalorização do dólar frente ao real de 10,3% no 2T09. 8
  9. 9. Vendas e Volume – Por Divisão Vendas Vendas Líquidas (R$ mil) 2T08 1T09 2T09 Var. Var. Por Divisão 2T09 x 1T09 2T09 x 2T08 Bovinos Brasil & Food Service 442.473 572.164 653.685 14,2% 47,7% Aves, Suínos e Industrializados 250.518 396.512 409.768 3,3% 63,6% Argentina 194.803 313.863 250.023 -20,3% 28,3% Uruguai 273.405 241.314 251.845 4,4% -7,9% Europa 55.931 727.022 838.670 15,4% 1.399,5% Total 1.217.130 2.250.875 2.403.991 6,8% 97,5% Volume Volume (tonelada) 2T08 1T09 2T09 Var. Var. Por Divisão 2T09 x 1T09 2T09 x 2T08 Bovinos Brasil & Food Service 117.058 128.289 156.531 22,0% 33,7% Aves, Suínos e Industrializados 89.951 150.996 143.003 -5,3% 59,0% Argentina 53.816 82.636 75.698 -8,4% 40,7% Uruguai 61.616 50.572 55.268 9,3% -10,3% Europa 6.987 91.063 102.190 12,2% 1.362% Total 329.428 503.556 532.692 5,8% 61,7% 9
  10. 10. Análise da Receita – 2T09 x 1T09 2T09 Destino das Exportações 1T09 1,0% 1,1%0,7% 3,4% 7,7% 5,8% Europa 6,6% 4,8% Rússia 5,5% 39,8% Oriente Médio 8,6% América Central / América do Sul 47,5% NAFTA 8,8% Ásia 21,8% África Outros 20,8% 16,0% 2T09 Por Moeda de Origem 1T09 Brasil - MI (R$) 23,2% 21,0% 34,9% 30,2% Brasil - ME (origem USD) Argentina / Uruguai - ME (origem USD) 21,1% 19,2% 9,7% Argentina / Uruguai - MI 11,1% (origem ARP, URP) 11,2% 12,0% Europa (origem GBP) 10
  11. 11. Evolução dos Custos e Despesas Custo dos Produtos Vendidos (CPV – R$ milhões) 1.937,5 2.079,8 O principal componente do CPV no 2T09 continuou sendo a aquisição de matéria-prima (bovinos, aves, suínos 86,1% 86,5% e grãos), que representou 69,7% do CPV, contra 72,2% em 970,6 1T09. Auditoria na aquisição de matéria-prima (gado) a partir 79,7% de 22 de junho de 2009 (BDO): não foi identificada qualquer compra de fazendas embargadas pelo IBAMA 2T08 1T09 2T09 (áreas embargadas) ou listadas pelo Ministério do Trabalho Custos dos Produtos Vendidos - CPV % do CPV na Receita Líquida e Emprego (trabalho escravo). Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas (SG&A – R$ milhões) 222,7 226,4 Resultado da estratégia de controle e redução de custos e despesas => despesas representaram 9,4% da receita líquida no 2T09 contra 9,9% no 1T09 e 10,0% no 122,1 2T08 10,0% 9,9% 9,4% AÇÕES: integração das estruturas das unidades recentemente adquiridas, ganhos com as sinergias previstas em custos de matéria-prima, intercâmbio de 2T08 1T09 2T09 melhores práticas e diluição de custos fixos. SG&A % do SG&A na Receita Líquida 11
  12. 12. EBITDA e Lucro Líquido EBITDA (R$ milhões) e Margem EBITDA 183,4 Aliada à otimização do uso de seus canais de distribuição, 163,5 além da alta participação de produtos industrializados de valor 138,9 adicionado em sua receita, ganhos de sinergias com as empresas 11,4% adquiridas e o comprometimento com a sustentabilidade possibilitou a Marfrig apresentar margens sustentáveis em um cenário ainda 7,3% 7,6% adverso. A Marfrig manteve sua estratégia de diversificação geográfica e de proteínas, impulsionada em volume nesse trimestre pelo 2T08 1T09 2T09 aumento da utilização de capacidade de bovinos no Brasil. EBITDA Margem EBITDA Lucro Líquido (R$ milhões) e Margem Líquida 405,0 Lucro líquido trimestral recorde na história da 16,8% Marfrig => R$ 405,0 milhões, com desempenho operacional alavancado pelos ganhos cambiais, cujo 5,5% efeito oposto havia nos prejudicado na segunda 66,4 metade do ano anterior. (1,7%) 2T08 1T09 2T09 (38,2) Lucro Líquido Margem Líquida 12
  13. 13. Endividamento Consolidado – R$ milhões Var. Curto Prazo 1T09 Part. % 2T09 Part. % 2T09 x 1T09 - Moeda Nacional 218,6 4,8% 416,7 9,2% 90,6% - Moeda Estrangeira 1.076,0 23,4% 843,5 18,6% -21,6% Total Curto Prazo 1.294,6 28,2% 1.260,1 27,9% 2,7% Var. Longo Prazo 1T09 Part. % 2T09 Part. % 2T09 x 1T09 - Moeda Nacional 530,0 11,5% 835,2 18,5% 57,6% - Moeda Estrangeira 2.766,6 60,3% 2.429,4 53,7% -12,2% Total Longo Prazo 3.296,6 71,8% 3.264,6 72,1% -1,0% Endividamento Total 4.591,2 100,0% 4.524,7 100,0% -1,4% Caixa 1.125,1 1.284,4 14,2% Dívida Líquida 3.466,2 3.240,3 -6,5% Taxa Média do Endividamento 1T09 2T09 Moeda Nacional 13,36% 11,0% Moeda Estrangeira 7,81% 7,69% Geral 8,71% 8,61% • A taxa média geral das operações de financiamento da Marfrig foi reduzida para 8,61% a.a. (-10 pontos-base) entre o 1T09 e o 2T09 • Novas operações de longo prazo no 3T09 em moeda nacional substituem o equivalente no Curto Prazo, melhorando o perfil do endividamento 13
  14. 14. Gestão da Estrutura de Capital – Financiamento Amortização de Curto Prazo Dívida Líquida / EBITDA (Moeda Nacional + Moeda Estrangeira) 3,71 3,79 3,90 3,77 1T09 % total 2T09 % total 3,36 1T09 - - - 2T09 448.013 34,6 - 3.446,5 3.466,2 3.240,3 3T09 308.816 23,9 452.316 35,9 2.125,8 1.779,5 4T09 170.047 13,1 181.510 14,4 1T10 367.744 28,4 363.070 28,8 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 Dívida Líquida Dívida Líquida/EBITDA 12M 2T10 - - 263.252 20,9 Dívida Total CP 1.294.620 28,2 1.260.148 27,9 EBITDA últimos 12 meses Caixa 1.125.082 1.284.370 EBITDA LTM (R$ milhões) Caixa maior que endividamento de Curto 1.200 Prazo 965 921 Redução no Custo Médio de Captação em 884 840 Dólar e em Real 561 433 479 Alongamento do perfil da dívida 380 248 Melhor distribuição da amortização da Dívida de Curto Prazo 2006 2007 1T08 2T08 3T08 2008 1T09 2T09 3T09 2009* Companhia continua focada em reduzir sua *Projeção mínima e máxima para 2009. alavancagem e sua dívida de Curto Prazo 14
  15. 15. Investimentos Investimentos Consolidados R$ milhões 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 Investimentos (Pgto. Aquis. Ant.) (15,5) (113,1) (413,5) (160,6) (26,3) CAPEX - Aplic. no ativo imobilizado (35,1) (66,2) (85,6) (74,3) (89,8) Ativo intangível / Ágio (8,3) (909,2) (0,4) (0,1) CAPEX (43,4) (66,2) (994,8) (74,7) (89,9) Investimento total (58,9) (179,3) (1.408,3) (235,3) (116,2) Evolução dos Investimentos No trimestre foram investidos R$ 89,8 milhões na construção, manutenção, modernização e/ou expansão de nossas plantas. No ano, o investimento acumulado é de R$ 164,6 milhões e representa A Marfrig Alimentos S.A. desembolsou no 2T09 R$ 26,3 milhões em pagamentos Em três anos investimos USD 1,1 bilhão (R$ 2 referentes a aquisições de empresas no bilhões) no exterior e R$ 1,2 bilhão no Brasil, com um acumulado de R$ 3,2 bilhões no período captados Brasil e no exterior realizadas nos anos de primordialmente através de R$ 2,5 bilhões no IPO e o 2007 e 2008. restante através do aumento de capital privado 15
  16. 16. Responsabilidade Socioambiental A partir de 22 de junho de 2009 a Companhia se comprometeu a não adquirir e abater ou comercializar bovinos originários de área do Bioma Amazônico que tenham sido desmatadas a partir desta data, demonstrando o comprometimento em buscar uma solução de desenvolvimento sustentável para a pecuária. A Marfrig solicitou à BDO Auditores Independentes, que efetuasse a auditoria de 100% das aquisições de gado, de forma a corroborar o compromisso do Grupo Marfrig. A BDO realizou os trabalhos de auditoria das compras de gado, não tendo sido identificada qualquer compra de fazendas listadas pelo IBAMA (áreas embargadas) e pelo Ministério do Trabalho e Emprego (trabalho escravo). Estabelecimento de parcerias com Governos Estaduais no desenvolvimento de um Programa de Garantia de Origem dos Animais, não adquirindo bovinos que constem na lista de áreas embargadas do IBAMA, provenientes de áreas desmatadas no Bioma Amazônico ou que constem na lista do MTE do trabalho escravo. Grupo de Trabalho (GT) de Pecuária Sustentável, iniciativa do IFC / Banco Mundial com intuito de promover a sustentabilidade da cadeia da carne. – Marfrig é membro do comitê gestor executivo do GT e presidente da mesa diretora. Implementação da metodologia de indicadores ambientais (até 12/2009) assim como preparação para certificação de normas ISO 14000; 9001; SA 8000 e OSHAS 18000 (até 12/2011) em nossas unidades. Sistema de tratamento de efluentes através de biodigestores com captura e queima do gás metano, programa de redução de consumo e reutilização de água nas unidades, cuja meta é a redução de consumo de água por tonelada produzida até Dez/2010. Implantação do Programa de Impulso Pecuário, que é a capacitação e valorização de boas práticas para melhorar a produtividade no campo, a exemplo do que já desenvolvemos em nossas unidades na Argentina e no Uruguai. 16
  17. 17. Perguntas e Respostas 17
  18. 18. CONTATO DE RI Contatos – Diretoria de Relações com Investidores Marfrig Alimentos S/A Ricardo Florence Fone: + 55 11 3093-4700 Diretor de Planejamento e de Relações com Investidores ri@marfrig.com.br www.marfrig.com.br/ri Remi Kaiber Junior Gerente de Relações com Investidores Av. Brig. Faria Lima, 1912 – conj. 7B – Jd. Paulistano CEP 01451-000 - São Paulo – SP - Brazil 18
  19. 19. Aviso Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a sua experiência e o ambiente econômico e nas condições de mercado e nos eventos futuros esperados, muitos dos quais estão fora do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, as condições econômicas brasileira e internacional, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados de suas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções e outros fatores assim descritos no Prospecto Preliminar arquivado na Comissão de Valores Mobiliários. Em razão desses fatores, os resultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles indicados ou implícitos nas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se nas atuais expectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios da Companhia. Essas declarações incluem projeções de crescimento econômico, além de informações sobre posição competitiva, potenciais oportunidades de crescimento e outros assuntos. Inúmeros fatores podem afetar adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações se baseiam. 19

×