Cadernos Negros Os Melhores Poemas Literato Professor André Guerra
<ul><li>A CARNE MAIS BARATA DO MERCADO É A CARNE NEGRA </li></ul>
Literato Professor André Guerra
Literato Professor André Guerra
LINHAGEM (Carlos de Assumpção) <ul><li>Eu sou descendente de Zumbi Zumbi é meu pai e meu guia Me envia mensagens do orum M...
<ul><li>ARTE </li></ul><ul><li>AFIRMATIVA </li></ul>Literato Professor André Guerra
DANÇANDO NEGRO  (Ele Semog) <ul><li>Quando eu danço atabaques excitados,  </li></ul><ul><li>o meu corpo se esvaindo  </li>...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Cadernos Negros Res

2,201 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,201
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
34
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cadernos Negros Res

  1. 1. Cadernos Negros Os Melhores Poemas Literato Professor André Guerra
  2. 2. <ul><li>A CARNE MAIS BARATA DO MERCADO É A CARNE NEGRA </li></ul>
  3. 3. Literato Professor André Guerra
  4. 4. Literato Professor André Guerra
  5. 5. LINHAGEM (Carlos de Assumpção) <ul><li>Eu sou descendente de Zumbi Zumbi é meu pai e meu guia Me envia mensagens do orum Meus dentes brilham na noite escura Afiados como o agadá de Ogum </li></ul><ul><li>Eu sou descendente de Zumbi Sou bravo valente sou nobre Os gritos aflitos do negro Os gritos aflitos do pobre Os gritos aflitos de todos Os povos sofridos do mundo No meu peito desabrocham Em força em revolta Me empurram pra luta me comovem </li></ul><ul><li>Eu sou descendente de Zumbi Zumbi é meu pai e meu guia Eu trago quilombos e vozes bravias dentro de mim </li></ul><ul><li>Eu trago os duros punhos cerrados Cerrados como rochas Floridos como jardins </li></ul><ul><li>( in Cadernos Negros ) </li></ul>
  6. 6. <ul><li>ARTE </li></ul><ul><li>AFIRMATIVA </li></ul>Literato Professor André Guerra
  7. 7. DANÇANDO NEGRO (Ele Semog) <ul><li>Quando eu danço atabaques excitados, </li></ul><ul><li>o meu corpo se esvaindo </li></ul><ul><li>em desejos de espaço, </li></ul><ul><li>a minha pele negra dominando o cosmo, envolvendo o infinito, o som criando outros êxtases ... </li></ul><ul><li>Não sou festa para os teus olhos de branco diante de um show! </li></ul><ul><li>Quando eu danço há infusão dos elementos, sou razão. </li></ul><ul><li>O meu corpo não é objeto, sou revolução. </li></ul><ul><li>( in Cadernos Negros) </li></ul>Literato Professor André Guerra

×