Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Question�rio02

462 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Question�rio02

  1. 1. Universidade Nilton Lins Curso: Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Técnicas Retrospectivas e Patrimônio Cultural – 2015.1 Professora Msc. Taise Costa de Farias Data da entrega: 24.03.2015 QUESTIONÁRIO 02 Questões para discussão os textos “Restauro” de Eugène Emmanuel Viollet-le-Duc e “A lâmpada da memória” de John Ruskin. 1. Confronte o pensamento dos dois autores: “Estará o século XIX destinado a concluir-se sem uma arquitetura própria? Esta época tão rica de descobertas, que dá mostra de um grande potencial vital, transmitirá aos pósteros somente pastiches ou obras híbridas sem caráter? (...) Então ela - a arquitetura do século XIX - desprovida da luz que só a razão pode fornecer, tem tentado se ligar ao medievo, ao renascimento, à procura do emprego de certas formas sem as analisar, sem descer às causas que as determinaram, vendo nelas unicamente os efeitos, se transformou em neo-grega, neo-romana, neo-gótica; (...) se tornou sujeita à moda (...). O fato é que, só é possível ser original com a verdade, que a originalidade não é outra coisa senão uma rias formas assumidas pela verdade para manifestar-se; e estas formas são afortunadamente infinitas." (VIOLLET-LE-DUC apud DOURADO, 1994: 4) “Nos últimos anos, estudamos e aperfeiçoamos a grande invenção da civilização moderna que é a divisão do trabalho. Na verdade não se divide o trabalho e sim o homem. A pequena porção de inteligência que foi deixada ao homem dividido em segmentos, despedaçado em fragmentos e migalhas de vida, não é suficiente para que se faça uma agulha ou um prego, mas se exaure no ato de fazer a ponta da agulha ou a cabeça do prego. É útil e desejável fabricar um grande número de agulhas a cada dia, mas se pudéssemos ver com que areia cristalina a sua ponta foi amolada - areia do espírito humano, tanto mais magnífica quanto menos se lhe conhece a natureza." (RUSKIN apud DOURADO, 1996: 3-4) a) Em pelo menos uma lauda discorra sobre a visão dos dois autores sobre a realidade social e econômica de seu tempo. Como Viollet-le-Duc e como Ruskin apreciavam o século XIX. b) Existe algum conflito expresso no entendimento dos dois sobre o período em que viviam. Qual? Explique minuciosamente.
  2. 2. Universidade Nilton Lins Curso: Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Técnicas Retrospectivas e Patrimônio Cultural – 2015.1 Professora Msc. Taise Costa de Farias Data da entrega: 24.03.2015 2. Viollet-le-Duc e Ruskin partem de um mesmo momento da história da arte para legitimar o seu discurso. Pergunta-se: a) Que tempo era este? b) A visão dos dois autores sobre este momento da história da arte era semelhante? Se não, em que aspectos diferiam? c) Porque o arquiteto francês escolhe este momento para construir seu pensamento? d) Porque o crítico inglês escolhe este “estilo” arquitetônico como base para a elaboração de seu discurso? 3. Relacione o apreço que Viollet-le-Duc nutre pelo gótico com a sua busca obsessiva por uma arquitetura que representasse seu tempo. 4. Observe as palavras de Ruskin: “A arquitetura é a arte de dispor e de adornar edifícios, erigidos pelo homem com diferentes finalidades, de maneira que sua simples visão possa contribuir para a saúde, a força e o prazer de espírito” (RUSKIN apud FUSCO, 1984: 36) a) Comente esta frase de Ruskin e confronte com o pensamento de Viollet-Le-Duc. b) Qual a relação entre esta concepção arquitetônica do crítico inglês e o seu apreço pelo gótico? 5. Explique o conceito de “Estilo” para Viollet-le-Duc e o relacione com a sua definição máxima sobre restauro: "Restaurar um edifício não é conservá-lo, repará-lo ou refazê-lo, é restituí-lo a um estado de inteireza que pode jamais ter existido em um dado momento" (VIOLLET-LE-DUC, 1994: 7)

×