Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Toxoplasma gondii
Toxoplasma gondii, protozoário de distribuição geográfica mundial, alta prevalência
sorológica, podendo ...
Ciclo biológico: desenvolve-se em duas fases distintas; Fase assexuada, nos
linfonodos e nos tecidos de vários hospedeiros...
O diagnóstico clínico não é fácil de se relizar, pois os casos agudos podem levar á
morte ou evoluir para a forma crônica,...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Toxoplasma gondii

821 views

Published on

Basico Geral Para Biomedicina doença parasitologica

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Toxoplasma gondii

  1. 1. Toxoplasma gondii Toxoplasma gondii, protozoário de distribuição geográfica mundial, alta prevalência sorológica, podendo atingir mais de 60% da população em determinados países. A forma mais grave é encontrada em crianças recém-nascidas, sendo caracterizada por encefalite, icterícia, urticária e hepatomegalia, geralmente associada e coriorrentinete, hidrocefalia e microcefalia, com altas taxas de morbidade e mortalidade. A toxoplasmose é uma zoonose e a infecção é muito frequente em várias espécies de animais. O gato e alguns outros felídeos são os hospedeiros definitivos ou completos do homem e os outros animais são intermediários ou incompletos. T. gondii pode ser encontrado em vários tecidos e células (exceto hemácias) e líquidos orgânicos. Nos felídeos não-imunes podem ser encontradas as formas do ciclo assexuado nas células do epitélio intestinal, formas do ciclo assexuado em outros locais do hospedeiro e também formas de resistência no meio exterior junto com fezes desses animais, após completar a fase intestinal. O parasita apresenta uma morfologia múltipla, dependendo do habitat e do estágio evolutivo. As formas infectantes que o parasita apresenta durante o ciclo biológico são: taquizoitos, bradizoitos e esperozoitos, essas três formas apresentam organelas citoplasmáticas características do filo Api-complexa, que constituem o complexo apical : colonóide, anel polar(2), microtúbulos subpeliculares, roptrias, micronemas e grânulos densos, A invasão dessas formas na célula hospedeira é um processo ativo que requer um processo a motilidade e a liberação controlada de proteínas e lipídeos das organelas do complexo apical do parasito. O parasita encontra na célula hospedeira inicialmente pela adesão de sua parte apical na membrana da célula hospedeira e na sequencia, secreta proteínas de micronemas, roptrias e grânulos densos, conforme sua entrada na célula hospedeira, formando em seguida um vacúolo parasitóforo. Apicoplasto, localizada no citoplasma dos zoitos, próxima ao núcleo, caracterizada pela presença de quatro membranas. Formas infectantes do T. gongii:  Taquizoito: encontrado na fase aguda da infecção, forma proliferativa, forma livre ou trofozoito. Forma grosseira de banana ou meia-lua. É uma forma móvel, de multiplicação rápida, por um processo endoplagenia, encontrada dentro do vacúolo parasitório de várias células, como nos líquidos orgânicos, excreções, células do SMF, hepáticas, pulmonares, nervosas, submucosas e musculares, pouco resistentes a ação do suco gástrico.  Bradizóito: encontrada em vários tecidos ( musculares esqueléticos e cardíacos, nervoso e retina), durante a fase crônica da infecção também denominada cistozoito. Os brsizóitos são muito mais resistentes à tripsina e à pepsina do que os Taquizoitos e podem permanecer viáveis nos tecido por vários anos.  Oocistos: é a forma de resistência que possui uma rede dupla bastante resistente ás condições do meio ambiente. São produzidos nas células intestinais de felídeos não-imunes e eliminados junto com a fezes.
  2. 2. Ciclo biológico: desenvolve-se em duas fases distintas; Fase assexuada, nos linfonodos e nos tecidos de vários hospedeiros(inclusive gatos e outros felídeos); Fase coccidiana ou sexuada, nas células do epitélio intestinal de gatos jovens não-imunes. T. gondii apresenta um ciclo heteróxeno, no qual os gatos são considerados hospedeiros completos ou definitivos por possuírem um ciclo coccidiano, apresentando uma fase sexuada dentro do vacúolo parasitóforo do citoplasma, nas células epiteliais do intestino e um ciclo assexuado ocorrendo em outros tecidos. O homem e outros mamíferos, com a vês , são considerados os hospedeiros incompletos ou intermediários, pois possuam apenas o ciclo assexuado. FASE ASSEXUADA Um hospedeiro susceptível(homem, por exemplo), ingerindo oocistos maduros contendo esporozóitos, encontrados em alimentos ou água contaminada, cistos contendo bradizóitos encontrados na carne crua, ou, mais raramente, taquizóitos eliminados no leite, poderá adquirir a parazito e desenvolver a fase assexuada. As formas de taquizóitos que chegam serão destruídas, mas as que penetram na mucosa oral ou inaladas poderão evoluir do mesmo modo que os cistos e oocistos, como se segue:  Endiogenia: representa uam forma especializada de divisão assexuada na qual duas células-filhas são formadas dentro da célula mãe.  Endopoligenia: mais rápido e com maior formação de taquizóitos, seria uma endiogenia múltipla. FASE COCCIDIANA O ciclo coccidiano ocorre somente nas células epiteliais, principlamentedo intestino delgado de gato e de outros felídeos jovens. Durante o desenvolvimento desse ciclo ocorre uma fase assexuada(merogonia) e outra sexuada(gamogonia) do parasito. Um gato jovem e não-imune, infectado-se oralmente por oocistos, cistos ou taquizoítos, desenvolverá o ciclo sexuado. TRANSMISSÃO O ser humano adquire a infecção por três vias principais: 1- Ingestãpo de oocitos presentes em alimento ou água contaminada. 2- Ingestão de cistos encontrados em carne crua ou mal cozida de porco e carneiro. 3- Congênita ou transplacentária. Mais raramente pode ocorrer ingestão de taquiozóitos em leite contaminado ou saliva, acidente de laboratório, transplante de órgão infectados. As vias de transmissão mais prováveis para o feto são: Transplacentária e rompimento de cistos no endométrio. DIAGNÓSTICO
  3. 3. O diagnóstico clínico não é fácil de se relizar, pois os casos agudos podem levar á morte ou evoluir para a forma crônica, esta pode se manifestar assintomaticamente ou então se assemelhara outras doenças, a suspeita clínica deverá ser confirmada por meio de diagnóstico laboratorial EPIDEMIOLOGIA Sabe-se que tanto os gatos domésticos, como os selvagens são os únicos animais que podem realizam o ciclo sexuado sexuado, eliminando após a primoinfecção milhões de oocitos imaturos nas fezes. O carnivorismo e a disseminação de oocitos na água, alimentos por insetos etc, interferem na ampla distribuição desse protozoário. PROFILAXIA 1- Não se alimentar de carne crua; 2- Controlar a população de gatos nas cidades e em fazendas; 3- Os criadores de gatos devem manter os animais dentro da casa e alimentá-los com carne cozida ou seca, ou com ração de boa qualidade; 4- Incinerar todas as fezes dos gatos; 5- Proteger as caixas de areia para evitar que os gatos defequem neste local; 6- Recomenda-se o exame pré-natal para toxoplasmose em todas as gestantes; 7- Tratamento com espiramicina das grávidas em fase aguda; TRATAMENTO Ainda não existe um medicamento eficaz contra a toxoplasmose, na fase crônica da infecção. As drogas utilizadas atuam contra taquizoitos, mas não contra os cistos.

×