Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Monografia ERP Open Source

1,067 views

Published on

Trabalho acadêmico sobre o uso de ERP Open Source em PME

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Monografia ERP Open Source

  1. 1. UNIVERSIDADE TIRADENTES ANDERSON DE FARO SILVA ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) UTILIZANDO SOFTWARE LIVRE: ALTERNATIVA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Aracaju 2010
  2. 2. ANDERSON DE FARO SILVA ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) UTILIZANDO SOFTWARE LIVRE: ALTERNATIVA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Monografia apresentada à Universidade Tiradentes como um dos pré-requisitos para a obtenção do grau de bacharel em Ciência da Computação ORIENTADOR: PROF. GEORGE LEITE JUNIOR CO-ORIENTADOR: RUI DE AMARAL FLEXA Aracaju 2010
  3. 3. ANDERSON DE FARO SILVA ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) UTILIZANDO SOFTWARE LIVRE: ALTERNATIVA PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS Monografia apresentada ao curso de Ciência da Computação da Universidade Tiradentes – UNIT, como requisito parcial para obtenção do grau de bacharel em Ciência da Computação. Aprovada em ____/____/_____ Banca Examinadora Prof. George Leite Junior Universidade Tiradentes – UNIT Rui de Amaral Flexa Chip & Cia Marcio Rodrigo E. Carvalho Universidade Tiradentes – UNIT
  4. 4. Aos meus pais
  5. 5. AGRADECIMENTOS A realização desse trabalho só foi possível graças a: Aos meus pais, que durante toda fase acadêmica souberam entender e orientar sobre todos os desafios encontrados. A todos os professores, que de alguma forma contribuiu para o meu desenvolvimento acadêmico em todo o andamento do curso. A todos os colegas, que participaram dessa caminhada e que partilhamos ao longo do curso todas as alegrias e desafios superados. Aos gestores das empresas, que deram oportunidade de estágio/emprego para poder colocar em pratica tudo que aprende na universidade.
  6. 6. A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido. Não na vitória propriamente dita. Mahatma Gandhi
  7. 7. RESUMO O uso de Enterprise Resource Planning (ERP) por empresas de pequeno e médio porte é um grande diferencial para o controle a tomada de decisão, mas na visão do pequeno empresário ter esse tipo de sistema a sua disposição parece algo fora de sua realidade financeira, nesse trabalho será apresentado o histórico do surgimento do Sistema Integrado de Gestão (SIG) nas organizações, suas vantagens, desvantagens e os cuidados que se deve tomar na hora de escolher o software. Serão apresentadas alternativas de programas para atender a necessidades desses empresários a um custo de aquisição bem inferior a soluções proprietárias que são usadas pelas grandes empresas. Os softwares apresentados podem ser usados e distribuídos de forma gratuita por serem desenvolvidos sobre as regras da GPL (General Public License). Além de ser oferecido suporte por empresas especializadas para: adequação, implantação, consultoria e suporte. Uma das soluções apresentadas é brasileira e segue as regras fiscais e contábeis do país. PALAVRAS-CHAVE: Enterprise Resource Planning; General Public License; Software
  8. 8. ABSTRACT The use of Enterprise Resource Planning (ERP) for small and medium businesses is a big difference for the control and decision making, but in view of small business have this type of system at your disposal is like something out of their financial circumstances, this work will be presented the historiography of the emergence of the Integrated Management System (GIS) in organizations, advantages, disadvantages and care must be taken when choosing the software. Will be presented alternative programs to meet the needs of entrepreneurs at a cost much lower than proprietary solutions that are used by large companies. The software presented can be used and distributed for free by being carried on the rules of the GPL (General Public License).Besides being supported by specialized companies for adequacy, implementation, consulting and support. One of the solutions presented is Brazilian and follow the tax rules and accounting of the country. KEYWORDS: Enterprise Resource Planning; General Public License; Software
  9. 9. LISTAS Índice de Figuras 1 – Arquitetura ERP .................................................................................................. 19 2 – Módulo ERP (Industria) ...................................................................................... 22 3 – Módulo ERP (Comércio) ..................................................................................... 28 4 - Módulos OpenBravo ERP ................................................................................... 42 5 – Login OpenBravo ............................................................................................... 47 6 – Página inicial OpenBravo ................................................................................... 48 7 – Instalar módulo de tradução ............................................................................... 49 8 – Definir linguagem padrão OpenBravo ................................................................ 50 9 – Criar entidade OpenBravo .................................................................................. 51 10 – Criar organização OpenBravo .......................................................................... 52 11- Cadastar endereço organização OpenBravo ..................................................... 53 12 – Cadastrar parceiro de negocio OpenBravo ...................................................... 54 13 – Classificação parceiro de negocio OpenBravo ................................................. 55 14 – Cadastrar endereço parceiro de negocio OpenBravo ...................................... 55 15 – Cadastrar parceiro de negocio OpenBravo (Fornecedor)................................. 56 16 – Cadastrar parceiro de negocio OpenBravo (Cliente) ....................................... 57 17 – Cadastrar produto OpenBravo ......................................................................... 58 18 – Categoria de produtos OpenBravo ................................................................... 59 19 – Categoria impostos OpenBravo ....................................................................... 59 20 – Requisição de material OpenBravo .................................................................. 60 21 – Consultar fornecedor requisição material OpenBravo ...................................... 61
  10. 10. 22 – Cadastrar lista de preços OpenBravo .............................................................. 62 23 – Versão da lista de preços OpenBravo .............................................................. 62 24 – Instalar plug-in MyLyn....................................................................................... 67 25 – Instalar plug-in Subclipse ................................................................................. 68 26 – Novo projeto SVN ............................................................................................. 69 27- Caminho repositório SVN ................................................................................... 70 28 – Selecionar projeto SVN .................................................................................... 70 29 – Criar jars projetos ............................................................................................. 71 30 – Caminho diretório freedom ............................................................................... 72 31 – Arquivos Bin freedom ....................................................................................... 73 32 – Arquivos lib freedom 1 ...................................................................................... 74 33 – Arquivo lib freedom 2 ........................................................................................ 74 34 – Arquivo configuração freedom .......................................................................... 75 35 – Ícones freedom ................................................................................................. 76 36 – Login freedom ................................................................................................... 79 37 – Página inicial freedom ...................................................................................... 79 38 – Cadastro empresa freedom .............................................................................. 80 39 – Configurações gerais freedom ......................................................................... 81 40 – Tipo fornecedor freedom .................................................................................. 82 41 – Cadastrar fornecedor freedom ......................................................................... 83 42 – Fazer consulta freedom .................................................................................... 84 43 – Cadastrar tipo cliente ........................................................................................ 85 44 – Classificação cliente freedom ........................................................................... 85 45 – Cadastrar cliente freedom ................................................................................ 86 46 – Vincular cliente x fornecedor ............................................................................ 86 47 – Classificação comissionado ............................................................................. 87 48 – Tipo comissionado freedom ............................................................................. 88 49 – Cadastrar comissionado freedom ..................................................................... 88 50 – Cadastrar unidade ............................................................................................ 90
  11. 11. 51 – Cadastrar marca ............................................................................................... 90 52 – Cadastrar grupo de produto ............................................................................. 91 53 – Cadastrar produto ............................................................................................. 92 54 – Fazer pedido ..................................................................................................... 93 55 – Encerrar pedido ................................................................................................ 93 56 – Fazer venda ...................................................................................................... 94 57 – Finalizar venda ................................................................................................. 95 58 – Consultar movimentação produtos ................................................................... 95
  12. 12. SUMÁRIO 1. Introdução ............................................................................................................................. 13 2. Precursores do ERP............................................................................................................ 14 2.1 MRP (Material Requirement Planning)................................................................................. 14 2.2 MRP II (Material Requirement Planning) ............................................................................. 14 3. ERP (Enterprise Resource Planning)............................................................................... 17 3.1 Conceitos .................................................................................................................................. 17 3.2 Arquitetura Básica ERP .......................................................................................................... 19 3.3 Vantagens e Benefícios.......................................................................................................... 29 3.4 Aplicabilidade e Mercado........................................................................................................ 30 4. Ferramentas ERP baseados em Software Livre............................................................. 32 4.1 Introdução ................................................................................................................................. 32 4.2 Porque Software Livre? .......................................................................................................... 33 4.3 Openbravo ................................................................................................................................ 34 4.4 Freedom ERP........................................................................................................................... 36 5. Estudo de Caso.................................................................................................................... 39 5.1 Contextualização ..................................................................................................................... 39 5.2 OpenBravo................................................................................................................................ 41 5.2.1 Características .................................................................................................................. 41 5.2.2 Vantagens.......................................................................................................................... 43 5.2.3 Desvantagens ................................................................................................................... 44 5.2.4 Processo de Implantação................................................................................................ 45 5.3 Freedom ERP........................................................................................................................... 63 5.3.1 Características .................................................................................................................. 63 5.3.2 Vantagens.......................................................................................................................... 64 5.3.3 Desvantagens ................................................................................................................... 65 5.3.4 Processo de Implantação................................................................................................ 65 5.4 Comparativo OpenBravo Vs. Freedom ERP....................................................................... 96 6. Considerações Finais.......................................................................................................... 98 Referências ............................................................................................................................. 100
  13. 13. 13 1. Introdução Com o avanço das tecnologias e a necessidade cada vez maior das empresas acompanharem tudo que acontece no cenário mundial para se tornarem competitivas com empresas de qualquer região do mundo as organizações vem investindo em tecnologias para auxiliar nas tomadas de decisões críticas. Uma das soluções mais adotadas no momento é o uso de Enterprise Resource Planning (ERP) pelas grandes empresas desde os anos noventa do século passado inserindo nas organizações o uso de Sistema de Gestão Integrada (SIG) como é conhecido no Brasil, para o melhor gerenciamento dos processos da empresa e ter informações gerenciais em tempo real. Ao longo dos anos vem surgindo softwares para atender as necessidades das empresas de pequeno e médio porte que não possui recursos para adquirir uma solução ERP proprietária pelo seu alto custo de aquisição e manutenção. Como alternativa para essas empresas já existe soluções em Software Livre. Entre as ferramentas mais usadas no Brasil estão: OpenBravo e Freedom ERP. São ferramentas com perfis diferentes, mas que podem atender a necessidades das organizações.
  14. 14. 14 2. Precursores do ERP 2.1 MRP1 (Material Requirement Planning) O MRP nasceu das necessidades das instituições em ter um melhor controle dos fornecimentos. Não só a quantidade do que era solicitado, mas também o momento certo e a quantidade certa a ser requerida de acordo com o histórico dos pedidos anteriores desses produtos, resultando em uma melhor escolha dos fornecedores. Os materiais que se tinham maior controle nas empresas são os insumos, que por sua vez não podem faltar na empresa por serem produtos básicos para fabricação dos produtos finais comercializados na companhia. Os primeiros MRPs que surgiram foi na década de 50 e até o inicio da década de 70 já se somavam mais de 150 softwares. Esses sistemas só eram usados por empresas de grande porte, devido ao seu alto custo de aquisição e manutenção. 2.2 MRP II (Material Requirement Planning) A partir dos anos 80 as empresas sentiram a necessidade de melhorar seus sistemas e começaram a gerenciar o processo de produção das empresas de uma forma mais abrangente. Começa a partir daí um novo marco para a história do SIG (Sistema de Gerenciamento Integrado) nasce o MRP II, agora mais completo. Atendendo não só gestão de pedidos (compra e venda de produtos) pela empresa, mas controlando todas as etapas de fabricação dos produtos acabados, melhorando a produção da empresa com base em tudo que a companhia tem a sua disposição. 1 Material Requirement Planning (Planejamento das necessidades de materiais)
  15. 15. 15 Desde as matérias-primas necessárias pra confecção dos produtos até a mão-de- obra à disposição da empresa, tornando-se maior o aproveitamento dos seus recursos. Com o gerenciamento dos fornecimentos de matérias para as empresas, surgiu à necessidade de um melhor controle do estoque das companhias. Não somente dos produtos que eram adquiridos pela empresa, mas, também de tudo que ela produzia e acabaria deixando a empresa com um volume muito grande de seu capital parado. A boa gerencia de estoque é algo muito importante para uma empresa. Porque um estoque mal gerenciado pode acarretar uma grande perda para a empresa. Mas a grande pergunta para as organizações é: Quanto devo possuir de material estocável, como devo dividir os materiais? Os materiais estocáveis são divididos em quatro grupos: Matérias-primas, produtos fabricados internamente, produtos semi-acabados e produtos acabados. • Matérias-primas: São produtos base para a produção dos produtos fabricados pela ou na empresa. Esses produtos são comprados pra suprir uma necessidade de uma demanda preestabelecida e principalmente para atender uma necessidade planejada. • Produtos fabricados internamente: Esse tipo de material constitui produtos que atenda as necessidades da empresa. Geralmente são peças para máquinas que são difíceis de serem encontradas ou que não são fabricadas mais. As empresas passam a produzi-las e estocá-las de acordo com as suas
  16. 16. 16 necessidades. • Produtos semi-acabados: São partes dos produtos que a empresa compra pronto para atender a suas necessidades ou que a mesma produz. Esses tipos de produtos são comumente utilizados para marketing de novos produtos ou promoção. Um bom exemplo desse tipo de produto são mercadorias que vem em um pacote único (sabonete + shampoo) se a empresa produz uma nova embalagem para vendo-los juntos, produtos esses que podem ser produzidos pela empresa ou comprados prontos, ao revendê- los a empresa passa a produzir um novo produto. • Produtos acabados: São os produtos fabricados dentro da empresa. Tudo que comprado pela empresa for modificado e oferecido ao cliente é produto acabado.
  17. 17. 17 3. ERP2 (Enterprise Resource Planning) 3.1 Conceitos O ERP surgiu da necessidade de integração entre as áreas de uma empresa. Diferente do que acontece no MRP II, o qual controla as áreas de produção e gerenciamento de estoque, o ERP abrange áreas como: Produção, Controle de Estoque, faturamento, contas a pagar, contas a receber, entre outros. Todos esses módulos trabalham de forma integrada usando uma única base de dados. Evitando que dados redundantes sejam inseridos na base em sistemas diferentes. “ERP é um termo genérico para um conjunto de atividades executadas por um software multi-modular, que tem por objetivo auxiliar o fabricante ou o gestor de uma empresa nas importantes fases do seu negócio, incluindo o desenvolvimento de produtos, compra de itens, manutenção de estoques, interação com os fornecedores, serviços a clientes e acompanhamento de ordens de produção. O ERP pode também incluir módulos aplicativos para os aspectos financeiros e até mesmo para a gestão de recursos humanos. Tipicamente, um sistema ERP usa ou está integrado a uma base de dados relacional.” (Michael de Souza, 2003) A implantação do ERP é algo que deve ser feito de forma muito cautelosa e preocupada com todas as áreas da companhia que serão afetadas. Principalmente o gerenciamento dos processos, pois uma decisão tomada de forma errada ira impactar em toda companhia. Desde a produção até o faturamento dos produtos. 2 Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais)
  18. 18. 18 Hoje no mercado existem diversas opções de softwares que atendem essa demanda das empresas para melhor gerenciamento das informações das companhias e manutenção das informações. Um bom exemplo disso é o SAP3 , atualmente o principal software usado pelas grandes empresas para integração e gerenciamento das informações. “... ERP (Enterprise Resource Planning) - um software que integra os departamentos da empresa, facilitando a interação entre eles; torna os processos internos mais organizados e transparentes, evitando o retrabalho; facilita o armazenamento de informações; e proporciona mais praticidade ao gerenciamento do negócio.” (Luciana Barroso, 2010) Mas este software possui uma grande barreira, o seu alto custo de aquisição e manutenção. Em contrapartida, vem surgindo varias opções para atender as necessidades de empresas menores (pequeno e médio porte) que devem se modernizar e se tornar com isso mais competitivas no mercado globalizado. Para estas empresas existem aplicações como: OpenBravo e Freedom ERP que foram desenvolvidas com o uso de softwares livres e que vem crescendo muito a cada dia. Mas, por serem softwares livres necessita de um grande cuidado na implantação dos mesmos. Um dos principais cuidados que deve ser tomado são as adequações das regras contábeis e fiscais que devem está em conformidade com as regras do país que a empresa atua. Para resolver esse problema existem empresas especializadas que oferecem suporte a varias opções de ferramentas disponíveis no mercado para adequação 3 Um dos ERPs mais usados pelas empresas de grande porte.
  19. 19. 19 das regras fiscais brasileiras. E que presta consultoria para implantação de ERP para os diversos tipos de empresa. 3.2 Arquitetura Básica ERP A estrutura do ERP envolve as áreas de: Vendas e distribuição, Apoio às serviços, Gerenciamento de Recursos Humanos, Gerenciamento de Materiais (MRP), Manufatura (MRP II), Finanças, controladoria e Diretoria e acionistas (Relatórios). Como mostra a figura abaixo: Figura 1 - Arquitetura ERP Fonte: http://www.numa.org.br/conhecimentos/conhecimentos_port/pag_conhec/ERP_v2.html
  20. 20. 20 • Fornecedores: São empresas ou pessoas responsáveis por oferecem produtos e serviços que irão auxiliar a empresa no desenvolvimento dos seus produtos e serviços. o Finança e Controladoria ficam responsáveis pelo controle das contas a pagar, contas a receber e contabilidade da instituição. o Manufatura é responsável pela produção dos produtos que a empresa oferece ao mercado. o Gerenciamento de materiais faz o controle dos produtos que são fornecidos à companhia e o controle do estoque tanto dos produtos da empresa como das matérias-prima necessário a produção (Manufatura). • Funcionários: Mão de obra necessária para atender as necessidades da empresa. o Gerenciamento de recursos humanos: Responsável pelo gerenciamento dos funcionários atendendo suas necessidades e julgando onde os mesmos devem ser alocados para terem o melhor rendimento e que possa melhor usar suas qualidades pessoais e conhecimentos. • Clientes: Os clientes é o objetivo final de qualquer empresa. É a partir dessas áreas que a instituição ira oferecer ao mercado todos os seus produtos e serviços.
  21. 21. 21 o As áreas de venda e distribuição e apoio à serviços está ligada diretamente aos cliente da empresas. Esses setores são responsáveis por entrar em contato com os clientes para o fornecimento de produtos e serviços a companhia tem a oferecer ao mercado. • Diretoria e acionistas: São pessoas ou outra empresa responsável por investir seu capital na empresa. Por serem os responsáveis pelo capital que faz a empresa funcionar, elas querem vêem seu investimento dando o melhor retorno possível. Para isso, essas pessoas ou empresas precisam saber onde ou em que precisam investir para ter o melhor retorno. o Os relatórios gerados para a diretoria da companhia é responsável pelo fornecimento de todos esses dados, que são unificados para se obter as informações referentes a todos os setores para deixar claro onde os investimentos devem ser feito para atender todas as metas estabelecidas. Para uma empresa poder implantar um software ERP precisa ter os passos dos seus processos bem definidos, isso é muito importante para o sucesso de implantação de uma aplicação SIG (Sistema Integrado de Gestão). Pois, uma definição mal feita desses processos pode acarretar em falhas para o negocio da empresa.
  22. 22. 22 Na figura 2 será apresentado o modelo de processos que pode ser seguido pela indústria, lembrando que os ERPs são sistemas genéricos e que devem ser parametrizados para atender as etapas dos processos da empresa que ira implantar o mesmo. O fato de o sistema ter todos os módulos mencionados acima não quer dizer que a empresa tenha que fazer o uso de todos eles para que o sistema possa funcionar, a empresa pode manter ativo somente o que for de seu interesses sem acarrear no objetivo final da aplicação. Abaixo segue imagem mostrando todos os processos que envolvem o modelo industrial do ERP: Figura 2 - Módulos ERP (Indústria) Fonte: Livro Administração de Sistemas de Informação
  23. 23. 23 • Produção: Faz o gerenciamento da fabricação dos produtos. Tanto para atender ao pedido de um cliente como para atender uma demanda de mercado. o Planejamento Agregado: Esta etapa do processo analisa a capacidade de produção da empresa, o tempo necessário para atender ao pedido do cliente. Neste modulo também é feita a analise das melhorias necessárias para atender as novas demandas que venham a surgir para a empresa em períodos comemorativos, onde as venda do produto aumenta ou por um crescimento na demando do mercado. o Programação mestre de entradas: Esse módulo trabalha diretamente com o modulo de pedidos da empresa. Com base nos dados do modulo de pedidos pode ser feito do que pode ser produzido pela empresa e qual a quantidade, programar novos pedidos e fazer ajuste na entrada de produtos no estoque de acordo com a necessidade e demanda da empresa. o Planejamento de Capacidade: Periodicamente o sistema faz analise para verificar a capacidade de produção para atender a novas demandas. No caso de a demanda ficar muito superior a capacidade da empresa a mesma pode tentar negociar os prazos de entrega com seus clientes ou ampliar sua linha de produção. o Planejamento da necessidade de materiais: É verificado se existe matéria-prima suficiente para atender a demanda da empresa. Caso
  24. 24. 24 a quantidade de material esteja inferior a quantidade necessária, pode ser gerados pedidos automáticos para os fornecedores que podem atender essa demanda ou gerar alertas para o pessoal responsável pela cotação e compra fazer a requisição dos materiais. o Controle de Produção: Faz o gerenciamento da produção desde as horas trabalhadas, paradas na produção e cálculos para analisar o desempenho da produção e poder resolver os problemas que venham a ocorrer de forma preventiva para evitar que a produção da empresa tenha o ambiente de produção parado. o Ordem de produção em execução: Esta etapa conversa diretamente com o modulo de produção do ERP, informando os pedidos que estão sendo executado e calculando a taxa atual de produtividade e verificar quais os produtos que estão disponíveis no estoque. o Estoque de materiais: Faz o controle do estoque dos materiais necessários na linha de produção, cadastro dos itens, inventário dos produtos, requisições de materiais. Quando um produto não esta disponível no estoque é feita a requisição ao modulo de compras. o Compras: Faz as solicitações de produtos (matérias-primas) que são necessários na linha de produção, também faz parte do modulo o cadastramento dos fornecedores dos materiais e a forma de pagamento dos produtos.
  25. 25. 25 o Controle de qualidade: Faz o controle de produtos que são desenvolvidos na empresa. Ao final da produção do lote do produto são retirados alguns produtos de amostra como forma de atestar a qualidade do produto. o Custos: Nessa etapa a empresa ira fazer o custo de produção de seus produtos, fazendo o cálculo dos preços de aquisições de materiais. Levando em consideração que a empresa fará o calculo através do preço médio das suas matérias. • Comercial: Esse módulo trabalha com a oferta de produtos e serviços aos clientes da empresa, e faz o faturamento dos produtos vendidos. Abaixo temos a descrição de todas as etapas do processo comercial. o Previsão de demanda: Com base nessa previsão a empresa saberá a estimativa de estocagem de produtos acabado e quanto de cada produto base (matérias-primas) deve ser comprado para atender a demanda. A compra dos pedidos pode tomar como base a estimativa ou pelos pedidos feitos pelos clientes da empresa. o Pedido: Faz o gerenciamento dos pedidos que sejam solicitados aos fornecedores externos bem como o gerenciamento da área de produção informando onde e quando cada produto será usado. o Estoque: Estocagem dos produtos da companhia, esses em geral são produtos acabado da empresa para atender uma demanda de rotatividade da empresa (estimativa de compra dos clientes).
  26. 26. 26 o Expedição: Faz todo o controle desde a saída do produto do estoque da empresa, transporte do produto e entrega da mercadoria ao cliente. o Faturamento: Emissão de nota fiscal de todas as vendas, ou produtos transferidos de uma unidade para outra da empresa. Quando uma empresa tem mais de uma unidade e possui sua produção centralizada, seus produtos precisam ser transferidos para outras unidades para uma melhor distribuição dos produtos para os clientes. o Logística: Faz analise das melhores rotas para entrega dos produtos aos clientes para redução de custo e previsão de entrega dos produtos. • Administrativa: Modulo responsável por todo o controle financeiro da empresa e que recebe a maior parte dos seus dados dos outros 2 (dois) módulos incorporados ao ERP (Comercial e Produção). Os dados desses módulos são carregados principalmente pelas funcionalidades de custo (Produção) e estoque de materiais (Comercial). O módulo administrativo pode ter também o controle de folha de pagamento, mas isso não é algo muito comum por ser um modulo que é altamente parametrizável. o Contas a receber: Faz o controle de todas as faturas emitidas pela empresa, esse módulo fornece também todo o histórico de pagamento de seus clientes e controle do fluxo de caixa da empresa. o Contas a pagar: Este módulo tem seus dados carregados a partir do modulo de compras. Faz o controle das despesas com
  27. 27. 27 fornecedores, valor dos boletos, data de vencimentos das faturas, bancos. o Contabilidade: Possuem todos os processos contábeis, esse módulo se integra a vários outros como: contas a pagar, contas a receber e finanças. Quando necessário também é feita a geração de informações para as receitas: federal, estadual ou municipal. o Financeiro: Esse módulo recebe informações de todos os módulos que compõem o administrativo. Tem como principal tarefa fazer os agendamentos de contas a pagar (agendar pagamentos), contas a receber (cobrança em aberto, recebimento), fluxo de caixa da empresa, simulação do fluxo de caixa. o Folha de pagamento: Esse não é um módulo comum nos ERPs por ser um modulo bastante parametrizável. É responsável pela mão de obra da empresa. Contratação de novos empregados tanto temporário como efetivo, parametrização de acordos sindicais.
  28. 28. 28 Figura 3 - Módulo ERP (Comércio) Fonte: Administração de Informação A figura 3 mostra a estrutura dos módulos para empresas que não faz uso do módulo de produção do ERP. No caso das empresas que possuem esse perfil é muito mais importantes os controles de: Compras (Administrativo), faturamento, logística externa (Comercial). Algo bastante importante ser tratado nessa situação do uso de ERP é a devolução de mercadoria para os fornecedores. Isso é algo que deve ser tratado no sistema como regra, e não como exceção como acontece geralmente. O uso desse modelo de ERP é feito por empresas que compram mercadoria em atacado para vender no varejo. Como acontecem nos casos de empresas como redes de super mercados.
  29. 29. 29 3.3 Vantagens e Benefícios A implantação de ERP é algo vem sendo discutido em todas as empresas de diferentes tamanhos, e que a grande pergunta par a maioria dos membros da diretoria da empresa é: Quais os benefícios que a implantação de ERP ira trazer para a companhia? Uma empresa independente de seu porte tem que está preparada para competir não só na região onde esta localizada. Mas com todo o mercado globalizado e para isso as empresa precisam ter as informações sobre a empresa de forma automática para poder prever melhor em quais áreas ou locais as empresas deve investir seu recursos e a mão-de-obra disponível. Mas para ter o retorno esperado pela empresa a implantação de um software ERP deve ter os seguintes passos bem definidos: Especificação dos processos, adoção de boas práticas, fazer uso de base de dados unificada. • Especificação dos processos: Este é um passo importante para o bom resultado do ERP, isso é um grande dilema para as pequenas empresas. Que na maioria dos casos não possui esses passos bem definido. Estas especificações devem envolver todos os níveis de tarefas desde as mais complexas aos mais simples. • Adoção de boas práticas: Essa uma discussão que deve se tomar muito cuidado ao defini-las, porque a boa prática para uma empresa
  30. 30. 30 pode não trazer o mesmo beneficio para outra. Este software no geral vem com a maioria de possibilidades que ao logo do tempo foram incorporadas com o amadurecimento da ferramenta e a empresa tem que escolher qual delas se encaixa melhor a suas necessidades ou solicitar o ajusta da que melhor se encaixa. • Uso de base de dados única: Esse é um artifício incorporado ao ERP que por ser um conjunto de sistemas integrados todos os módulos se comunicam entre se evitando redundância de dados e melhorando o controle das informações criticas para a empresa. 3.4 Aplicabilidade e Mercado O mercado de ERP vem obtendo crescimento continua desde os anos noventa e em 2009 teve um crescimento de 17% em comparação ao ano de 2008, pensando na continuidade de crescimento desse mercado as empresas que vendem soluções em ERP vem oferecendo serviços para tornar as soluções mais acessíveis para empresas de pequeno porte vendo as soluções por módulo e oferecendo serviços de hardware para que as empresas que venham a adquirir o serviço não tenham a necessidade de investir também em infra-estrutura de TI reduzindo custo na aquisição e manutenção de hardwares.
  31. 31. 31 “A estimativa para todo o ano de 2009 é de que as empresas brasileiras tenham gastado mais de 2,5 bilhões de reais em sistemas de ERP (Enterprise Resource Planning), o que equivale a um crescimento de 17% em relação ao ano anterior.” (Kátia Arima, 2010) Em contrapartida as empresas pagam uma mensalidade para a companhia prestadora do serviço, para manutenção do software, controle de backups, antivírus, firewall, monitoramento, suporte e manutenção. Essa opção serviços que as empresas de ERP vem oferecendo vem chamando muito a atenção das empresas de pequeno porte e o que contribuiu com o crescimento acentuado dos Sistemas Interados ao longo dos anos, mesmo com a crise que aconteceu recentemente os impactos nessa área pouco afetou seu crescimento.
  32. 32. 32 4. Ferramentas ERP baseados em Software Livre 4.1 Introdução Com as empresas cada vez mais participando do mercado globalizado e com a necessidade das companhias deterem um melhor controle das informações dos setores, se torna cada vez mais necessário o uso de sistemas integrados para melhor gerenciar todos os processos de organizações de pequeno e médio porte. Com o uso de ERP as empresas podem se planejar melhor, tomar decisões quando cada setor precisa de algum tipo de investimento ou mesmo esta passando por algum novo desafio. Essa é algumas das varias situações que um ERP pode ajudar essas empresas no seu crescimento. Mas a implantação de um Sistema de Gestão Integrado (SIG) é algo que tem que ser planejado com muita cautela, e que só pode da o retorno desejado quando se planeja a logo prazo. O maior desafio para a utilização desses softwares em pequenas companhias é a falta do gerenciamento de processos que existe. Para a incorporação de um SIG nessas empresas o primeiro passo é a definição dos processos ou ajustar o que já existe ao que propõem a ferramenta escolhida como forma de redução de custo de aquisição e manutenção desses aplicativos. A utilização desses softwares livres vem trazer todos os benefícios que grandes organizações tanto comerciais como industriais já possuem o seu alcance.
  33. 33. 33 4.2 Porque Software Livre? Já existem varias opções de programas a disposição das companhias de formas livre. Tem que se tomar um cuidado muito grande quando se fala em ferramentas livres. As pessoas confundem o fato de ser livre e ser gratuito. Existem grandes diferenças, os softwares livres são disponibilizados para a comunidade tanto o software pronto para uso como seu código-fonte para que possa ser feita melhorias na ferramenta. Uma ferramenta livre uma vezes registrada pelo GPL (General Public License) não pode ser registrado como software proprietário e o direito autoral dos desenvolvedores deve ser mantido. O fato de ferramenta ser livre não significa que o desenvolvedor não possa cobrar pela distribuição do software, o que é garantido para quem adquire esse tipo de sistema é a liberdade de melhorá-lo e redistribuir o que foi modificado da forma que preferir. “Segundo a Free Software Foundation (Fundação para o Software Livre), é considerado livre qualquer programa que pode ser copiado, usado, modificado e redistribuído de acordo com as necessidades de cada usuário. Em outras palavras, o Software é considerado livre quando atende a esses quatro tipos de liberdades definidas pela fundação. Nada impede que um desenvolvedor cobre pelas modificações feitas, pois há custos como em qualquer outra atividade, porém a diferença está na filosofia do Software Livre, a qual visa o espírito de liberdade e não o lucro.” (Camila Porto de Camargo, 2008)
  34. 34. 34 Mas porque usar ERP livre? O uso de ERP livre foi observado pelo fato de empresas de pequeno e médio porte não ter condições de fazer a aquisição de sistemas ERP de grande porte pelo alto custo de aquisição e manutenção. Mas é necessário que se tome muito cuidado ao se adquirir uma ferramenta livre, fazer pesquisas do uso dessas ferramentas, casos de sucesso, se no país é dado suporte ao software, possui alguma empresa que ofereça suporte ao aplicativo para adequação do software para as regras brasileiras no caso de sistema que são desenvolvidos no padrão internacional ou no caso de softwares brasileiros e que ao longo do tempo venham a necessitar ajustar suas regras. 4.3 Openbravo A primeira ferramenta que será observada no estudo de caso a seguir é o OpenBravo, está é uma opção para empresas de médio porte por considerar a necessidade de suporte e por ter a opção de migração dos dados entre versões do software que a empresa já possui. A preocupação quanto ao suporte para essa ferramenta é o fato de que por ser uma ferramenta criada dentro dos padrões internacionais algumas regras precisam ser ajustada para atender as necessidades fiscais e contábeis do Brasil.
  35. 35. 35 No Brasil existem empresas que oferecem suporte ao OpenBravo, algumas das soluções que as empresas fornecem são: Pacote de tradução, configuração do OpenBravo nos S.O (Linux e Windows), Carga de NCM4 , Configuração de campos customizados (CPF e CNPJ) e suas respectivas validações, Configuração de Inscrição Estadual, entre outras. Além de todos os pacotes disponíveis as empresas disponibilizam equipes para acompanhar o processo de implantação do ERP na companhia. Para a configuração do OpenBravo é algo fácil de ser feito para usuários da distribuição Ubuntu, existe um repositórios pronto disponível no site do projeto para a instalação do ERP, são pré-requisitos os softwares: PostgreSQL, Oracle JDK, Apache Tomcat, Apache Ant. A partir da versão 2.5 também e dado suporte para o SGBD Oracle. Para quem prefere trabalhar com os sistemas operacionais Windows pode ser feita a configuração do mesmo bastando instalar os pré-requisitos exigidos e fazendo a instalação do ERP através do executável disponível no site do projeto (openbravo.com). Para o caso de uso foi usado a opção de instalação e configuração do OpenBravo através do repositório do site, a configuração foi feita na versão 10.04 do Ubuntu numa máquina virtual com 8 GB de HD e 1 GB de memória RAM. 4 Nomenclatura Comum do Mercosul
  36. 36. 36 4.4 Freedom ERP A outra ferramenta que será abordada no estudo de caso é o Freedom ERP, esse sistema é hoje o mais usado nas pequenas empresas. É um software brasileiro, sua principal vantagem é o fato do mesmo ser desenvolvido usando as regras fiscais e contábeis brasileiras. A empresa desenvolvedora vem dando suporte e oferecendo curso para as pessoas interessadas no sistema. Possui uma comunidade bastante ativa e que na medida do possível vai resolvendo os problemas que os usuários vêem repassando através do fórum e o desenvolvimento de novas funcionalidades sugeridas pelos usuários. A ferramenta é bastante simples para instalação, e encontra-se material facilmente na internet. Algumas parametrizações básicas para o sistema estão disponíveis no youtube.com. O fato de a ferramenta ser desenvolvida dentro dos padrões brasileiros faz com que os usuários tenham uma melhor aceitação. Diferente do acontece com os ERPs livres que são produzidos com padrões internacionais e que as empresas acabam pagando por suporte ou montando uma equipe própria para trabalhar na customização da ferramenta. Isso acaba reduzindo bastante o custo para implantação deste software em empresas de pequeno porte. O sistema é todo desenvolvido em Java Swing e usa o banco de dados Firebird 1.5 Server. Para fazer uso do ERP basta descompactar o arquivo que está disponível no site do projeto. Os pré-requisitos para a instalação do Freedom ERP
  37. 37. 37 são: A instalação da JVM (Java Virtual Machine) e a instalação do Firebird no computador. Para a configuração das máquinas que irão trabalhar com a ferramenta basta seguir os mesmos passos da implantação do sistema. A única diferença é que o arquivo de configuração do banco dados deve apontar para a máquina servidora e não é necessária a instalação do Firebird na máquina cliente. Para os usuários que preferem usar o que há de mais novo do Freedom ERP tem a opção de baixar o código-fonte direto do seu repositório. Existem varias versões de repositórios disponíveis, algumas delas já são versões finalizadas e existe outro que possui tudo que está sendo desenvolvido e corrigido. Esses repositórios podem ser encontrados no link: http://freedom-erp.googlecode.com/svn/. Para quem preferir baixar o código-fonte existe tutorial disponível no fórum do Freedom ERP explicando como deve ser feito o processo de configuração da IDE Eclipse e compilação do projeto. Para fazer testes com essa ferramenta foi usada a versão 10.04 do Ubuntu e o Firebird 1.5, essa versão do Firebird é a recomendada pela empresa mantedora do ERP, pois a versão mais nova do Banco de Dados ainda não foi homologada. Foi usado o diretório /opt do Linux para descompactar os dados. Um erro que aconteceu ao se trabalhar com esse caminho que é o recomendado para implantação do sistema observou-se que foi necessário mudar a permissão do diretório (Firebird) para o usuário e grupo firebird para que o banco de dados possa fazer a leitura e escrita dos dados na base. Para fazer o uso do ERP foi baixada a versão mais nova do que existe disponível no momento do checkout do trunk. Todas as etapas do processo de
  38. 38. 38 configuração do Eclipse e implantação foram seguidas a partir das recomendações feitas pelos usuários da comunidade oficial do software.
  39. 39. 39 5. Estudo de Caso 5.1 Contextualização O estudo de caso será feito usando uma empresa fictícia de distribuição de cosméticos (Distribuidora de Cosmético Sergipe). A empresa ira fazer a venda e distribuição dos produtos no varejo. A simulação de implantação na Distribuidora de Cosmético Sergipe será feita de uma forma genérica, o intuito desse trabalho é mostra a funcionalidades que as ferramentas podem oferecer, e não trazer uma solução para as empresas, até porque o ERP deve ser configurado de acordo com o perfil de cada empresa e quais são as etapas dos processos definido pelos seus gestores. Por ser um processo muito complexo e que pode chegar a demorar 1 (um) ano dependendo do porte da empresa e de como estão definidas as etapas de seus processos. Somente as funcionalidades básicas serão mostradas ao logo de todo trabalho, além de alguns módulos precisarem do auxilio de pessoas especializadas para auxiliar na parametrização do ERP. Outro obstáculo encontrado na situação que será abordada pelo estudo de caso é o fato das ferramentas não possuírem muitas documentações disponíveis na internet. Maiores detalhes sobre os desafios encontrados com a ferramenta serão mais detalhada nos itens: 5.2.3, 5.2.4, 5.3.3 e 5.3.4 que são referentes às vantagens e desvantagens de cada ferramenta estudada.
  40. 40. 40 Será feita a implantação de 2 (duas) ferramentas ERP estudadas para analisar qual delas melhor atendera a necessidade de empresa de pequeno porte. O foco dessa implantação é observar os benefícios que o software ira trazer para a empresa simulada e como será feito o gerenciamento dos setores. É importante ressaltar que o processo de implantação de uma ferramenta ERP é algo que é demorado pelo fato da maioria da empresas de pequeno porte não possuir seus processos bem definidos e por grande parte das empresas prefere ajustar seus processos as necessidades da ferramenta a customizar o software para atender suas necessidades para redução do custo de implantação. Nesse estudo de caso o modulo de produção não será usado por que o perfil da empresa estudada não produz seus produtos, só é feita revenda e distribuição de produtos fornecidos por empresas que manufaturam cosméticos para comercialização em todo território brasileiro. Em contrapartida o módulo de gerenciamento de estoque devera ser muito bem monitorado pelas pessoas responsáveis pela requisição e controle do fluxo de entrada/saída do estoque. Para evitar que a empresa não tenha dinheiro parado (estoque em excesso) e evitar falta dos produtos comercializados pela empresa. Outro módulo que será apresentado é o financeiro, que ficara responsável para monitorar todas as contas a pagar e receber da empresa. Fazendo com que a empresa possa melhor gerenciar o fluxo de caixa da companhia podendo com isso negocias dividas com seus fornecedores e credores, avaliar o momento certo para fazer investimentos.
  41. 41. 41 O módulo de pronto de venda (PDV) também será abordado, através desse módulo que é registrada todas as saídas da empresa. Esse módulo faz o registro de todas as vendas e contabilizada essas saídas do estoque da companhia. Serão usados os módulos de: • Cadastro de produtos/serviços • Gerenciamento de estoque • Cadastro de clientes • Cadastro de fornecedores • Registro de venda (PDV) 5.2 OpenBravo 5.2.1 Características OpenBravo é uma solução para pequenas e medias empresas líder de mercado na Europa, é um sistema totalmente desenvolvido para web usando a tecnologia Java e SGBD PostgreSQL. A partir da versão 2.5 do sistema foi adicionado o suporte ao SGBD Oracle. Aos poucos o OpenBravo vem crescendo no Brasil e ainda não teve uma aceitação maior por parte das empresas por ser um software relativamente novo no mercado. Já existem empresas que oferecem suporte ao sistema no país e que disponibiliza vários pacotes para ajustar a ferramenta para os padrões brasileiros.
  42. 42. 42 Um grande diferencial que foi encontrado no OpenBravo e que é bastante interessante é o começo foi bastante problemático foi o fato de que ao instalar novos módulos ou re-compilar o sistemas ocorrer alguma falha a ferramenta impede o acesso de qualquer login. Permitindo o acesso somente para o usuário padrão OpenBravo para poder fazer as correções necessárias para o sistema volta a sua normalidade. Figura 4 - Módulos OpenBravo ERP Fonte: http://www.codix.com.br/openbravo-funcionalidades.html Na figura 4 são apresentados os módulos que estão disponíveis no ERP são eles: Dados Mestres, Compras, Logística, Serviços e Projetos, Produção, Comercial e CRM e Financeiro (Contas a pagar e Contas a receber). A ferramenta também possui um modulo chamado de OpenBravo POS. O modulo é responsável pela demanda de varejo e do suporte a tela sensível ao toque. O modulo vem separado do ERP, pois pode ser feito uso somente do POS ou ERP de forma separada ou a integração do OpenBravo POS ao ERP.
  43. 43. 43 O modulo POS é todo desenvolvido na tecnologia Java Swing tendo suporte à maioria dos hardwares já está disponível e o modulo de restaurante está disponível e do suporte a telas touch screen. Apesar da ferramenta Open POS está sendo comentada no trabalho a mesma não será analisado, nenhum estudo da mesma será feito. São disponibilizados vários módulos que pode complementar o uso do software pela empresas, entre eles está o módulo educacional. Alguns desses módulos são liberados para downloads e outros possuem um valor agregado para aquisição do mesmo. Lembrando que pelo fato de se trabalhar com software livre ao se adquirir um desses módulos mesmos que sejam pagos os desenvolvedores do mesmo tem que disponibilizar o código-fonte. Um software uma vez livre não pode ter seu código fechado e a pessoa que o adquirir pode usar a ferramenta da forma que achar melhor. 5.2.2 Vantagens • Entre as principais vantagens do software é o mesmo ser seus módulos ERP todo desenvolvido para Web evitando assim problemas de compatibilidade com o Sistema Operacional (SO) usado pelos usuários. • A versão POS mesmo sendo desenvolvido para Swing funciona na maioria dos sistemas por fazer uso da tecnologia Java.
  44. 44. 44 • Fácil migração entre as versões do sistema pelo mesmo fazer a migração dos dados através de arquivos usando a funcionalidade de importação/exportação. • A ferramenta OpenBravo POS já da suporte a tela sensíveis ao toque. • Adicionar/Remover novos módulos de forma simples. • Suporte para ajustar a ferramenta a necessidades fiscais e contábeis do Brasil. • Os softwares OpenBravo ERP e OpenBravo POS podem trabalhar de forma separada ou integrada de acordo com necessidade da empresa. • Fácil instalação do ERP através de repositórios para o sistema operacional Linux. 5.2.3 Desvantagens • Versão original do sistema desenvolvido com base nas regras fiscais e contábeis internacionais. • Dificuldade de encontrar documentação com as parametrizações básica para o ERP. • Dificuldade para encontrar materiais para configuração do Eclipse para as pessoas que querem fazer as melhorias ou para estudar o código- fonte. • Dificuldade de uso da ferramenta por pessoas iniciantes ou com pouca experiência.
  45. 45. 45 5.2.4 Processo de Implantação O site do projeto disponibiliza uma máquina virtual demo para quem tem interesse em conhecer a ferramenta. O processo de configuração da ferramenta será feita do zero seguindo as recomendações do site (openbravo.com). Os primeiros passos que serão apresentados no estudo de caso é a configuração do servidor usando uma máquina com Ubuntu5 10.04, 8 (oito) GB HD e 1 (um) GB de memória RAM. A instalação da ferramenta será feita através do repositório disponibilizado no site do projeto. Para abrir o terminal siga o cominho: Aplicativos > Acessório > Terminal. No arquivo: /etc/apt/sources.list deve ser adicionado os repositórios: deb http://archive.canonical.com/ubuntu lucid partner deb-src http://archive.canonical.com/ubuntu lucid partner Lembrando que esse comando é usado para as distribuições Linux baseada no Debian6 . Após adicionar os caminhos ao arquivo será feito o processo de instalação da ferramenta. Abra o terminar no Ubuntu para 5 Distribuição baseada no Debian com mais usabilidade para os usuários 6 É uma das distribuições usada como base para novos distros desenvolvida para um determinado perfil de usuário.
  46. 46. 46 atualizar a lista dos repositórios7 e em seguida solicitar a instalação do OpenBravo ERP os comandos usados são: sudo apt-get update sudo apt-get install openbravo-erp É importante ressaltar que as distribuições Linux são case sensitive, ou seja, o uso de maiúsculo e minúsculo na escrita de comandos no terminal faz diferença. Após a execução dos comandos acima é só esperar o processo ser encerrado que o ambiente da ferramenta já estará pronto, o uso de repositório garante que todos os programas que são pré-requisitos para instalação e funcionamento do software também sejam instalados. Por padrão, quando o ERP é instalado ele já estará configurado para ser inicializado automaticamente. Para garantir que o software já está rodando será reinicializado o Sistema Operacional (SO8 ). Após reinicializarão basta abrir o bowser9 e colocar o endereço: localhost/openbravo se o ERP está sendo acessado da própria máquina. Caso queira fazer o acesso do software a partir de outra máquina basta verificar o IP10 da máquina servidora colocando o comando ifconfig no terminal. Para acessar basta substituir a palavra localhost do endereço acima pelo IP da máquina servidora. Após entrar no endereço informado a tela que ira aparecer será parecida com a imagem abaixo: 7 São servidores onde são armazenadas versões dos softwares e os requisitos para uso do mesmo. 8 Programa usado para controlar outros programas e acessórios (hardware) ligados ao computador. 9 Programa usado para navegação na rede mundial de computadores (internet). 10 Endereço da máquina em uma rede de computadores.
  47. 47. 47 Na figura 5 é apresentada a tela de login do openbravo: Figura 5 - Login OpenBravo Para fazer o primeiro acesso ao OpenBravo devem ser usados o usuário: Openbravo e a senha: openbravo. Os usuários para login no sistema são case sensitive. Na figura 6 é apresentada a tela inicial do OpenBravo, a tela mostrada é referente a configuração de dados mestres do ERP:
  48. 48. 48 Figura 6 - Pagina inicial OpenBravo O OpenBravo está dividido em vários módulos que serão apresentados ao longo do estudo de caso. Sendo que abordada funcionalidades básicas até onde foi conseguido chegar com a ferramenta, foi encontrada muita dificuldade com o software por existir pouco material na internet e alguns conceitos serem apresentados de forma diferente do que é usado no Brasil. O primeiro a ser apresentado é o de configuração geral. Ao fazer o primeiro acesso ao ERP com seu usuário padrão, é nesse módulo que será feita todas as configurações iniciais como criar a empresa, definir o usuário administrador da empresa, moeda, configuração de região. As empresas que fornecem suporte ao software podem oferecer algumas cargas para esse tipo de informação. Para quem pretende estudar a ferramenta será necessários fazer o cadastro desses dados de forma manual. Mas algumas informações como a de moeda já vem carregada por default.
  49. 49. 49 Mas antes de fazer qualquer configuração no ERP será feita a tradução do sistema, que por padrão vem com o idioma inglês. O pacote está disponível de forma gratuita e pode ser baixado de forma simples e direto do sistema. Mas está funcionalidade só está disponível a partir da versão 2.5 que é a versão que está sendo apresentada no estudo de caso. Para adicionar o módulo de tradução siga os passos: Configuração geral > gestão de módulos > adicionar módulos. Para encontrar o pacote de tradução basta procurar por pt_BR. Esse e outros pacotes estão disponíveis, alguns deles de forma gratuita como mostra a imagem abaixo: Figura 7- Instalar modulo de tradução Para iniciar a instalação basta clicar em install now, ira aparecer uma tela solicitando que seja aceito um termo de acordo, após isso o processo de instalação será iniciado. Mas após o processo de instalação iniciado qualquer falha na
  50. 50. 50 execução do processo pode gerar erros já que todo o sistema é re-compilado e ao final será requisitado o login novamente. Mas para definir o idioma como default é necessário configurar a linguagem no usuário, para fazer essa alteração basta clicar no nome do usuário como é mostrado na figura 8. Figura 8 - Definir linguagem padrão OpenBravo Caso encontre alguma dificuldade em visualizar a tela acima verifique se o seu anti-popup11 está ativo, o sistema usa muito esse tipo de tela em algumas situações. Para fazer a mudança basta selecionar a linguagem e marcar o quadro definir como padrão. No OpenBravo o cadastro de uma nova empresa é feito no menu entidade, algo bastante fora dos padrões brasileiros. No cadastro da empresa é definido o usuário administrador, senha e a dimensão do modulo contábil no ERP como é apresentado na imagem abaixo: 11 Programa usado pelos navegadores para barrar a abertura de janelas não autorizadas pelos usuários
  51. 51. 51 Figura 9 - Criar entidade OpenBravo Após a criação da empresa, deve ser feita o acesso ao sistema através do usuário criado no momento do cadastro da entidade. Cada unidade é chamada de Organização no ERP, e ela esta subdivida em 4 (quatro) tipos de organização: • Organização: É a empresa mestre, para o sistema essa não é uma entidade real, por esse motivo não é permitido operações nem movimentação para essa entidade. • Pessoa Jurídica com contabilidade: Essa é uma entidade que tem seus dados geridos pelo ERP e faz o controle contábil das operações. • Pessoa Jurídica sem contabilidade: Essa é uma entidade que tem seus dados geridos pelo ERP, mas não faz o gerenciamento contábil.
  52. 52. 52 • Genérica: Essa é uma entidade jurídica que pode fazer qualquer tipo de operação definida pelo sistema. Não possui nenhum tipo de restrição, como acontece com as opções anteriores. A tela abaixo mostra como é feito o cadastro de uma unidade da empresa, ou como é chamado no OpenBravo o cadastro de uma organização. Para fazer o cadastro basta seguir o menu: Configuração Geral > Organização > Organização. Figura 10 - Criar Organização OpenBravo Uma coisa observada no cadastro de empresas no sistema é que não passada informações como: CNPJ, CPF e Inscrição Estadual porque o sistema está em sua forma mais genérica e não está atendendo os padrões brasileiros.
  53. 53. 53 Para cadastrar o endereço da empresa basta clicar na palavra informação no sub-menu que aparece acima dos dados cadastrais da empresa. Figura 11 - Cadastrar endereço organização OpenBravo Todas as telas de cadastro do ERP podem ter auditoria com o nome do usuário, data do cadastro, usuário da ultima atualização e sua respectiva data. Com as unidades da empresa cadastrada será iniciado o cadastro de dos clientes e fornecedores da empresa. Para cadastrar os fornecedores da empresa será usado o módulo Gerenciamento de dados principais. Para esse cadastrado é usado o item parceiro de negocio. Nessa tela é feito o controle tanto de cliente, fornecedores e colaboradores. Mas só será apresentado o cadastro de cliente e fornecedores. A imagem abaixo apresenta os dados cadastrais de fornecedor/cliente.
  54. 54. 54 Figura 12 - Cadastrar Parceiro de negocio OpenBravo Os passos apresentados a partir de agora são os mesmos tanto para cliente como para fornecedor, mas é necessário fazer o cadastro da categoria do parceiro do negócio antes. O campo é obrigatório no cadastro, os campos obrigatórios têm seus campos com o fundo rosado. Um atalho para fazer o cadastro da categoria de negócio, todos os campos que estão com sua descrição em azul é porque possui o link para o seu respectivo cadastro. Clicando no link para cadastro classificação de parceiro de negocio será apresentada.
  55. 55. 55 Figura 13 - Classificação parceiro de negocio OpenBravo Voltando para a tela de cadastro de negocio as opções de cadastro de negocio do fornecedor já estão disponíveis. O restante dos dados é referente ao próprio fornecedor. Após o cadastro dos dados do parceiro de negocio será feito o cadastro do endereço do mesmo. Para isso basta clicar no sub-menu Localização/Endereço que está disponível no cadastro do parceiro de negocio como aparece na imagem abaixo: Figura 14 - Cadastrar endereço parceiro de negocio OpenBravo
  56. 56. 56 No caso de está sendo feito o cadastro para um fornecedor a próximo sub- menu que será apresentado é o de fornecedor. Nesse item serão cadastrados os dados como: forma de pagamento, dias de vencimento, e deve ser marcado o item de fornecedor. Figura 15 - Cadastrar parceiro de negocio OpenBravo (Fornecedor) No caso de cadastro de cliente será usado o sub-menu cliente e nessa tela será feito cadastro dos dados como: agrupamento da fatura, termos da fatura, limite de credito, dias de vencimento entre outras coisas, como mostra a imagem abaixo:
  57. 57. 57 Figura 16 - Cadastrar parceiro de negocio OpenBravo (Cliente) O próximo passo é fazer o cadastro dos produtos que fazem parte da empresa. Lembrando que os produtos que serão cadastrados é todo produto que será consumido pela empresa, pode ser tanto um produto que será revendido que é o foco da empresa. Como os produtos imobilizados (produtos usados pela empresa como: mesas, cadeiras, computadores) como mostra a imagem abaixo:
  58. 58. 58 Figura 17 - Cadastrar Produto OpenBravo Para poder efetuar o cadastro de produtos antes é necessário fazer o cadastro dos tipos de taxas, categoria do produto e as unidades de medidas que serão usadas para os produtos. Para efetuar o cadastro de esses itens bastos clicarem nos links para ir à tela de cadastra do referente item. Abaixo serão apresentadas as telas de cadastro de categoria de produtos e categoria da taxa. Na categoria de produto é definido o percentual de lucratividade e categoria de ativo.
  59. 59. 59 Figura 18 - Categoria de produtos OpenBravo Para o cadastro de impostos será feito o uso do cadastro de categoria de imposto como é apresentado na tela abaixo: Figura 19 - Categoria impostos OpenBravo Com esses dados cadastrados podem ser feito o cadastro dos dados dos produtos porque a partir de agora todos os requisitos para o cadastro já estão
  60. 60. 60 disponíveis, o restante dos dados são características do produto. A partir de momento que todos os cadastros mencionados acima estão concluídos pode começar a fazer os pedidos para alimentar o estoque da empresa. Como mostra a imagem abaixo: Figura 20 - Requisição de material OpenBravo A partir desse ponto do trabalho foi encontrada dificuldades para andamento no uso da ferramenta e por achar algumas etapas do processo anterior confuso. No processo de requisição os fornecedores cadastrados não são localizados pelo sistema. Para o mesmo poder aparecer foi criado um cliente que faz o papel de distribuidor, mas o funcionamento dessa forma não atende a necessidade da empresa. Pelo fato do cliente que está sendo cadastrado fazer o papel da empresa onde está sendo cadastrado como mostra a tela abaixo:
  61. 61. 61 Figura 21 - Consultar fornecedor requisição de material OpenBravo Na tela acima os fornecedores que aparecem são do tipo customers, que não distribuidores vinculados a menu fornecedores. Foi à única forma encontrada para tornar os fornecedores visíveis. Outro bug é o fato de a lista de organizações a qual o pedido será vinculado não está disponível, essa mesma lista esta normal em todas as outras telas de cadastro anteriores. Já a lista de preços, mesmo estando cadastrada não foi possível visualizar para fazer a requisição de pedidos com está sendo mostrado na imagem abaixo:
  62. 62. 62 Figura 22 - Cadastrar lista de preços OpenBravo Para tirar todas as dúvidas quanto ao cadastro de preços dos produtos a lista de versão dos preços também foi feita, mas o problema mesmo assim persistiu. Além disso, foi encontrado um bug no uso do calendário quando o ERP é acessado pelo browser Chrome. Figura 23 - Versão da lista de preços OpenBravo
  63. 63. 63 Por esse motivo não foi dada continuidade no estudo de caso, foi encontrada muita dificuldade para entendimento de regras para configuração do ERP além de encontrar alguns bugs que impediram a execução de algumas etapas do processo. 5.3 Freedom ERP 5.3.1 Características O Freedom ERP é atualmente o sistema mais usado no Brasil, o principal diferencial dessa ferramenta em relação a seus concorrentes é o fato de trabalhar com as regras fiscais e contábeis brasileiras. Diferente do que acontece no OpenBravo, que o modulo de gerencia do caixa é algo a parte conhecido como OpenBravo POS. Esta ferramenta já possui o sistema de PDV (como é mais conhecido) integrado ao ERP. O sistema tem os módulos de: PDV, Fiscal, Contábil, Contas a pagar, contas a receber, estoque, controle de entrada e saída. O sistema fiscal tem suporte à geração da declaração Sintegra que é uma das declarações obrigatórias que as empresas devem entregar mensalmente a Secretária da Fazenda do seu estado. A versão usada para o estudo de caso é a Standard. Para os desenvolvedores que quiserem conhecer melhor a ferramenta ou quer contribuir com seu desenvolvimento existem repositórios disponíveis tanto para a versão que esta sendo desenvolvida como pode ser baixada as versões que já foram finalizadas.
  64. 64. 64 Existe uma versão mais completa para o Freedom ERP, mas a aquisição da mesma é feita com a contratação do suporte da empresa mantedora do projeto atualmente que é a SetPoint Informática Ltda. que vende suporte a ferramenta desde 2003 e fornece treinamentos para as pessoas que desejam aprofundar seu conhecimento quanto a ferramenta. Os principais diferenciais entre a versão Standard e a versão completa está em: Melhorias no modulo de PDV, Modulo Financeiro (Conta a pagar e Contas a receber). Também existem 2 (dois) módulos que não estão disponíveis na versão standard: Modulo de produção e o CRM. O modulo CRM é responsável pela gerencia do relacionamento da empresa com seus clientes. A Setpoint oferece outras opções de softwares para integração ao Freedom ERP, umas das opções disponíveis no momento é o Software Setpoint-NFe. Está é uma boa opção para quem quer se adequar as novas leis fiscais brasileiras e optar pelo uso de notas fiscais eletrônicas. Essa é uma ferramenta bastante completa e que esta sofrendo melhorias constantemente e acessível para pessoas que querem usar a ferramenta de forma independente, já que a mesma já está toda preparada dentro das regras brasileira. 5.3.2 Vantagens • Sistema desenvolvido na tecnologia Java, dando suporte a múltiplas plataformas. • Ótimo para empresas novas e que não podem investir em suporte na fase inicial de implantação do ERP.
  65. 65. 65 • Comunidade bastante ativa na internet. • Materiais para configuração da ferramenta pode ser encontrados na internet ou no fórum da ferramenta. • Não necessita de máquina muito robusta para um bom desempenho. 5.3.3 Desvantagens • Ferramenta desenvolvida para desktop • A versão mais atual do ERP vem com os JARs desatualizados, necessidade de baixar o código-fonte e fazer a compilação na IDE Eclipse. • Fragmentação muito grande dos processos no software, dificultando o entendimento para iniciantes na ferramenta. • As mensagens de erro do software não são claras dificultando a forma como os usuários devem agir com os erros. • Ao trabalhar com a ferramenta foi encontrado vários bugs, um deles está na consulta de pedidos. 5.3.4 Processo de Implantação Essa é a segunda ferramenta que será apresentada nesse trabalho, e uma das que mais me surpreendeu quando comecei a procurar por opções de ferramentas disponíveis no mercado com licença GPL. A configuração do ambiente de trabalho algo diferente principalmente para pessoas que estão familiarizados com a plataforma Windows, principalmente para
  66. 66. 66 quem quer trabalhar com o que tem de mais novo na ferramenta pelo fato de precisar compilar o código-fonte na IDE Eclipse. Nesse trabalho não será apresentado um passo a passo de como deve ser feita a configuração da ferramenta e do ambiente usado, apenas os principais pontos da configuração serão abordados. Para seguir os passos de compilação do Freedom ERP são pré-requisitos os programas: Java Virtual Machine (JVM) 1.5.x e IDE12 Eclipse13 3.2.5 (Essa foi a versão do Eclipse usada nos testes). Não é recomendado o uso de OpenJDK14 por possui alguns erros de compatibilidade. Lembrando que o processo de baixar os projetos do Freedom será feito somente para compilação do projeto, não será feita nenhuma analise da arquitetura usada para desenvolvimento do software. Para obter sucesso na compilação do Freedom ERP alguns plug-ins devem ser instalados: Mylyn15 e o Subclipse16 . Ambos os complementos podem ser baixados diretamente do eclipse como é mostrado abaixo: Para obter o Mylyn basta copiar o link: http://download.eclipse.org/tools/mylyn/update/e3.4 no Eclipse menu: Help > Install New Software. No local indicado copie o link acima e continue o processo. Após selecionar todas as opções que são disponibilizadas. Como mostra a imagem abaixo: 12 Ferramenta integrada para desenvolvimento de software 13 Ferramenta livre para desenvolvimento de software usando a tecnologia Java 14 Versão Open Source para a máquina virtual Java 15 Ferramenta para micro-gerenciamento de projetos 16 Plug-in que permite trabalhar com o SVN
  67. 67. 67 Figura 24 - Instalar plug-in MyLyn Após a seleção de todas as opções basta clicar no botão Next duas vezes e esperar a instalação do Mylyn no Eclipse. Após a instalação será necessário a reinicializarão do Eclipse. Para a instalação do SubClipse basta seguir o mesmo processo da instalação do software anterior, só que para esse software será usado o link: http://subclipse.tigris.org/update_1.6.x lembrando que devem ser marcadas todas as opções. Como é mostrado na imagem abaixo:
  68. 68. 68 Figura 25 - Instalar plug-in Subclipse A partir de agora iniciaremos o processo de configuração do repositório do Freedom ERP, vamos baixar a versão que está disponível no trunk do projeto. Para abrir o SVN vamos ate o menu: File > New > Other > CheckoutProjectsFrom SVN.
  69. 69. 69 Figura 26 - Novo projeto SVN Pressione Next e na próxima tela será informar o caminho do repositório onde estão armazenados os projetos do Freedom ERP. Na tela seguinte vamos marcar a opção: Create new repository location pressione o botão next. Na tela abaixo será informado o caminho do repositório SVN que será feito o checkout dos dados. Como é mostrado na imagem abaixo:
  70. 70. 70 Figura 27 - Caminho repositório SVN Na tela seguinte serão mostrados os projetos que estão disponíveis no repositório, observe que na imagem estão sendo exibidos quais os projetos que devem ser feito o download. Figura 28 - Selecionar projetos SVN
  71. 71. 71 Feito o download dos projetos, vamos agora compilar o projeto e montar o diretório onde deve ficar os jars compilados. Na imagem abaixo está sendo mostrado o caminho onde estão os arquivos jardesc para a compilação dos projetos. Vá agora para o Package Explorer do Eclipse e abrir o projeto freedom, dentro dele vai encontrar o diretório: lib > jardesc. É nesse caminho que estão os arquivos que irão gerar os jars17 que precisamos para executar o Freedom ERP. Selecione todos os arquivos *.jardesc que estão no caminho acima e clicando com o botão direto irá aparecer um menu, e nele clique no item create jars. Após a finalização do processo de compilação ira aparecer um aviso, é só clicar em OK. Como é mostrado na imagem abaixo: Figura 29 - Criar jars projetos Agora que os requisitos foram baixados, será iniciado o processo de montagem do ambiente, é só montar a estrutura de diretório e copiar os arquivos. 17 Pacote de arquivos Java compilado.
  72. 72. 72 Vamos começar: Como estou usando o Linux, vai ser feita as configurações no diretório /opt/freedom com a estrutura mostrada na imagem abaixo: Figura 30 - Caminho diretório freedom Vamos agora começar a copiar os arquivos para os seus diretórios correspondentes. É importante montar os arquivos com a estrutura que está sendo mostrada e também o caminho onde está sendo feito. Porque os arquivos que vamos copiar, alguns deles de configuração estão preparados para ser executado dentro desse caminho. Então qualquer coisa que for feita fora do que está sendo mostrado tem que se verificarem os arquivos que precisam sofrer mudanças. Como esta sendo trabalhado com Linux, para poder fazer a copia dos arquivos para o caminho /opt/freedom e para os seus subdiretórios lembre que é preciso antes de tudo da permissão de escrita no diretório freedom, e nos seus subdiretórios para o usuário que foi feito login ou entrar com a senha root do Linux.
  73. 73. 73 Os arquivos que serão copiados estão dentro do projeto freedom, que foi dado checkout a partir do SVN e que se encontra dentro do seu workspace18 do Eclipse. Vamos começar fazendo a copia dos arquivos que ficarão no diretório /opt/freedom/bin. Faça a copia dos arquivos de extensão *.bat e *.sh que se encontrão no caminho: ~/workspace/freedom/lib/exec/ para o diretório /opt/freedom/bin. Como mostra a imagem abaixo: Figura 31 - Arquivos bin freedom Vamos agora fazer agora a copia dos arquivos que ficarão no diretório: /opt/freedom/lib. Deve ser feita a copia dos arquivos com extensão *.jar e *.properties que estão nos caminhos: ~/workspace/freedom/lib e ~/workspace/freedom-flw/lib para o caminho mencionado acima. A imagem abaixo mostra o caminho dos arquivos que devem ser copiados: 18 Ambiente de trabalho onde são armazenados os projetos da IDE Eclipse
  74. 74. 74 Figura 32 - Arquivos lib freedom 1 Figura 33 - Arquivos lib freedom 2 Agora vamos copiar o arquivo de configuração que foi mencionado anteriormente: O arquivo deve ser copiado do caminho:
  75. 75. 75 ~/workspace/freedom/freedomwin.ini e depois deve ser colado e renomeado no caminho: /opt/freedom/freedom.ini. É nesse arquivo que estão às configurações de acesso da ferramenta e da configuração do acesso ao banco de dados Firebird 1.5 que a versão que está homologada pela empresa mantedora do projeto que mais a frente iremos mostrar como deve ser feita a configuração do banco de dados e a configuração da database do Freedom ERP no mesmo. A figura 34 mostra o caminho do arquivo freedomwin.ini que deve ser copiado para o caminho mencionado acima: Figura 34 - Arquivo configuração freedom Vamos fazer a copia dos arquivos dos ícones do projeto, os ícones estão localizados no caminho: ~/workplace/freedom/ícones/novos/ para o diretório /opt/freedom/ícones. Como mostra a imagem abaixo:
  76. 76. 76 Figura 35 - Icones freedom Pronto, até esse ponto concluímos a configuração do ambiente para o Freedom ERP. Mas essa é só a primeira etapa da configuração. Agora precisa ser feita a configuração dos passos para o acesso ao banco de dados e configuração da database19 do software no respectivo banco. A partir de agora vai ser feito o processo de configuração do Firebird, a versão que será usada é a 1.5.6 Server, que é a ultima versão da serie 1.5. Essa também é a ultima serie homologada pela empresa que desenvolve o software e disponibiliza a comunidade. O primeiro passo para a instalação é o download da versão do Firebird recomenda pelo pessoal da SetPoint no link: http://ufpr.dl.sourceforge.net/project/firebird/firebird-linux-i386/1.5.6- Release/FirebirdSS-1.5.6.5026-0.nptl.i686.tar.gz. Após o download faça os 19 Estrutura onde será armazenado os dados do sistema
  77. 77. 77 comandos abaixo devem ser executados para descompactar o BD20 e proceder com a instalação do mesmo. Com o comando: tar -zxvf FirebirdSS-1.5.6.5026-0.nptl.i686.tar.gz o arquivo será descompactado no diretório corrente. Já o comando: cd FirebirdSS-1.5.6.5026- 0.i686 ira entrar no diretório criado pelo descompactador para executar o arquivo de instalação do Firebird. É recomendada a instalação do firebird no caminho: /opt/ porque esse é o caminho que o ERP está configurado. Depois de entrar no diretório FirebirdSS-1.5.6.5026-0.i686 execute o comando para iniciar a instalação do programa: sudo ./install.sh antes da instalação do Firebird Server for finalizada será solicitado do usuário que defina a senha de acesso ao Banco de Dados. Pronto, a instalação do Banco de Dados foi concluída. A partir de agora iremos começar a fazer a configurar a database do Freedom ERP. O usuário padrão do Firebird é o sysdba. Para começar a configurar a database será copiando o arquivo de extensão*.fdb com a estrutura do Freedom ERP. O arquivo zip com a estrutura do sistema esta disponível no caminho: ~/workplace/freedom/dados/estrutura/pegue o arquivo freedom.fdb e copie para o caminho: /opt/firebird/dados/. Para não ter erro de acesso negado ao tentar entrar no Freedom ERP tem que se mudar o usuário e grupo do arquivo freedom.fdb para firebird.firebird. Dessa forma o banco de dados terá permissão de leitura e escrita ao arquivo. Lembre-se, o caminho configurado para o banco de dados está configurado no arquivo /opt/freedom/ini/freedom.ini. Qualquer mudança que for feita na arvore de diretório deve ser feito também nesse arquivo. 20 Abreviação para Banco de Dados
  78. 78. 78 Com a finalização dessa etapa o ERP já está disponível para começar seu estudo de forma mais efetiva. O passo seguinte será a carga de dados comuns para qualquer empresa que venha a usar a ferramenta. Vamos fazer a carga de dados como: País, NCM, NBM21 , entre outros. A carga desses dados está em 17 scripts que vem junto com o projeto freedom que foi baixado através do SVN. Os arquivos mencionados estão no caminho: ~/workspace/freedom/dados/sql/implantação_freedom/. Nos arquivos 01_implantacao_freedom.sql, 11_insert_sittributaria.sql, 15_insert_sqprefere.sql e 17_insert_sittributaria_iss.sql antes de executar esses scripts tem que procurar por todos os locais onde existe o texto #CODEMP# e colocar o valor 99. O restante dos arquivos não precisa sofrer nenhuma modificação faça a execução de todos os scripts. Agora o ambiente já está configurado, será criado o atalho para facilitar o acesso a ferramenta. Para criar o atalho é só copiar o script que está no caminho: /opt/freedom/bin/freedomstd.sh para área de trabalho e da permissão de execução. A partir de agora será mostrado algumas funcionalidades que a ferramenta pode oferece para as empresas que tem interesse em obter a ferramenta ou que querem fazer um comparativo das ferramentas aqui apresentadas e avaliar qual delas melhor atende as necessidades do ambiente proposto. Vamos agora fazer o login no Freedom ERP, a senha que será usada para acessa a ferramenta é o usuário e senha definidos para o banco de dados no mento da instalação. O usuário é default: sysdba e a senha a que foi cadastrada. Como mostra a imagem abaixo: 21 Nomenclatura Brasileira de Mercadorias
  79. 79. 79 Figura 36 - login freedom A tela seguinte é a tela inicial do ERP: Figura 37 - Página inicial freedom A primeira funcionalidade apresentada é o cadastro da empresa e de suas respectivas filiais. Para abrir a tela vá ao caminho: Arquivo > Configuração > Empresa. Nas telas de cadastro somente os campos destacado em vermelho são obrigatórios! Como mostra a imagem abaixo:
  80. 80. 80 Figura 38 - Cadastro empresa freedom Os dados para cadastro da empresa são os dados básicos da empresa e se a mesma terá integração do estoque entre as filiais. Já no cadastro de finais os dados requisitados são mais detalhados, será requisitados informações como: CNPJ, Inscrição Estadual da filial, se a mesma se encontra ativa, endereço, telefone entre outras informações. Antes de continuar será mostrado uma configuração importante no sistema, não será necessária mexer em nada da tela. É só a caráter informativo. Pois, a configuração básica para essa tela já foi feita anteriormente na carga executada. Para acessa a tela abra: Arquivo > Preferências > Preferências gerais. Outras informações que já foram carregadas são os cadastros de: moeda, país, município, estado, NBM, NCM.
  81. 81. 81 Figura 39 - Configurações gerais freedom Nessa tela tem informações como: campos que podem ser definidos como obrigatórios, quantidade de casas decimais, tipo de movimentação para compra, venda, moeda default, entre outras funcionalidades interessantes e que faz da ferramenta bem flexível para as necessidades do usuário. O próximo passo é cadastrar os tipos de fornecedores que a empresa ira trabalhar, logo em seguida será mostrado o cadastro de fornecedores. No cadastro de tipo será definido um código para o tipo, a descrição e tem alguns impostos pré- definidos que podem ser informados e a alíquota referente aos respectivos impostos citados na tela. Para abrir o cadastro de tipo de fornecedores está no caminho: Arquivo > Tabelas > Tipo de fornecedor.
  82. 82. 82 Figura 40 - Tipo fornecedor freedom A tela de cadastro de fornecedor está no caminho: Arquivo > Tabelas > Fornecedor. Ao inserir um novo fornecedor tem que informar se o fornecedor é uma pessoa do tipo: física ou jurídica e para cada caso existem campos obrigatórios diferente. No caso de uma pessoa física o CPF tem que ser informado, no caso de jurídica tem que serão atribuídos os valores de CNPJ e inscrição estadual, caso o fornecedor não possua inscrição estadual o campo deve ser definido como ISENTO. Como é mostrado na imagem abaixo:
  83. 83. 83 Figura 41 - cadastrar fornecedor freedom Outro campo obrigatório é o tipo do fornecedor que foi definido na etapa anterior do trabalho. Para facilitar a consulta do que foi cadastrado no tipo de fornecedor pode ser usada a tecla F2 para abrir a tela de pesquisa do campo, antes de apertar a tecla lembre-se colocar o foco no campo que será feita a pesquisa. Deve ter um retorno com algo parecido com o que está sendo mostrado na imagem abaixo. Pode ser feito o filtro pela descrição ou ser listado todos os itens e depois apertar no botão localizado ao lado do campo texto.
  84. 84. 84 Figura 42 - Fazer consulta freedom O passo seguinte é o cadastro de clientes, assim como no caso anterior é necessário fazer o cadastro da classificação do cliente e do tipo do cliente. Pois, ambos os cadastros são campos obrigatórios para o cadastro de cliente. A primeira tela apresentada nessa etapa é o cadastro do tipo de cliente. No cadastro de tipo de cliente só existem 3 (três) campos: código, descrição, sigla. Sendo que a sigla não é um campo de preenchimento obrigatório. Para abrir a tela no menu: Arquivo > Tabela > Cliente > Tipo de cliente. Como é mostrado na imagem abaixo:
  85. 85. 85 Figura 43 - Cadastrar tipo cliente O cadastro da classificação de cliente está no caminho: Arquivo > Tabelas > Cliente > Classificação de Cliente. Como é mostrado na imagem abaixo: Figura 44 - Classificação cliente freedom Com os 2 (dois) passos anteriores concluídos já está disponível os dados necessário para o cadastro dos clientes que fazem parte da empresa. No cadastro de clientes pode ser feito muito mais coisa além de informar os dados do cliente, pode ser informado dados como: endereço de entrega, dados para cobrança (forma
  86. 86. 86 de pagamento, banco, comissionado, vincular cliente e fornecedor). O ultimo caso acontece quando um fornecedor também e cliente da empresa, esse tipo de informação é usado no caso da geração de declarações que são entregues a secretária da fazenda do estado da filial da empresa. Para acessar o cadastro de cliente basta acessar: Arquivo > Tabela > Cliente >Cliente. Como mostra a imagem abaixo: Figura 45 - Cadastrar cliente freedom Figura 46 - Vincular cliente x fornecedor
  87. 87. 87 O cadastro de comissionados, esse cadastro é feito para os funcionários que tem um percentual das vendas feitas pela empresa. Cada venda efetuada no sistema é sempre vinculada a um comissionado. Mas só será comentado o modulo de vendas mais na frente. Para os comissionados a regra de cadastro é bem parecida com o cadastro de clientes. Antes de fazer o cadastro do cliente é necessário fazer o cadastro da classificação do comissionado e do tipo do comissionado. Existem outros cadastros que precisam ser feitos também, mas não são obrigatórios. No cadastro de classificação de comissionado é cadastrada a descrição para a classificação e os percentuais de: vendas sem faturamento e vendas sem recebimento. A soma dos percentuais não pode ser inferior a 100 por cento. O acesso a esse cadastro é feito em: Arquivo > Tabela > Comissionado > Classificação comissionado. Como mostra a imagem abaixo: Figura 47 - Classificação comissionado
  88. 88. 88 Figura 48 - tipo comissionado freedom Para o cadastro do tipo comissionado só é necessário a descrição do tipo, para acessar o cadastro de tipo siga o caminho: Arquivo > Tabela > Comissionado > Tipo Comissionado. Esses são os 2 (dois) cadastros obrigatórios, existem outras mas não serão abordados. Será mostrado agora o cadastro de um comissionado. Que esta sendo apresentado na imagem abaixo: Figura 49 - Cadastrar comissionado freedo
  89. 89. 89 No cadastro de comissionado são necessários os dados de tipo de comissionado, classificação de comissionado que são os cadastros que foram feitos anteriormente além de endereço, CNPJ e Inscrição Estadual para o caso de empresa ou CPF para pessoa física. O próximo passo é o cadastro de produtos, esse cadastro é básico para os outros passos. Porque os produtos cadastros serão usados tanto para fazer pedidos aos fornecedores como fazer as vendas. Esses produtos também terão todo o seu controle feito no estoque, e as movimentações feitas do mesmo em um período de tempo passado. Mas todos esses passos serão mostrados aos poucos. Para fazer o cadastro de produtos são pré-requisitos os cadastros de: marca, almoxarifado, grupo do produto, classificação fiscal, unidade, moeda. Dos cadastros requisitados já foram feitos nas cargas os cadastros: almoxarifado, classificação fiscal, moeda. Antes de mostrar o cadastro de produtos serão apresentados os cadastros que ainda precisam ser feitos. Para configurar os produtos e seus pré-requisitos no caminho: Arquivo > Tabela > Produtos. O primeiro a ser apresentado é o de unidade, esse é um cadastro simples. Só é requisitada a descrição da unidade e quantidade de casas decimais. Como mostra a imagem abaixo:
  90. 90. 90 Figura 50 - Cadastrar unidade Logo em seguida será feito o cadastro das marcas dos produtos. Para o cadastro da marca são informados os campos de descrição e sigla, mas o campo se sigla não é obrigatório. Como mostra a imagem abaixo: Figura 51 - Cadastrar marca O grupo de produto, na situação que será apresentada nesse trabalho foi feito um único grupo com a descrição geral. Isso foi feito para deixar o estudo de caso
  91. 91. 91 mais simples, mas numa situação real os grupos de produtos devem ser bem definidos. Como mostra imagem abaixo: Figura 52 - Cadastrar grupo de produto Tendo todos os pré-requisitos preenchidos pode ser efetuado o cadastro de produtos, tem que se tomar bastante cuidado com esse cadastro. Porque um produto mal configurado ira influenciar todos os processos de venda, compra e faturamento. Outro ponto importante nesse cadastro é que para cada produto existe um percentual próprio para o comissionado. O produto também pode ser cadastrado somente como produto de venda, compras ou ambos e se numa venda com preço do produto abaixo do custo como sistema deve tratar a situação. Como mostra o cadastro do produto da imagem abaixo:
  92. 92. 92 Figura 53 - Cadastrar produto Como é mostrado, existem várias outras abas com outras opções de vinculo com produto. Mas esses dados não foram analisados, o cadastro de produto feito foi o mais básico para atender uma empresa de pequeno porte. Com os produtos cadastrados é necessário abastecer o almoxarifado da empresa, para começar a fazer as vendas. O perfil da empresa é de revenda de cosméticos, a empresa não possui nenhum produto próprio. A partir de agora os cadastros de compra pode ser feita, e começar de forma efetiva as atividades da empresa. Abaixo segue a simulação de um pedido feito pela Distribuidora de Cosmético Sergipe. O pedido só tem um item composto de 10 (dez) unidades feito ao fornecedor (Fabrica de Cosmético Nordeste). Como mostra imagem abaixo:
  93. 93. 93 Figura 54 - Fazer pedido Após o cadastro do pedido e de seus itens precisa efetuar o fechamento da compra informando o tipo de frete, se tiver o valor do frete, código do banco e quais os comprovantes que serão emitidos. Como mostrado na imagem abaixo: Figura 55 - Encerrar pedido
  94. 94. 94 Com esse passo concluído é dada entrada dos pedidos no estoque da filial. Mas antes de apresentar os controles disponíveis para o estoque, será apresentada a parte de vendas (PDV). A imagem mostra o processo de venda dos produtos e como é feito a vinculação da venda aos comissionados cadastrados no sistema. Para acessar a tela de vendas siga o menu: Saída > Vendas. Uma tela similar a apresentada abaixo será visualizada: Figura 56 - Fazer venda Na mesma tela de vendas, na segunda aba é feito o vinculo da venda ao comissionado. Esse é um campo obrigatório para o cadastro da venda. Após a venda ser finalizada é necessário encerrar a venda, basta pressionar o botão (V) no item inferior da tela. Informar os dados da forma de pagamento e quais os comprovantes que será/serão impressos. Como mostra a imagem abaixo:
  95. 95. 95 Figura 57 - Finalizar venda Agora já pode ser apresentado um kardex, que é o relatório de movimentação dos produtos num intervalo de tempo. Na imagem abaixo está sendo apresentada a movimentação feita para o produto de código 1 (um) no sistema. Para acessar o relatório de movimentação vá ao menu: Estoque >Kardex. Como é mostrado na imagem abaixo: Figura 58 - Consultar movimentação produtos
  96. 96. 96 Com esses passos foi finalizada a apresentação das funcionalidades básicas para uma empresa de pequeno porte que está iniciando o uso de ERP, muitas coisas da ferramenta não foram apresentadas pelo volume de funcionalidades e algumas dessas funcionalidades existirem a necessidade de pessoa especializada para auxiliar na configuração do ERP. 5.4 Comparativo OpenBravo Vs. Freedom ERP OpenBravo ERP Freedom ERP Tecnologia Java Java Banco de dados Oracle, PostgreSQL Firebird Interface WEB Desktop Multiplataforma Sim Sim Atende as regras contábeis e fiscais do Brasil Não Sim Fórum Brasileiro Não Sim Integração com NF-e Não Sim Usabilidade Não Sim Fonte: Dados do autor • Tecnologia: Ambas as ferramentas fazem uso da tecnologia Java. • Banco de Dados: Ambas as ferramentas optaram por trabalhar com BDs diferentes, no caso do OpenBravo: Oracle e PostgreSQL. Sendo que o suporte para Oracle só é oferecido a partir da versão 2.5 do ERP. No caso do Freedom ERP é usado o Firebird 1.5.6 que é recomendada pela empresa mantedora do projeto. • Multiplataforma: Por ambas as ferramentas fazerem uso da tecnologia Java pode ser feito o uso do software em diferentes arquiteturas de hardware. • Atende as regras fiscais e contábeis do Brasil: O Freedom ERP é a única ferramenta analisada que a versão original faz uso das regras fiscais e contábeis brasileira. • Fórum brasileiro: Só foi encontrado fórum brasileiro com participação dos desenvolvedores do ERP para o Freedom ERP. No fórum pode ser tiradas dúvidas, da sugestão para desenvolvimento e relatar bugs encontrados na ferramenta.
  97. 97. 97 • Integração com NF-e: O Freedom ERP possui a integração com NF-e disponível na ferramenta, pode ser usada tanta a solução disponibilizada pela Setpoint ou pode ser feita a integração com outro software. • Usabilidade: O OpenBravo foi encontrada muita dificuldade para trabalhar com a ferramenta pelo fato de alguns termos serem diferentes do que é usado no Brasil. No caso do Freedom ERP a localização das funcionalidades é mais intuitiva, o que ajudou muito no desenvolvimento do estudo de caso.
  98. 98. 98 6. Considerações Finais Em ambas as ferramentas foram encontradas muitos obstáculos inicialmente pelo fato das ferramentas tratarem a suas regras de formas bem distintas, mas no caso do Freedom ERP por ter mais facilidade para encontrar matérias sobre a ferramenta e ter um fórum sobre o ERP disponível facilitou muito o estudo, a ferramenta foi construída dentro das regras brasileiras e possui outras ferramentas para integração é o caso de nota fiscal eletrônica que já se encontra disponível, mas, que não foi apresentada. Já no uso do OpenBravo ERP alguns materiais no inicio foram encontrados de como fazer a configuração da ferramenta que é bem mais simples que no Freedom, mas não é construído em cima das regras brasileiras. O que dificulta seu acesso a empresas de pequeno porte que não pode investir na customização da ferramenta para suas necessidades pelo alto custo. Além de o módulo de tradução não está completo, pois, alguns campos não tiveram seus dados traduzidos como o tipo de organização que foi feita a atualização dos campos de forma manual. A dificuldade no uso de algumas funcionalidades como a requisição de material que impediu a continuidade da analise da ferramenta. Mas este trabalho pode mostrar um pouco da situação das 2 (duas) ferramentas estudas para as necessidades de uma empresa de pequeno porte que sente a necessidade de se modernizar para acompanhar o mercado globalizado que vem exigindo cada vez mais das empresas uma melhor gerencia dos seus dados pelos seus gestores para tomadas de decisões criticas.
  99. 99. 99 De forma geral, o objetivo do trabalho foi atingido por que as ferramentas apresentadas podem atender as necessidades de empresas de pequeno porte que não tem condições de investir em software proprietários e querem ter o controle das ferramentas, poder fazer as customizações que entender necessárias, melhorando a ferramenta e podendo disponibilizar de forma livre a experiência e melhorias feitos no software.
  100. 100. 100 Referências VALENTES, Nelma Terezinha Zubek. Implantacao de ERP em pequenas e medias empresas: Estudo de caso empresas do setor de construção civil. São Paulo, SP. 7p Côrtes, Pedro Luiz. Administração de Sistemas de Informação. São Paulo – SP: Saraiva, 2008. Oliveira, Djalma de. Sistemas de Informações Gerenciais: estratégicas, táticas, operações. 6. Ed. São Paulo, Atlas, 1999. OpenBravo. Instalação Ubuntu. [Online]. [Citado em: 31 de julho de 2010.] http://wiki.openbravo.com/wiki/ERP/2.50/Openbravo_ERP_Installation/Ubuntu_Install ation Ning. Regionalização OpenBravo. [Online] [Citado em: 01 de agosto de 2010.] http://openbravobrasil.ning.com/video/regionalizacao-do-openbravo Souza, Michael de. Enterprise Resource Planning. [Online] [Citado em: 06 de agosto de 2010.]http://imasters.uol.com.br/artigo/1636/bi/erp_enterprise_resource_planning/ Camargo, Camila Porto de. O que é software livre. [Online] [Citado em: 11 de setembro de 2010.] http://www.baixaki.com.br/info/218-o-que-e-software-livre-.htm Linux At Work. Implantando Sistema ERP. [Online] [Citado em: 11 de setembro de 2010.] http://linuxatwork.com.br/guevara/ciencias-exatas/implementando-sistema- erp-para-pequenas-e-medias-empresas-com-debian-etch-e-openbravo/ MkNod. Openbravo - Sistema Open Source ERP líder de mercado.[Online] [Citado em: 11 de setembro de 2010.] http://www.mknod.com.br/?q=openbravo

×