Um tema e muitos caminhos

319 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
319
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
111
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Um tema e muitos caminhos

  1. 1. UM TEMA E MUITOSCAMINHOSa comunicação transmidiática no jornalismo
  2. 2. Introdução“A convergência refere-se a um contexto, um cenário detransformações em diversas esferas que respondem auma demanda essencialmente cultural e que dissipadiversas fronteiras, inclusive relacionadas aojornalismo. Como produto de uma demanda coletivapela interligação cognitiva de conteúdos, aconvergência transforma a relação do indivíduo com ainformação e o próprio nexo de construção eassimilação de conteúdo. Um contexto que sematerializa em convergência também de plataformas esuportes, mas que tem como motor processosculturais. Nunca fomos meros receptores passivos.Estamos nos tornando cada vez mais migratórios noque se refere à escolha da informação e de caminhoscognitivos de construção de conhecimento. Somosinteragentes”
  3. 3. Introdução Surgimento da narrativa transmídia “refere–se a uma nova estética que surgiu em respostaà convergência das mídias – uma estética que faz novasexigências aos consumidores e depende da participaçãoativa de comunidades de conhecimento” (JENKINS,2009, p. 49) Origem hollywoodiana O diálogo entre transmídia e a sociedade, esuas consequências: a extensão político-cultural na atividade jornalística e no processode assimilação de conteúdo noticioso
  4. 4. Cultura da convergência Mudanças tecnológicas: fatores técnicos ouculturais? Cenário abrangente e que modifica a relaçãodos públicos com a mídia de uma forma geral(JENKINS, 20122) Mídia nova substitui uma mídia velha? Surge um leitor imersivo, “conectando-se entrenós e nexos, num roteiro multilinear,multiseqüencial e labiríntico que ele próprioajudou a construir” (SANTAELLA, 2007, p. 33)
  5. 5. Cultura da convergência A audiência deixa de ser apenas espectadorado processo e se torna parte dele Interagente (PRIMO, 2003, p.131): indivíduoconectado, típico da cultura convergente No jornalismo: Descrença do público sobre a informação: emersão de um cidadão globalizado e crítico “A revolução não acontece quando a sociedadeadota novas tecnologias – acontece quando asociedade adota novos comportamentos”(SHIRKY, 2012, p. 37)
  6. 6. Cross-media Conceito ligado ao marketing que nasceu noinício dos anos 90 e que se refere a umaestratégia promocional planejada. Profissionais dessa área utilizam o termo paradescrever as campanhas que utilizam mais deuma plataforma midiática. Relação entre múltiplas mídias, que sãousadas para promover um produto ou serviço.
  7. 7. Cross-media Nova forma de apresentar idéias, conceitos,valores e formas, onde elas não se direcionamapenas para um meio de informação mas paravários, onde se interligam e relacionam umascom as outras de forma dinâmica e única. Exemplo: propaganda Loreal “O que estáacontecendo com a Grazi?”
  8. 8. Multimídia Multiplataforma (assim como transmídia) Diferença em relação ao conteúdo: Transmídia: conteúdo complementar Multimídia: conteúdo análogo, não complementar,informação extra, reprodução do mesmoconteúdo em linguagens diferentes Dizer a mesma coisa de maneiras diversas,invocando um ou outro dos sentidos humanos(NEGROPONTE, 2002)
  9. 9. Multimídia“A mensagem multimídia deve ser um produtopolifônico no qual se conjuguem conteúdosexpressados em diversos códigos. E mais queisso, deve ser unitário. A mensagemmultimídia não se alcança mediante merajustaposição de códigos textuais eaudiovisuais, mas através de uma integraçãoharmônica desses códigos em umamensagem unitária”(SALAVERRÍA, 2001)
  10. 10. Transmídia Surge no contexto da cultura da convergência Nova estética, novas exigências, dependênciade participação ativa (Jenkins) Desconstrução do modelo de disseminaçãode informação que conhecemos (raciocíniolinear; corrida contra o tempo). Privilegia-se oconteúdo e a experiência. Fuga do padrão.
  11. 11. Transmídia Diálogo com a perspectiva de construçãoúnica e individual de conteúdo. Escolha decaminhos entre múltiplas possibilidades. Diferente de “multimídia” Termo ligado às relações entre audiência,tecnologia e informação. Narrativa: Todo a partir de suas partes.Narrativas complementares. Quebra-cabeças: desenho central eextremidades.
  12. 12. Transmídia“Transmídia é a realização de um conteúdo apartir de diferentes manifestações: diferentes,mas integradas, que atravessam os distintosentornos, os diferentes meios e que secosturam por trás de todos eles. (...) Múltiplastelas que trabalham juntas e que, em vez desubstituírem umas às outras, ou desobreporem-se, complementam-se epotencializam-se entre si.” (DOBERTI, 2013)
  13. 13. Jornalismo transmídia Precisa ser pensado do início. Dificuldade de implementação no jornalismodiário. Falta de planejamento: cobertura multimídia xcobertura transmidiática. Produção: obedece a um ciclo próprio;temática mais perene; padrão que vai além dociclo diário. Possibilidade de trazer informações de mododiferenciado.
  14. 14. Jornalismo transmídia Potencial para alavancar o engajamento dopúblico nas notícias. Viabilidade x finalidade e papel social dojornalismo; construção da cidadania. Pode estar inserido nas redações diárias,apesar da lógica de produção e distribuiçãoser diferente. Histórias narradas de modo a tirar vantagemdo que cada meio oferece de melhor.(Davidson)
  15. 15. Inside Disaster Documentário transmídia desenvolvido em 2010sobre o terremoto que atingiu o Haiti em janeirodaquele ano. O documentário televisivo foi dividido em 3 partes(cada uma com duração de 45 minutos) e detalha ocenário haitiano pós-tragédia. O projeto também conta com um website, onde épossível encontrar artigos e gráficos interativos quetrazem dados sobre o terremoto e o trabalhohumanitário no local. Além disso, foi desenvolvido um simulador emprimeira pessoa baseado em gravações dodocumentário. A intersecção cognitiva individual entre os diferentessegmentos desta história é uma escolha de cadausuário, mas as três partes se relacionam de maneira
  16. 16. Inside Disaster
  17. 17. Inside Disaster
  18. 18. Inside Disaster A narrativa transmídia desconstrói o raciocínio linear ea lógica produtiva do jornalismo tradicional. Notícias padronizadas e uniformes dão lugar aoconteúdo e experiência. Os grandes entraves para a expansão dacomunicação transmidiática são: o tempo, o mercadoe o custo. Para Jenkins, uma estrutura de conteúdo transmídiadeve atender a, pelo menos, um destes requisitos: Mapear um mundo. Oferecer pano de fundo. Oferecer a perspectiva de outros personagens. Aprofundar o engajamento da audiência.
  19. 19. Inside Disaster O Inside Disaster apresenta todos esses requisitos: O conjunto formado pelo documentário em vídeo, osimulador e a base de dados do site mapeia o mundodo Haiti pós-desastre. O pano de fundo desta história depende do caminhoescolhido pelo interagente: para quem privilegia osartigos do site, o pano de fundo se torna o simulador eo documentário televisivo, mas o inverso também seaplica. O simulador agrega a perspectiva de diversospersonagens, Assim como convoca a audiência a participar atravésde tomada de decisões.
  20. 20. Inside Disaster O projeto também reforça a função social dojornalismo de formar cidadãos informados ecríticos, pois fornece um espectro diverso deinformação e fontes que contribuem para asustentação do ponto de vista do receptor. Mais do que isso, o Inside Disaster leva osinteragentes a tomar decisões ao permitir queele se coloque no lugar do personagem queescolheu. Padrão brasileiro (suposta neutralidade) xPadrão americano (jornalismo crítico eopinativo).
  21. 21. Exemplo brasileiro Newsgame é uma palavra que nós cunhamos para descreverum gênero que está emergindo atualmente: videogamesbaseados em eventos noticiosos. Tradicionalmente,videogames têm focado em fantasia em vez de realidade,mas nós acreditamos que eles podem ser uma grandeferramenta para melhor compreender nosso mundo(NEWSGAMING.COM, [2003], tradução nossa). Exemplo: Missão Bioma, primeiro newsgame da Rede Globo,que estimula a defesa ambiental, envolvendo conteúdojornalístico da Rede Globo.
  22. 22. Conclusão Grande potencial do jornalismo transmídia: Função emancipadora a partir da imersão eproatividade “Reforço de um jornalismo consciente econscientizador” Estímulo à participação incentivada ou não Tomada de decisões; Posicionamentos

×