Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Seminário hist. paisagismo - parte 1

1,592 views

Published on

  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Seminário hist. paisagismo - parte 1

  1. 1. Cidade Clássica
  2. 2. Ágora de Atenas (Reconstituição: 300 aC, Procissão Panatenaica) De modo geral, as cidades gregas tinham traçado irregular e eram cercadas por altas e majestosas muralhas, de cujo portão principal partia o caminho para a ÁGORA, que era a praça do mercado, ou seja, o local deÁgora assembleia e encontro comunal, onde toda a população urbana se juntava e opinava. Ágora de Priene (Reconstituição: 350 aC)
  3. 3. Akropole de Atenas (Reconstituição: 400 aC) Akropole Contudo, seu núcleo urbano consistia na AKROPOLE, um morro defensável, sem ser muito alto, que era uma praça forte que mantinha a vigilância sobre a cidade e seus campos cultivados, além de se constituir em refúgio e domicílio do rei nos tempos primitivos; e, depois, concentrar osVista atual de Atenas templos simbólicos.
  4. 4. Ágora da cidade-colônia de Miletus (c. 490 aC, Grécia) Antes mesmo do período clássico, os gregos játinham começado a disporalgumas CIDADES COLÔNIA – como capitais para nações-estado ou substituição de cidades destruídas pelos persas e outros – em um plano organizado, com ruas quese cruzavam regularmente a ângulos retos.
  5. 5. A fundação de cidades, colônia romanas, representava um ato político, e a escolha deseu local era essencialmente de natureza prática, variando conforme as comunicações, ariqueza agrícola, o controle da travessia de um rio ou a existência de um porto natural.Cidade-colônia de Agrippina Cidade-Colônia de Barcino(atual Köln, Alemanha) (atual Barcelona, Espanha)
  6. 6. Cidade de Roma (reconstituição:Séc. I d.C, atual Itália) A cidade clássica encontrou em ROMA do século I d.C. a sua máxima expressão: uma metrópole de mais de um milhão de habitantes, construída e embelezada segundo os ideais da arquitetura greco-romana, que seria totalmente pilhada a partir do início do período medieval.Rede de estradas imperiaisromanas na Europa
  7. 7. Roma (Séc. I d.C.)Império Romano
  8. 8. Cidade-palácio de Cnossos Cidade-palácio de Micenas (Reconstituição:(Reconstituição: 1900 aC, Ilha de Creta) 1400 aC, Grécia) Cidade grega A civilização grega foi precedida pela cretense ou minuana (referente ao rei Minos) – ou ainda Egéia (em referência ao mar Egeu) –, que surgiu a partir de2000 a.C., quando foram fundadas diversas cidades na ilha de Creta e no sul da Grécia continental (Península Balcânica). Devido ao relevo acidentado da região, composto por vales fragmentados, não se formou um Estado unificado, mas pequenas CIDADES-ESTADO independentes que prosperaram graças ao comércio marítimo.
  9. 9. Akropole de Atenas(Reconstituição:Séc. V aC, Grécia) O núcleo da cidade livre grega (polis) era a AKROPOLE, que, no período clássico, passou a abrigar os templos ao invés dos palácios governantes e tornou-se o símbolo da vida democrática e igualdade dos cidadãos. O restante da polis aglomerava-se em sua encosta.
  10. 10. A mais popular e admirada das acrópoles foi a de ATENAS, em grande parte devido à sua liderança e enriquecimento após a guerra contra os persas, o que coincidiu com a era de Péricles na política; de Sócrates e Platão na filosofia; de Sófocles no drama; de Aristófanes na comédia; e de Ictino e Fídias nas artes.Parthenon
  11. 11. Planta O centro da cidade baixa era a ÁGORA, que consistia no coração vivo da polis e foco de toda a atividade cívica, isto é, o cenário permanente da vida social, comercial, política, administrativa, legislativa, jurídica e religiosa da comunidade. Com o passar do tempo, na passagem da aristocracia para a democracia, a ágora tornou-se enfim o núcleo cívico, restando à acrópole o papel de centro religioso e simbólico. Ruínas da Ágora de AtenasRuínas da Ágora de Atenas
  12. 12. De formatos bastante variados – mas sempre se evitando a monumentalidade axial –, a AGORA possuía prédios públicos articulados entre si, além de templos, pequenos santuários, chafarizes, esculturas e stoas, que funcionavam como extensão coberta da ágora em colunata.Reconstituição: Ágora de Atenas Stoa Attalos (Atenas)
  13. 13. Vista geral de Atenas De formato irregular e geralmente amuralhado, a polis tinha seu centro na ágora e a acrópole erguiase sobre um morro, em cuja encosta construía-se o teatro semi-circular. Outros focos de atração espalhavam-se e algumas funções que necessitavam de muito espaço, como o ESTADIUM (centro de eventos) e o GYNANSIUM (centro educacional, cultural e atlético), situando-se na periferia ou nos limites urbanos.
  14. 14. Cidade-colônia de Miletus (c. 479 aC, atual Turquia) As áreas residenciais das cidades gregas eram modestas se comparadas ao tratamento dos lugares públicos, sendo seu tecido uniforme e ordenado sem pretensões tanto nos traçados regulares erepetitivos – como nas cidades-colônias de Miletus, Olynthus e Priene – como nos irregulares (Atenas).
  15. 15. Cidade-colônia de Neapolis (futura Napoli ou Nápoles, Itália) Desde o período anterior ao clássico, no século IV a.C., a expansão do império macedônico de Alexandre, o Grande (356-323 a.C.) exigiu a criação de IDADESCOLÔNIA,Vesúvio as quais eram cuidadosamente planejadas, em que os espaços cívicos tinham se tornado a regra urbana na Grécia antiga. Cidade-colônia de Cyrene
  16. 16. Ágora (Reconstituição) Coube ao arquiteto jônio HIPÓDAMOS – suposto reconstrutor de Miletus (c.479 a.C.) após sua destruição pelos persas, o princípio básico que norteava o planejamento das novas cidades gregas: a configuração ortogonal em “tabuleiro de xadrez”, inclusive em terrenosacidentados, o que exigia o emprego de terraços (altiplanos). Cidade-colônia de Miletus (c. 479 aC, atual Turquia)
  17. 17. Como regras básicas para a fundação de colônias gregas – como as deRodes, Agrigento, Priene, Pesto, Neapolis (futura Nápoles) e Pompeii(Pompéia), destacavam-se as seguintes idéias:a) Ruas sempre traçadas em ângulo reto e de dimensões modestas, com poucas vias principais (largura de 5 a 10 m) no sentido do comprimento, que dividiriam a cidade em faixas paralelas, e um número maior de vias secundárias transversais (largura de 3 a 5 m);b) Grade de quarteirões retangulares e uniformes, a qual poderia variar noscasos concretos para se adaptar ao terreno e às outras exigências particulares(a distânciamenor desses quarteirões – a distância entre as vias secundárias – deveriaser suficiente para uma ou duas casas individuais, ou seja, de 30-35 m; e adistância entreas vias principais deveria ser de 50 a 300 m);
  18. 18. c) As áreas especializadas, civis e religiosas,deveriam se adaptar à grade comum, sendomuitas vezes dispostas em um ou maisquarteirões normais (as ruas principais nãoentrariam nestas áreas, mas seriam a elastangentes);d) O perímetro da cidade – que não deveriaultrapassar 10.000 habitantes – não precisariaseguir uma figura regular, podendo os lotesterminarem de maneira irregular perto dosobstáculos naturais (montes e encostas);e) Os muros deveriam correr rentes aos lotes,unindo as alturas mais defensáveis, mesmo auma certa distância do povoado, razão porquetinham costumeiramente um traçado maisirregular.
  19. 19. Cidade-colônia de Priene (350 aC, Monte Mycale Grécia)A constância da grade colonial grega confirmava a unidade do organismourbano e a uniformidade de todas as áreas e das propriedades particularesperante a regra comum, imposta pelo poder público.Tal REGULARIDADE não comprometia a hierarquia entre o homem e omundo, pois permitia conceber, padronizar e/ou expandir uma cidade.

×