Comparando Estruturas de Testes em uma Organizacao Vanessa Freitas Cândido
Agenda <ul><li>Apresentação </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Estruturas Organizacionais de Testes </li></ul>...
Apresentação <ul><li>Graduada em Ciência da Computação </li></ul><ul><li>Pós-Graduada em Metodologia para Engenharia de So...
Sistemas de Software têm se tornado cada vez mais presentes nas nossas vidas  e cada vez mais Complexos! Introdução
<ul><li>Software com alto nível de complexidade exige altíssima  QUALIDADE </li></ul>Introdução Menos Bugs    Qualidade A...
Ok, mas… Como iniciar isto? Começar pensando em qual Estrutura Organizacional de Testes escolher? … ter uma estrutura de t...
Estruturas Organizacionais de Testes <ul><li>Equipe Integrada de Testes </li></ul>Gerente de Projeto Desenvolvedores Testa...
Itens de Análise <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Falhas levam muito tempo para serem analisadas e corrigidas;  <...
<ul><li>Equipe Integrada de Testes </li></ul>Estruturas Organizacionais de Testes <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><l...
Estruturas Organizacionais de Testes Equipe Independente de Testes Gerente de Projeto Gerente de Testes Gerente de Projeto...
Estruturas Organizacionais de Testes Terceirização <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Entregas bem definidas </li><...
Tendências das Variavéis em cada  Estrutura Análise das Estruturas de Testes   ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS DE TESTES  VARIÁ...
<ul><li>Projeto A - Equipe Integrada de Testes </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes em Projetos do C.E.S....
Projeto A - Equipe Integrada de Testes Boa Comunicação Desenvolvedores e Testadores localizados próximos Comunicação : Res...
Projeto A - Equipe Integrada de Testes Foi fácil começar os testes no início do ciclo de desenvolvimento Gerente de Projet...
<ul><li>Projeto B - Equipe Independente de Testes </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes  em Projetos do C....
Projeto B - Equipe Independente de Testes GRIT Processos Consultoria Treinamentos Automação Métricas Inovação  Pesquisa
Projeto B - Equipe Independente de Testes Resultados do GRIT foram sempre apresentados Comunicação: [Contribuíu] Para Refo...
Projeto B - Equipe Independente de Testes <ul><li>Performance do GRIT </li></ul><ul><li>Influência do Gerente de Testes </...
Projeto B - Equipe Independente de Testes Nível de Independência : <ul><li>Bom nível de Independência </li></ul><ul><li>Ge...
<ul><li>Projeto C - Terceirização </li></ul><ul><li>C.E.S.A.R. como contratado </li></ul>Implantando diferentes Estruturas...
Projeto C - Terceirização - C.E.S.A.R como um Contratado Ruim Ações <ul><li>Viagens Frequentes </li></ul><ul><li>Reuniões ...
Projeto C – Terceirização - C.E.S.A.R como um contratado Inicío dos testes nas fases iniciais  do ciclo de desenvolvimento...
Projeto C – Terceirização - C.E.S.A.R como um contratado <ul><li>Equipe especializada em: </li></ul><ul><li>Design de test...
<ul><li>Projeto D - Terceirização </li></ul><ul><li>C.E.S.A.R. como um contratante </li></ul>Implantando diferentes Estrut...
Projeto D - Terceirização  - C.E.S.A.R. como contratante Para evitar uma  comunicação ruim Os testadores da empresa contra...
Projeto D - Terceirização - C.E.S.A.R. como contratante Não houve um a definição de um SLA (Service Level Agreement) Falta...
Tendências das Variavéis em cada  PROJETO Análise das Estruturas de Testes VARIÁVEIS  EQUIPE INTEGRADA DE TESTES  EQUIPE I...
Comparativo das Estruturas Organizacionais de Testes ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS DE TESTES VARI Á VEIS EQUIPE INTEGRADA DE ...
<ul><li>Tendências   Observadas </li></ul><ul><li>Empresas com: </li></ul><ul><ul><ul><li>Grandes operações  </li></ul></u...
Conclusões <ul><li>Não há uma forma certa ou errada de se organizar uma equipe de testes.  </li></ul><ul><li>É importante ...
Questões Obrigada [email_address]
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Palestra GUTS: Comparando Estruturas de Testes em uma Organização - Vanessa Cândido

1,572 views

Published on

Material utilizado no evento Comparando Estruturas de Testes de Software em uma Organização, promovido pelo GUTS-RS em 08 de julho de 2010. Mais em http://guts-rs.blogspot.com

Published in: Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,572
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
80
Actions
Shares
0
Downloads
39
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Filas de aeroporto – muitos aeroportos já possuem senha, mas esse ai ainda eh precario.
  • Falar de que muitas empresas chegam e contratam eng. de teste e acham que esta tudo resolvido Depois nao entendem porque falhou ou porque ele investe tanto e nao tem um resultado tao bom quanto o de …
  • Starting tests early - Independent Test Team or Outsourcing, usually, testers are not working only for one project what can be more difficult to start the tests early once they use to wait for a team’s request.
  • Communication - It is important to establish other ways to keep in touch with the rest of the team to align the activities as weekly meetings, bug reviews and plan to their correction.
  • Communication - It is important to establish other ways to keep in touch with the rest of the team to align the activities as weekly meetings, bug reviews and plan to their correction.
  • Communication - It is important to establish other ways to keep in touch with the rest of the team to align the activities as weekly meetings, bug reviews and plan to their correction.
  • Palestra GUTS: Comparando Estruturas de Testes em uma Organização - Vanessa Cândido

    1. 1. Comparando Estruturas de Testes em uma Organizacao Vanessa Freitas Cândido
    2. 2. Agenda <ul><li>Apresentação </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Estruturas Organizacionais de Testes </li></ul><ul><li>Itens de Análise </li></ul><ul><li>Implantando diferentes estruturas de testes em projetos do C.E.S.A.R. </li></ul><ul><li>Análise das estruturas de testes </li></ul><ul><li>Conclusões </li></ul>
    3. 3. Apresentação <ul><li>Graduada em Ciência da Computação </li></ul><ul><li>Pós-Graduada em Metodologia para Engenharia de Software </li></ul><ul><li>Mestre em Engenharia de Software - Qualidade e Testes </li></ul><ul><li>Certificada ISTQB – International Software Testing Quality Board </li></ul><ul><li>Experiência de 5 anos em testes de software </li></ul><ul><li>Publicação de artigos em eventos internacionais e nacionais </li></ul>
    4. 4. Sistemas de Software têm se tornado cada vez mais presentes nas nossas vidas e cada vez mais Complexos! Introdução
    5. 5. <ul><li>Software com alto nível de complexidade exige altíssima QUALIDADE </li></ul>Introdução Menos Bugs  Qualidade Alta
    6. 6. Ok, mas… Como iniciar isto? Começar pensando em qual Estrutura Organizacional de Testes escolher? … ter uma estrutura de testes de software BEM PLANEJADA Introdução
    7. 7. Estruturas Organizacionais de Testes <ul><li>Equipe Integrada de Testes </li></ul>Gerente de Projeto Desenvolvedores Testadores Equipe Independente de Testes Gerente de Projeto Gerente de Testes Gerente de Projeto Desenvolvedores Desenvolvedores Testadores Terceirização Empresa Desenvolvedora Empresa Terceirizada
    8. 8. Itens de Análise <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Falhas levam muito tempo para serem analisadas e corrigidas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolvedores afirmam que algumas falhas não são bugs. </li></ul></ul><ul><li>Testes no início do ciclo de desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>Quanto mais cedo as atividades de testes iniciarem, mas barato será corrigir os erros encontrados. </li></ul></ul><ul><li>Nível de Independência </li></ul><ul><ul><li>Pressão para a entrega do produto podem fazer com que não seja dada a relevância correta para os resultados dos testes. </li></ul></ul><ul><li>Nível de Especialização dos Profissionais </li></ul><ul><ul><li>Mais especializados – Melhores resultados </li></ul></ul><ul><li>Custos </li></ul>
    9. 9. <ul><li>Equipe Integrada de Testes </li></ul>Estruturas Organizacionais de Testes <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Proximidade entre Testadores e Desenvolvedores </li></ul></ul><ul><ul><li>Acesso a informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Feedback mais rápido </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhor entendimento da informação </li></ul></ul><ul><li>Testes no Início do Ciclo de Desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>Facilidade para que as atividades de testes sejam iniciadas cedo </li></ul></ul><ul><ul><li>Testadores estão envolvidos com o projeto desde o começo </li></ul></ul><ul><li>Nível de Independência </li></ul><ul><ul><li>Baixo nível de independência - Mesma gerência </li></ul></ul><ul><ul><li>Deve-se ter um plano de testes definido </li></ul></ul><ul><ul><li>Toda a equipe deve ter clareza no entendimento do plano de testes </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de Especialização </li></ul></ul><ul><ul><li>Equipe possuí uma melhor compreensão sobre o negócio da aplicação </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento limitado a área do projeto </li></ul></ul><ul><li>Custos </li></ul><ul><ul><li>Apenas um gerente </li></ul></ul><ul><ul><li>Empregados internos custam menos do que os contratados de uma empresa externa </li></ul></ul>Gerente de Projeto Desenvolvedores Testadores
    10. 10. Estruturas Organizacionais de Testes Equipe Independente de Testes Gerente de Projeto Gerente de Testes Gerente de Projeto Desenvolvedores Desenvolvedores Testadores <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Um pouco sacrificada </li></ul></ul><ul><ul><li>Estabelecimento de formas de comunicação </li></ul></ul><ul><li>Testes no Início do Ciclo de Desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>Um pouco difícil começar as atividades no início </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciativa do gerente de projeto para convocar a equipe de testes </li></ul></ul><ul><ul><li>É necessário uma maior pró-atividade da equipe de testes </li></ul></ul><ul><li>Nível de Independência </li></ul><ul><ul><li>Bom nível de independência - Mais autonomia </li></ul></ul><ul><ul><li>Gerências distintas </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos próprios </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de Especialização </li></ul></ul><ul><ul><li>Testador mais especializado </li></ul></ul><ul><ul><li>Prover serviços de testes para diferentes tipos de projetos </li></ul></ul><ul><ul><li>Experiências com diferentes problemas, pessoas, ferramentas, técnicas e processos </li></ul></ul><ul><li>Custos </li></ul><ul><ul><li>Custos associados a implantação do grupo </li></ul></ul><ul><ul><li>Laboratórios especializados </li></ul></ul><ul><ul><li>Treinamentos </li></ul></ul>
    11. 11. Estruturas Organizacionais de Testes Terceirização <ul><li>Comunicação </li></ul><ul><ul><li>Entregas bem definidas </li></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de qualidade determinados </li></ul></ul><ul><ul><li>Formas de comunicaçao pré-definidas </li></ul></ul><ul><li>Testes no Início do Ciclo de Desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>Depende de: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Contratante </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Consciência e Conhecimento do cliente em testes </li></ul></ul></ul><ul><li>Nível de Independência </li></ul><ul><ul><li>Separação dos interesses - Imparcialidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Alto grau de independência </li></ul></ul><ul><ul><li>Nível de Especialização </li></ul></ul><ul><ul><li>Profissionais especializados </li></ul></ul><ul><ul><li>Expertise em testes, porém, a visão dos aspectos funcionais do seu negócio não é profunda </li></ul></ul><ul><li>Custos </li></ul><ul><ul><li>Depende de: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tipos de testes </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tipo de SLA (Service Level Agreement) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Complexidade e Criticidade do sistema </li></ul></ul></ul>Empresa Desenvolvedora Empresa Terceirizada
    12. 12. Tendências das Variavéis em cada Estrutura Análise das Estruturas de Testes   ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS DE TESTES VARIÁVEIS EQUIPE INTEGRADA DE TESTES EQUIPE INDEPENDENTE DE TESTES TERCEIRIZAÇÃO Tendência de Comportamento das Variáveis na Estrutura Tendência de Comportamento das Variáveis na Estrutura Tendência de Comportamento das Variáveis na Estrutura Comunicação FÁCIL MODERADA DIFÍCIL Testes no início do ciclo de desenvolvimento FÁCIL MODERADO DIFÍCIL Nível de Independência BAIXO MÉDIO ALTO Nível de Especialização dos Profissionais BAIXO MÉDIO ALTO Custos BAIXO MÉDIO ALTO
    13. 13. <ul><li>Projeto A - Equipe Integrada de Testes </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes em Projetos do C.E.S.A.R . Gerente de Projeto Desenvolvedores Testadores
    14. 14. Projeto A - Equipe Integrada de Testes Boa Comunicação Desenvolvedores e Testadores localizados próximos Comunicação : Resultados <ul><li>Processo da empresa conhecido pela equipe </li></ul><ul><li>Rápido feedback </li></ul><ul><li>Produtividade melhorada </li></ul>
    15. 15. Projeto A - Equipe Integrada de Testes Foi fácil começar os testes no início do ciclo de desenvolvimento Gerente de Projeto tinha Consciência da importância dos testes Testes no início do ciclo de desenvolvimento: Equipe de testes exclusiva do projeto Nível de Independência : - O gerente de projeto tinha consciência e conhecimento sobre a importância das atividade dos testes e o impacto de seus resultados - Permitindo a influência da equipe de testes Nível de Especialização dos Profissionais: <ul><li>Não foi possível haver especialização dos recursos </li></ul><ul><li>Comparando com estrutura de terceirização, os custos foram baixos </li></ul>Custos:
    16. 16. <ul><li>Projeto B - Equipe Independente de Testes </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes em Projetos do C.E.S.A.R . Gerente de Projeto Gerente de Testes Gerente de Projeto Desenvolvedores Desenvolvedores Testadores
    17. 17. Projeto B - Equipe Independente de Testes GRIT Processos Consultoria Treinamentos Automação Métricas Inovação Pesquisa
    18. 18. Projeto B - Equipe Independente de Testes Resultados do GRIT foram sempre apresentados Comunicação: [Contribuíu] Para Reforçar consciência de todos sobre a importância dos testes [Ajudou] Para que os Gerentes de Projeto ganhassem confiança sobre o trabalho da área de testes
    19. 19. Projeto B - Equipe Independente de Testes <ul><li>Performance do GRIT </li></ul><ul><li>Influência do Gerente de Testes </li></ul><ul><li>Gerente de Projeto  consciência da importância dos testes </li></ul>Testes no início do ciclo de desenvolvimento: - Facilidade para inicar os testes desde o início do ciclo de desenvolvimento
    20. 20. Projeto B - Equipe Independente de Testes Nível de Independência : <ul><li>Bom nível de Independência </li></ul><ul><li>Gerente de Testes agiu como um consultor </li></ul><ul><li>As atividades aceleraram </li></ul><ul><li>Testadores motivados (trabalho voluntário) </li></ul><ul><li>Sem dependência para que os trabalhos fossem iniciados </li></ul>Nível de Especialização dos Profissionais: <ul><li>Vários tipos de problemas vivenciados </li></ul><ul><li>Compartilhamento de idéias, soluções, </li></ul><ul><li>experiências vivenciadas </li></ul><ul><li>Criação de células especializadas </li></ul>Custos: <ul><li>Não gerou CUSTOS EXTRA para a empresa </li></ul><ul><li>Recursos Voluntários </li></ul>
    21. 21. <ul><li>Projeto C - Terceirização </li></ul><ul><li>C.E.S.A.R. como contratado </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes em Projetos do C.E.S.A.R . Empresa Desenvolvedora Empresa Terceirizada
    22. 22. Projeto C - Terceirização - C.E.S.A.R como um Contratado Ruim Ações <ul><li>Viagens Frequentes </li></ul><ul><li>Reuniões Semanais; </li></ul><ul><li>- Utilização de diferentes canais de comunicação: </li></ul><ul><ul><li>- Messenger </li></ul></ul><ul><ul><li>- E-mails </li></ul></ul><ul><ul><li>- Skype </li></ul></ul>Comunicação : Comunicação Melhorada
    23. 23. Projeto C – Terceirização - C.E.S.A.R como um contratado Inicío dos testes nas fases iniciais do ciclo de desenvolvimento Cliente  consciência da importância dos testes Testes no início do ciclo de desenvolvimento : Mais bugs encontrados cedo Nível de Independência : SLA bem definido Cliente  interessado nos resultados Equipe de Testes  Alto nível Independência
    24. 24. Projeto C – Terceirização - C.E.S.A.R como um contratado <ul><li>Equipe especializada em: </li></ul><ul><li>Design de testes </li></ul><ul><li>Execução de testes </li></ul><ul><li>Automação de testes </li></ul><ul><li>Testes exploratórios </li></ul>Nível de Especialização dos Profissionais : <ul><li>Equipe especializada oferece melhorias: </li></ul><ul><li>Novas estratégias </li></ul><ul><li>Novos métodos </li></ul><ul><li>Novas ferramentas </li></ul><ul><li>Feedback do Cliente : </li></ul><ul><li>Custos reduzidos devido aos bugs serem encontrados mais cedo </li></ul>Não tivemos dados dos clientes para comparar e ter uma informação mais precisa em relação aos custos. Custos :
    25. 25. <ul><li>Projeto D - Terceirização </li></ul><ul><li>C.E.S.A.R. como um contratante </li></ul>Implantando diferentes Estruturas de Testes em Projetos do C.E.S.A.R . Empresa Desenvolvedora Empresa Terceirizada
    26. 26. Projeto D - Terceirização - C.E.S.A.R. como contratante Para evitar uma comunicação ruim Os testadores da empresa contratada foram alocados dentro da empresa contratante <ul><li>Melhorou a comunicação </li></ul><ul><li>Porém, os testadores foram influenciados pelos processos e pela equipe do C.E.S.A.R. </li></ul>Comunicação: O projeto dispunha de recursos alocados para as atividades de testes desde o início ...mas os mesmos não participaram das fases iniciais do projeto <ul><li>Acompanhamento ineficiente da empresa contratada com a equipe de testes </li></ul>Testes no início do ciclo de desenvolvimento :
    27. 27. Projeto D - Terceirização - C.E.S.A.R. como contratante Não houve um a definição de um SLA (Service Level Agreement) Falta de acompanhamento da gerência de testes da empresa contratada Nível de Independência: <ul><li>Releases foram entregues com bugs </li></ul><ul><li>Feedback do cliente foi ruim </li></ul>Nível de Especialização dos profissionais : - Não foi possível utilizar os recursos especializados, devido a alocação fixa dos recursos da empresa contratada Custos : - Custo mais alto, comparado ao de uma equipe interna - A produtividade e a qualidade dos serviços não foi melhorada
    28. 28. Tendências das Variavéis em cada PROJETO Análise das Estruturas de Testes VARIÁVEIS EQUIPE INTEGRADA DE TESTES EQUIPE INDEPENDENTE DE TESTES TERCEIRIZAÇÃO PROJETO A Comportamento das Variáveis nos Projetos dos Estudos de Caso PROJETO B Comportamento das Variáveis nos Projetos dos Estudos de Caso Comportamento das Variáveis nos Projetos dos Estudos de Caso     PROJETO C Como Contratado PROJETO D Como Contratante Comunicação FÁCIL FÁCIL MODERADA MODERADA Testes no início do ciclo de desenvolvimento FÁCIL FÁCIL DIFÍCIL DIFÍCIL Nível de Independência ALTO ALTO ALTO MÉDIO Nível de Especialização dos Profissionais BAIXO ALTO ALTO MÉDIO Custos BAIXO BAIXO ALTO MÉDIO
    29. 29. Comparativo das Estruturas Organizacionais de Testes ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS DE TESTES VARI Á VEIS EQUIPE INTEGRADA DE TESTES EQUIPE INDEPENDENTE DE TESTES TERCEIRIZA Ç ÃO Tendência de Comportamento das Vari á veis na Estrutura Comportamento das Vari á veis nos Projetos dos Estudos de Caso Tendência de Comportamento das Vari á veis na Estrutura Comportamento das Vari á veis nos Projetos dos Estudos de Caso Tendência de Comportamento das Vari á veis na Estrutura Comportamento das Vari á veis nos Projetos dos Estudos de Caso Como Contratado Como Contratante Comunica ç ão F Á CIL F Á CIL MODERADA F Á CIL DIF Í CIL MODERADA MODERADA Testes no in í cio do ciclo de desenvolvimento F Á CIL F Á CIL MODERADO F Á CIL DIF Í CIL DIF Í CIL DIF Í CIL N í vel de Independência BAIXO ALTO M É DIO ALTO ALTO ALTO M É DIO N í vel de Especializa ç ão dos Profissionais BAIXO BAIXO M É DIO ALTO ALTO ALTO M É DIO Custos BAIXO BAIXO M É DIO BAIXO ALTO ALTO M É DIO
    30. 30. <ul><li>Tendências Observadas </li></ul><ul><li>Empresas com: </li></ul><ul><ul><ul><li>Grandes operações </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Onde o seu core-business não é desenvolvimento de software </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Um SLA bem definido </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>PODEM ser boas candidatas para </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Empresas com: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Projetos de curta duração </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Onde, o seu core-business é desenvolvimento de software </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Uma boa cultura de testes na organização </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>PODEM ser boas candidatas para executar os testes em casa </li></ul></ul></ul>Equipe Integrada de Testes Equipe Independente de Testes Conclusões Terceirização
    31. 31. Conclusões <ul><li>Não há uma forma certa ou errada de se organizar uma equipe de testes. </li></ul><ul><li>É importante compreender o comportamento das variáveis em cada tipo de estrutura e saber como lidar com os riscos de cada uma. </li></ul><ul><li>Não é fácil definir uma estrutura de testes adequada e colocá-la em prática com sucesso sem obstáculos </li></ul><ul><li>O sucesso da implantação de cada tipo de estrutura também depende d a avaliação de outros fatores também, tais como: </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>Cultura organizacional </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Políticas organizacionais </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Nível de risco, criticidade e complexidade do produto </li></ul></ul></ul></ul>
    32. 32. Questões Obrigada [email_address]

    ×