Resumo acordo ortogr.

528 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
528
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumo acordo ortogr.

  1. 1. ----Escola Secundária Homem Cristo  Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Supressão de acentos gráficos em palavras graves Orthographia (ôr-tu-ghra-fia), s.f. a parte da ▪ Creem, deem, leem, veem, descreem, desdem, releem, grammatica que ensina as regras de boa escripta das reveem palavras; arte de escrever com os caracteres e signaes ▪ para(á), flexão de parar e para preposição consagrados pelo uso. //Maneira de escrever as palavras: (…) Orthographia etymologica, o modo de escrever as palavras coma as ▪ pela(s) (é), substantivo e flexão de pelar e pela(s), lettras fundamentaes que ellas tinham na lingua mae. (…) combinação de per e la(s) (Aulete e Valente, Diccionario Contemporaneo da lingua portugueza, 1881) ▪ polo(s) (ó), substantivo e polo(s), combinação antiga e popular de por e lo(s) Exceções: pôde, 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do O QUE MUDA NA ORTOGRAFIA COM O ACORDO? ACORDO? indicativo e pode presente do indicativo; pôr, forma verbal e por, preposição.As letras k, w e y foram incorporadas no alfabeto, que passa a ter26 letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, x, y, z. ---- Supressão de acentos gráficos em palavras graves com ditongo oi---- ▪ asteroide, heroico, espermatozoide, etmoide, jiboia, joia (Nota: comboio, dezoito, já não tinham acento)Maiúsculas/minúsculas▪ Dias da semana, meses (segunda-feira, janeiro, primavera, …) ----▪ Pontos Cardeais e colaterais (norte, este… exceto se abreviados) Acento agudo ou circunflexo - Palavras esdrúxulasPode usar-se indiferentemente: Vogal e seguida de consoante nasal m ou n▪ Títulos de livros ou obras Norma lusoafricana – académico, efémero, gémeo, género, génio▪ Formas de tratamento Norma brasileira - acadêmico, efêmero, gêmeo, gênero, gênio▪ Nomes que designam domínios do saber, cursos, disciplinas Vogal o, seguida de consoante nasal m ou n▪ Logradouros públicos, templos ou edifícios. Norma lusoafricana – cómico, crónico, homónimo, matrimónio Norma brasileira - cômico, crônico, homônimo, matrimônio---- Palavras graves Vogal e seguida de consoante nasal m ou nSupressão gráfica de consoantes mudas ou não pronunciadas Norma lusoafricana – fémur, Fénix, pénis, ténis, Vénus, xénon▪ Sequências consonânticas Norma brasileira - fêmur, Fênix, pênis, tênis, Vênus, xênonCC – ex: abstracionismo, colecionador, lecionar, protecional Vogal o seguida de consoante nasal m ou nCÇ – ex: ação, coleção, contração, distração, proteção Norma lusoafricana – abdómen, Adónis, bónus, ónix, ónus, póneiCT – ex: ata (nome), ativar, ator, diretor, letivo, objetivo, projeto Norma brasileira - abdômen, Adônis, bônus, ônix, ônus, pôneiPC – ex: anticoncecional, dececionante, excecional,rececionista Palavras agudasPÇ – ex: aceção, adoção, conceção, deceção, receção Vogal e e o final em palavras agudasPT – ex: Egito, adotar, batismo, ótimo, otimismo Norma lusoafricana – caraté, bebé, croché, matiné, puré, cocó, róNos casos em que a consoante se pronuncia, esta mantém-se. Nos Norma brasileira – caratê, bebê, crochê, matinê, puré, cocô, rônomes próprios não é obrigatória a adoção da nova ortografia. Vogal o final com variação de sílaba tónicaCC – ex: faccioso, friccionar, perfeccionismo Norma lusoafricana – judo, metroCÇ – ex: convicção, ficção, fricção, sucção Norma brasileira – judô, metrôCT – ex: bactéria, compacto, intelectual, néctar, pacto ----PC – ex: capcioso, egípcio, núpcias, opcionalPÇ – ex: corrupção, erupção, interrupção, opção Emprego ou supressão de acentos gráficos em palavras gravesPT – ex: adepto, apto, eucalipto, rapto Norma culta lusoafricana – andámos, cantámos, lavámos, dêmos Norma culta brasileira – andamos, cantamos, lavamos, demos---- Norma culta portuguesa – andamos ou andámos, demos ou dêmosCoexistência de duas grafias, (variação de pronúncia em 2 normas)Exemplos: característica/caraterística; dáctilo/dátilo; ----dactilografia/datilografia; infecção/infeção;intersecção/interseção; sector/setor… HifenizaçãoNas palavras que apresentam variação entre a prolação e o ▪ autorrádio, autosserviço, contrarrelógio, cosseno,emudecimento, regista-se essa variação com dupla grafia. microssistema, minissaia, semisselvagem, semirreta, … Elimina-se o hífen quando o prefixo termina em vogal e o---- elemento seguinte começa por r ou s, dobrando-se as consoantes. ▪ agroindustrial, antiaéreo, autoestrada, coautor, codireção, …Coexistência de duas grafias – (norma lusoafricana e a norma brasileira) Elimina-se o hífen quando o prefixo termina em vogal e oCC, CÇ, CT elemento seguinte começa por vogal diferente daquela.Norma lusoafricana – facto, contactar, olfacto ▪ anti-ibérico, contra-almirante, coobrigação, coocorrente,Norma brasileira - fato, contatar, olfato, infra-axilar, intra-arterial, micro-ondas, semi-internoPC, PÇ, PT Emprega-se o hífen sempre que o prefixo termina em vogal e oNorma lusoafricana - conceção, contracetivo, corrupção, receção… elemento seguinte começa por vogal igual àquela, exceptuando oNorma brasileira - concepção, contraceptivo, recepção prefixo co-, que ocorre, em geral, aglutinado.BD, BT, GD, MN, TM ▪ couve-flor, feijão-verde, ervilha-de-cheiro, bem-me-quer, …Norma lusoafricana – subtil, amígdala, amnistina, indemnizar, … Palavras das áreas de botânica e zoologia escrevem-se sempre comNorma brasileira – subtil ou sutil, amnistia ou anistia, indenizar,... hífen.Verifica-se uma oscilação entre a norma lusoafricana e a brasileira. ▪ hei de, hás de, há de, heis de, hão de
  2. 2. Elimina-se o hífen entre a preposição de e as formas do verbo Palavras das áreas de botânica e zoologia escrevem-se sempre comhaver hífen. ▪ hei de, hás de, há de, heis de, hão deEscola Secundária Homem Cristo  Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos Elimina-se o hífen entre a preposição de e as formas do verbo haverSupressão de acentos gráficos em palavras graves▪ Creem, deem, leem, veem, descreem, desdem, releem, Escola Secundária Homem Cristo  Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos reveem Escola Secundária Homem Cristo  Biblioteca Escolar/Centro de Recursos Educativos▪ para(á), flexão de parar e para preposição▪ pela(s) (é), substantivo e flexão de pelar e pela(s), combinação de per e la(s) Orthographia (ôr-tu-ghra-fia), s.f. a parte da▪ polo(s) (ó), substantivo e polo(s), combinação antiga e grammatica que ensina as regras de boa escripta das popular de por e lo(s) palavras; arte de escrever com os caracteres e signaes consagrados pelo uso. //Maneira de escrever asExceções: pôde, 3ª pessoa do singular do pretérito perfeito do palavras: (…) Orthographia etymologica, o modo de escrever as palavras coma asindicativo e pode presente do indicativo; pôr, forma verbal e por, lettras fundamentaes que ellas tinham na lingua mae. (…)preposição. (Aulete e Valente, Diccionario Contemporaneo da lingua portugueza, 1881)---- O QUE MUDA NA ORTOGRAFIA COM O ACORDO?Supressão de acentos gráficos em palavras graves com ditongo oi▪ asteroide, heroico, espermatozoide, etmoide, jiboia, joia (Nota: comboio, dezoito, já não tinham acento) As letras k, w e y foram incorporadas no alfabeto, que passa a ter 26 letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, k, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, w, x, y, z.---- ----Acento agudo ou circunflexo - Palavras esdrúxulasVogal e seguida de consoante nasal m ou n Maiúsculas/minúsculasNorma lusoafricana – académico, efémero, gémeo, género, génio ▪ Dias da semana, meses (segunda-feira, janeiro, primavera, …)Norma brasileira - acadêmico, efêmero, gêmeo, gênero, gênio ▪ Pontos Cardeais e colaterais (norte, este… exceto seVogal o, seguida de consoante nasal m ou n abreviados)Norma lusoafricana – cómico, crónico, homónimo, matrimónio Pode usar-se indiferentemente:Norma brasileira - cômico, crônico, homônimo, matrimônio ▪ Títulos de livros ou obrasPalavras graves ▪ Formas de tratamentoVogal e seguida de consoante nasal m ou n ▪ Nomes que designam domínios do saber, cursos, disciplinasNorma lusoafricana – fémur, Fénix, pénis, ténis, Vénus, xénon ▪ Logradouros públicos, templos ou edifícios.Norma brasileira - fêmur, Fênix, pênis, tênis, Vênus, xênonVogal o seguida de consoante nasal m ou n ----Norma lusoafricana – abdómen, Adónis, bónus, ónix, ónus, póneiNorma brasileira - abdômen, Adônis, bônus, ônix, ônus, pônei Supressão gráfica de consoantes mudas ou não pronunciadasPalavras agudas ▪ Sequências consonânticasVogal e e o final em palavras agudas CC – ex: abstracionismo, colecionador, lecionar, protecionalNorma lusoafricana – caraté, bebé, croché, matiné, puré, cocó, ró CÇ – ex: ação, coleção, contração, distração, proteçãoNorma brasileira – caratê, bebê, crochê, matinê, puré, cocô, rô CT – ex: ata (nome), ativar, ator, diretor, letivo, objetivo, projetoVogal o final com variação de sílaba tónica PC – ex: anticoncecional, dececionante, excecional,rececionistaNorma lusoafricana – judo, metro PÇ – ex: aceção, adoção, conceção, deceção, receçãoNorma brasileira – judô, metrô PT – ex: Egito, adotar, batismo, ótimo, otimismo---- Nos casos em que a consoante se pronuncia, esta mantém-se. Nos nomes próprios não é obrigatória a adoção da nova ortografia.Emprego ou supressão de acentos gráficos em palavras graves CC – ex: faccioso, friccionar, perfeccionismoNorma culta lusoafricana – andámos, cantámos, lavámos, dêmos CÇ – ex: convicção, ficção, fricção, sucçãoNorma culta brasileira – andamos, cantamos, lavamos, demos CT – ex: bactéria, compacto, intelectual, néctar, pactoNorma culta portuguesa – andamos ou andámos, demos ou PC – ex: capcioso, egípcio, núpcias, opcionaldêmos PÇ – ex: corrupção, erupção, interrupção, opção PT – ex: adepto, apto, eucalipto, rapto---- ----Hifenização▪ autorrádio, autosserviço, contrarrelógio, cosseno, Coexistência de duas grafias, (variação de pronúncia em 2 normas) microssistema, minissaia, semisselvagem, semirreta, … Exemplos: característica/caraterística; dáctilo/dátilo;Elimina-se o hífen quando o prefixo termina em vogal e o dactilografia/datilografia; infecção/infeção;elemento seguinte começa por r ou s, dobrando-se as consoantes. intersecção/interseção; sector/setor…▪ agroindustrial, antiaéreo, autoestrada, coautor, codireção, … Nas palavras que apresentam variação entre a prolação e oElimina-se o hífen quando o prefixo termina em vogal e o emudecimento, regista-se essa variação com dupla grafia.elemento seguinte começa por vogal diferente daquela.▪ anti-ibérico, contra-almirante, coobrigação, coocorrente, ---- infra-axilar, intra-arterial, micro-ondas, semi-internoEmprega-se o hífen sempre que o prefixo termina em vogal e o Coexistência de duas grafias – (norma lusoafricana e a norma brasileira)elemento seguinte começa por vogal igual àquela, exceptuando o CC, CÇ, CTprefixo co-, que ocorre, em geral, aglutinado. Norma lusoafricana – facto, contactar, olfacto▪ couve-flor, feijão-verde, ervilha-de-cheiro, bem-me-quer, … Norma brasileira - fato, contatar, olfato, PC, PÇ, PT
  3. 3. Norma lusoafricana - conceção, contracetivo, corrupção, receção…Norma brasileira - concepção, contraceptivo, recepçãoBD, BT, GD, MN, TMNorma lusoafricana – subtil, amígdala, amnistina, indemnizar, …Norma brasileira – subtil ou sutil, amnistia ou anistia, indenizar,...Verifica-se uma oscilação entre a norma lusoafricana e a brasileira.----

×