Regimento interno be-09-10

859 views

Published on

Regimento da Biblioteca Escolar

Published in: Education, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
859
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Regimento interno be-09-10

  1. 1. Regimento da Biblioteca 1 de 7 PREÂMBULO ARTIGO 4.º ARTIGO 1.º Organização funcional do espaço Nota prévia A BE está organizada em diferentes zonas, a saber: A Biblioteca Escolar, a seguir designada por BE, da a) Zona de atendimento; Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã com Jardim de b) Zona de leitura informal; Infância (EB S. Vicente de Pereira Jusã / JI), é constituída por b) Zona de multimédia; um conjunto de recursos físicos (instalações, equipamento e c) Zona de leitura audiovisual; mobiliário), humanos (professores, funcionários e alunos) e d) Zona de leitura de documentação impressa; documentais, organizados de modo a oferecerem à e) Zona de jogos; comunidade escolar elementos que contribuam para a sua f) Zona de produção gráfica de trabalhos em grupo. formação, informação e cultura. Integrada na Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e na Rede de Bibliotecas de Ovar (RBO), a BE partilha com as ARTIGO 5.º demais bibliotecas do concelho de Ovar (escolares e públicas) Organização documental um catálogo, acessível online no site da Câmara Municipal de 1 - Os documentos da BE são classificados segundo a Ovar e nas bibliotecas da RBO, bem como o seu fundo classificação decimal universal (CDU). documental. 2 - Para cada tipo de documento existe um registo em suporte informático e um livro de registo em suporte papel. 3 - O fundo documental e o catálogo estão em permanente actualização. CAPÍTULO I 4 – O catálogo é acessível pela Internet no site da PRINCÍPIOS GERAIS Câmara Municipal de Ovar e nas bibliotecas da RBO. ARTIGO 2.º Finalidades ARTIGO 6.º Equipa A BE pretende constituir-se como o núcleo pedagógico da organização educativa, facilitando e promovendo a 1 – A BE é gerida por uma equipa constituída por um/a aprendizagem autónoma, a comunicação curricular e a professor/a bibliotecário/a, dois assistentes operacionais, uma incorporação de métodos de aprendizagem mais activos. professora que dinamiza o clube dos Amiguinhos da Ambiciona ainda proporcionar informação e ideias Biblioteca e quatro professores, de preferência com formação e fundamentais que contribuam para o sucesso na sociedade experiência de trabalho em bibliotecas escolares. actual, baseada na informação e no conhecimento. 2 – No presente ano lectivo, os professores referidos no Como parte integrante do processo educativo, ponto anterior colaboram com a BE no seu horário de pretende, também, desenvolver nos alunos competências para ocupação plena dos tempos escolares, quando não sejam a aprendizagem ao longo da vida e estimular a imaginação, necessários nos serviços indicados para aquele fim. permitindo-lhes tornarem-se cidadãos responsáveis. 3 – No presente ano lectivo, a coordenação da equipa da BE é da responsabilidade de um(a) professor(a) ARTIGO 3.º bibliotecário(a). Objectivos 4 – Os membros da equipa são nomeados pela Direcção, preferencialmente, por um período de quatro anos, mediante A BE prossegue os seguintes objectivos gerais: proposta da professora bibliotecária, de acordo com a a) Dotar a escola de um fundo documental adequado às legislação vigente e os critérios definidos em Conselho necessidades das diferentes áreas curriculares e projectos de Pedagógico, para a elaboração de horários. trabalho; 5 – O principal critério de selecção dos membros da b) Assegurar o livre acesso à leitura e às fontes equipa é a formação adequada às áreas de trabalho da gestão, documentais em diferenciado suporte, a fim de permitir a da organização e dinamização das BE. construção da independência intelectual de cada indivíduo; 6 – Os membros da equipa da BE também devem, c) Fomentar o gosto pela leitura, como instrumento de preferencialmente, pertencer a diferentes áreas disciplinares. trabalho e de ocupação de tempos livres, contribuindo para o 7 – Na impossibilidade de aplicação dos pontos 4 e 5 desenvolvimento pessoal e cultural dos utilizadores; deste artigo, a selecção dos membros da equipa deve basear-se d) Promover condições que permitam a reflexão, o debate, na sua formação e experiência. a crítica e o convívio entre autores e leitores; e) Desenvolver a utilização das novas tecnologias educativas e a literacia digital; ARTIGO 7.º f) Desenvolver literacia informacional nos utilizadores; Competências da Equipa g) Ajudar os professores a planificarem as suas actividades de ensino e a diversificarem as situações de aprendizagem; Compete às equipas educativas gerir, organizar e dinamizar as h) Associar a leitura, os livros, os jogos e a frequência da BE e, no quadro do Projecto Educativo, em articulação com o Biblioteca à ocupação lúdica dos tempos livres. órgão de gestão, elaborar o respectivo Plano de Actividades e Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  2. 2. 2 de 7 Regimento da Biblioteca orçamento, o Relatório Anual do trabalho desenvolvido e o seu 3 — Sem prejuízo das funções previstas no n.º 1 do Regimento específico. presente artigo, o professor bibliotecário pode optar por Sem prejuízo destas competências, ver também outras manter a leccionação de uma turma. expressas no artigo 10.º deste regimento. 4 — O professor bibliotecário que preste funções em regime de monodocência pode ter até cinco horas de apoios ARTIGO 8.º educativos. Professor bibliotecário ARTIGO 10.º 1– O/A professor/a bibliotecário/a da BE da EB S. Competências dos colaboradores da equipa Vicente de Pereira Jusã / JI é nomeado ou colocado por 1. Os professores, colaboradores da equipa, com procedimento concursal nos termos da portaria n.º 756/2009, funções na BE para complemento de horário, cooperam com a de 14 de Julho. equipa em diferentes domínios e tarefas: 2 – O Coordenador deverá, preferencialmente, fazer a) Atendimento e apoio regular e informal junto dos parte do Quadro de Nomeação Definitiva da Escola e possuir utilizadores (encaminhamento dos alunos, experiência e conhecimentos em organização, gestão e informação sobre os recursos, a organização e os informação em Bibliotecas Escolares. serviços da biblioteca, resposta a perguntas pontuais, aconselhamento na selecção de leituras, esclarecimento de dúvidas, etc.); b) Apoio à organização da documentação em todos os ARTIGO 9.º suportes, fazendo uso dos saberes específicos dos professores inerentes à sua área de docência; Competências do professor bibliotecário c) Recolha e organização de dossiês temáticos, partindo de artigos de interesse integrados em (Segundo artigo 3.º da portaria n.º 756/2009, de 14 de Julho). publicações periódicas generalistas ou da sua especialidade; d) Divulgar, nas estruturas de orientação pedagógica a 1 — Ao professor bibliotecário cabe, com apoio da que pertencem, o fundo documental, para um equipa da biblioteca escolar, a gestão da biblioteca da escola melhor conhecimento dos utilizadores dos recursos não agrupada ou do conjunto das bibliotecas das escolas do da Biblioteca; agrupamento. e) Zelar pelo enriquecimento do seu fundo 2 — Sem prejuízo de outras tarefas a definir em documental através da apresentação de propostas regulamento interno, compete ao professor bibliotecário: em várias modalidades, possíveis, de aquisição a) Assegurar serviço de biblioteca para todos os alunos (compra, oferta e permuta de obras); do agrupamento ou da escola não agrupada; f) Promover exposições, sessões de leitura, concursos, b) Promover a articulação das actividades da biblioteca colóquios e outras actividades de dinamização e com os objectivos do projecto educativo, do projecto animação cultural; curricular de agrupamento/escola e dos projectos curriculares g) Difusão de informação (produção de bibliografias de turma; temáticas de suporte às diferentes disciplinas e c) Assegurar a gestão dos recursos humanos afectos à(s) projectos em curso, etc.); biblioteca(s); h) Apoio, em articulação com o trabalho disciplinar e d) Garantir a organização do espaço e assegurar a a Área de Projecto, no exercício das competências gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afectos à de informação (metodologia do trabalho de biblioteca; pesquisa, pesquisa bibliográfica nos diversos e) Definir e operacionalizar uma política de gestão dos suportes, manipulação do hardware e do software, recursos de informação, promovendo a sua integração nas apresentação de trabalhos, etc.); práticas de professores e alunos; i) Auxílio aos alunos, em ligação com a área de f) Apoiar as actividades curriculares e favorecer o Estudo Acompanhado, em métodos e técnicas de desenvolvimento dos hábitos e competências de leitura, da estudo (recolha de informação em obras de literacia da informação e das competências digitais, referência, monografias, periódicos, sites e outros trabalhando colaborativamente com todas as estruturas do suportes, tomada de apontamentos, elaboração de agrupamento ou escola não agrupada; fichas de leitura e de resumos, etc.); g) Apoiar actividades livres, extracurriculares e de j) Ajuda na implementação de programas de enriquecimento curricular incluídas no plano de actividades ou promoção da leitura previamente definidos pela projecto educativo do agrupamento ou da escola não agrupada; equipa; h) Estabelecer redes de trabalho cooperativo, k) Participação no desenvolvimento das actividades desenvolvendo projectos de parceria com entidades locais; de animação pedagógica e culturais constantes do i) Implementar processos de avaliação dos serviços e Plano Anual de Actividades e outras decorrentes de elaborar um relatório anual de auto -avaliação a remeter ao iniciativas do PNL; Gabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares l) Trabalho de parceria, preferencialmente com os (GRBE); professores do mesmo Grupo/Departamento, para j) Representar a biblioteca escolar no conselho planificação, execução e avaliação das unidades de pedagógico, nos termos do regulamento interno. ensino, tendo por objectivo o desenvolvimento de Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  3. 3. Regimento da Biblioteca 3 de 7 uma pedagogia activa e diferenciada, baseada em 5 – Não serão permitidas quaisquer actividades não fontes de informação diversificadas; previstas nos números anteriores. m) Conservação e restauro de materiais; n) Ajuda no tratamento estatístico regular dos dados da avaliação do desempenho da BE. ARTIGO 14.º Lotação A lotação máxima das diferentes zonas é: ARTIGO 11.º a) Zona de multimédia – 2 utilizadores por computador; Competências dos Assistentes Operacionais da BE b) Zona de leitura audiovisual – 2 utilizadores por cada Compete aos assistentes operacionais em serviço na aparelho/televisor. No caso da actividade ser em grupo turma Biblioteca: não se aplica esta lotação; 1 – Cumprir os seus horários. c) Zona de consulta documental – o número de 2 – Assegurar os intervalos. utilizadores equivalente ao número de lugares sentados 3 – Zelar pela manutenção do silêncio. disponíveis nesse espaço; 4 – Dar execução aos pedidos de requisição de material e) Zona de leitura informal – 6 utilizadores; livro e ou inscrição para a utilização do material áudio-visual e f) Zona de jogos – 6 utilizadores. multimédia. 5 – Receber e registar as devoluções dos livros requisitados. ARTIGO 15.º 6 – Proceder à arrumação do espaço e dos materiais Horário de funcionamento livro e não livro. No início de cada ano lectivo, o horário de 7– Vigiar a leitura presencial, a utilização dos funcionamento da BE será estabelecido de acordo com a computadores e do equipamento audiovisual. disponibilidade de funcionamento da Escola e respondendo às 8 – Tratar da limpeza das instalações. necessidades dos utilizadores. 9 – Cumprir com celeridade todas as demais tarefas que 1 – O horário de funcionamento da BE deverá lhes forem incumbidas. responder às necessidades dos utilizadores. Assim, o horário 10 – Comunicar à professora bibliotecária qualquer de funcionamento da BE é das 08:30h às 17:00h. anomalia verificada, bem como dúvidas e outros problemas 2 – Os alunos com horário nocturno usufruem do que surjam no quotidiano. horário diurno estipulado, podendo, em situações específicas previamente planificadas com a equipa, aceder à BE fora daquele horário. 3 – A situação prevista no número anterior carece de requisição do espaço e autorização prévia da Equipa da BE e CAPÍTULO II ficará à inteira responsabilidade do professor. 4 – Decorrendo das actividades específicas da BE, poderá ao (à) professor(a) bibliotecário(a) NORMAS GERAIS DE suspender/condicionar o acesso quando se verificar uma das FUNCIONAMENTO seguintes situações: a) Preparação/realização de actividades previamente ARTIGO 12.º programadas e calendarizadas; Acesso b) Sobrelotação; Durante o horário de funcionamento, têm acesso à BE os c) Incumprimento de regras fundamentais para o bom membros da comunidade educativa (alunos, pessoal docente e funcionamento das actividades naquele espaço. não docente, pais e encarregados de educação), bem como outros elementos devidamente autorizados. ARTIGO 16.º ARTIGO 13.º Procedimentos gerais Utilização 1 – Ao chegar à BE o utilizador deverá deixar no 1 – Todos os recursos e serviços da BE se encontram à armário à entrada as malas ou mochilas, podendo apenas disposição dos seus utilizadores, carecendo, alguns deles, de transportar consigo o material necessário ao trabalho que requisição no balcão de atendimento pretenda desenvolver. 2 – A BE é utilizada de forma autónoma para leitura, 2 – O utilizador deverá ainda dirigir-se ao balcão de estudo e actividades relacionadas com o desenvolvimento das atendimento para solicitar ajuda, sempre que necessário, capacidades e competências de literacias. indicando a(s) acção(ões) que irá desenvolver. 3 – A BE destina-se ainda às actividades previstas no 3 – Ao dirigir-se a cada zona, o utilizador deverá seu Plano Anual de Actividades. cumprir as normas definidas para esse espaço. 4– A utilização da BE ou do seu espaço físico para 4 – Os utilizadores da BE deverão ser portadores do qualquer actividade não prevista nos números anteriores cartão concelhio da RBO. carece de requisição e planificação articulada quer com a 5 – O referido cartão deve ser apresentado aquando da Equipa da BE a qual, se necessário, poderá comunicar com a requisição de livros ou de outros recursos. Direcção. Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  4. 4. 4 de 7 Regimento da Biblioteca 6 – Ao abandonar a biblioteca, o utilizador deverá 1 – As obras para leitura domiciliária ou para sala de comunicar a sua saída e proceder ao respectivo registo nos aula são requisitadas no balcão de atendimento, para registo no documentos correspondentes consoante a actividade documento próprio. desenvolvida. 2 – As obras para utilização na sala de aula não podem ser levadas para fora da escola. 3 – O material não passível de ser requisitado para Leitura na Biblioteca leitura domiciliária poderá sair da biblioteca durante um período máximo de vinte minutos. ARTIGO 17.º Zona de leitura informal 1 – Os utilizadores podem consultar em regime de livre acesso todos os jornais e revistas existentes neste espaço. ARTIGO 22.º 2 – Na BE depois de lidos e/ou consultados os jornais e Devolução revistas deverão ser arrumados no local onde se encontravam 1 – As obras para utilização na sala de aula devem ser anteriormente. devolvidas no dia da requisição. 3 – Cada utilizador é responsável pelo estado de 2 – As obras para leitura domiciliária devem ser conservação e extravio de material utilizado. Todo o material devolvidas no prazo de catorze dias úteis. extraviado ou estragado será substituído pelo utilizador, ou por 3 – O prazo definido no número anterior pode ser igual material ou ainda, pelo seu valor em numerário. renovado duas vezes, desde que a obra não tenha entretanto 4 – Em caso algum os utilizadores podem tornar a sido solicitada por outro utilizador. colocar as obras nas prateleiras. 4 – A não devolução dentro do prazo estabelecido dará 5 – Os documentos retirados dos dossiers temáticos lugar a uma informação escrita ao encarregado de educação e a devem ser entregues ao responsável pelo atendimento. inibição de nova requisição até devolução do documento em 6 – Em caso algum os utilizadores podem tornar a atraso. colocar os documentos nos dossiers temáticos. 5 – A BE reserva-se o direito de recusar novo empréstimo domiciliário a utilizadores responsáveis por posse prolongada e abusiva de material livro. Leitura domiciliária / Sala de aula 6 – Mensalmente, será feito um levantamento dos livros ARTIGO 19.º que não foram entregues dentro do prazo devido, e tomados os Acervo requisitável – leitura domiciliária procedimentos definidos no ponto quatro. 1 – Todo o acervo da BE é passível de ser requisitado 7 – Caso se verifique que o documento sofreu qualquer para leitura domiciliária, à excepção de: deterioração ou extravio, enquanto se encontrava sob a a) Atlas; responsabilidade do utilizador, este terá que adquirir um b) Dicionários; documento novo ou pagar o valor correspondente. c) Enciclopédias; 8 – Todas as obras requisitadas para leitura domiciliária d) Obras em vários volumes; deverão ser entregues até ao fim da primeira quinzena de e) Exemplares únicos; Junho, de cada ano lectivo, data a partir da qual não é f) Máquinas calculadoras. permitido fazer requisições que impliquem a saída de livros da 2 – Pontualmente, quando se verifique necessário, os Escola. serviços da BE poderão suspender, temporariamente, o 9 – O ponto anterior não se aplica a utilizadores que empréstimo domiciliário de algumas obras. sejam alunos de cursos de educação e formação e cursos de 3 – Uma síntese destas normas pode ser consultada no educação e formação de adultos (CEF e EFA), os quais Anexo 1 a este regimento. poderão requisitar recursos até ao fim da primeira quinzena de Julho. 10 – Uma síntese destas normas pode ser consultada no Anexo 1 a este regimento. ARTIGO 20.º Acervo requisitável – utilização em sala de aula Equipamento informático 1 – Todo o acervo da BE é passível de ser requisitado ARTIGO 23.º para utilização em sala de aula. 2 – Documentos impressos e monografias podem ser Requisição do equipamento informático requisitados em número não superior a trinta. 1– Na BE a utilização do equipamento informático é 3 – Os audiovisuais podem ser requisitados em número precedida de requisição/inscrição. não superior a dez. 2 – No acto de inscrição, o utilizador deve especificar o 4 – Uma síntese destas normas pode ser consultada no tipo de utilização pretendida. Anexo 1 a este regimento. 3 – Na BE existem sete computadores ao serviço de alunos todos com ligação à Internet. 4 – A utilização de equipamentos informáticos na BE ARTIGO 21.º tem a duração mínima de vinte minutos e máxima de quarenta Requisição e cinco minutos e a utilização pode ser individual ou em Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  5. 5. Regimento da Biblioteca 5 de 7 grupo, não podendo este ter mais do que dois utilizadores 1 – A área vídeo pode ser utilizada individualmente ou salvo caso devidamente justificado. em grupo, não devendo este ultrapassar os dois elementos por 5 – Na BE o utilizador poderá continuar a utilizar o aparelho, excepto em situação de actividade de grupo/turma. computador para além do tempo de inscrição, desde que não 2 – Para visionamento de filmes, o utilizador deverá haja inscrições de outros utilizadores para os tempos seguintes. requisitar ao responsável da BE o filme que pretende ver. 6 – Os professores que pretendam trabalhar na BE com 3 – Ao abandonar a zona audiovisual, o utilizador os seus alunos devem requisitar o respectivo serviço com 48 deverá devolver o filme ao responsável da BE. horas de antecedência e devem, também, acompanhar os 4 – A utilização do material vídeo e áudio está alunos até ao fim da utilização. condicionada pela disponibilidade de recursos e de espaço. Em caso algum, a aparelhagem áudio poderá interferir com o silêncio necessário ao bom funcionamento das outras áreas da biblioteca. ARTIGO 24.º 5 – Sempre que houver utilizadores com necessidades Utilização do equipamento informático de fazer trabalhos com recurso ao equipamento desta área, estes terão prioridade. 1 – Os utilizadores devem cumprir as instruções do 6 – Apenas se pode requisitar um documento de cada responsável de serviço, nomeadamente no que diz respeito aos vez. O período mínimo de requisição é de vinte minutos. sites a visitar. 7 – Os professores podem requisitar videocassetes, 2 – Não é permitida a pesquisa e navegação em sites DVDs e CDs áudio. não apropriados ao sistema educativo. Se tal acontecer, o 8 – Caso se verifique alguma anomalia, o utilizador utilizador ficará impedido de frequentar a Biblioteca durante o ficará responsável pela reparação do aparelho ou aquisição da período de uma semana. videocassete, DVD, CDROM ou CD áudio. 3 – Nos computadores com ligação à Internet não são 9 – Caso se verifique perturbação do bom ambiente de permitidos jogos de computador, para além dos didácticos trabalho e lazer da biblioteca por parte dos utilizadores desta existentes na Biblioteca ou devidamente autorizados. secção, estes serão inibidos de os utilizar e convidados a sair 4 – Nos computadores da BE só é permitido jogar nas da biblioteca. manhãs de Quarta-feira e nas tardes de Sexta-feira. 5 – Têm prioridade na utilização dos computadores os utilizadores que pretendam realizar trabalhos ou outras CAPÍTULO III actividades solicitadas de âmbito curricular. 6 – É expressamente proibida aos utilizadores a ARTIGO 26.º instalação de qualquer tipo de software. Plano Anual de actividades 7 – É expressamente proibida aos utilizadores a 1 – A equipa da BE elabora anualmente um plano de alteração de qualquer configuração. actividades (PAA) próprio que integrará o Plano Anual de 8 – Os professores devem, sempre que possível, orientar Actividades da escola. os alunos nas suas pesquisas, indicando-lhes e sugerindo-lhes, 2 – Todas as actividades constantes do PAA deverão ser previamente, alguns dos sites a consultar. planificadas de acordo com os seguintes itens: 9 – Para imprimir trabalhos, os utilizadores devem – Calendarização; guardá-los na drive alunos em ‘biblioteca’ (Z:) e solicitam a – Actividades; sua impressão na zona de atendimento da BE. É – Metas do Projecto Educativo de Escola; desaconselhado o uso de quaisquer suportes de – Objectivos; armazenamento amovíveis (memórias flash, pens, cartões de – Estratégias; memória, leitores de mp3, discos externos, ou outros). Na – Responsáveis; extrema necessidade de utilização destes dispositivos, eles têm – Intervenientes e destinatários; que ser rastreados e limpos de vírus e erros. – Recursos; 10 – Na BE a impressão dos trabalhos a preto custa € – Custos. 0,05 cada folha. 3 – As actividades a desenvolver na BE, envolvendo o 11 – Na BE a impressão dos trabalhos a cor custa € grupo turma, em tempo lectivo, deverão ser planificadas 0,60, excepto quando a percentagem de cor for reduzida (por colaborativamente pelo(a) professor(a) bibliotecário(a) exemplo título apenas), caso em que a impressão custa € 0,30. coordenadora da BE e/ou equipa e pelo professor da turma, de 12 – Os pontos 10 e 11 deste artigo deverão registar-se acordo com os itens atrás referenciados. o número de cópias impressas em dossier próprio. 4 – A equipa da BE elaborará anualmente um relatório 13 – Caso se detecte algum problema, resultante da má das actividades desenvolvidas. utilização do equipamento, será chamado à responsabilidade o 5 – A consecução das actividades dependerá dos utilizador que o requisitou, pagando a reparação, se for caso recursos humanos, materiais e financeiros indispensáveis à sua disso. concretização. 14 – Qualquer anomalia verificada em equipamentos 6 – A dotação orçamental da BE deverá integrar o Plano informáticos deverá ser comunicada e registada no balcão de Orçamental da escola, de forma a viabilizar o Plano Anual de atendimento. Actividades. Equipamento audiovisual ARTIGO 25.º ARTIGO 27.º Leitura vídeo e áudio Política Documental de Agrupamento Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  6. 6. 6 de 7 Regimento da Biblioteca 1– A Política Documental será definida após auscultada a Direcção da escola e o Conselho Geral, os professores, os ARTIGO 30.º alunos e a restante comunidade educativa, devendo ter em Disposições finais conta: 1 – Serão divulgadas as obras adquiridas de novo, bem a) O Currículo Nacional; como qualquer outra informação pertinente. b) O Projecto Educativo de Escola; 2 – O financiamento da BE será feito de acordo com a c) As necessidades educativas especiais e origens legislação em vigor. multiculturais dos alunos; 3 – Todos os prazos referidos no presente Regulamento d) As áreas curriculares, extracurriculares e deverão ser contados em dias úteis de funcionamento da BE. lúdicas; 4 – Qualquer programa de desenvolvimento da Escola e) O equilíbrio entre os níveis de ensino poderá contar com a colaboração da BE. existentes na escola; 5 – A equipa da BE reúne-se ordinariamente pelo f) As áreas do saber, respeitando as áreas menos quatro vezes por ano ou sempre que necessário. disciplinares/temáticas. 6 – Todas as situações omissas no presente g) O fundo documental da RBO. Regulamento são resolvidas pelo(a) professor bibliotecário 2 – O(A) professor(a) bibliotecário(a), com o apoio da e/ou pelo Órgão de Gestão. equipa da BE, será o principal responsável pela execução da política documental definida. 3 – O(A) professor(a) bibliotecário(a) e a equipa decidirão, em última instância, com a Direcção, as aquisições documentais, ouvidos o Conselho Pedagógico e os diferentes utilizadores e de acordo com a dotação orçamental consignada para o efeito. Regulamento aprovado em reunião no dia 24 de Fevereiro de 4 – Todos os documentos adquiridos pela escola serão 2010. registados na BE e receberão o respectivo tratamento documental, podendo ser requisitados a curto e médio prazo. O Director ARTIGO 28.º Direitos Todos os utilizadores da BE têm o direito de: a) Frequentar a BE; b) Apresentar sugestões para a dinamização de A professora bibliotecária actividades; c) Apresentar sugestões para a aquisição de fundo documental; d) Consultar, em sistema de livre acesso, todo o acervo em suporte de papel; e) Consultar o acervo de material não livro mediante Os Elementos da Equipa solicitação; f) Requisitar o acervo para consulta domiciliária ou sala de aula; g) Consultar os dossiers temáticos. ARTIGO 29.º Todos os utilizadores da BE têm o dever de: a)Cumprir as normas estabelecidas neste Regulamento; b) Entrar ordeiramente; c) Não consumir bebidas e alimentos; Os Assistentes Operacionais d) Manter e fazer manter o silêncio; e) Fazer correctamente a sua inscrição; f) Contribuir para o bom ambiente nas várias zonas funcionais; g) Zelar pela conservação do património da BE; h) Comunicar qualquer anomalia detectada; i) Não alterar o posicionamento do equipamento e do fundo documental; j) Comunicar a sua saída; l) Ser célere na devolução das obras requisitadas e já lidas/consultadas; Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010
  7. 7. Regimento da Biblioteca 7 de 7 ANEXO 1 Critérios de empréstimo de documentos (regime geral) em função do tipo de utilizador e da natureza do documento Impressos / Monografias Audiovisuais Tipo de Renovação Renovação Utilizador N.º de Prazo N.º máx. de Prazo N.º máx. de até [dias] Penalização N.º de Documentos até [dias] Penalização Documentos [dias] reservas [dias] reservas Aluno 4 14 28 2 Inibição de 1 3 0 0 nova Inibição de nova Docente 4 14 28 4 requisição até requisição até devolução do 4 3 4 4 devolução do documento documento em Não-docente 4 14 28 4 4 3 4 4 em atraso. atraso. Sala de Aula 30 1 - 4 10 1 - 10 Instituição 15 21 63 9 3 9 9 30/ 60 – Itinerâncias Projecto máximo REGIME Bibliocaixas e 120 dias – * 15 60 * 15 EXCEPCION afins: 120 docs. igual em AL máximo toda a p/RBO! RBO * possibilidade de renovação do prazo de acordo com a disponibilidade. Escola Básica de São Vicente de Pereira Jusã / JI, 2009/2010

×