Successfully reported this slideshow.

Síndrome Da Membrana Hialina

38,101 views

Published on

Síndrome Da Membrana Hialina

  1. 1. Síndrome da Membrana Hialina
  2. 2. Fisiopatologia <ul><li>O surfactante é sintetizado a partir da 32º semana gestacional. </li></ul><ul><li>A deficiência de surfactante provoca a atelectasia pulmonar. </li></ul><ul><li>A deficiência de surfactante provoca SMH. </li></ul><ul><li>O diabetes materno prejudica a quantidade e a qualidade do surfactante. </li></ul>
  3. 3. Fisiopatologia
  4. 4. Anatomia do Sistema Respiratório Membrana Respiratória.
  5. 5. NO ALVÉOLO, O CAMINHO DOS GASES .
  6. 6. Tipos Celulares Alveolares <ul><li>O epitélio alveolar é composto de uma camada contínua de dois tipos celulares: </li></ul><ul><li>1) Pneumócitos tipo I (primários) , ou células escamosas, as quais são grandes, não possuem expansões citoplasmáticas e forram cerca de 95% da superfície alveolar; </li></ul><ul><li>2) Pneumócitos tipo II (secundários) , ou células granulosas (contém grânulos de secreção com surfactante dentro), as quais, apesar de mais numerosas que as células escamosas, ocupam cerca de 5% da superfície alveolar, em função de seu tamanho muito pequeno. Têm um aspecto cubóide . Os pneumócitos tipo II são os responsáveis pela síntese do surfactante, a substância tensioativa pulmonar. </li></ul>
  7. 7. Tensão Superficial da água <ul><li>- Quando a água forma uma superfície com o ar, as moléculas de água da superfície exercem entre si uma forte atração adicional. Isso faz com que a superfície da água se contraia e as moléculas fiquem mais fortemente unidas. Isso se chama TENSÃO SUPERFICIAL DA ÁGUA . </li></ul><ul><li>- Ocorre devido às forças de atração que as moléculas internas do líquido exercem sobre às da superfície. </li></ul><ul><li>- Todas essas propriedades são decorrentes da interações inter-moleculares existentes na água, as quais são do tipo &quot; ponte de hidrogênio &quot;. </li></ul>
  8. 8. O princípio da TENSÃO SUPERFICIAL nos alvéolos. <ul><li>- Quando se forma uma interface entre H2O e ar as moléculas de H2O situadas na superfície tem uma atração especialmente forte umas pelas outras, como conseqüência a superfície da água esta sempre tentando se contrair. </li></ul><ul><li>- Os alvéolos possuem água em suas paredes internas, água esta que faz com que o alvéolo tenda a colabar forçando o ar para fora dos mesmos em direção aos bronquíolos e brônquios (Força elástica de tensão superficial). </li></ul><ul><li>Substâncias tenso ativas – “DETERGENTES”. </li></ul><ul><li>- Os tenso ativos são substâncias que diminuem a tensão superficial ou influenciam a superfície de contato entre dois líquidos . </li></ul><ul><li>Surfactante </li></ul><ul><li>-Diminuição da tensão superficial na interface ar - liquido alveolar. </li></ul><ul><li>-Melhora as trocas gasosas e diminui o trabalho respiratório tendo ainda trabalho lubrificante, protegendo as vias aéreas e promovendo o transporte mucociliar. </li></ul>
  9. 9. Sinais e Sintomas <ul><li>Instabilidade térmica </li></ul><ul><li>Dificuldade respiratória </li></ul><ul><li>Respiração rápida e superficial </li></ul><ul><li>Cianose </li></ul><ul><li>Ausência temporal de respiração </li></ul>
  10. 10. Quadro Clínico <ul><li>Observa-se no bebê pós-parto, os lábios deste roxos. As costelas aparentes, pigmentação azulada da pele (cianose), batimentos da asa do nariz e um desconforto progressivo nas primeiras 24 horas. </li></ul><ul><li>Devido a grande dificuldade de respiração do feto. Acarretada pela síndrome. </li></ul>
  11. 11. Fatores de risco <ul><li>Quanto mais prematuro for, maior as chances do bebê apresentar a síndrome. </li></ul><ul><li>Cesarianas mau calculadas. </li></ul><ul><li>Mães diabéticas. </li></ul><ul><li>Estresse durante o parto. </li></ul>
  12. 12. Incidência <ul><li>Ocorrência da doença: </li></ul><ul><ul><li>26 – 28 semanas = 60% </li></ul></ul><ul><ul><li>29 – 35 semanas = 30% </li></ul></ul><ul><ul><li>36 – 37 semanas = 10% </li></ul></ul><ul><ul><li>38 – 42 semanas = normalidade </li></ul></ul>
  13. 13. Complicações <ul><li>Risco de hemorragia cerebral. </li></ul><ul><li>Morte se não houve tratamento imediato. </li></ul>
  14. 14. Tratamento <ul><li>Manter temperatura para evitar hipotermia </li></ul><ul><li>Oferta de líquidos adequadamente </li></ul><ul><li>Uso de ventiladores mecânicos </li></ul><ul><li>Terapia com surfactante exógeno </li></ul><ul><li>Administrar corticosteróide a mãe </li></ul><ul><li>Administrar hormônio tireóideo </li></ul>
  15. 15. Bibliografia <ul><li>http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_da_ang%C3%BAstia_respirat%C3%B3ria_do_rec%C3%A9m-nascido </li></ul><ul><li>http://www.msd-brazil.com/msd43/m_manual/mm_sec23_252.htm </li></ul><ul><li>http://www.infomed.hpg.ig.com.br/resp1.html </li></ul><ul><li>www.hc.unicamp.br/especialidades_medicas/uti/apostilas/sindangustia.pdf </li></ul><ul><li>http://www.capscursos.com.br/docs/sindrome%20da%20membrana.pdf </li></ul><ul><li>http://www.fisiozone.com/cardiorespiratoria/4175-sindrome-da-membrana-hialina-e-aspiracao-de-meconio.html </li></ul><ul><li>http://www.abbottneonatal.com.br/Paciente/faq.asp </li></ul>
  16. 16. Obrigado!

×