Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A fantástica máquina humana 7ª série

3,675 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A fantástica máquina humana 7ª série

  1. 1. O corpo emmovimento
  2. 2. O CORPO SE ADAPTA AO EXERCÍCIO
  3. 3. • Os seres humanos e também os animais estão sempre em movimento. Eles são necessários para a vida. Desde pequenos aprendemos esses movimentos, à custa de muito treino e muitas tentativas.
  4. 4. São os exercícios que vão permitir que essesmovimentos fiquem cada vez mais elaborados.
  5. 5. Todos os vários sistemas do corpo se comunicam entre si pelas vias químicas enervosas para assegurar uma coordenação precisa da atividade Quanto maisesses sistemassão utilizados,mais o exercíciotorna-se fácil e prazeroso
  6. 6. A má condiçãofísica aliada ao sedentarismo trásconsequências desastrosas a longo prazo.
  7. 7. • A seguir vamos entender um pouco como funciona nossa fantástica máquina humana durante o esforço físico.
  8. 8. Por que sentimos dores após muitotempo sem atividade física?O que acontece com o coração,pulmão e músculos?
  9. 9. Quais as consequências do excesso de exercício?
  10. 10. O CORAÇÃO
  11. 11. • Em uma pessoa não treinada o coração bate cerca de 60 a 80 vezes por minuto no repouso. A este fenômeno damos o nome de frequência cardíaca.
  12. 12. • A cada vez que o coração contrai o sangue é transportado por meio dasartérias, este movimento de contração é chamado de sístole. O sangue volta ao coração pelo lado direito por meio das veias, neste momento o coração relaxa para receber o sangue. Este movimento é chamado de diástole
  13. 13. • A força dosangue contra as paredesdessas artériasé denominada Pressão Arterial.
  14. 14. • A pressão arterial é maior quando o coração se contrai, neste momento denominada Pressão Arterial Sistólica. Quando o coração relaxa a pressão cai e então é denominada Pressão Arterial Diastólica.
  15. 15. • Ambas as pressões arteriais são importantes e usualmente apresentadas juntas, como na expressão 120/80mmHg, com o primeiro número representando a sístole e o segundo a diástole.
  16. 16. • 100/70 a 139/89 Normal.• 140/90 acima – Hipertensão ou pressão alta.• 99/69 abaixo – Hipotensão ou pressão baixa
  17. 17. • Durante o exercício a frequência cardíaca e a pressão arterial sistólica aumentam consideravelmente.
  18. 18. A Frequência Cardíaca se eleva a mais que o dobro dos seus valores de repouso. Com o passar do tempo o coração fica mais forte.
  19. 19. • Quando umapessoa, caminha rapidamente, pedala, corre nada ou pratica outra atividade aeróbica a pressão arterial sobeacentuadamente.
  20. 20. • Por exemplo, durante um exercício aeróbico intenso, a pressão arterial sistólica pode subir de 150 a 200mmHg, porém a diastólica pode chegar no máximo até 90mmHg
  21. 21. • Se a pressão subir além dos limites previstos para o esforço físico, o risco da pessoa desenvolver a hipertensão arterial se torna bem elevado.
  22. 22. • Logo após o término de umasessão de exercícios aeróbicos, a pressão arterial cai abaixo dos níveis de repouso.
  23. 23. • Os estudos apontam o exercício físico como um forte aliado (talvez o principal) na prevenção e no combate à hipertensão arterial.
  24. 24. • Em repouso uma pessoa normal respira mais ou menos entre 12 e 15 vezes por minuto, inspirando cerca de seis litros de ar por minuto.• Vale lembrar que o ar é composto de 21% de oxigênio.
  25. 25. • Durante umexercício pesado,o consumo de O2aumenta 10 a 20 vezes, ou atémais, dependendo do nível de aptidão física do indivíduo.
  26. 26. • A frequência respiratória sobe para 55 a 60 respirações por minuto, com maisde três litros sendoinspirados em cada respiração.
  27. 27. • Com a prática de exercícios o tamanho dos pulmões e a quantidade de ar inspirado durante o repouso se altera pouco.
  28. 28. • Porém, as pessoas treinadas podemventilar menos e obter a mesma quantidadede O2 que uma pessoa destreinada, ou seja, um corpo treinado é mais eficiente no transporte e na utilização do O2.
  29. 29. • As pesquisas demonstram que ospulmões e os músculos podem suportar mais sangue e oxigênio doque o coração é capaz de bombear.
  30. 30. MÚSCULOS • Deles dependem nossa capacidade de movimento.• No corpo humano existem mais de 660 músculos esqueléticos.
  31. 31. • Após ficarmos por bastante tempo sem praticar exercícios, a maioria de nós experimenta dor e rigidez nas articulações e nos músculos exercitados.
  32. 32. • Uma dor pode aparecer temporária pode a seguir epersistir por várias durar por 3 a horas 4 dias. imediatamenteapós um exercício,enquanto uma dor residual, ou DorMuscular de Início Tardio (DMIT),
  33. 33. Alguns fatores responsáveis por esta dor • Rupturas minúsculas no próprio tecido muscular ou dano em seus componentes contráteis. • Espasmos musculares
  34. 34. Alguns fatores responsáveis por esta dor • Alteração no mecanismo celular para a regulação do cálcio ou;• Uma combinação dos fatores acima, dentre outros.
  35. 35. • No período do repouso nosso corpo reconstrói os danos causados pelo esforço, esta reconstrução torna-o mais forte e mais resistente e assim todos os sistemas vão se adaptando e trabalhando melhor.
  36. 36. OBRIGADO PELA ATENÇÃOProfessor – Aluísio Lopes Braga CREF – 0379/G-DF
  37. 37. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASNIEMAN, David C., DR. PH . Exercício e Saúde . 1ª Edição brasileira 1999. EditoraManole.NORMAN, Harris, et al. Dicionário de Saúde no Desporto. Editora Edições 70 LDA.Lisboa 1982.McARDLE William D. . Fisiologia do Exercício. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio deJaneiro 1998.GUILLET, J. Genéty. Manual de Medicina do Esporte. Editora Masson. São Paulo.ENCICLOPÉDIA Multimídia do Corpo Humano. Editora Planeta De Agostini.IMAGENSProfessor Digital – Educação Física www.sedentarismozero.comwww.50minutos.wordpress.comwww.masci.com.brwww.4bp.blogspot.comwww.Colegiosaofrancisco.com.brwww.curlygirl.naturlink.ptwww.brasilescola.comwww.esporte.gov.br

×