Anfibios

5,102 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,102
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
23
Actions
Shares
0
Downloads
467
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Anfibios

  1. 1. Anfíbios
  2. 2. Os anfíbios representam uma classe dos vertebrados, sendo que os primeiros conhecidos datam de cerca de 280 milhões a 300 milhões de anos - ou seja, surgiram no período Devoniano, na era Paleozóica. São vertebrados gnatostomados (com mandíbulas),
  3. 3. Tetrápodes, com uma fase larval aquática. com respiração branquial - e uma fase adulta terrestre, mas dependentes da água para a reprodução e a respiração.
  4. 4. Anfíbio vem da palavra grega anfibia que significa "que vive em ambos". Eles evoluíram a partir de peixes pulmonados há cerca de 300 milhões de anos. Nadadeiras deram origem às patas.
  5. 5. Inicialmente os anfíbios apresentavam estrutura próxima a dos peixes. Através de milhares de anos foram deixando a água e passando para o meio terrestre, adaptando-se a esse novo meio com o surgimento de membros e pulmões, alterando progressivamente o aparelho circulatório.
  6. 6. Foram os primeiros animais vertebrados que se aventuraram terra a dentro, sem muito sucesso, a não ser em locais úmidos.
  7. 7. Suas limitações são a respiração cutânea, a fecundação externa, os ovos sem casca e a incapacidade de produção de urina concentrada. E até hoje, quando são inúmeras as formas da vida animal, eles conservam a sua ambigüidade: vivem, respiram e se alimentam tanto na água como na terra.
  8. 8. Os anfíbios são predadores, alimentando-se principalmente de insetos e minhocas. A maioria das espécies de anfíbios apresenta hábitos alimentares insetívoros, sendo, portanto, vertebrados controladores de pragas. Muitas espécies, sensíveis a alterações ambientais, são consideradas excelentes bioindicadores.
  9. 9. A diminuição de certas populações tem sido atribuída a alterações globais de clima. Para certos biomas do Brasil, como a Mata Atlântica, os declínios populacionais ou mesmo extinção de anfíbios têm sido atribuídos ao desmatamento.
  10. 10. Algumas espécies, como a perereca-da- folhagem e o sapinho pingo- de-ouro,têm sido alvo de estudos bioquímicos e farmacológicos, para isolamento de substâncias com possíveis usos medicinais.
  11. 11. As principais características dos anfíbios são: Pele úmida e glandular: o revestimento corporal é fino e sem escamas , o que tornaria estes animais pequenos demasiado expostos a predadores.
  12. 12. Por esse motivo, numerosas glândulas secretoras de substâncias tóxicas ou alucinógenas tornam-se um fator seletivo importante, e os sobreviventes à seleção natural as apresentam em numerosas espécies.
  13. 13. Apresentam a pele úmida e com pouca queratina, e por isso necessitam viver em locais úmidos. A pele dos anfíbios é rica em glândulas mucosas, que a mantém sempre úmida e permeável. Ela não possui pêlos, penas ou escamas.
  14. 14. Esqueleto: predominantemente ossificado, crânio com dois côndilos occipitais, costelas (quando presentes) não ligadas ao esterno. Cinco a nove vértebras pré-sacrais; vértebras pós- sacrais fusionadas, formando o uróstilo.
  15. 15. Dois pares de patas: as extremidades com 4 ou 5 dedos servem para andar, saltar ou nadar, nunca existindo nadadeiras pares. Nas ímpares, não existem raios de sustentação. Alguns não possuem patas.
  16. 16. Sistema digestivo: um par de orifícios em comunicação com a cavidade bucal, fechadas por válvulas que impedem a entrada de água e por onde se realiza a percepção química. A boca geralmente apresenta dentes finos e língua protrátil, cuja base frontal é fixa.
  17. 17. Sistema circulatório: coração com três câmaras (duas aurículas e um ventrículo), glóbulos vermelhos ovais e nucleados; a circulação é fechada, dupla e incompleta.
  18. 18. Sistema respiratório: brânquias, pulmões, pele, mucosa bucal - separadamente ou em combinação, dependendo da etapa da vida do animal. Surgimento dos pulmões. A respiração cutânea também é fundamental para esses animais.
  19. 19. Algumas espécies de salamandras não apresentam pulmões, dependendo totalmente da pele e da cavidade bucal para a absorção de oxigênio.
  20. 20. Na laringe de sapos e rãs existem cordas vocais que evoluíram juntamente com os ouvidos. Os machos produzem sons para atrair as fêmeas na época de acasalamento. O canto é produzido pela passagem forçada do ar dos pulmões, pelas cordas vocais e cartilagens adjacentes situadas na laringe.
  21. 21. Sua reprodução é sexuada
  22. 22. o ciclo de vida dos anfíbios apresenta geralmente três fases: ovo, larva e adulto, ocorrendo uma metamorfose radical na passagem de larva aquática a adulto.
  23. 23. A fecundação é interna ou externa, sendo as espécies geralmente ovíparas. A maioria deposita os seus ovos na água, mas algumas espécies vão à terra para o fazer e outras ainda retêm os ovos no interior do corpo de formas diversas.
  24. 24. Os ovos contêm uma quantidade de vitelo apreciável e são envolvidos por uma capa gelatinosa que seca rapidamente em contato com o ar, mas não têm anexos embrionários. Podem ser postos apenas 2 ou 3 ovos, soltos ou em cordões, mas algumas espécies atingem os 50000 ovos por postura
  25. 25. .Nas espécies que colocam os ovos em terra ou os retêm o desenvolvimento é direto, pois a larva permanece no ovo até emergir como uma miniatura do adulto. Estas espécies têm a vantagem de se libertarem da dependência da água para a reprodução, pois não existe fase larvar aquática.
  26. 26. Os Anfíbios tem três ordens viventes.
  27. 27. Ordem Apoda: Caracterizam-se por não possuírem patas e cauda. O corpo é vermiforme, e todos têm hábitos subterrâneos ou aquáticos, com distribuição tropical e meridional. Existem 165 espécies.
  28. 28. Ordem Anura:Caracterizam-se pela presença de dois pares de patas adaptados a locomoção por saltos e ausência de caudas nos adultos; possuem o corpo dotado para saltar com as patas posteriores muito alongadas.
  29. 29. Apresentam glândulas de veneno que servem como defesa Na época da reprodução eles retornam à água onde machos e fêmeas copulam.
  30. 30. Ordem dos Urodelos: Algumas espécies vivem o tempo todo na água, respirando por brânquias. Caracterizam-se por possuírem dois pares de patas na fase adulta, com cauda bem desenvolvida.
  31. 31. Existem 415 espécies, com distribuição em zonas temperadas e setentrionais.Apresentam, tipicamente, 4 membros, corpo reforçado e cauda longa.
  32. 32. Metamorfose dos anfíbios

×