Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

O evangelizador. apostila

1,458 views

Published on

  • Be the first to comment

O evangelizador. apostila

  1. 1. O EVANGELIZADOR “... O Mundo Espiritual concentra sua atenção maior no pequenino que dá os seus primeiros passos na via de novas experiências. O campo foi preparado através de 2.000 anos de Cristianismo; Os Mensageiros do Alto falaram sobre o amor divino, a caridade fraterna, a ciência e a filosofia unidas à religião, para reerguer o mundo e colocá-lo no seu pedestal de glória. Hoje a Terra está pronta e a semeadura lançada necessitará dos cuidados dos semeadores para que a colheita seja farta... Bezerra de Menezes VOCÊ JÁ PAROU PARA PENSAR? - POR QUE VOCÊ SE PROPÔS A EVANGELIZAR? - O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM OS ENSINAMENTOS QUE A DOUTRINA ESPÍRITA LHE OFERECE? - O QUE ESTÁ DANDO VOCÊ DE SI MESMO EM PROL DO TRABALHO DO MESTRE JESUS? QUEM É? • Técnico que orienta a criança e o jovem no processo de auto- reforma; de auto-descoberta, através dos conteúdos doutrinários. • É um educador muito especial, pois é aquele que vai ajudar a criança a entender que é um Espírito eterno, com qualidades superiores dentro de si, que Deus é nosso Criador e nosso Pai, como Jesus nos ensinou. - EVANGELIZADOR = SEMEADOR DA PALAVRA DO MESTRE JESUS – onde o primeiro campo a ser semeado é dentro do próprio coração.
  2. 2. “Quando Jesus penetra o coração de um homem, converte-o em testemunho vivo do bem e manda-o evangelizar os seus irmãos com a própria vida e, quando um homem alcança Jesus, não se detém, pura e simplesmente na estação das palavras brilhantes, mas vive de acordo com o Mestre, exemplificando o trabalho e o amor que iluminam a vida, a fim de que a Glória da Cruz não se faça vã.” EMMANUEL MOMENTOS DE DECISÃO: A vida é feita de momentos, que surgem e passam. E, de conformidade com nossa decisão, darão origem aos estados de paz ou de aflição. São os momentos de decisão feliz que nos garantem a harmonia íntima, assim como os momentos de decisão infeliz nos conduzem à amargura e à dor. Saulo de Tarso, num momento de desequilíbrio, saiu a perseguir os homens do caminho e, num momento sublime defrontou Jesus, tomando, num momento de decisão firme, a mais notável e valiosa resolução da vida, que dele fez o perfeito Apóstolo das gentes... Num momento de prece, Maria recebeu a anunciação da chegada do Messias... Num momento de paz, na Terra, Jesus nasceu em singular estrebaria para mudar os rumos da História. Num momento de confiança, Nicodemos rogou a entrevista que lhe abriu horizontes infinitos sobre a necessidade de nascer de novo... Num momento feliz, a mulher samaritana travou o diálogo que lhe mudou o roteiro da existência...
  3. 3. Num momento de piedade, o samaritano tornou-se o símbolo da solidariedade por excelência... Num momento de fé, a mulher com hemorragia libertou-se do grave mal que a martirizava... Num momento de irreflexão, o moço rico perdeu a oportunidade de ganhar a jornada... Num momento de dor, a mulher adúltera encontrou a piedade do Mestre e renovou-se para avançar vida afora... Num momento de inveja, alguns fariseus tentaram embaraçar o Senhor e se confundiram a si mesmos. Num momento de amor, Jesus libertou o obsesso de Gadara, que padecia a cruel constrição de mentes perturbadoras... Num momento de desequilíbrio, Judas traiu o Cristo... Num momento de fraqueza moral, Pedro negou o Amigo... Num momento de covardia, Pilatos lavou as mãos e perdeu a maior bênção da vida... Num momento estóico, mulheres piedosas atestaram a grandeza do amor, acompanhando o Sublime condenado... Num momento de loucura coletiva, os homens crucificaram Jesus... Num momento de luz, o Mestre ressuscitou e até este momento é o Caminho, a Verdade e a Vida. São momentos de decisão! Há momentos na sua vida, que você não aproveita, e passa na inutilidade ou se comprometendo com os erros, que produzem aflições e dores sem conta para você mesmo. Surgem, também, e ressurgem momentos que o convocam à liberdade, à legítima paz.
  4. 4. Indispensável saber utilizar as lições do Evangelho, em cada momento da existência física, a fim de poder fruir as bênçãos da vida eterna. * * * A vida lhe oferece, a cada instante, inúmeros momentos para que você tome decisões. E cada decisão tomada, definirá seu próximo momento. Se a decisão for feliz, seus momentos futuros lhe trarão felicidade. Se não, as horas seguintes lhe darão notícias desagradáveis. Assim é a vida: feita de momentos... Momentos de decisão... QUE SEJA ESTE, PORTANTO, O SEU MOMENTO DE DECISÃO FELIZ... EVANGELIZE! COOPERE COM JESUS!... Livro: Momentos de decisão, ed. Leal. Pelo Espírito Marco Prisco Psicografia: Divaldo Pereira Franco. EVANGELIZADOR Nos dias que vivemos, a tarefa que assumimos é das mais importantes, porque representa a esperança do mundo espiritual quanto a elevação do planeta. A transformação da Terra, de que tanto fala, somente ocorrerá efetivamente, com a transformação das próprias criaturas, transformação que ocorrerá no íntimo de cada um.
  5. 5. Evangelizar, essencialmente, é educar o sentimento e a razão através dos princípios do Evangelho e dos conhecimentos superiores contidos na Doutrina Espírita. Somente esses princípios possuem força suficiente para impulsionar o Espírito eterno, ora reencarnado, para a frente e para cima, educando o sentimento, clareando a razão, apontando caminhos superiores nesta escalada infinita de elevação. Assim, nos dias de hoje, a tarefa de evangelização se faz urgente. A humanidade se encontra enferma da razão e do coração, vítima de conceitos e sentimentos inferiores, e a evangelização da criança e do jovem representa, em primeiro plano, a vacina que previne e, em segundo, o remédio que restaura a saúde. Unamos as nossas forças, esquecendo desavenças e desacertos. Formemos grupos de estudo e trabalho. Vamos convidar nossos trabalhadores, promover palestras aos pais e evangelizadores para que este movimento cresça. Não estamos sozinhos, mas todos ligados a um mesmo ideal, envolvidos nessa mesma vibração superior de trabalho e amor. O mundo clama por Jesus e Jesus muito espera de nós. Não vamos deixar para segundo plano a tarefa primeira que assumimos: colaborar com Jesus na grandiosa tarefa de saneamento, educação e redenção da Humanidade. Vamos trabalhar sempre, até o limite de nossas forças, sem reclamar, sem criticar. Amanhã perceberemos a grandiosidade do trabalho que nos coube e, se soubermos bem trabalhar, colheremos os frutos da alegria que hoje estamos semeando. Departamento de Evangelização Infantil do IDE. “Quando você ensina, transmite. Quando você educa, disciplina. Mas quando você evangeliza, salva.
  6. 6. Instruído, o homem conhece; educado, vence; evangelizado, serve sem cansaço, redimindo-se.” Amélia Rodrigues Unidade: O EVANGELIZADOR Questionário sobre a relação evangelizador x consigo mesmo O que você tem sido quanto: 1) A paciência: a- Pouco paciente. b- Paciente, mas me irrito em algumas ocasiões. c- Paciente, me irrito com muito pouca frequência. d- Bem paciente. e- Outros. 2) Ao apreço: a- Dou atenção a todos, mas em especial àqueles que participam menos. b- Dou atenção a todos, mas em especial àqueles que participam mais. c- Dou atenção a todos indistintamente. d- Me preocupo mais com a aula em si. e- Outros. 3) A liderança: a- Democrático, mas pouco firme. b- Democrático e firme.
  7. 7. c- Autoritário, mas amigo. d- Autoritário e firme. e- Outros. 4) Ao afeto: a- Bastante afetuoso, paternalista. b- Bastante afetuoso, mas firme. c- Afetuoso, natural. d- Pouco afetuoso. e- Outros. 5) A responsabilidade: a- Sou responsável e não falto nunca à responsabilidade. b- Sou responsável, mas falto quando preciso. c- Sou responsável, mas falto de vez em quando. d- Sou pouco responsável. e- Outros. 6) Ao hábito da prece: a- Ora regularmente, com fé. b- Ora regularmente, com alguma fé. c- Ora de vez em quando, com alguma fé. d- Esquece muito de orar. e- Outros.
  8. 8. FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA CURSO INTENSIVO DE PREPARAÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA DIN FEERJ (CIPEP – DIN – FEERJ) UNIDADE: O EVANGELIZADOR PLANEJAMENTO DA UNIDADE I) Objetivos gerais: 1- Conhecer as características de um Evangelizador. 2- Conhecer as bases psicopedagógicas dos processos de liderança, disciplina, comunicação e criatividade. 3- Propor atitudes e características importantes para um evangelizador eficiente. 4- Ter habilidades básicas nas características especiais de um evangelizador: liderança, criatividade, comunicação, composição, seleção e orientação do material literário espírita infantil, estudo metódico, observação. 5- Interessar-se na atitude de crítica construtiva constante ao seu trabalho como evangelizador. 6- Empenhar-se em buscar capacitação continuamente. 7- Esforçar-se por conhecer-se a si mesmo. 8- Empenhar-se em buscar troca de experiências entre os evangelizadores: atitude de confraternização. 9- Interesse vivo em respeitar a criança.
  9. 9. II) CONTEÚDOS: 1) Características pessoais do evangelizador a- Qualidades morais b- Características do educador 2) Características especiais do evangelizador a- Liderança – disciplina b- Comunicação c- Ação com a literatura infantil d- Criatividade e- Técnicas de documentação e estudo 3) Função do educador III) PROCEDIMENTOS E RECURSOS 1) Técnica – sondagem 2) Exposição dialogada 3) Debate em grupo 4) Resolução de problemas 5) Organização de quadro geral 6) Estudo de texto 7) Análise de texto 8) Técnica de documentação 9) Literatura criativa
  10. 10. 10) Explosão de ideias 11) Autoconhecimento 12) Álbum seriado 13) Quadro de giz 14) Papel pardo 15) Retroprojetor 16) Papéis, lápis, canetas coloridas. IV) DISTRIBUIÇÃO DO TEMPO 1- Características pessoais – 2h 2- Características especiais a- Liderança 3h b- Comunicação 2:30h c- Literatura 2h d- Criatividade 2:30h e- Documentação 2h 3- Função de educador 2h V) AVALIAÇÃO 1- Através dos resultados dos trabalhos de cada tema. 2- Através de um trabalho de síntese e integração geral da unidade. VI) SUGESTÕES GERAIS DE LEITURA
  11. 11. 1- Psicologia na sala de aula – H. Lindgren 2- O mestre na Educação – Vinícius 3- O professor e o Ensino – H. Morrison 4- Revista Brasileira de Estudo Pedagógico – INEP VII) Professores da Unidade ANA BARBOSA ELOIR GUILHERME HUMBERTO ... FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA CURSO DE PREPARAÇÃO DE EVANGELIZADORES DAS URES UNIDADE: O EVANGELIZADOR PLANEJAMENTO DA UNIDADE I) Objetivos gerais: 1- Conhecer as características de um Evangelizador. 2- Conhecer as bases psicopedagógicas e doutrinárias dos processos de liderança, disciplina, comunicação e criatividade.
  12. 12. 3- Conhecer as bases para uma literatura Espírita infantil. 4- Criticar construtivamente o seu trabalho como evangelizador. 5- Empenhar-se em buscar capacitação continuamente. 6- Esforçar-se por conhecer-se a si mesmo. 7- Buscar troca de experiências entre os evangelizadores: confraternizar-se. 8- Interessar-se vivamente em respeitar a criança. 9- Propor atitudes e características importantes para um evangelizador eficiente. 10- Experimentar e conscientizar-se de habilidades mínimas (básicas) no campo da: liderança, criatividade, comunicação, composição, seleção e orientação da literatura espírita infantil, estudo metódico, observação. 11- Conscientizar-se da importância do estudo para a capacitação do evangelizador. II) DADOS DA POPULAÇÃO ALVO Os dados da população alvo de cada curso estarão anexados aos planos de aula.
  13. 13. III) QUADRO GERAL CONTEÚDOS TÉCNICA RECURSOS TEMPO APRESENTAÇÃO . Planejamento . Perspectivas . Relação evangelizador x evangelizando . Comunicação . Discussão em grupo . Leitura de textos . Exposição dialogada . Meditação sondagem . Exposição didática com leitura de texto . Textos . Papel . Lápis 50 min CARACTERÍSTICAS PESSOAIS . qualidades de educador . posição moral . conhecimento de si mesmo . Exposição dialogada . Leitura de textos . Colocações pessoais . quadro de giz . papel e lápis . texto . retroprojetor 60 min CONHECIMENTO . importância do estudo . organização para estudar . estudo da doutrina . estudo de textos . exposição dialogada . análise de textos . textos . quadro de giz . papel e lápis 60 min LIDERANÇA-DISCIPLINA . liberdade x obediência . liderança x disciplina . disciplina (prático) . exposição dialogada . estudo de textos . trabalho em pequenos grupos . álbum seriado . textos . papel e lápis 120 min CRIATIVIDADE . importância da criatividade no mundo de hoje . o poder criador . a criatividade na evangelização . exposição dialogada . experiência criativa literária . álbum seriado . textos . papel e lápis 120 min LITERATURA ESPÍRITA INFANTIL . objetivo da L.E.I . importância da L.E.I . a história na evangelização . o livro na evangelização . exposição dialogada . estudo de textos . trabalho em pequenos grupos . álbum seriado . textos . papel e lápis 120 min INTEGRAÇÃO . revisão geral . apresentação de Jesus como o Educador . avaliação da unidade . explosão de ideias orientadas . recitação com áudio-visual . questionário-avaliação . texto: Jesus . slides . papel . lápis 60 min
  14. 14. IV) AVALIAÇÃO 1) Através dos trabalhos realizados 2) Através de questionário de avaliação 3) Através da revisão geral da unidade 4) Através de colocações verbais V) RESPONSÁVEIS PELA UNIDADE - Ana Barbosa - Eloir - Guilherme - Humberto - Paulo C. Wilma FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CURSO DE PREPARAÇÃO DE EVANGELIZADORES DAS URES DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA UNIDADE: O EVANGELIZADOR AVALIAÇÃO 1) Considerando os diversos assuntos discutidos na Unidade, escreva para cada assunto, uma conclusão tirada durante o curso. A) Comunicação B) Disciplina C) Estudo da doutrina D) Criatividade E) História F) Livro espírita
  15. 15. G) Conhecimento de si mesmo H) Qualidades pessoais do educador 2) Todos os assuntos desenvolvidos na nossa unidade: a) Quais são desnecessários para o evangelizador? b) Quais são os mais necessários? c) E quais assuntos precisam ser colocados que não o foram neste curso? 3) Durante a nossa unidade (O evangelizador) o que acontece com você, intimamente quanto: a) Conhecimento de si mesmo b) Confraternização com o próximo c) As atitudes em relação a criança d) Crítica ao seu trabalho como evangelizador 4) O que você tem a dizer, aos professores, que nos ajude a melhorar o nosso trabalho? 5) Critique as técnicas usadas em nossa unidade sugerindo melhores procedimentos. 6) O que mais você teria a nos dizer?
  16. 16. FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA CURSO INTENSIVO DE PREPARAÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA DIN FEERJ (CIPEP – DIN – FEERJ) UNIDADE: O EVANGELIZADOR Levando-nos a considerar que as atividades de organização do movimento espírita não há lugar para a padronização artificial e automatizante, Emmanuel, através da mediunidade de Chico Xavier, em mensagem-prece psicografada na sede da Federação Espírita Brasileira, em Brasília, em 7 de janeiro de 1973, declara: “Senhor Jesus... Faze-nos observar, por misericórdia, que Deus não nos cria pelo sistema de produção em massa e que por isto mesmo cada qual de nós enxerga a vida e os processos de evolução de maneira diferente” (reformador – fev 1973). Sobre o assunto, temos também, a inspirada palavra do Presidente da FEB, o sr. Francisco Thiesen, na reunião do CFN realizada em julho de 1976, quando na realização do Encontro Nacional em Brasília, sobre a Evangelização (Reformador – set.1976), que, depois de algumas considerações preliminares, destaca: “Daí a nossa preocupação, na FEB, em obter um documento genérico, um documento que represente as balizas dentro das quais nortearemos o nosso comportamento; admitindo áreas de flexidade, para que não haja imposições de quem quer que seja; para que preservada seja a liberdade de decisão, de movimentação, de execução do próprio trabalho; exprimindo aquele sentido de objetividade a que nos referimos, ontem, na abertura da reunião. Não exijamos um figurino rígido que não poderíamos impor, vez que isso contraria a natureza humana; e nós sabemos pelos ensinamentos do Espiritismo, que a evolução é a nossa meta. Vamos devagar e sempre, sem contrariar esse princípio, pois contrariando, frustraríamos nosso objetivo, não o atingiríamos dentro de uma conscientização que preservasse um dos maiores direitos do homem, do
  17. 17. espírito eterno, que é a liberdade, o livre-arbítrio relativo. Deus preserva o livre-arbítrio humano. Jesus respeitou-o quando nos deu as lições do evangelho. E Allan Kardec foi o mestre insuperável quando dissertou a respeito. É conquista do Espírito, é um direito de que não abriremos mão. Nenhum de nós. A dificuldade que existe no Espiritismo, maior do que nas outras religiões, nas religiões humanas, nas filosofias e nas ciências, é que operamos com seres mais livres com criaturas cujas vontades não estão sujeitas a nenhum tacão. Ninguém é mais livre que o Espírita, porque este não está submisso, necessariamente a nenhuma instituição, embora deva vincular-se às instituições, para trabalhar em conjunto. O segredo do êxito consistirá em sabermos encontrar o ponto de equilíbrio dentro das faixas de trabalho, em liberdade.” FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA CURSO INTENSIVO DE PREPARAÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA DIN FEERJ (CIPEP – DIN – FEERJ) UNIDADE: O EVANGELIZADOR CONSIDERANDO A FUNÇÃO E AS CARACTERÍSTICAS DE UM EDUCADOR “O amor é a base do ensino. Professor e aluno, cooperação mútua.” André Luiz “O professor apresenta os estímulos, dirige a atividade do aluno, sugere, orienta o pensamento do aluno, proporciona condições para que o aluno aplique o que aprendeu e promove mais aprendizagem.” Flávia M. Sant’anna
  18. 18. “Quem aprende pode ensinar e quem ensina aperfeiçoa o aprendizado.” André Luiz “A instrução da criança não consiste apenas na aquisição de tal ou tal ciência, mas no desenvolvimento geral da inteligência; a inteligência desenvolve-se em razão do número de ideias adquiridas e tanto mais temos ideias, mais estamos capacitados para assimilar ideias novas. A arte do professor consiste na maneira de apresentar essas ideias, no talento com que sabe valorizá-las, classifica-las e adaptá-las à natureza da inteligência da criança. Semelhante ao jardineiro hábil, deve conhecer o terreno que semeia, porque o espírito da criança é um verdadeiro terreno do qual é necessário conhecer a natureza; e, da mesma forma que o talento do jardineiro não se limita a enfiar plantas na terra, também a arte do professor não pode ficar restrita ao ensino dos rudimentos.” Kardec “... a facilitação da aprendizagem significativa baseia-se em certas qualidades de comportamento que ocorrem no relacionamento pessoal entre o facilitador e o aprendiz.” Carl R. Rogers “As crianças apreciam professores bondosos, cordiais, alegres, pacientes, que gostem de ajudar, sejam justos, tenham senso de humor, revelem compreensão dos problemas infantis, permitam bastante atividade e ao mesmo tempo mantenham a ordem.” Evans “Quanto mais íntima a comunhão entre o mestre e o discípulo, melhor êxito advirá para quem ensina e para quem aprende.” Vinicius “O único homem que se educa é aquele que aprendeu como aprender” Carl R. Rogers “... deve ser uma pessoa realmente existente, realmente presente para seus alunos; é pelo contato que se educa.” Martin Buber
  19. 19. “Orientar é devotar-se.” André Luiz “... traços como decidido, entusiasmado, emocionalmente estável, imaginativo, auto- suficiente etc.” Cattel, Eber “Quando o facilitador é uma pessoa real...” Carlos R. Rogers “Um bom professor deve saber escutar e fazer o aluno sentir que ele está sinceramente interessado no problema. Deve encorajar os alunos a falar. Deve ser paciente. Simpático e compreensivo. Saber ouvir é uma habilidade que requer prática. É possível aprender muita coisa a respeito de um assunto ou pessoa simplesmente escutando com atenção.” James O. Proctor “ O mestre não fornece instrução: mostra como ela é obtida... O mestre dirige, orienta as forças do discípulo, colocando-o em condições de agir por si mesmo na conquista do saber.” Vinícius “Há outras atitudes a realçar no educador, que compreende com êxito, a facilitação de aprendizagem é o apreço, aceitação e confiança.” Carl R. Rogers “Um bom “vendedor” – Muitas ideias novas, planos de ação e regulamentos têm que ser “vendidos”. O professor, através de seus contatos pessoais com seus alunos e colegas, pode ser o melhor vendedor do mundo. É preciso, entretanto, que ele conheça a mercadoria, convença o freguês e finalmente faça a “venda”. Um bom professor e um bom vendedor sempre tem um “olho clínico”. Nunca tentam empurrar uma mercadoria que esteja além das possibilidades do freguês.” James O. Proctor BIBLIOGRAFIA
  20. 20. André Luiz – Conduta Espírita André Luiz – Sinal Verde Autores diversos – O Espírito da Verdade Vinicius – O Mestre na Educação Carl R. Rogers – Liberdade para aprender Flávia M. Sant’Anna – Microensino e Habilidades Técnicas do Professor André Moreil – Vida e Obra de Allan Kardec James O. Proctor – Ensinando a ensinar A. Morrisson e D. Mclntyre – Os professores e o ensino. FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA CURSO INTENSIVO DE PREPARAÇÃO - EQUIPE PEDAGÓGICA DIN FEERJ (CIPEP – DIN – FEERJ) UNIDADE: O EVANGELIZADOR CONSIDERANDO A LIBERDADE E A OBEDIÊNCIA “ liberdade é um tesouro oculto. Pela educação, o homem a descobre, nas profundezas da alma e se torna livre.” Vinícius “Só redime aqueles que amam a liberdade e se esforçam por alcança-la.
  21. 21. Os que se comprazem na servidão das paixões e dos vícios não tem em Jesus um salvador.” Vinícius “A redenção como a educação é obra em que o interessado tem de agir, tem de lutar desempenhando a sua parte própria.” Vinícius “Aquele, porém, que atenta bem para a Lei Perfeita da Liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, esse tal será bem- aventurado em seus feitos.” Tiago 1:25 “Não useis, porém, da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pela caridade.” Paulo – Gálatas 5:13 “Para a liberdade Cristo nos libertou, permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão.” Paulo – Gálatas 5:1 “Raríssimas são as criaturas que sabem elevar o sentido da independência (“essa virtude superior”) a expressões de voo espiritual para o infinito.” Emmanuel – Vinha de Luz – Cap.128 “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo, e não segundo o Cristo.” Paulo – Colossenses – 2:8 “O Cristo de Deus, tudo nos dando em amor e sabedoria, nos ampliou a emoção e o conhecimento, a iniciativa e o trabalho, convertendo-nos em filhos emancipados da Criação, para que tenhamos não apenas a vida, mas a Vida Santificada e Abundante.” Paulo
  22. 22. “Os homens, escravos das paixões” deverão almejar a conquista da liberdade.” Vinícius “Só redime aqueles que amam a liberdade e se esforçam por alcança-la.” Mestre na Educação – cap. 1 “Neste sublime cometimento (o Espiritismo), porém, a floração infanto-juvenil – rodas do progresso de amanhã que avançam pelos pés do presente (vindos do passado) – assume a grandeza de um desafio que nos cumpre, conjugando esforços em ambos os lados da vida, aceitar para conduzir com acerto e sabedoria evitando os lamentáveis erros transatos.” Amélia Rodrigues – Divaldo “Convocados ao trabalho do Espiritismo, na libertação das consciências pelo cultivo do amor e da verdade, estamos engajados a serviço do Senhor. Nas lides que abraçamos, porém, quase sempre, subvertermos a conceituação de obediência, transfigurando-a em automatismo e passividade.” André Luiz – Sol nas almas – cap.52 CONSIDERANDO A DISCIPLINA “Nos planos invisíveis, o Espírito prossegue na mesma tarefa abençoada de aquisição dos próprios valores e a reencarnação no mundo tem por objetivo principal a consecução desse esforço.” O Consolador – pag.224 “Nossa personalidade, enquanto somos jovens, é semelhante à pedra preciosa por lapidar, mas o tempo, dia a dia, nos desgasta e transforma, até que um novo entendimento da vida nos faça brilhar o coração.” Emmanuel – Ave Cristo “A intolerância jamais compareceu ao lado de Jesus, na propagação da Boa Nova.” Emmanuel – Roteiro
  23. 23. “Certo, o caminho humano oferece, diariamente variados motivos a ação enérgica; entretanto, sempre que possível é útil adiar a expressão colérica para o dia seguinte, porquanto, por vezes, surge a ocasião de exame mais sensato e a razão da ira desaparece.” Emmanuel – Caminho, Verdade e Vida “A cooperação espontânea é o supremo ingrediente da ordem.” Emmanuel – Há dois mil anos. “Não estamos na obra do mundo para aniquilar o que é imperfeito, mas para completar o que se encontra inacabado.” Emmanuel “A palavra do guia é agradável e amiga, mas o trabalho de iluminação pertence a cada um.” Emmanuel – O Consolador “... O trabalho de purificar não é tão simples quanto parece. Será muito fácil ao homem confessar a aceitação de verdades religiosas, operar a adesão verbal a ideologias edificantes... Outra coisa, porém, é realizar a obra da elevação de si mesmo, valendo-se da AUTODISCIPLINA, da compreensão fraternal e do espírito de sacrifício.” Emmanuel – Caminho, Verdade e Vida – Cap.18 Como tratar a criança no regime habitual de educação? Este é um ponto de vista do Espiritismo Cristão; na condição de criança, procedemos do Mais Além, com certos obstáculos de ordem espiritual. Se não encontrarmos criaturas que nos concedem amor e segurança, paz e ordem, será muito difícil o proveito da nova reencarnação que estejamos encetando. Emmanuel – Chico Xavier em Goiânia – GEEM “O amor ao próximo inclui o esclarecimento fraterno a todo tempo em que se faça útil e necessário. A sujeição passiva ao atrevimento ou grosseria pode dilatar os processos da força e da agressividade; mas ao receber as suas manifestações,
  24. 24. saiba o crente pulverizá-los com o máximo de serenidade e bom-senso, a fim de que sejam exterminadas em sua fonte de origem, sem possibilidades de renovação.” Esclarecer também é amar. Toda a questão reside em bem sabermos explicar, sem expressões de personalismo prejudicial, ainda que com a maior contribuição de energia, para que o erro ou o desvio do bem não prevaleça. Quanto aos processos de esclarecimento, devem eles dispensar, em qualquer tempo e situação, o concurso da força física, sendo justo que demonstrem as nuanças de energia, requeridas pelas circunstâncias, variando, desse modo, de conformidade com os acontecimentos e com fundamento invariável no bem geral.” Emmanuel – O Consolador – perg.344 “Toda corrigenda, antes que se exprima em palavras, há de vazar-se em amor para que a vida se eleve.” Emmanuel – Religião dos Espíritos “Situações com a natureza para COMPARAR COM O PROCESSO DE EVANGELIZAÇÃO.” Religião dos Espíritos – cap.19 “Repreensão sem paciência e esperança, ainda mesmo quando se fundamente em razões respeitáveis, é semelhante ao punhal de ouro fulgurando pura beleza, mas carreando consigo a visitação da morte.” Emmanuel – Religião dos Espíritos – cap.19 “Corrigir é ensinar e ensinar será repetir a lição, com bondade e entendimento, tantas vezes quantas se fizerem necessárias.” “A felicidade do homem decorre, pois, da disciplina que este se impõe.” Cap. 4 – Messe de Amor – Joanna de Ângelis
  25. 25. “A permanência nos círculos baixos da natureza institui para a alma um segundo modo de ser. (...) Raramente, porém, a vítima conseguirá libertar-se, sem a DISCIPLINA DE SI MESMA. Emmanuel – Vinha de Luz – cap.113 “Observando a humanidade o seu imenso rebanho, Jesus não recomenda medidas drásticas em favor da disciplina compulsória: ‘Pedro, apascenta as minhas ovelhas!’ João 21:17 “Não te desanimes perante a rebeldia, nem condenes o erro, do qual a lição benéfica surgirá depois. Ajuda ao próximo, ao invés de vergastá-lo. Educa sempre. Revela-te por trabalhador fiel. Alimenta a “boa parte” do teu irmão e segue para diante. A vida converterá o mal em detritos e o Senhor fará o resto.” Emmanuel – Fonte Viva – cap.19 “Para corrigir é necessário profunda ternura e paciência.” Irene Mello de Carvalho – O Processo Didático CONSIDERANDO A LIDERANÇA O Líder centrado no grupo procura criar as seguintes condições para uma boa facilitação da aprendizagem: - oportunidade de participar - liberdade de comunicar - clima psicológico não ameaçador (adaptação de Carl Rogers – Terapia Concentrada na Pessoa)
  26. 26. NOÇÃO DE LIDERANÇA O Evangelizador não é mais o líder que apresenta, em grau elevado, traços de liderança, mas sim um dos líderes do grupo, que exerce sua liderança em momentos cruciais e críticos, mas que a transmite frequentemente a outros membros do grupo-classe ou que, no mínimo, com eles a compartilhar amplamente. Adaptado de Irene M. de Carvalho CONSIDERANDO A CRIANÇA VIOLENTA “Do rio que tudo arrasta se diz que é violento; mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem.” Bertold Brecht CONSIDERANDO A CONDUTA “É um comportamento em regra exteriorizado, mas que tem implicações valorativas... ... Corresponde ao conjunto das reações adquiridas por meio da experiência, do viver, do estar no mundo, em contato com o mundo e com os seres que o povoam.” Irene Mello de Carvalho – O Processo Didático “É preciso ajudar o educando a estruturar seu caráter em conformidade com seu temperamento.” Irene Mello de Carvalho – O Processo Didático CONSIDERANDO O VANGUARDISMO LIBERAL E O AUTORITARISMO “Há, neste campo, os extremistas, os revolucionários de ultravanguarda, que exageram a noção de liberdade individual e pregam a completa abstinência de diretrizes orientadoras, condenando quaisquer sanções ou interferências.” Isto é ruim. Julgamos que há muitos equívocos em tudo isso. Se a criança e o jovem desejam liberdade, desejam também amor, compreensão, orientação... Quando o educando sente que a orientação é ditada pelo afeto e que ela não é uma forma disfarçada de autoritarismo, aceita-a, sem se sentir dominado.
  27. 27. ... Se nossas crianças desejam realizar alguma coisa que de fato os vai prejudicar, não tenhamos medo de interferir. ... O problema são os nãos: - de nossas indiossincrasias - de nossos preconceitos - de nosso desejo de não sermos molestados.” Irene Mello de Carvalho – O Processo Didático CONSIDERANDO AS REGRAS “A vida em comum exige regras. Não podemos educar promovendo regras arbitrárias.” CONSIDERANDO O BOM ÊXITO DA ORIENTAÇÃO DA CONDUTA 1º) que o educando perceba que é realmente estimado. 2º) que ele se sinta o mais livre possível, proibindo-se o mínimo indispensável. 3º) É preciso amar sem egoísmo e ser bem objetivo. Irene Mello de Carvalho – O Processo Didático “Seja o vosso dizer sim, sim e não, não.” Jesus

×