Património Cultural

6,064 views

Published on

Os alunos de Área de Projecto, do 12º ano, da Escola Secundária Seomara da Costa Primo, na Amadora, Jorge Costa e António Valdez, foram convidados, pelo Professor da disciplina de Cidadania e Mundo Actual, António Gomes, a leccionar a introdução ao tema: \"Património Cultural\".
Esta apresentação foi usada nessa aula.

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,064
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
30
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Património Cultural

    1. 1. UM OLHAR NO PATRIMÓNIO <ul><li>Com esta apresentação pretendemos dar a conhecer: </li></ul><ul><ul><li>O trabalho que temos desenvolvido na disciplina de Área de Projecto </li></ul></ul><ul><ul><li>O Município onde vivemos. </li></ul></ul>
    2. 2. QUEM SOMOS?
    3. 3. O QUE É O “PATRIMÓNIO CULTURAL” <ul><li>O Património Cultural pode ser: </li></ul><ul><li>Natural </li></ul><ul><li> ou </li></ul><ul><li>Construído </li></ul>
    4. 4. O PATRIMÓNIO CULTURAL <ul><li>Designa, </li></ul><ul><li>sobretudo ao nível colectivo: </li></ul><ul><li>a língua, os monumentos e as obras de arte nas suas diversas formas de expressão artística </li></ul><ul><li>- pintura, escultura, música… </li></ul>
    5. 5. HISTORIA DA AMADORA
    6. 6. PATRIMÓNIO HISTÓRICO DA AMADORA
    7. 7. RECREIOS DA AMADORA <ul><li>O Recreios Desportivos da Amadora situa-se na Avenida Santos Matos (freguesia da Venteira). Este edifício foi mandado construir por José Santos Matos e António Correia, sócios e donos da fábrica Espartilhos Santos Mattos, que se situava na Amadora. </li></ul><ul><li>O edifício foi inaugurado a 17 de Agosto de 1914. Tinha um campo de ténis e um ring de patinagem acimentado. Mais tarde foi inaugurado um salão de festas e alteradas algumas das suas estruturas como o ring de patinagem . </li></ul><ul><li>Actualmente este edifício é palco de inúmeras iniciativas de carácter cultural. Pode-se assistir a espectáculos de teatro, dança, ballet e cinema. </li></ul>
    8. 8. AQUEDUTO DAS ÁGUAS LIVRES O Aqueduto das Águas livres foi mandado construir no século XVIII (em 1731) por decreto de D. João V. Esta obra veio a terminar por meados do século XIX. O Aqueduto das Águas Livres tinha como principal função abastecer a cidade de Lisboa com água. A sua extensão é de 14 km, sendo que, 8 km atravessam o conselho da Amadora. A sua extensão tem inicio nas Mães d'Água (situada na freguesia de São Brás - Amadora). O aqueduto possui uma arquitectura barroca e neoclássica. O Aqueduto Romano tem origem na Barragem Romana (Município de Sintra). Pensa-se que tinha como função abastecer Olisipo (Lisboa Romana).   A primeira referência a este aqueduto existente é uma carta dirigida a D. Sebastião. No entanto pouco se sabe (…) a não ser a influência que este teve na construção do trajecto do Aqueduto das Águas Livres.
    9. 9. QUINTA GRANDE DA DAMAIA <ul><li>A Quinta Grande da Damaia foi construída no século XVIII. </li></ul><ul><li>Do que se sabe actualmente,  esta era uma casa de campo, onde provavelmente membros da nobreza iriam repousar ou passar férias. </li></ul><ul><li>    Esta casa tem uma pintura cor-de-rosa e uns azulejos representativos das quatro estações do ano e dos sete pecados capitais. </li></ul><ul><li>  Actualmente, encontra-se em reconstrução, sendo apenas possível a visualização da fachada. </li></ul>
    10. 10. CASA APRÍGIO GOMES A Casa Aprígio Gomes foi mandada construir por José Aprígio Gomes, negociante lisboeta, em 1903. A casa situa-se no ângulo entre a rua Luís de Camões e a Rua Gonçalves Ramos (Freguesia da Venteira). Esta construção é considerada de grande importância para o município da Amadora pois foi uma das poucas construções do início do século XX que conseguiu sobreviver às vagas de urbanização dos anos 60 e 70.
    11. 11. QUINTA DO MEIO <ul><li>A Quinta do Meio situa-se em Alfragide, na proximidade da Fábrica Cabos Eléctricos Diogo D’Ávila, a estrada nacional 117 e o Bairro do Alto do Moinho. </li></ul><ul><li>Esta quinta era uma unidade pecuária composta por edifícios com anexos e jardim, provavelmente do início do século XVIII. </li></ul><ul><li>Uma das salas estava decorada com frescos, representando uma paisagem. </li></ul><ul><li>  Na década de 90 esta quinta sofreu um grande incêndio que a danificou em grande parte. </li></ul>
    12. 12. PARQUE DELFIM GUIMARÃES O Parque Delfim Guimarães foi inaugurado a 27 de Julho de 1937 pelo presidente da república General Óscar Carmona. O nome deste parque é em homenagem a um poeta (Delfim Guimarães) que muito lutou pela cidade da Amadora. Dos pontos mais interessantes do parque, destaca-se a pérgola central coberta com arvoredo, uma passagem obrigatória para quem quiser usufruir de uma tarde agradável!
    13. 13. A NECRÓPOLE DE CARENQUE A Necrópole de Carenque é um complexo funerário composto por três sepulturas designadas de este para oeste. Estas sepulturas foram descobertas em 1932 por Manuel Heleno em trabalhos arqueológicos realizados na zona de Carenque. As estruturas apresentam uma morfologia comum: um corredor que comunica com uma câmara funerária através da um portal (entre os dois); E a câmara apresenta uma planta sub-circular possuindo em cima desta uma clarabóia aberta na rocha. Foram achados diversos materiais arqueológicos como Lâminas, pontas de seta e machados.
    14. 14. PONTE FILIPINA <ul><li>A ponte Filipina foi construída no século XVII e fica situada na freguesia da Venteira (no limite entre a Amadora e Queluz). </li></ul><ul><li>Esta ponte foi construída na antiga estrada LISBOA - SINTRA (Rua D. Pedro IV). </li></ul><ul><li>  A ponte tem uma inscrição onde se pode ler o seguinte: </li></ul><ul><li>&quot; ESTA PONTE FOI MANDADA CONSTRUIR PELO SENADO DE LISBOA À CUSTA DO REAL DO POVO, 1631&quot;. </li></ul><ul><li>  Na actualidade a ponte serve como uma via rodoviária, onde passam diariamente carros entre a Amadora e Queluz. </li></ul>
    15. 15. O CHAFARIZ DA PORCALHOTA <ul><li>O Chafariz da Porcalhota foi construído em 1850. </li></ul><ul><li>O facto da população da Porcalhota e da Falagueira (antigos pontos da Amadora) sentirem necessidade de água, e situar-se nesta zona um troço do Aqueduto das Águas Livres, fez mobilizar a população local no sentido de reivindicar o direito à água transportada pelo Aqueduto das Águas Livres. Este direito não era concedido devido à grande necessidade de água também sentida pela cidade de Lisboa.   </li></ul>
    16. 16. A VILA ROMANA <ul><li>Localiza-se na Quinta da Bolacha </li></ul><ul><li>(mais precisamente na Falagueira, junto ao Lidle). </li></ul><ul><li>A vila é constituída por alguns vestígios da civilização Romana. </li></ul><ul><li>Foi descoberta em 1981 e foram realizadas novas sondagens em 1997. </li></ul><ul><li>Dos vestígios que foram encontrados desta vila destacam-se: </li></ul><ul><li>Parte de um tanque em opus signinum, a que estavam associados uma canalização de chumbo e um dreno; </li></ul><ul><li>uma parede que se prolonga para oeste no sentido das restantes estruturas encontradas. </li></ul><ul><li>Foram também achados materiais arqueológicos como: </li></ul><ul><li>Pratos, lucernas, púcaros e algumas moedas de bronze. </li></ul>
    17. 17. PROBLEMAS COM O PATRIMÓNIO
    18. 19. FIM

    ×