Tecnico em planejamento offshore

6,890 views

Published on

1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
6,890
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
29
Actions
Shares
0
Downloads
92
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tecnico em planejamento offshore

  1. 1. Boletim de Medição 1 Estruturação: perfis profissionais e planos de cursosTÉCNICO EM PLANEJAMENTO OFFSHORE 1
  2. 2. Centro Federal de Educação Tecnológica de Campos - CEFETCamposDiretor Geral: Cibele Daher Botelho MonteiroDiretoria de Trabalho e Extensão CEFETCampos: Carla Nogueira PatrãoFundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Desenvolvimento Científico eTecnológico de Campos dos Goytacazes – Fundação CEFET/CAMPOSSuperintendente: Mirian Manhães RibeiroCoordenador Geral do PROMINP no CEFET Campos: Said Sergio Martins AuattCoordenador do Curso PROJETISTA DE ESTRUTURAS METÁLICAS: SergioVasconcelos MartinsCoordenador do Curso PROJETISTA DE TUBULAÇÕES: Silas das Dores AlvarengaCoordenador do Curso PROJETISTA ELETRICISTA: Aryvaldo da Silva MachadoCoordenador do Curso PROJETISTA DE INSTRUMENTAÇÃO/AUTOMAÇÃO: NelsonAzeredo BarbosaCoordenador do Curso TÉCNICO EM PLANEJAMENTO OFFSHORE: SlavsonSilveira Motta 2
  3. 3. APRESENTAÇÃO O Centro Federal de Educação Tecnológica CEFET/CAMPOS caracteriza-se comoinstituição cujo princípio é pautado na educação humanista, visando a formação de profissionaisno âmbito da Educação Tecnológica. Através do apoio da Fundação CEFET/CAMPOS, vêm pormeio do PROMINP – Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natura l -propor a estruturação dos cursos aqui apresentados, com vistas ao equacionamento da carênciade mão-de-obra qualificada para atividades de Engenharia e Construção e Montagem, face àdemanda prevista na implantação de projetos no setor de Óleo e Gás. Apresentamos os cursosestruturados conforme o contrato que entre si celebraram a Associação Brasileira de EngenhariaIndustrial – ABEMI e a Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Desenvolvimento Científico eTecnológico de Campos dos Goytacazes – Fundação CEFET/ CAMPOS, para atendimento aodisposto no convênio celebrado entre ABEMI e Petrobras, tendo como anuente a Petrobras ecomo interveniente o Centro Federal de Educação Tecnológica de Campos – CEFET/CAMPOS. Estruturação dos Cursos – Categorias Profissionais NÍVEL CATEGORIAS PROFISSIONAIS TÉCNICO OM - PROJETISTA DE ESTRUTURAS METÁLICAS TÉCNICO OM - PROJETISTA DE TUBULAÇÕES TÉCNICO OM - PROJETISTA ELETRICISTA TÉCNICO OM - PROJETISTA DE INSTRUMENTAÇÃO/AUTOMAÇÃO TÉCNICO OM – TÉCNICO EM PLANEJAMENTO OFSHORE 3
  4. 4. FUNDAMENTOS PEDAGÓGICOS DOS PLANOS DOS CURSOS O curso é organizado em 376 horas e estruturado em seis módulos. Estes módulos estãosendo produzidos por profissionais experientes e de reconhecida competência na área onde oscursos se inserem. Além da sólida base conceitual técnica, procura-se garantir um tratamentopedagógico que facilite a aprendizagem do trabalhador-cursista. Busca-se assim, dentro doconceito de educação continuada, agregar valor à formação profissional do trabalhador,atualizando-o e ampliando seu rol de competências e habilidades. Em função das constantes mudanças que ocorrem no setor produtivo, o trabalhador sedepara com a desatualização rápida dos conhecimentos adquiridos. Por isso, faz-se necessárioinvestir na autonomia intelectual deste profissional de modo a levá-lo a aprender a aprender.Desta forma, sua aprendizagem pode extrapolar os limites dos conteúdos tratados nas 360 horasem questão. Reafirmamos assim, a necessidade de que os cursos estimulem o trabalhador para abusca da aprendizagem constante, o espirito da pesquisa, autonomia nos estudos e maior auto-estima. Dessa forma, espera-se aumentar, de fato, as oportunidades de inserção desseprofissional no mundo do trabalho. Em consonância com os fundamentos pedagógicos aqui propostos, os cursos foramplanejados de modo que os conteúdos trabalhados, materiais e recursos bem como as situaçõesdidáticas propostas tenham como foco a aprendizagem do aluno. Para tanto, cada curso delineouas competências/habilidades que se espera desenvolver ou ampliar até a conclusão dasatividades previstas. Não devem ser desconsideradas as competências transversais, quetranscendem os limites de qualquer curso e que são fundamentais para qualquer profissional, taiscomo a do trabalho em equipe e o uso adequado e eficiente de múltiplas linguagens. Da mesmaforma, o respeito e cuidado com a saúde pessoal e do ambiente, bem como a segurança notrabalho, servirão de pano de fundo aos diferentes conteúdos tratados nos cursos, de modo apermear as discussões propostas ao longo das atividades. 4
  5. 5. SISTEMA DE AVALIAÇÃO E CRITÉRIOS DE APROVAÇÃO A avaliação, no âmbito desta proposta, deve ser coerente com o principio da autonomia daaprendizagem, tendo como foco aferir se as competências e habilidades esperadas em cadacurso foram desenvolvidas em maior ou menor grau. Assim, propõe-se que seja formativa esomativa. A formativa se dará por meio da observação do desempenho do aluno pelo professor aolongo das atividades do curso, por meio de fichas de observação, sempre com foco nascompetências e habilidades esperadas, bem como nas atitudes que revelam o nível deenvolvimento do aluno na sua própria aprendizagem (assiduidade, participação nas atividades,respeito ao outro etc.). A somativa se faz necessária em função da terminalidade do curso e daatribuição de um grau com vista à certificação. A avaliação será promovida por módulo durante toda a fase de execução do curso através deatividades individuais e coletivas, realizadas presencialmente ou extraclasse, contextualizando osconteúdos a serem avaliados com aqueles já vistos anteriormente, tendo como norte ascompetências profissionais específicas do módulo em questão. Nesse aspecto, são previstas duas notas, a primeira como resultado do processo formativoe a segunda decorrente de uma prova escrita para cada módulo. A avaliação formativa não deveexceder 20% (vinte porcento) do total da nota final do aluno. O grau esperado para ser aprovado em cada módulo é a nota 8 (oito) para alunos bolsistase a nota 7 (sete) para alunos não bolsistas, que permitirá a progressão do aluno até o final docurso. Além disso, como o curso tem como objetivo qualificar trabalhadores para o exercícioprofissional, sua freqüência ao curso e participação nas atividades também serão objeto deavaliação. Para aprovação, exigir-se-á 95% e 80% de freqüência para alunos bolsistas e alunosnão bolsistas, respectivamente. 5
  6. 6. PLANEJAMENTO PARA ELABORAÇÃO DO MATERIAL DIDÁTICO Cronograma de execução do projeto de curso. CEFET CAMPOS PROMINPCRONOGRAMA DA ELABORAÇÃO DE PLANO DE CURSO E MATERIAL DIDÁTICO 2008 20/02 07/03 14/03 20/03 28/03 04/04 11/04 18/04 25/04 09/05 16/05 19/05 21/05Data do inicio dos trabalhos1 - Elaboração de plano de curso2 - Definição do conteúdo programático3 - Elaboração de material didático4 - Revisão pedagógica5 - Revisão gramatical6 - Revisão final e envio para ABEMI 7
  7. 7. 1- Título do CursoCURSO TÉCNICO DE PLANEJAMENTO OFFSHORE2- Proposta2.1 Do que trata o curso Capacitação e formação de candidatos, com formação técnica de nível médio pré-selecionados através de concurso público, em Técnico de Planejamento Off-shore.2.2 Objetivos do curso O Curso Técnico de Planejamento Off-shore tem por objetivo proporcionar ao aluno aformação necessária para atuar na cadeia produtiva do setor petrolífero especificamente nossegmentos de operação e manutenção de forma comprometida, responsável e pró-ativa nasatividades de planejamento com habilidades e competências exigidas pelo mercado,estabelecidas no Perfil Profissional. Para tanto, noções informativas sobre atividades industriais,atividades off-shore e normalização utilizadas neste segmento, são apresentadas. Inclui tambémnoções sobre a importância das práticas de preservação da saúde e segurança no ambiente detrabalho.2.3 Perfil de entrada do aluno Para ter acesso ao curso, os candidatos deverão apresentar o "Certificado de conclusãode curso de educação profissional técnica de nível médio (antigo segundo grau profissionalizante)em:- Eletrônica (em qualquer ênfase);- Exploração de Petróleo;- Gás Natural;- Mecânica (em qualquer ênfase);- Projetos Mecânicos;- Sistemas a Gás;- Produção de Petróleo;- Eletricidade (em qualquer ênfase);- Eletrotécnica (em qualquer ênfase);- Instalações Elétricas, Eletrônica ou Eletrotécnica;- Instalação e Manutenção Eletrônica;- Eletroeletrônica (em qualquer ênfase);- Indústria ou Industrial nas seguintes Habilitações: Mecânica, Instalações Elétricas Industriais, Instalações de Sistemas de Energia Elétrica, Manutenção de Equipamentos Eletrônicos, Manutenção em Equipamentos Eletrônicos, Turbomáquinas, Eletrotécnica, Eletroeletrônica, Eletrônica, 8
  8. 8. Instalações e Manutenção de Sistemas Eletrônicos, Manutenção de Equipamentos Mecânicos, Indústria do Petróleo e Gás, Tecnologias Finais do Gás, Plataformas e Sondas de Perfuração e Produção de Petróleo e Gás Natural;- Operação em Sistemas de Petróleo;- Manutenção nas seguintes ênfases: Elétrica, Eletromecânica, Sistemas Eletromecânicos, Mecânica de Máquinas e Equipamentos, Mecânica Industrial, Indústria do Petróleo e Gás Natural, Máquinas Industriais;- Processos Industriais nas seguintes ênfases: Mecânica, Metalúrgica, Eletromecânica; Química; ou Química Industrial Expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretariasou Conselhos Estaduais de Educação." Não há necessidade do aluno ter experiência profissionale não há exigência de conhecimentos específicos.2.4 Número de alunos por turma O número máximo de alunos por turma é de 20 (vinte).2.5 Competências a serem construídas (perfil de saída) O profissional desta categoria apresenta características suficientes para elaborar oplanejamento executivo e acompanhar a execução das obras na indústria petrolífera on eoffshore. Para tanto, é previsto que o profissional desenvolva ações concernentes a analisar oescopo da obra/serviço, efetuar o levantamento dos dados de campo, definir recursos materiais ehumanos para a execução da obra/serviço, elaborar prazos de execução da obra/serviço eelaborar orçamento e planilha de custos. Ao final do curso o egresso deverá construir habilidadese competências que o capacite desta forma.2.6 Número de módulos O curso compreende 05 módulos: (01) GESTÃO E GERENCIAMENTO DE PROJETO,(02) LEVANTAMENTO DE DADOS E FERRAMENTAS DE PROJETO, (03) NOÇÕES DEATIVIDADES INDUSTRIAIS, (04) NOÇÕES DE ATIVIDADES OFFSHORE, (05)PLANEJAMENTO, ACOMPANHAMENTO E CONTROLE e (6) SMS.2.7 Carga horária total O curso compreende uma carga horária total de 376 horas, integralizada por 06 módulos. 9
  9. 9. 3- Características GeraisPerfil do docente, procedimentos avaliativos e estratégias pedagógicas por módulo. UNIDADE PROCEDIMENTOS ESTRATÉGIAS MÓDULO PERFIL DO DOCENTE INFRA-ESTRUTURA DA EEE CURRICULAR AVALIATIVOS PEDAGÓGICAS -Aulas expositivas, dialogadas Sala de aula com quadro branco, Introdução à e mediadas; - Formação superior em Avaliação escrita ao retroprojetor, microcomputador, -Apostilas; Indústria do engenharia ou técnica na área final da unidade -Debates mediados; projetor multimídia, Aparelho de TV Petróleo de petróleo curricular. e Videocassete. -Exercícios escritos; - Vídeos -Aulas expositivas, dialogadas Sala de aula com quadro branco, e mediadas; - Formação superior ou técnico Avaliação escrita ao retroprojetor, microcomputador, -Apostilas; Gestão com experiência na área de final da unidade projetor multimídia, Aparelho de TV -Debates mediados; Organizacional gestão e preferencialmente curricular. -Exercícios escritos; e vídeo cassete. com experiência em docência -Vídeos; - Textos de apoio. - Formação superior ou técnica -Aulas expositivas, dialogadas na área de planejamento, Avaliação escrita ao e mediadas; Sala de aula com quadro branco, Gerenciamento construção e montagem (ou final da unidade -Apostilas; retroprojetor, microcomputador, de Projetos gerenciamento de projetos) ou curricular. -Debates mediados; projetor multimídia. engenharia preferencialmente -Exercícios escritos;1- GESTÃO E com experiência em docência. GERENCIAMENTO DE PROJETO - Aulas expositivas, Sala de aula com quadro branco, (120h) dialogadas e - Formação superior ou técnico Avaliação escrita ao retroprojetor, microcomputador, mediadas; Gestão da com experiência na área de final da unidade projetor multimídia, Aparelho de TV -Apostilas; Qualidade gestão e preferencialmente curricular. -Debates mediados; e vídeo cassete. com experiência em docência -Exercícios escritos; - Vídeos e Textos de apoio. - Aulas expositivas, - Formação superior ou técnico Avaliação escrita ao dialogadas e com experiência na área de Sala de aula com quadro branco, Inglês Técnico final da unidade mediadas; gestão e/ou planejamento retroprojetor, microcomputador, Aplicado preferencialmente com curricular. -Apostilas; projetor multimídia. -Debates mediados; experiência em docência -Exercícios de fixação. -Aulas expositivas, dialogadas - Formação superior ou técnica Avaliação escrita ao e mediadas; Sala de aula com quadro branco, em documentação técnica e Documentação final da unidade -Apostilas; retroprojetor, microcomputador, sistemas da qualidade Técnica prefencialmente com curricular. -Debates mediados; projetor multimídia. -Exercícios escritos; experiência em docência. 10
  10. 10. UNIDADE PROCEDIMENTOS ESTRATÉGIAS MÓDULO PERFIL DO DOCENTE INFRA-ESTRUTURA DA EEE CURRICULAR AVALIATIVOS PEDAGÓGICAS Sala de aula com quadro branco, - Engenheiro ou técnico com - Aulas expositivas, dialogadas Análise do Avaliação escrita ao retroprojetor, microcomputador experiência na área de e mediadas; Escopo final da unidade (com MS-project e pacote Office planejamento (com domínio do - Apostila; curricular. instalado) e projetor multimídia. MS Project). - Textos de apoio2- PLANEJAMENTO - Profissional com nível médio DO PLANO DE - Aulas expositivas, dialogadas Sala de aula com quadro branco, ou superior, experiência na Avaliação escrita ao TRABALHO Plano de e mediadas; retroprojetor, microcomputador área de planejamento de final da unidade (60h) Execução - Apostila; (com MS-project e pacote Office construção e montagem (com curricular. - Textos de apoio instalado) e projetor multimídia. domínio do MS Project). - Aulas expositivas, dialogadas - Profissional com nível médio Sala de aula com quadro branco, Avaliação escrita ao e mediadas; ou superior, experiência na retroprojetor, microcomputador Aquisições final da unidade - Apostila; área de suprimentos (materiais (com MS-project e pacote Office curricular. - Textos de apoio ou serviços). instalado) e projetor multimídia. Sala de aula com quadro branco, - Aulas expositivas, dialogadas retroprojetor, microcomputador e - Formação superior ou técnica e mediadas; Atividades de Avaliação escrita ao projetor multimídia. Se possível na área mecânica ou afim com - Apostila e Normas Técnicas; Mecânica e final da unidade acesso, em laboratórios que experiência em docência na - Textos de apoio Estrutura curricular. desenvolvam atividades de disciplina. - Estudos de Caso3- NOÇÕES DE Soldagem e ajustagem. - Exercícios escritos ATIVIDADES INDUSTRIAIS Sala de aula com quadro branco, (60h) - Aulas expositivas, dialogadas retroprojetor, microcomputador - Formação superior ou técnica Atividades de e mediadas; projetor multimídia. Se possível na área elétrica, de automação, Avaliação escrita ao Elétricas, - Apostila e Normas Técnicas; acesso, em laboratórios que instrumentação ou afim com final da unidade Automação e - Textos de apoio desenvolvam atividades de experiência em docência na curricular. Instrumentação - Estudos de Caso instalações elétricas, máquinas disciplina. - Exercícios escritos elétricas, automação e instrumentação. - Aulas expositivas, dialogadas4- NOÇÕES DE - Formação superior ou técnica Avaliação escrita ao e mediadas; ATIVIDADES Atividades Off- na área naval, mecânica ou Sala de aula com quadro branco, final da unidade - Apostila e Normas Técnicas; OFFSHORE shore afim com experiência em retroprojetor, microcomputador. curricular. - Textos de apoio (40h) docência na disciplina. - Exercícios escritos 11
  11. 11. UNIDADE PROCEDIMENTOS ESTRATÉGIAS MÓDULO PERFIL DO DOCENTE INFRA-ESTRUTURA DA EEE CURRICULAR AVALIATIVOS PEDAGÓGICAS - Sala de aula com quadro branco, Avaliação escrita e Aulas expositivas, dialogadas e retroprojetor, microcomputador Profissional com nível médio ou montagem de um mediadas; (com MS-project e pacote Office Ferramentas de superior, experiência na área pequeno gráfico de - Debates mediados; instalado) e projetor multimídia. Planejamento de planejamento. (com domínio Gantt utilizando o - Apostila; - Laboratório de informática para os pleno do MS Project ). aplicativo MS Project - Acompanhamento e aluno com pelo menos 10 no final do módulo. exercícios no microcomputador. microcomputadores com MS- project e pacote Office instalado. Avaliação escrita e Aulas expositivas, dialogadas e Profissional com nível médio ou montagem de um mediadas; Sala de aula com quadro branco, superior, experiência na área pequeno gráfico de - Debates mediados; retroprojetor, microcomputador5-EXECUÇÃO, Acompanhamento de planejamento. (com domínio Gantt utilizando o - Apostila; (com MS-project e pacote OfficeACOMPANHAMENTO e Controle pleno do MS Project ). aplicativo MS Project - Acompanhamento e instalado) e projetor multimídia.E CONTROLE DO no final do módulo. exercícios no microcomputador.PLANO DETRABALHO Avaliação escrita e - Aulas expositivas, dialogadas (80h) Profissional com nível médio ou Planejamento montagem de um e mediadas; Sala de aula com quadro branco, superior, experiência na área Executivo pequeno gráfico de - Debates mediados; retroprojetor, microcomputador de planejamento de construção Gantt utilizando o - Apostila; (com MS-project e pacote Office e montagem. (com domínio aplicativo MS Project - Acompanhamento e instalado) e projetor multimídia. pleno do MS Project ). no final do módulo. exercícios no microcomputador. Avaliação escrita e Aulas expositivas, dialogadas e Profissional com nível médio ou montagem de um mediadas; Sala de aula com quadro branco, Encerramento de superior, experiência na área de pequeno gráfico de - Debates mediados; retroprojetor, microcomputador Projeto planejamento. (com domínio Gantt utilizando o - Apostila; (com MS-project e pacote Office pleno do MS Project ). aplicativo MS Project - Acompanhamento e instalado) e projetor multimídia. no final do módulo. exercícios no microcomputador. O local onde o curso será ministrado deve ser bem arejado, avaliação do limpo e iluminado. Deve possuir aprendizado será sensibilização às questões de cestas de coleta seletiva de lixo em aplicado ao final do SMS, filmes, aula expositiva, pontos estratégicos. Docente capacitado pela curso e terá duração6- SMS (16h) SMS Petrobras de 1h, conforme exercícios e estudos de As instalações devem oferecer: situações do dia-a-dia , normas quadro de giz ou quadro negro, flip- previsto no Manual de SMS chart, giz e/ou caneta para o Didático. quadro e para o flip-chart, vídeo (DVD ou VHS), computador e data show. 12
  12. 12. 4 - Proposta Curricular e competências profissionaisCompetências profissionais por módulo (total de 360 h). Unidade CH Módulo Competências Profissionais Curricular Teórica Prática Ter conhecimento da cadeia produtiva do petróleo. Introdução à Ter conhecimento da realidade geopolítica do petróleo. Industria do 8 - Conhecer o perfil de atuação do técnico de planejamento na indústria do petróleo Petróleo - Identificar a posição do profissional na estrutura de trabalho (posição hierárquica, relação de envolvidos, identificação dos clientes, responsabilidades e atribuições). - Compreender a estrutura organizacional de uma empresa e suas interfaces departamentais em relação ao Gestão planejamento de uma obra ou serviço. 8 - Organizacional - Compreender a inter-relação entre empresas (estratégias e negociação) que desempenharão funções em um mesmo projeto. - Ter habilidades interpessoais requeridas (Ouvir ativamente, identificação de necessidades explicitas e implícitas, empatia, versatilidade, criatividade, Negociação, identificação de perfis, cenário de atuação). - Identificar as habilidades técnicas requeridas para o profissional e sua atuação como Técnico de Planejamento. - Ter conhecimento dos conceitos referentes a sistemas de gerenciamento de projetos, a definições de projetos e o desenvolvimento técnico aplicado a projeto.1- GESTÃO E Gerenciamento 44 - - Identificar o ciclo de vida e a estrutura analítica de um projeto. GERENCIAMENTO de Projetos - Ter visão sistêmica do projeto da obra. DE PROJETO - Identificar as informações necessárias para a elaboração de um projeto. (120h) - Compreender os conceitos da qualidade e sua importância no mundo globalizado. - Compreender a importância de um Sistema de Garanta da Qualidade incluindo Normas de certificação, Normas ISO, e o processo de certificação. - Aplicar os conceitos da qualidade na elaboração de um planejamento. - Compreender e aplicar o conceito de cliente interno no levantamento de dados, elaboração e execução de um Gestão da 20 - planejamento. Qualidade - Elaborar relatório de não conformidade quando necessário. - Interpretar documentos de inspeções técnicas. - Compreender a importância do controle da documentação técnica em relação a rastreabilidade e para o sucesso de um planejamento. - Conhecer siglas e vocabulários utilizados em planejamento para o setor do petróleo. Inglês Técnico 8 - - Compreender termos técnicos em inglês utilizados na indústria do petróleo, indústria naval e na produção off-shore. Aplicado 13
  13. 13. Unidade CH Módulo Competências Profissionais Curricular Teórica Prática - Conhecer Sociedades classificadoras, certificadoras e organismos reguladores como API, DIN, SAE, ANSI, ASME,Continuação ..... JIS, DNV, ABS, Lloyd’s Register, e o impacto das normas externas na elaboração de um projeto e na realização de um planejamento. - Identificar as normas corporativas, procedimentos gerenciais, e especificações técnicas internas que são utilizadas1- GESTÃO E Documentação 32 - num projeto.GERENCIAMENTO DE Técnica - Elaborar, manipular e manter adequadamente documentos técnicos e legais considerando identificação,PROJETO arquivamento, pesquisa, revisão, etc. (120h) - Identificar e manipular documentos técnicos, normas técnicas e documentos da Qualidade das áreas industrial e offshore utilizados num de projeto. - Analisar o projeto ou solicitação do serviço - Realizar levantamento de campo, envolvendo: Aspectos físicos do local de execução; identificação todas as necessidades e situações de contorno; Verificação documentos de referência / fluxograma; Realizar levantamento Análise do 22 - fotográfico. Escopo - Realizar delineamentos de um projeto - Definir o escopo do planejamento (formalização junto ao cliente, definição das premissas e restrições, definição dos requisitos básicos de aceitação). - Selecionar a documentação contratual e técnica pertinente ao trabalho. - Elaborar planejamento incluindo Estrutura Analítica de Projeto – EAP e cronogramas.2- PLANEJAMENTO - Definir a agenda de trabalho (estimativa de recursos e prazos para efetuar o levantamento de campo e compor o DO PLANO DE Plano de planejamento executivo). TRABALHO Execução 30 - - Discriminar os recursos necessários para a execução da obra/serviço incluindo logística (transporte, carga e (60h) descarga) e Armazenamento temporário. - Realizar orçamentos básicos, incluindo modelos de orçamentação, dados de referência para orçamentação, determinação da Estrutura Analítica de Projeto - EAP de referência, determinação de premissas e restrições para o orçamento básico. - Identificar e tratar das necessidades de aquisição de Materiais a serem utilizados num projeto incluindo: A definição de responsabilidade de fornecimento conforme contrato; a seqüência lógica de busca de materiais, a identificação de Aquisições materiais de aplicação e materiais de consumo, a priorização de atendimento, cadastramento, o planejamento do 8 - suprimento, a definição de data requerida e o controle do atendimento. - Identificar e tratar das necessidades de aquisição de Serviços a serem utilizados num projeto incluindo: A serviços de terceiros, serviços não cobertos pelo Contrato, regras de sub-contratação, contratação de pequenos serviços. - Definir plano de movimentação de cargas envolvidas. - Descrever planos de montagem das peças. - Participar da elaboração do plano de inspeção e ensaios não destrutivos previstos pelo projeto, junto à equipe de3- NOÇÕES DE Operação. ATIVIDADES Atividades de - Reconhecer os tipos de materiais, perfis e chapas para aplicação estrutural. INDUSTRIAIS Mecânica e 40 - - Reconhecer os tipos de materiais, montagens e acessórios para tubulação industrial. (60h) Estrutura - Identificar as recomendações básicas de segurança, previstas em normas técnicas e especificações técnicas, na área de tubulações, estrutura, soldagem, revestimento e pintura industrial. - Reconhecer através de terminologias e simbologia peças e equipamentos relacionados a tubulações, estrutura, soldagem, revestimento e pintura industrial. 14
  14. 14. Unidade CH Módulo Competências Profissionais Curricular Teórica Prática - Identificar o tempo necessário para intervenções elétricas associadas a equipamentos de processo e a painéisContinuação...... elétricos. - Identificar as interfaces com outras disciplinas técnicas. Atividades de3- NOÇÕES DE Elétricas, - Identificar as recomendações básicas de segurança, previstas em normas técnicas e especificações técnicas, dasATIVIDADES 20 - áreas de elétrica, automação e instrumentação. Automação eINDUSTRIAIS - Ter noções sobre os principais instrumentos para cada variável de processo. Instrumentação (60h) - Identificar o tempo necessário para intervenções em sistemas de automação e instrumentação. - Reconhecer, através de terminologias e simbologia, peças e equipamentos relacionados à eletrotécnica, instrumentação e automação. - Elaborar mapeamento das facilidades e acessos das obras realizadas na Unidade (plataforma) (croqui) - Identificar as recomendações básicas de segurança, previstas em normas técnicas e especificações técnicas, para4- NOÇÕES DE a construção naval, embarcações, facilidades, acesso, movimentação de carga, produção e processo. ATIVIDADES Atividades Off- - Conhecer as principais variáveis do processo de produção de petróleo. 40 - OFFSHORE shore - Conhecer o processo de separação primária, processos auxiliares e de medição. (40h) - Reconhecer, através de terminologias e simbologia, materiais e equipamentos relacionados a construção naval, embarcações, facilidades, acesso, movimentação de carga, produção e processo. - Conhecer as principais entidades classificadoras referentes à construção naval e de embarcações. - Ter conhecimento de ferramentas gerenciais utilizadas em planejamento (Softwares mais usados, Primavera, Ms Project, SAP, benefícios e limitações de cada um). Ferramentas de 38 - Manipular o MS-Project (inserir dados, gerar cronogramas, restrições, alocação de recursos de mão de obra e Planejamento equipamentos / materiais relatórios, etc.). - Consolidar e integrar cronogramas. - Acompanhar a execução da obra Acompanham. - Elaborar, implementar e manter um sistema de informações gerenciais. 14 - e Controle - Utilizar métodos gerenciais de controle e acompanhamento (Curva S, Pareto, Ciclo PDCA, Ishikawa)5- EXECUÇÃO, - Extrair índices de evolução física. ACOMPANHAM. E - Elaborar o Book de planejamento consolidado. CONTROLE DO - Elaborar o Procedimento de Instalação de um Planejamento através da compilação de todas as informações do PLANO DE levantamento de dados e delineamento, do conjunto de todas as atividades envolvidas e seqüência lógica de TRABALHO execução, dos recursos e prazos, das informações de segurança, e de movimentação de cargas e acesso, da lista 20 - (80h) Planejamento de materiais e orçamento detalhado. Executivo - Elaborar um Plano de contingência prevendo e planejando as ações a serem tomadas quando da ocorrência de algum acidente ou incidente, objetivando, desta forma, minimizar ou suprimir os impactos. - Realizar medições e avaliações durante a execução da obra. - Gerenciar o Encerramento Físico que envolve a conferência de conclusão da obra, o termo de entrega e aceitação, a avaliação e os relatórios de desempenho. - Elaborar documentos de encerramento de contrato. 8 - Encerramento - Gerenciar o Encerramento Administrativo, Contábil e Técnico que envolve a conferência da documentação, o de Projeto arquivamento e as quitações fiscais. - Avaliar, através de relatórios de desempenho, os aspectos técnicos, de gestão e de gerenciamento da obra/serviço. SMS Educar, capacitar e comprometer a força de trabalho contratada com as questões de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS),6- SMS (16h) 16 fazendo, desta forma, com que todos se sintam responsáveis e envolvidos com estes quesitos. 15
  15. 15. 5- Ementas e referências bibliográficasMódulo 1: GESTÃO E GERENCIAMENTO DE PROJETO (ch: 120 h).Unidade Curricular: A Indústria do Petróleo A Indústria do Petróleo no Mundo; Noções básicas sobre a cadeia produtiva do petróleo; O mercado e a realidade geopolítica do petróleo no mundo; A Ementa Indústria do Petróleo no Brasil; Noções sobre exploração e produção; A atuação do técnico de planejamento no segmento do petróleo no Brasil. - THOMAS, Jose Eduardo. Fundamentos de engenharia de petróleo. São Paulo: Editora Interciência. - MINADEO, Roberto. Petróleo: A Maior Indústria do Mundo. Rio de Janeiro: Editora Thex,, 2002. Bibliografia - YERGIN, Daniel. Petróleo. São Paulo: Editora Scritta. 1995. - Normas Nacionais e Internacionais aplicáveis; - Normas Técnicas PETROBRÁS;Unidade Curricular: Gestão Organizacional A organização e o Ambiente. Fundamentos da Administração (Administração Científica. Teoria Clássica, Teoria das Relações Humanas e Teoria Neoclássica). O Desenho Organizacional (a posição do profissional na estrutura de trabalho, posição hierárquica, relação de envolvidos, identificação dos Ementa clientes, responsabilidades e atribuições). O Desenho Departamental (Tipos de departamentalização, estruturas organizacionais industriais). O Planejamento Organizacional (Tipo de Planejamento, estratégias e Negociações entre empresas no segmento do petróleo). Direção (Estilos de direção, liderança; relação interpessoal; habilidades versus competências, criatividade, negociação). Tendências da Administração no setor de Petróleo. Controle (Tipos). - CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria Geral da Administração. Edicção Compacta. São Paulo: Campus. 2004. - CHIAVENATO, I. Administração – Teoria, Processo e Prática. São Paulo: Campus, 2006. - CHIAVENATO, I. Gestão de Pessoas. São Paulo: Campus, 2006. Bibliografia - RUEDA, V. Administração: Evolução, Desafios e Tendências. São Paulo: Cobra Editora. 2005 - RAMASWANY, V. PRAHALAD, C.K. O Futuro da Competição – Como desenvolver diferenciais inovadores em parceria com clientes. São Paulo: Campus. 2006.Unidade Curricular: Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos aplicado a industria do petróleo; Histórico e Definições de Gerenciamento de Projetos: a definição de projeto, o desenvolvimento Ementa da técnica; Metodologia do PMI: As áreas de conhecimento, o ciclo de vida do projeto, a estrutura analítica de projetos, sistemas de gerenciamento de projetos; Relatórios gerenciais; Método PERT / CPM e Cálculo de folgas; Tipos de relacionamentos e restrições. - CAPRA, Fritjof –O Ponto de Mutação, Editora Cultrix, isbn 8531603099. - DINSMORE, Paul, Como se tornar um profissional em gerenciamento de Projetos, Editora Qualitymark, 2ª ed. - PRADO, Darci –PERT/CPM, editora EDG, 3ª ed. 2005. Bibliografia - CUKIERMAN, Zigmundo Salomão, PLANEJAMENTO PARA O FUTURO: O modelo PERT/CPM aplicado a projetos, Editora Qualitymark, 6ª ed. 1998. - STONNER, Rodolfo, Ferramentas de Planejamento, Editora E-Papers, 1ª ed., 2003. - FERREIRA, Hugo Barbosa, Redes de Planejamento, Editora Ciência Moderna, 1ª ed., 2004. 16
  16. 16. Unidade Curricular: Gestão da Qualidade Conceitos básicos da Qualidade; Controle da Qualidade: Sensibilização para a Qualidade, 5S, Documentação, Rastreabilidade; O Ciclo PDCA. Métodos de Solução de Problema: Definição de Problema, Não Conformidade, Inspeções, Diagrama de Causa e Efeito, Diagrama de Pareto. Controle de Processo: Ementa Conceito de Processo, itens de verificação e controle. Padronização de Processo: Conceito de Padronização, Princípios fundamentais da Padronização, Fluxograma de processo. Sistema de Gestão da Qualidade - As Normas Série ISO 9000 - ISO - International Organization for Standardization. ABNT e CB- 25. As Normas ISO 9000, ISO 9001 e ISO 9004. Importância da ISO no Setor Petróleo. Requisitos da ISO 9001. Avaliação de Conformidade e Certificação. - CAMPOS, Vicente Falconi. Controle da Qualidade Total. Fundação Christiano Ottoni,1999. - CAMPOS, Vicente Falconi. Qualidade Total – Padronização de Empresas. Fundação Christiano Ottoni, 1997. - Hitoshi Kume. Métodos Estatísticos para Melhoria da Qualidade. Ed. Gente, 1993. - NBR ISO 9001 – Sistema de Gestão da Qualidade – Requisitos. Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, DEZ/2000. Bibliografia - LUCAS, Débora C., Práticas Gerenciais de Qualidade das empresas Líderes no Brasil, Editora Qualitymark, 2a ed. - BARROS, Claudio D´Artagnan C. Sensibilizando para a qualidade. Ed. Qualitymark, 1992. - PORTER, Michael E. Competição – Estratégias Competitivas Essenciais. Ed. Campus, 1999. - CAMP, Robert C. Benchmarking. Ed. Pioneira, 1993. - CHIAVENATO, I. Administração – Teoria, Processo e Prática. São Paulo: Campus, 2006.Unidade Curricular: Inglês Técnico Aplicado Origem dos termos técnicos em inglês oriundos da indústria do petróleo nos EUA; Glossário técnico: siglas e vocabulários da indústria do petróleo, produção Ementa off-shore e indústria naval. Dicionário Técnico de Inglês Bibliografia Dicionário Inglês - InglêsUnidade Curricular: Documentação Técnica Hierarquia e organização dos sistemas normalizadores; Normas Externas: Normas internacionais (API, DIN, SAE, ANSI, ASME, JIS, DNV, ABS, Lloyd’s Register), normas nacionais, regras das sociedades classificadoras, certificadoras, organismos reguladores, etc. Normas Corporativas: Procedimentos Ementa gerenciais e executivos, normas internas, Especificações Técnicas. Documentos técnicos de projeto: Identificação, arquivamento, pesquisa, revisão, etc); Documentação técnica, normas, e documentos da qualidade específicos para as atividades de industriais e off-shore. - NBR ISO 9001 – Sistema de Gestão da Qualidade – Requisitos. Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, DEZ/2000. - Norma Petrobras N-1710 “Codificação de Documentos Técnicos de Engenharia”. Bibliografia - Normas Nacionais e Internacionais aplicáveis; - Normas Técnicas Petrobrás.Módulo 2: PLANEJAMENTO DO PLANO DE TRABALHO (ch: 60 h).Unidade Curricular: Análise do Escopo Análise do projeto ou solicitação do serviço: Atividades envolvidas no trabalho, Sistemas afetados pela realização do trabalho, interfaces com outros Ementa trabalhos. Levantamento de campo: Aspectos físicos do local de execução, Identificação de necessidades e situações de contorno, Documentos de referência. Delineamento: Identificação das etapas do projeto, Análise de insumos dos projetos: Geração de base de dados, croquis. Bibliografia VARGAS, Ricardo Viana - Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo Diferenciais Competitivos; editora Brasport, 4a ed. 17
  17. 17. Unidade Curricular: Plano de Execução Documentação contratual, técnica e procedimentos. Seleção de documentação de trabalho: Documentos, fotográficas, desenhos, maquete eletrônica. Agenda de Trabalho: Estimativa de recursos e prazos. Previsão de recursos humanos e materiais; Identificação da existência de facilidades (água, energia Ementa elétrica, ar comprimido, etc.); Identificação de riscos de segurança. Logística: Transporte, Carga, Descarga, Acessos e Movimentação de carga. Armazenamento temporário. Orçamentos: Orçamento básico: Modelos. Dados de referência. Estrutura Analítica de Projeto; Orçamento detalhado; Execução de Medição. - VARGAS, Ricardo Viana - Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo Diferenciais Competitivos; editora Brasport, 4a ed - TELLES,Silva – Tubulações Industriais, Materiais, Projeto, Montagem – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997. Bibliografia - TELLES,Silva – Vasos de Pressão – editora Livros Técnicos e Científicos, 2ª Ed, 1996. - TELLES,Silva – Tabelas e Gráficos – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997.Unidade Curricular: Aquisições Licitação, Compra e Fornecimento. Aquisição de Materiais: Responsabilidade de Fornecimento, materiais de aplicação e materiais de consumo, Ementa cadastramento, planejamento do suprimento. Aquisição de Serviços: Serviços de terceiros, Serviços não cobertos pelo Contrato, Regras de sub-contratação. Documentação e controle de aquisições. Bibliografia STONNER, Rodolfo, Ferramentas de Planejamento, Editora E-Papers, 1ª ed. 2003.Módulo 3: NOÇÕES DE ATIVIDADES INDUSTRIAIS (ch: 60 h).Unidade Curricular: Atividades de Mecânica e de Estrutura Tubulações: Normas referenciadas, Classificação, Simbologia, Tubulações roscadas e soldadas, Dimensões padronizadas. Tipos de materiais, montagens e acessórios para tubulação industrial. Principais características. Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços com tubulação. Ensaios e testes de aceitação. Estrutura: Normas referenciadas, Classificação, Simbologia, estruturas primárias, secundárias, auxiliares, estruturas navais, suportes e apoios de estruturas. Tipos de materiais, perfis e chapas para aplicação estrutural. Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços de estruturas. Interfaces com outras disciplinas técnicas Ensaios e testes de aceitação. Soldagem: Normas referenciadas, simbologia e terminologia de soldagem, Materiais de base, metais de adição e processos de soldagem (TIG, MIG, MAG, Arco-submerso, ER, etc.). Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços de soldagem. Interfaces com outras disciplinas técnicas. Ensaios Ementa e testes de aceitação. Equipamentos: Normas construtivas e certificadoras (NR-13), Equipamentos típicos de produção e processo; Equipamentos Estáticos: Vasos, Permutadores, Tanques e Silos. Equipamentos Dinâmicos: Centrífugas, Bombas, Compressores, Turbo-máquinas, etc. Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços de envolvendo equipamentos. Interfaces com outras disciplinas técnicas. Ensaios e testes de aceitação. Revestimento e Pintura: Normas referenciadas e classificação de utilização. Tipos de materiais e sistemas de isolamento térmico, pintura e proteção passiva. Pintura industrial: tipos de tintas, preparação de superfície, esquemas de pintura, processos de cura. Revestimentos Técnicos: tipos de revestimentos, desempenho, métodos de aplicação; Isolamento Térmico. Proteção Passiva: tipos de materiais, tipos de aplicação, isolamentos para quente e frio, aplicação de proteção passiva. Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços de envolvendo revestimento e pintura. Interfaces com outras disciplinas técnicas. TELLES,Silva – Tubulações Industriais, Materiais, Projeto, Montagem – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997. Norma Técnica Petrobrás - N-1692 – “Apresentação de Projetos de Detalhamento de Tubulação”. Norma Técnica Petrobrás - N-1693 – “Critério para Padronização de Material de Tubulação”. Bibliografia TELLES,Silva – Tabelas e Gráficos – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997. BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego. NR – 13 – “Caldeiras e Vasos de Pressão”. NUNES, Lacerda Paula e Lobo, Alfredo Carlos O. Pintura Industrial na Proteção Anticorrosiva. Ed. Interciência, 2ª edição. RJ:1998. 18
  18. 18. Unidade Curricular: Atividades de Elétrica, Automação e Instrumentação Elétrica: Normas referenciadas e Noções sobre áreas classificadas; Simbologia típica de elétrica, Noções sobre especificação de cabos e disjuntores para alimentação de máquinas - NBR 5410; Classificação de áreas e equipamentos - Normas NEC e IEC. Intervenções em painéis. Recomendações básicas de segurança – NR10, Identificação de serviços de envolvendo eletrotécnica. Interfaces com outras disciplinas técnicas. Ementa Automação e Instrumentação: Arquitetura de sistemas de controle e normas referenciadas (PLC, ESC, ECOs, simbologia conforme norma ISA, uso de diagramas unifilares e de controle, matrizes lógicas de automação e sistemas supervisórios). Noções sobre os principais instrumentos para cada variável de processo. Recomendações básicas de segurança, Identificação de serviços de envolvendo automação e instrumentação. Interfaces com outras disciplinas técnicas. FILHO, João Mamede, Instalações Elétricas Industriais, editora Livros Técnicos e Científicos, 6ª ed , 2001. BRASIL, Ministério do Trabalho e Emprego. Norma Regulamentadora Nº 10 – “Segurança Em Instalações e Serviços em Eletricidade”. 2004. Bibliografia ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR 5410 – Instalações Elétricas de Baixa Tensão – ABNT, SET/2004. SAITO, Kaku – Sistemas Inteligentes em Controle e Automação de Processos, Editora Ciência Moderna, 2004.Módulo 4: NOÇÕES DE ATIVIDADES OFF-SHORE (ch: 40 h).Unidade Curricular: Atividades Off-shore - Análise de risco em movimentação de cargas (Testes de cargas, plano de distribuição de cargas, orientações de segurança). - Equipamentos de movimentação e limitações (Guindastes, monovias, plataformas eleváveis, talhas manuais e automáticas, tirfor, empilhadeira, eslingas. Ângulos de carga, cargas dinâmicas, movimentações relativas, limitações para transporte aéreo e movimentação terrestre). - Projetos especiais de movimentação e acesso (Opções de engenharia de acesso, alpinismo industrial, tirolesas, operações de pull-in e pull-out, planejamento de rigging, andaimes especiais de alumínio, projetos de andaimes especiais). - Principais sub-sistemas e equipamentos - Sistemas de apoio à habitabilidade (Lastro e flutuabilidade, Posicionamento e ancoragem, Salvatagem) - Sistemas de apoio à produção. - Principais variáveis de processo. Ementa - Separação primaria, processos auxiliares e medição (tratamento de óleo e descarte de água produzida, drenagem e exportação de óleo, compressão e exportação de gas, tocha e vent, medição). - Noções de perfuração e refino. Principais sub-sistemas e equipamentos utilizados no segmento de facilidades offshore. Sistemas de apoio à habitabilidade ( ventilação, ar condicionado, sistema de esgotamento sanitário e tratamento de efluentes). - Sistemas de apoio à produção (geração de vapor, geração e distribuição de energia, captação, resfriamento e dessalinização de água, sistema de combate a incêndio ). - Nomenclatura especifica de construção naval. - Projeto naval e materiais específicos. - Relacionamentos com as entidades classificadoras e marinha. - Padrão Petrobrás - PE-27-00189 - PROCEDIMENTO PARA PADRONIZAÇÃO E USO DE ESLINGAS DE CABOS DE AÇO NA UN-BC. - Norma Técnica Petrobrás – N-2639. - Norma Técnica Petrobrás – N-2168. Bibliografia - Padrões Petrobrás:PE-27-01524, PE-27-01526. - TRIGGIA-Attilio Alberto , Carlos Correia, José Augusto Daniel Xavi, Et Al.– Fundamentos de Engenharia de Petróleo, editora Interciência, ISBN: 85-7193- 046-5. - ABNT/CB-07 - Comitê Brasileiro de Navios, Embarcações e Tecnologia Marítima. 19
  19. 19. Módulo 5: EXECUÇÃO, ACOMPANHAMENTO E CONTROLE DO PLANO DE TRABALHO (ch: 80 h).Unidade Curricular: Ferramentas de Planejamento Softwares de Planejamento: Benefícios e Limitações (Primavera, WS Chart Pro, SAP, Ms-Project, Rede Pert, Mid Point). O Software MS-Project. Ementa Cronogramas: Calendários, prioridades, relações de dependência, restrições, alocação de recursos de mão de obra e equipamentos/materiais, informação de duração, colunas acessórias, filtros, histograma. Consolidação e Integração de Cronogramas. Gráficos de acompanhamento. - VARGAS, Ricardo Viana - Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo Diferenciais Competitivos; editora Brasport, 4a ed. Bibliografia - VARGAS, Ricardo Viana – Microsoft Project 2000, editora Brasport, 1a ed. - PRADO, Darci –Usando o Ms Project 2003 em Gerenciamento de Projetos, editora EDG, 1ª ed 2004.Unidade Curricular: Acompanhamento e Controle Sistema de informações gerenciais (definição dos itens de verificação, matriz de informações). Periodicidade de atualização e emissão de relatórios Ementa (Cronograma atualizado, curva de avanço físico, etc). Métodos de controle e acompanhamento: Curva S, Pareto, Ciclo PDCA, Ishikawa. Índices de evolução física. - VARGAS, Ricardo Viana - Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo Diferenciais Competitivos; editora Brasport, 4a ed. Bibliografia - VARGAS, Ricardo Viana – Microsoft Project 2000, editora Brasport, 1a ed. - PRADO, Darci –Usando o Ms Project 2003 em Gerenciamento de Projetos, editora EDG, 1a ed 2004.Unidade Curricular: Planejamento Executivo Book de Planejamento consolidado: Compilação das informações do levantamento de dados e delineamento, Atividades envolvidas e Seqüência lógica de execução, Recursos e Prazos, Informações de segurança, lista de materiais e orçamento detalhado. Plano de contingência. Orçamentos básicos: modelos de Ementa orçamentação, dados de referência para orçamentação. Estrutura Analítica de Projeto: Fases de execução da obra, Estrutura da Planilha de Preços, Planejamento da medição. Orçamento detalhado; Execução da medição. - TELLES,Silva – Tubulações Industriais, Materiais, Projeto, Montagem – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997. Bibliografia - TELLES,Silva – Vasos de Pressão – editora Livros Técnicos e Científicos, 2ª Ed, 1996. - TELLES,Silva – Tabelas e Gráficos – editora Livros Técnicos e Científicos, 9ª Ed, 1997.Unidade Curricular: Encerramento de Projeto - Encerramento Físico: Conferência de conclusão da obra, Termo de entrega e aceitação, Avaliação, Relatórios de desempenho. Encerramento Ementa Administrativo e Contábil: Conferência de documentação, Arquivamento, Quitações fiscais. Avaliações: Análise dos relatórios de desempenho, Aspectos técnicos, Aspectos de gestão, Aspectos de gerenciamento, Divulgação, Geração de histórico, Celebração do fim do projeto. - VARGAS, Ricardo Viana - Gerenciamento de Projetos: Estabelecendo Diferenciais Competitivos; editora Brasport, 4ª ed. Bibliografia - VARGAS, Ricardo Viana – Microsoft Project 2000, editora Brasport, 1ª ed. - PRADO, Darci –Usando o Ms Project 2003 em Gerenciamento de Projetos, editora EDG, 1ª ed 2004.Módulo 6: SMS (ch: 16 h). Ementa Comportamento e postura do trabalhador; responsabilidade e legislação; valorização da vida; aspectos básicos de SMS. Manual técnico Petrobrás Bibliografia Manual Didático e do aluno Petrobrás 20

×