Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Décima segunda aula

382 views

Published on

correções da CCB para o transporte de um fluido viscoso

Published in: Technology
  • Be the first to comment

Décima segunda aula

  1. 1. Décima segunda aula de ME 5330 – Mecânica dos Fluidos para Engenharia Química 21/05/2009 – primeira parte da reposição do dia 19/05/2009
  2. 2. Correções das curvas características da bomba ao se transportar um fluido viscoso E quando vou considerar um fluido como fluido viscoso?
  3. 3. Considera-se um fluido como fluido viscoso, quando a sua viscosidade for maior do que uma viscosidade de referência. Exemplo: para a KSB, fabricante de bombas, a viscosidade de referência é 20 mm²/s.
  4. 4. As curvas características da bomba (HB=f(Q) e hB=f(Q)) geralmente são obtidas para água com massa específica igual a 1000 kg/m³ e não sofrem alterações desde que a viscosidade cinemática seja inferior ao do valor limite estabelecido.
  5. 5. Até o valor da viscosidade estabelecido não há necessidade de se corrigir as curvas características da carga manométrica e do rendimento em função da vazão mesmo estando com uma massa especifica diferente de 1000 kg/m³, só se corrige a potência nominal da bomba, já que no seu cálculo se considera o peso específico do fluido e este sofreu alteração.
  6. 6. Já para um fluido viscoso, deve-se corrigir as suas curvas características. É importante notar que sempre haverá duas possibilidade para se efetuar as correções mencionadas: 1a - a instalação de bombeamento já existe e deixará de transportar água para transportar um fluido viscoso. 2a - a instalação está sendo projetada
  7. 7. Procedimentos para correção das curvas em uma instalação já em operação Ler na curva de HB = f (Q) a vazão, a carga manométrica e o rendimento correspondente ao ponto de máxima eficiência (máximo rendimento).
  8. 8. Exemplo: seja a bomba escolhida com as características a seguir: y = -0,0091x2 - 0,4027x + 79 CCB y = -0,08x2 + 4,8x - 7E-15 R² = 0,9993 R² = 1 90 80 70 HB(m) e rend(%) 60 50 40 30 20 10 0 0 10 20 30 40 50 60 Q(m³/h) CCB rendimento Polinômio (CCB) Polinômio (rendimento)
  9. 9. As curvas anteriores dão origem a tabela: Q (m³/h) HB (m) hB (%) 0 79 10,0 74,0 40 20,0 68,0 64 30,0 58,0 72 40,0 48,0 64 50,0 36,0 40
  10. 10. A vazão, a carga manométrica e o rendimento correspondente ao ponto de máxima eficiência (máximo rendimento) seriam: Q (l/s) HB (m) hB (%) 30,0 58,0 72
  11. 11. O ponto anterior será o ponto de referência, onde a vazão irá corresponder ao ponto 1,0*Q; a partir dela calcula-se: 0,6*Q; 0,8*Q e 1,2*Q e para cada uma delas lê-se no gráfico do fabricante a carga manométrica e o rendimento correspondentes.
  12. 12. Com as informações anteriores deve-se iniciar o preenchimento da tabela a seguir: 0,6*Q 0,8*Q 1,0*Q 1,2*Q Q(m³/h) 30 HB (m) 58 hB (%) 72 Kh KQ KH Q*KQ HB*KH hB*Kh
  13. 13. Onde os coeficientes KQ; KH e Kh são determinados através do gráfico para obtenção dos coeficientes de correção, onde: 1º - marca-se a vazão do ponto de máximo rendimento (1,0*Q) = ponto 1; 2º - sobe-se verticalmente até o ponto correspondente a carga manométrica ligada a 1,0*Q = ponto 2; 3º - daí puxa-se uma horizontal até a viscosidade desejada = ponto 3; 4º - em seguida sobe-se verticalmente até as curvas de correção para se tirar os valores dos coeficientes de correção: Kh ; KQ e finalmente os quatro valores de KH
  14. 14. Considerando a viscosidade de 300 *10-6 m²/s
  15. 15. Com os valores obtidos pode-se preencher a tabela: 0,6*Q 0,8*Q 1,0*Q 1,2*Q Q(m³/h) 30 HB (m) 58 hB (%) 72 Kh 0,42 KQ 0,84 KH 0,89 0,86 0,84 0,80 Q*KQ HB*KH hB*Kh
  16. 16. Para obtenção das novas curvas HB = f(Q) e hB = f(Q) basta locar os quatro pontos da tabela anterior.
  17. 17. Atividade (valor – 0,5) – preencher a tabela do slide 16 e construir as curvas: HB = f(Q) e hB = f(Q)

×