Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

1.1 constituicao (1)

235 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

1.1 constituicao (1)

  1. 1. Centro do Professorado Paulista Instituto de Estudos Educacionais “Sud Mennucci” Curso preparatório on-line para o Concurso de Provas e Títulos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo - 2013 Maria Claudia de A Viana Junqueira 1
  2. 2. Resolução SE 52, de 14-8-2013. Dispõe sobre os perfis, competências e habilidades requeridos dos Profissionais da Educação da rede estadual de ensino, os referenciais bibliográficos e de legislação, que fundamentam e orientam a organização de exames, concursos e processos seletivos, e dá providências correlatas. 2
  3. 3. Res. SE 52/2013 – espera-se que o Educador da rede estadual de ensino do Estado de São Paulo: - compreenda o Projeto Educacional da sociedade brasileira, que se depreende dos princípios constitucionais e da legislação educacional; - entenda a escola pública como ambiente institucional e de relações que profissionais e alunos mantêm com as diferentes instâncias da gestão pública; 3
  4. 4. Res. SE 52/2013 – espera-se que o Educador da rede estadual de ensino do Estado de São Paulo: - tenha claro os processos de implementação da política educacional da Secretaria, seus programas e projetos; - compreenda a composição, os papéis e funções da equipe da escola e do sistema de ensino e as normas que regem as relações entre os profissionais que nela trabalham. 4
  5. 5. O conhecimento da lei e sua aplicação é fundamental para o exercício da profissão. A concepção de educação adotada na escola se apoia nas orientações legais, portanto, elas orientam todo o nosso trabalho, as nossas escolhas: quanto ao currículo, a avaliação que adotamos, como estabelecemos as relações na escola, e dela com a comunidade, com a Diretoria de Ensino, a Secretaria da Educação e, assim por diante. 5
  6. 6. Hierarquia da legislação na Educação: Constituição Federal Constituição Estadual Leis Nacionais Leis Estaduais Leis Municipais Normas legais dos Conselhos: Nacional, Estadual e Municipal. 6
  7. 7. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL – 1988. Artigos 5º e 6º. 7
  8. 8. Os direitos e garantias fundamentais Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. 8
  9. 9. Dos direitos e deveres individuais e coletivos previstos na nossa Carta Magna, destacamos: - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição; - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; - ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante; 9
  10. 10. - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações.  Na escola esse preceito indica a necessidade do educador fazer escolhas pedagógicas orientadas por princípios éticos e democráticos, sem que haja, por exemplo, orientação discriminação sexual, etc. de Ou gênero, seja, etnia, ele crenças, afirma a responsabilidade de todos no sentido de promover a inclusão, evitar a reprodução de discriminações e injustiças e garantir o direito à educação. 10
  11. 11. - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; - é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo, além da indenização por dano material, moral ou à imagem; - é inviolável a liberdade de consciência e de crença; é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação; - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas; 11
  12. 12. - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer; - é assegurado a todos o acesso à informação; - é livre a locomoção no território nacional; - todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos autorização, ao desde público, que não independentemente frustrem outra de reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente. 12
  13. 13. - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar; - a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento; - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado; - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente; - é garantido o direito de propriedade; 13
  14. 14. - a propriedade atenderá a sua função social; - são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas: a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder; a) a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal; a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais; 14
  15. 15. - a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito á pena de reclusão, nos termos da lei; - qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, ficando o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência. 15
  16. 16. CAPÍTULO II DOS DIREITOS SOCIAIS Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 64, de 2010) 16

×