Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Origens do curriculo_no_brasil

2,712 views

Published on

  • Be the first to comment

Origens do curriculo_no_brasil

  1. 1. AS ORIGENS DO PENSAMENTO CURRICULAR NO BRASIL e-mail: 1 simoneperes2@yahoo.com.br
  2. 2. AS ORIGENS DO PENSAMENTO CURRICULAR NO BRASIL e-mail: 2 simoneperes2@yahoo.com.br
  3. 3. As origens do pensamento curricular no Brasil • Pesquisa de Antonio Flavio Moreira (1990): O termo Currículo ( concepção e princípios) aparece nas reformas educacionais d3 década de 1930. • É sistematizado na obra “Pequena Introdução à filosofia da educação – a escola progressiva ou a transformação da escola”, publicada em 1934. • Primeiros estudos baseados nas idéias escolanovistas, derivadas de Dewey, Kilpatrick e Montessori. e-mail: 3 simoneperes2@yahoo.com.br
  4. 4. • INEP (Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos)- Programa Mínimo (1944): ênfase em currículos e programas, necessidades sociais e capacidades individuais.• Primeiro livro-texto sobre currículo (1955): Introdução ao Estudo da Escola Primária, de João Roberto Moreira.• PABAEE (Programa de Assistência Brasileiro- Americana ao Ensino Elementar)- Acordo bilateral firmado em 1956. e-mail: 4 simoneperes2@yahoo.com.br
  5. 5. A produção brasileira no campo do currículo nos anos de 1990• Grupos Estrangeiros (Nova Sociologia da Educação – Michael Apple e Henry Giroux): subsidiam os trabalhos dos pesquisadores brasileiros.• Grupos Nacionais (Pedagogia Histórico- Crítica e Pedagogia do Oprimido): disputam hegemonia nos discursos educacionais e na capacidade de intervenção política. e-mail: 5 simoneperes2@yahoo.com.br
  6. 6. Campo do Currículo • No final de década de 1990, a teorização curricular (hibridismo) incorpora o pensamento de Foucault, Derrida, Deleuze e Morin. • O currículo constitui-se em campo intelectual, no interior do qual diferentes atores sociais possuem determinado capital cultural e social. e-mail: 6 simoneperes2@yahoo.com.br
  7. 7. • No Brasil três grupos lideram os estudos sobre currículo:• Grupo de Tomaz Tadeu da Silva/UFRGS:• centra-se na análise das conexões entre os processos de seleção, organização e distribuição dos currículos escolares e na dinâmica de produção e reprodução da sociedade capitalista. e-mail: 7 simoneperes2@yahoo.com.br
  8. 8. Grupo coordenado por Nilda Alves da UERJ e Regina Leite Garcia da UFF• Currículo a partir da discussão sobre conhecimento em rede (Certeau, Morin e Boaventura Santos).• Quatro esferas são estudadas e articuladas à formação de professores: formação acadêmica, ação governamental, prática pedagógica e prática política. e-mail: 8 simoneperes2@yahoo.com.br
  9. 9. Grupo coordenado por Antonio Flavio Moreira• Analisa o multiculturalismo através dos conceitos de hibridismo e de identidade, políticas curriculares e seu foco na tensão entre flexibilidade e controle.• Concebe a história das disciplinas escolares e seu alargamento conceitual e metodológico. e-mail: 9 simoneperes2@yahoo.com.br
  10. 10. A pesquisa sobre história do currículoConstituição do conhecimentoescolar (M.Apple, H. Giroux, M. Young).História do currículo (Goodson, Ball,Popkewitz, Gimeno Sacristán). e-mail: 10 simoneperes2@yahoo.com.br
  11. 11. Bernstein (1988) e os saberes escolares O autor desenvolve uma reflexão original sobre as condições e as implicações de descompartimentação dos saberes escolares. e-mail: 11 simoneperes2@yahoo.com.br
  12. 12. As contribuições teórico-metodológicas de Chervel(1990) e Goodson (2001) para odesenvolvimento da História das Disciplinas Escolares e-mail: 12 simoneperes2@yahoo.com.br
  13. 13. • André Chervel (1990) : Contempla o estudo dos conteúdos explícitos no ensino disciplinar e suas várias partes constituintes: ensino de exposição, exercícios, práticas de incitação, de motivação, de aparelho docimológico e aculturação escolar.• Ivor Goodson (2001): Conceitua currículo como construção social e compreende o processo de emergência e evolução das matérias escolares. e-mail: 13 simoneperes2@yahoo.com.br
  14. 14. O que é currículo?• Termo polissêmico.• Currículo é um projeto em formação (envolvendo conteúdos, valores/atitudes e experiências), cuja construção se faz a partir de uma multiplicidade de práticas inter- relacionadas através de deliberações tomadas nos contextos social, cultural, político, ideológico e econômico. e-mail: 14 simoneperes2@yahoo.com.br
  15. 15. O que é currículo?• Processo seletivo de cultura, social, política e administrativamente condicionado, que preenche a atividade escolar e que se torna realidade dentro das configurações tal como se acha configurada. (Gimeno-Sacristán, 1998,p.14)• Currículo como Confluência de Práticas e Processo: o currículo prescrito e regulamentado, o currículo planejado, o currículo organizado, o currículo em ação e o currículo avaliado. e-mail: 15 simoneperes2@yahoo.com.br
  16. 16. O que é currículo?Conceitos• Currículo:caminho, direcção que orienta o percurso para atingir certas finalidades.• E.U.A. – conjunto de experiências que o aluno adquire sob a responsabilidade da escola.• EUROPA – programa, plano de estudos: diferentes sentidos. e-mail: 16 simoneperes2@yahoo.com.br
  17. 17. O que é currículo?Conceitos• o “currículo” é aquilo que se espera que os alunos fiquem a saber e a ser capazes de fazer e agir, depois de terem frequentado a escola (Roldão, 2002).• A idéia de currículo confunde-se com a de assuntos, conjuntos de lições ou programa de estudos em vez de ser visto como o que é importante na vida de crianças pequenas – o desenvolvimento global através do jogo livre e espontâneo.(David, 1990). e-mail: 17 simoneperes2@yahoo.com.br
  18. 18. O que é currículo?Conceitos• Contudo, o currículo é também aquilo que dele se faz uma vez que através da criatividade de cada Escola é possível pensá-lo através de perspectivas que não se restringem às que as teorias tradicionais o confinaram. Currículo é projecto. Currículo é um documento de identidade. (Silva, 2000). e-mail: 18 simoneperes2@yahoo.com.br
  19. 19. Elementos do currículo• Prática social complexa- praxis• Repertório da filosofia e ciência da educação• Políticas públicas• Características histórico-sociais da instituição• Ordenamento formal• Vivência subjetiva e social e-mail: 19 simoneperes2@yahoo.com.br
  20. 20. Princípios Norteadores do Currículo • Historicidade • Compromisso com a educação crítica e transformadora • Reflexão crítica sobre a prática como categoria fundante • Rigor teórico e metodológico • Construção coletiva do conhecimento • Centralidade na aprendizagem e implicações com o ensino • Flexibilidade com critérios e-mail: 20 simoneperes2@yahoo.com.br
  21. 21. Teorias tradicionais• Conceitos simplesmente pedagógicos de ensino e aprendizagem.• Teorias concentradas em questões técnicas como ensino, aprendizagem, avaliação, metodologia, didática, organização, planejamento, eficiência, objetivos.• Teorias neutras e científicas. e-mail: 21 simoneperes2@yahoo.com.br
  22. 22. Teorias críticas• Conceitos de ideologia e poder (lutas de classe – educação em uma nova perspectiva).• Ideologia, poder, classe social, capitalismo, relações sociais de produção, conscientização, contradição, emancipação e libertação. e-mail: 22 simoneperes2@yahoo.com.br
  23. 23. Teorias pós-críticas• Conexão entre saber, identidade e poder.• Opostas a teoria tradicional, todas implicadas em relações de poder.• Identidade, diferença, subjetividade, saber- poder, gênero, raça, etnia, sexualidade, multiculturalismo. e-mail: 23 simoneperes2@yahoo.com.br
  24. 24. Pressupostos Curriculares• A política educativa corresponde ao conjunto de decisões oriundas do sistema político, englobando as intenções e estratégias definidas por critérios ideológicos e por necessidades reconhecidas como válidas socialmente.• Explicitação das bases curriculares: O currículo como uma construção social, cultural, individual e ideológica a partir dos pressupostos sociedade, cultura, aluno e ideologia/hegemonia. e-mail: 24 simoneperes2@yahoo.com.br
  25. 25. Sociedade• A relação escola/sociedade pressupõe um conjunto diverso e complexo de interesses, tendo como base comum a preparação social e material dos sujeitos.• O currículo abrange o conhecimento escolar que é fruto do conflito (violência simbólica) e hierarquização de conhecimentos. e-mail: 25 simoneperes2@yahoo.com.br
  26. 26. Aluno• O sujeito e seu processo de aprendizagem.• Os sistemas simbólicos e de informação (currículo explícito e real).• A direção e a profissionalidade dos docentes.• Participação dos pais e comunidade.• Implicações:Políticas sociais, educativas e curriculares. e-mail: 26 simoneperes2@yahoo.com.br
  27. 27. Ideologia/Hegemonia• Escola como instrumento ideológico de reprodução da vida social, política e econômica.(Apple, Giroux e Althusser,1970).• Conceito de hegemonia (Gramsci,1971): O currículo é uma construção ideológica, representando um dado projeto hegemônico. e-mail: 27 simoneperes2@yahoo.com.br
  28. 28. Currículo como construção cultural• Códigos curriculares (Lundgren, 1977): denominações que se reportam a tradições culturais.• Tradições curriculares são modos particulares de interpretar a realidade escolar (seleção, organização e transmissão do conhecimento). e-mail: 28 simoneperes2@yahoo.com.br
  29. 29. Currículo como construção socialGoodson (2001): o currículo escolar é um artefato social, concebido para realizar determinados objetivos específicos.Young (1998): defende a idéia do currículo como sendo o resultado de uma construção dinâmica, que veicula um conhecimento socialmente organizado, permeado de relações de poder.Apple e Beane (2000): criticam o currículo planificado, uniforme e oficial, supostamente neutro e vinculado à avaliação estandardizada. e-mail: 29 simoneperes2@yahoo.com.br
  30. 30. Questões Essenciais do Currículo• É processo contínuo de tomada de decisões?• É um dispositivo predeterminado de resultados?• É um projeto elaborado pela comunidade educativa?• É um projeto marcado por interesses individuais dos aprendentes? e-mail: 30 simoneperes2@yahoo.com.br
  31. 31. Currículo enquanto conhecimento• Conceptualização do conhecimento: tradições acadêmica e utilitária.• Currículo como fato/currículo planificado ou currículo como prática/currículo democrático. e-mail: 31 simoneperes2@yahoo.com.br
  32. 32. Currículo enquanto código• O currículo não pode ser assumido como um projeto intemporal, mas como uma realidade em permanente construção. Envolve: • Códigos: seleção, organização e transformação do conhecimento. • Estruturas sociais e educativas. e-mail: 32 simoneperes2@yahoo.com.br
  33. 33. Algumas Considerações• Currículo na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica (Saviani, 2006): valoriza e ressignifica o papel da escola e do conhecimento.• Conteúdos curriculares são definidos a partir das demandas da prática social.• São instrumentos teóricos e práticos necessários ao entendimento e às intervenções da e na prática social. e-mail: 33 simoneperes2@yahoo.com.br
  34. 34. Algumas ConsideraçõesApple (1991): O currículo escolar ainda tempredominantemente uma origem social (burguesa),um gênero (masculino) e uma etnia (branca).Desafios: confrontar as teorias produzidas sob estatrilogia pressupõe revisão das posturas ideológicas,teorização crítica, estudos de relações sociais ehistóricas, enfrentamentos, novos enfoques naprofissionalidade docente e na gestão da escolapública. e-mail: 34 simoneperes2@yahoo.com.br
  35. 35. A identidade do professor, o currículo e a prática pedagógica e-mail: 35 simoneperes2@yahoo.com.br
  36. 36. Referências• Apple, M. W. (1991). Ideologia e Currículo. São Paulo: Brasiliense.• Contreras. J.(2002). A autonomia de professores.São Paulo: Cortez Editora, 2002.• Bernstein,B.(1988).Clases,códigos y control. Madrid:Akal.• Chervel, A. (1990).História das disciplinas escolares.Porto Alegra: Pannonica, Revista Teoria & Educação, n.2.• Dubar, C. (1995). La socialisation – construction des identités sociales & professionnelles. Paris: Armand Colin.• Franco, M.A.S. (2003). Pedagogia como ciência da educação. Campinas: Papirus. e-mail: 36 simoneperes2@yahoo.com.br
  37. 37. Referências• Formosinho, J.O .Kishimoto, T.M. (Org). (2002).Formação em Contexto. São Paulo: Pioneira.• Hargreaves, A .(2004). O ensino na sociedade do conhecimento. Porto Alegre: Artmed.• Kuenzer, A. Z, (2006). As Diretrizes Curriculares para o Curso de Pedagogia: uma expressão da epistemologia da prática, ENDIPE, Recife.• García, C. M. (1999). Formação de Professores: para uma mudança educativa. Porto (Portugal): Porto Editora.• Giroux, H. (1999).Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia critica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas. e-mail: 37 simoneperes2@yahoo.com.br
  38. 38. Referências• Imbernón,F.(org). A Educação no século XXI. Porto Alegre: Artmed, 2000.• LIBÂNEO, J.C. (2006). Diretrizes Curriculares da Pedagogia – um adeus a Pedagogia e aos pedagogos? ENDIPE, Recife.• ______, (2004). Pedagogia e Pedagogos, para quê? 7ª Ed, Cortez, São Paulo.• GIMENO SACRISTÁN, J. (1998). O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3a. ed. Porto Alegre: Artmed.• GOODSON, I. F. (1995). Currículo: teoria e história. Petrópolis, RJ: Vozes. e-mail: 38 simoneperes2@yahoo.com.br
  39. 39. Referências• Lopes, A.C. & Macedo, E. (orgs.) (2002).Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez.• Nóvoa, A. (1992). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicações Dom Quixote.• Pimenta, S. G. O (org).(1996). Pedagogia, ciência de educação? São Paulo: Cortez Editora.• ______.( org).(2002).Pedagogia e Pedagogos: caminhos e perspectivas.São Paulo: Cortez Editora.• Pimenta,S.G.& Anastasiou, L. (2002).Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez Editora.• ____&Ghedin, E. (2002). Professor reflexivo no Brasil. São Paulo: Cortez Editora.• ___& Lima. (2004).Estágio e Docência. São Paulo: Cortez Editora. e-mail: 39 simoneperes2@yahoo.com.br
  40. 40. Referências• Popkewitz, T. (2002).Reforma Educacional: uma política sociológica. Porto Alegre: Artmed.• Perrenoud, P. (1997). As competências para ensinar no século XXI. Porto Alegre: Artmed.• TARDIF, M; LESSARD, C. (2005). O trabalho docente. Petrópolis: editora Vozes.• Zabalza,M.(2004).O ensino universitário.Porto Alegre: Artmed.• Zeichner,K. (1998).Para além da divisão entre professor- pesquisador e pesquisador –acadêmico. In: FIORENTINI et al.(Orgs).(1998).Cartografias do trabalho docente. Campinas: Mercado de Letras. e-mail: 40 simoneperes2@yahoo.com.br
  41. 41. AS ORIGENS DO PENSAMENTO CURRICULAR NO BRASIL Fim! e-mail: 41 simoneperes2@yahoo.com.br

×