Weblogs Como Objeto Da Ciência Da Informação

1,154 views

Published on

Apresentação em sala na disciplina Acesso à informação eletrônica do programa de mestrado da Escola de Ciência da Informação da UFMG

Published in: Education, Technology
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,154
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
31
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Weblogs Como Objeto Da Ciência Da Informação

  1. 1. Weblogs como objeto da ciência da informação Inara Souza da Silva
  2. 2. Sobre a autora Graduada em comunicação social pelaUFMS; Especialização em midiologia pelaUNIDERP – Universidade para odesenvolvimento do pantanal; Mestre em ciência da informação pelaUNB; Professora do curso de ComunicaçãoSocial da UCDB – Universidade CatólicaDom Bosco – MS.
  3. 3. IntroduçãoCom advento da industria da informaçãoeletrônica o alvo da CI não é mais a biblioteca,o livro, o centro de documentação e odocumento, o museu, mas a informação (LeCoadic, 1996. p.21)Le Coadic (1996) ressalta que a sociedade dainformação precisa de uma ciência que estudeas propriedades da informação e os processosde sua construção, comunicação e uso diante detrês categorias de mudanças: Culturais,econômicas e tecnológicas.
  4. 4. IntroduçãoA Internet é a espinha dorsal da comunicaçãoglobal mediada por computadores que oferecetantos serviços, como a possibilidade depublicação em weblogs, conhecido como diárioson-line.O ambiente digital favorece a criação de canaisde informação, compartilhamento e colaboração.É neste contexto que a autora propõem o weblogcomo objeto de estudo da CI. Por que segundoMeadows (2001) o uso da tecnologia nãoapresenta simplesmente um novo canal decomunicação, mas um conjunto de possibilidadespara tratar a informação.
  5. 5. Ciência da InformaçãoPara estudar o weblog como objeto daCI, deve-se conceituar a disciplina.Para Barreto (2002) o objeto da CIpreocupa-se com os princípios e aspráticas de criação, organização ,distribuição da informação, além dosfluxos.
  6. 6. Ciência da InformaçãoSaracevic (1996) aponta trêscaracterísticas, que justificam a evoluçãoda CI: Interdisciplinaridade (ligada a TI); Participante ativa na evolução dasociedade da informação; Preocupação com os problemasinformacionais.
  7. 7. Ciência da InformaçãoPara Barreto (2002) a delimitação de tempo eespaço da informação favorece a interatividadee interconectividade. Interatividade – receptor tem a possibilidadede apropriação e personalização dasmensagem recebida e pode fazer trocasrecíprocas de informações. Interconectividade – o usuário pode ser seupróprio mediador na escolha de informação,assim julgar a relevância do documento queprocura.
  8. 8. Ciência da InformaçãoInformação oral - o tempo e o espaço se realizamno momento da transmissão das mensagens.Informação escrita – a tipografia acabou com acultura tribal e multiplicou as características dacultura escrita no tempo e espaço.Comunicação eletrônica – o espaço e tempo foitransformado, permitindo a “interação individualcom a memória da informação e a conectividadeaos diferentes espaços e acesso a informação “(Barreto, 1998. p.124).
  9. 9. Ciência da InformaçãoA comunicação eletrônica modificaestruturalmente o fluxo de informação,pois permite a interação do receptorcom a informação em tempo real, quepassa a se posicionar como se estivesseno interior do fluxo com interaçãodireta, conversacional e semintermediários (Barreto, 1998).
  10. 10. Ciência da InformaçãoLèvy(1999) classificou as tecnologias decomunicação conforme a interaçãopermitida:Um para todos (Comunicação de massa);Um para um (Correio e telefone);Todos para todos (Redes decomunicação)
  11. 11. Ciência da InformaçãoEsta flexibilidade do meio digitalfavorece ao receptor elaborar ainformação em diversas linguagens(texto, som e imagens): através dasligações hipertextuais, que sedesprende da linearidade dainformação... Neste modelo o receptortambém pode ser emissor e mesmotempo recuperar e arquivardocumentos.
  12. 12. WeblogsTermo criado por John Berger, em 1997,como resultado da junção das palavrasweb (teia) + log (diário de bordo usadopor navegadores e aviadores), quesignifica “diário de bordo”.Posteriormente as duas palavras foramunidas resultando em weblog ou apenasblog. Blood (2000) aponta que a ideiaconsiste em websites “pessoais” ou“temáticos” que são atualizadosconstantemente.
  13. 13. WeblogPrimo e Recuero (2003) destrói o mito deque os weblogs tenham sido criados comfunção exclusiva de servirem como diárioseletrônicos. Pois eles tem sido usado dasmais diversas formas, todos relacionadas àpublicação. Além disso agregamcaracterísticas da Internet: utilizados paracomunicar, como correio eletrônico;permitem discutir e analisar assuntos, comofórum de discussão; possibilita o contatoentre pessoas distantes, como os chats.
  14. 14. WeblogSilva (2003a) define que weblog estásistematizado em dois elementosfundamentais: possuem uma estruturapadrão, são formados por conjuntos deblocos de conteúdo textual ou de imagemque são utilizados com freqüência; e sãoorganizados em função do tempo, sendoque as ultimas atualizações ficamdisponíveis na parte superior da páginade acordo com a data de publicação, asmais antigas logo abaixo.
  15. 15. WeblogUm dos elementos que diferencia oweblog de outros sites diz respeito afacilidade com que este tipo depágina pode ser construído, além dadescentralização de sua manutenção,assim os usuários publicam a partirde qualquer lugar que tenha umcomputador conectado a rede. http://sandrobatista.blogspot.com
  16. 16. Classificação dos weblogsConforme Primo e Recuero (2003) os weblogs sãoclassificados em duas grandes categorias e além deuma terceira que mescla os dois elementosanteriores:• Diários eletrônicos – atualizados compensamentos, fatos e ocorrências da vida pessoalde cada individuo;• Publicações - destinam-se principalmente àinformação, trazem notícias e comentários sobredeterminado assunto;•Publicações mistas – misturam “post” pessoais einformativos.
  17. 17. Classificação dos weblogs No conceito de Granado e Barbosa (2004) os weblogs são categorizados em: • Diários – descreve acontecimentos e eventos da vida do autor; • Analíticos – pequenos ensaios sobre diferentes termos ligados a atualidade; • Informativos – retiradas de outras páginas.
  18. 18. Weblogs e suas aplicaçõesWeblogs aplicados aos negócios:O weblog tem conquistado o mundo dos empresarial,cuja adesão começou pelas gigantes da informática:Microsoft, Sun Microsystems, Macromedia, Oracle eIBM. Estes blogs de negócios são denominadosweblogs executivos, institucional, empresarial oucorporativo. Os espaços destes weblogs são usadospara informar grupo de pessoas com atividades ouinteresses comuns.
  19. 19. Weblogs e suas aplicaçõesWeblogs na gestão doconhecimento:Conhecidos com K.logs, os weblogs usadosna GC, fornecem suporte para gerenciarconhecimentos dentro das empresas, assimos trabalhadores registram suas experiências,compartilhando seus conhecimentos einformações.
  20. 20. Weblogs e suas aplicações Weblogs na educação:Os weblogs tem sido utilizado para diversospropósitos na área educacional, entre eles,nas práticas de colaboração, que podemfortalecer à dinâmica da sala de aula eresultar num senso comunitário ecolaborativo.
  21. 21. Weblogs e suas aplicaçõesWeblogs aplicado ao jornalismo: A flexibilidade oferecida pelas ferramentas de editoração dos weblogs tem atraído os jornalistas. Pois eles passam a ver o weblog como fonte informação.
  22. 22. Weblogs e suas aplicaçõesWeblog nas bibliotecas:Na ciência da informação, muitas bibliotecas, arquivos ecentros de documentação tem utilizado os weblogscomo canal adicional de comunicação, que permite:• Estabelecer comunidades e identificar competências;• Divulgar informação sobre eventos, novas aquisições e promover serviços;• Reforçar o serviço de referência;• Receber feedback dos usuários;
  23. 23. Considerações finaisA autora conclui que o weblog enquadra-se na Ciência da Informação, como umaferramenta utilizada por diversos setoresda sociedade para criação, distribuição,comunicação, armazenamento erecuperação da informação.
  24. 24. Escola de Ciência da InformaçãoUFMGJunho de 2009

×