Soletrar n.º 1 2012 2013

507 views

Published on

Jornal do Instituto Diocesano de Formação João Paulo II - São Tomé e Príncipe. Ano letivo 2012/2013.

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
507
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Soletrar n.º 1 2012 2013

  1. 1. MARÇO 2013 ANO LETIVO 2012 2013 N.º 1 BOLETIM INFORMATIVO - INSTITUTO DIOCESANO DE FORMAÇÃO JOÃO PAULO II “A educação é a arma mais poderosa que você MEMÓRIAS pode usar para mudar o mundo.” Nelson Mandela Esta edição marca o regresso do Soletrar ao quoƟdia-no do InsƟtuto Diocesano de Formação João Paulo II. Odesign do nosso boleƟm informaƟvo foi reformulado,mas conƟnua sempre presente a divulgação das aƟvida-des que envolvem alunos, professores, funcionários e Missa no final do 1º período, presidida por D.encarregados de educação em conjunto com diversas Manuel António Mendes dos Santos.insƟtuições. O Projeto EducaƟvo do InsƟtuto, no biénio 2011 –2013, tem como tema “Educar para o ambiente - Prote-ger o que é nosso”, conƟnuando a Escola a apostar naeducação ambiental, como componente essencial noprocesso de formação e educação, favorecendo odesenvolvimento integral do aluno, no senƟdo da sua VI Corta - Mato: “Correr pelo ambiente e Proteger oautonomia, responsabilidade, parƟcipação, senƟdo críƟ- que é nosso”co, competência, solidariedade, capacidade de procurade informação e criação de conhecimento. A todos que apoiam a realização das aƟvidades quesão propostas aos alunos, dentro e fora da sala de aula,que visam fomentar a formação de cidadãos com umaeducação sólida e equilibrada, UM MUITO OBRIGADO! VI Corta - Mato: Entrega de Prémios (2º Ciclo)
  2. 2. CONCURSO DE CONTOS "AJUDEM A SALVAR O NOSSO PLANETA!" O NATAL QUE SALVOU A MINHA CIDADE A nossa cidade está muito poluída. O João vivia numa cidade de um país muito rico, com mui- Os peixes dos lagosto petróleo e que fabricava muitas coisas para o resto do mun- estão todos mortos.do. Claro que a sua cidade era muito poluída por causa das As pessoas ficamrefinarias, das fábricas e dos carros. Nesta cidade caíam com doentes sem saberfrequência chuvas ácidas; não se podia tomar banho nas porquê. As árvorespraias, rios e lagos porque estavam todos poluídos; os animais secam e á volta tudomorriam e as plantas murchavam. O João há muito tempo que está sem vida. O cenário é muito triste. Os homens estão anão via o sol. A cidade quase não Ɵnha luz e as pessoas eram ficar maus e egoístas e só pensam no dinheiro. Não estãotristes. preocupados com mais nada. Julgo que em poucos anos deixa- Um dia, enquanto passeava sozinho pelos campos amare- remos de exisƟr!los, pensou: vou ter que fazer alguma coisa pela minha cidade. Vamos propor-lhe uma troca. Este ano não nos ofereçaAlguma coisa tem que mudar! Senão morreremos todos… há! prendas. Preferimos que faça o milagre de voltarmos a sorrir.O Clube da Defesa do Ambiente…vou reunir os meus amigos. Só queremos uma cidade limpa e saudável. Queremos voltar aO CDA era um clube muito parecido com o nosso ECOCLUBE, o brincar nos jardins e a nadar nos rios. Queremos ter um espa-do IDF. ço para jogar e correr. Quando se reuniram o João colocou-lhes a sua preocupa- Sei que não é justo pedir-lhe esse favor porque sabemosção e pediu a todos que o ajudassem a encontrar uma solução que a sua preocupação é fazer-nos felizes com os brinquedos.urgente. Chamou-lhes a atenção para um conjunto de proble- Mas pense no nosso pedido com carinho!mas. Como os amigos estavam habituados a tudo aquilo mal Um abraço do tamanho do mundo. Obrigado pela suase apercebiam do perigo que todos corriam. especial atenção. Pedro propôs: - e se fizéssemos uma mega manifestação João (em nome de todos os meninos da cidade poluída) .”contra os donos das fábricas? Quando o Pai Natal recebeu a carta ficou a pensar no pedi- Ana respondeu: - impossível! Não vês que eles mandam na do do João. Só um menino muito especial poderia trocar oscidade. Vão despedir os nossos pais… brinquedos por uma preocupação do género. Pensou como Miguel: - E se sugeríssemos que colocassem filtros nas poderia saƟsfazer o seu pedido a tempo. Foi falar com a Fadachaminés das fábricas e colocassem grandes esgotos para as Madrinha para ambos pensarem como saƟsfazer o desejo dorefinarias de petróleo? João. Talvez a Fada pudesse emprestar a sua varinha. E assim Responderam todos em coro: - Não vai resultar! foi. O João estava a ficar ainda mais desesperado. Tudo parecia Na noite da véspera do Natal visitou as casas dos poluido-impossível perante o poder de alguns homens. Não estava a res com a varinha mágica e á medida que entrava nos quartosconseguir encontrar a melhor solução para tão grande dilema. dos donos das fábricas e do petróleo dizia “Abra Cadabra No dia seguinte levantou-se de madrugada e pôs-se a pen- quando acordares pensa com amor na tua cidade e torna-asar novamente no mesmo. De repente fez-se luz: - Hum…está limpa e cheirosa para dar alegria a todos.”.a chegar o Natal e vou fazer uma carta para o PAI NATAL a Surpreendentemente, no dia seguinte os ricos da cidadepedir-lhe ajuda. começaram a sorrir para todos e os caminhões desataram a Pegou num papel e começou a escrever: fazer limpeza por todo o lado. Das fábricas saiam músicas lin- “Querido Pai Natal, das e toda a gente cantava. Os homens de negócio falaram Escrevo-lhe esta carta porque estou muito preocupado com os políƟcos para nunca mais deixar funcionar fábricas oucom o que está a acontecer na minha cidade. Julgo que entre outras coisas poluidoras do ambiente.nós já pouco podemos fazer… e o nosso Clube - o CDA tam- No dia de NATAL todos estavam felizes. Não houve brin-bém não. quedos na cidade mas exisƟa alegria em todos os corações. Venho pedir-lhe por isso que salve a nossa cidade e aspessoas que a habitam. Pode ser? Joel BaƟsta - 5º A FICHA TÉCNICADIREÇÃO, REDAÇÃO E CONCEPÇÃO GRÁFICA: InsƟtuto Diocesano de Formação João Paulo IIEQUIPA COORDENADORA: Raquel Gonçalves e André FreitasCOLABORADORES: Comunidade EducaƟvaTIRAGEM: 100 exemplaresIMPRESSÃO: Reprografia do InsƟtuto Diocesano de Formação João Paulo II hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 2
  3. 3. EDUCAÇÃO VISUAL E EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Elaboração de cartão de Boas Festas (animais em vias de exƟnção). ParƟciparam os professoresÁrvore de Natal com 900 pétalas, construída com a Anastácia Trindade (E.V.), Ekeseni Bragança (E.T.),colaboração de alunos e professores da escola. Gualberta Jen Choi (L.P.), Nuno Pereira (L.I), Alde- mira Mandinga (L.F) e os alunos do 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos. PresépioCartaz apelaƟvo (VI Corta Mato Escolar). EsƟveram Máscaras. A aƟvidade foi desenvolvida pelos pro-envolvidos os professores: Nuno Santos (E.F.), fessores Anastácia Trindade (E.V.) e Ekeseni Bra-Anastácia Trindade (E.V.) e Ekeseni Bragança (E.T.) gança (E.T.) e envolveu os alunos do 5º, 6º, 7º e 8ºe os alunos do 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos. anos. hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 3
  4. 4. VISITA DE ESTUDO - RÁDIO VOICE OF AMERICA (VOA) Os alunos do 11º ano CT do InsƟtuto Diocesanode Formação João Paulo II realizaram, no dia 5 defevereiro, uma visita de estudo às instalações daestação americana de rádio “Voz da América(VOA)”, localizada na localidade de Pinheira noâmbito da disciplina de Física e Química A. Os vintee sete alunos foram acompanhados pelos professo-res André Freitas e Dulce Neves, respeƟvamentedas disciplinas de Física e Química A e Biologia eGeologia. Primeiro contacto com as instalações da Rádio “Voz A visita de estudo teve como objeƟvo esclare- da América”.cer e aprofundar, em contexto Ciência – Tecnologia- Sociedade, os conteúdos estudados sobre a trans-missão de informação a longa distância, em parƟ-cular, formas de transmissão de ondas rádio a nívelnacional, conƟnental e interconƟnental. Os alunos foram recebidos, com grande amabi-lidade, pela Secretária da Direção do VOA, HelenaMenezes e acompanhados ao longo da visita pelosengenheiros Jorge Afonso e Hermenegildo Fernan-des. A visita permiƟu explorar os processos de Explicação do funcionamento de um emissor por par- te do engenheiro Hermenegildo Fernandes.modulação e amplificação das ondas que estãoenvolvidos nas comunicações a longa distância. Osalunos contactaram com os aparelhos de receção etransmissão de ondas rádio e os retransmissoresda Rádio “Voz da América”.Brigite D´Alva Trigueiros, ElieƩ Madeira, JosslineCorreia, Lara Jessica Espírito Santo, Lilia Samira Fer- Explicação do funcionamento da sala de controle pornandes (11º CT) parte do engenheiro Jorge Afonso . hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 4
  5. 5. ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES - IDF A associação de estudantes do IDF tem umanova direção, a aluna Ana Vera Antunes, aluna do10º CTA, é a nova presidente e Reginaldo Trindade,aluno da turma 11º LH, é o novo vice-presidente. Anova associação conta ainda com a colaboração dealguns alunos do ensino secundário e do ensinobásico. Tendo iniciado as suas funções no início de2013, foram traçados alguns dos seus objeƟvos: Apresentação da atual Associação de Estudantes doapoiar o estudante na solução de alguns proble- IDF durante a festa de Natal.mas; incenƟvar a parƟcipação de alguns órgãospúblicos e enƟdades parƟculares na nossa insƟtui-ção. A nova associação irá procurar dinamizar oespaço escolar, através da promoção de aƟvidadesculturais, cienơficas e desporƟvas; pretende-setambém incenƟvar toda a comunidade escolar nadinamização e difusão do nosso insƟtuto. No dia 14 de fevereiro, a associação despertou anossa comunidade para a simbologia do dia de SãoValenƟm, decorando o espaço com poemas e ima-gens alusivos ao dia, terminando com uma aƟvida- Dinamização do dia S. ValenƟm - Correio do Amorde dinamizadora de um grupo de dança lideradopelo aluno Dimas Lima, que animou os nossos alu-nos durante a tarde. Ana Vera Antunes (10º CTA), e Reginaldo Trindade (11º LH), respeƟvamente, presidente e Para a festa do final do segundo período estão vice-presidente da Associaçãoprevistas algumas aƟvidades, que certamente irão de Estudantes do IDF.animar toda a comunidade escolar! hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 5
  6. 6. VISITA DE ESTUDO - RIBEIRA AFONSO No dia 29 de janeiro de 2013, os alunos das tur-mas 10º CTB, 10º, 11º e 12º LH, realizaram umavisita de estudo à comunidade de Ribeira Afonso,acompanhados pelos seus professores, CláudiaPinto, a professora de Filosofia, Diderot Neto, oprofessor de Geografia e Fausto Neves, o professorde História. O objeƟvo desta visita foi a Informaçãoe Sensibilização Para a Proteção do Meio Ambien-te. Durante a visita, fomos acompanhados por um A localização de Ribeira Afonso ajuda a compreenderguia que nos mostrou a ligação da comunidade que a pesca é principal aƟvidade económica doscom o mar. A pesca é a principal sustentabilidade habitantes da localidade.de Ribeira Afonso. Durante a visita, Ɵvemos aindaoportunidade de trocar algumas informações com a população conƟnua a senƟr-se desprotegida ape-os habitantes. sar das medidas tomadas. O guia explicou-nos ainda a relação entre as O balanço foi posiƟvo, Ɵvemos a oportunidadeconsequências do aquecimento global com o nível de conhecer de perto as circunstâncias vividas peladas águas, uma vez que, esta localidade é adjacen- comunidade, e ainda desfrutar da bela paisagem dete ao mar, este tema é preocupante. Para proteger Ribeira Afonso.a comunidade da água, foram colocados grandes Melissa Lima 10º CTBblocos rochosos nos limites entre a praia e a aldeia, Eliany Ramos 10ºCTBocupando assim os seus espaços de lazer, contudo, Alberto Abreu 10º CTB A NÃO PERDER!!! 100% IDF Sábados - 11 / 12 horas Rádio Jubilar - 91.9 FM ParƟcipa!! Sugere temas, músicas, divulgação de projetos... hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 6
  7. 7. FRANCISCO JOSÉ TENREIRO O mês de fevereiro em São Tomé e Príncipe foi dedi- Francisco!cado às celebrações do aniversário do escritor são- Francisco José Tenreirotomense, Francisco José Tenreiro. O InsƟtuto Diocesanode Formação João Paulo II também homenageou o poeta e geógrafo de formação.autor nacional, dedicando algumas aulas da disciplina de Escreveu os seus poemas,Português, sensibilizando os alunos para a escrita deTenreiro, dando-lhes ainda a conhecer a vida e a obra para a igualdade de África e de todas as nações.desta ilustre figura do panorama literário são-tomense. Os alunos do 10º CTA realizaram um exercício de Francisco!escrita colaboraƟva, tendo como resultado final umpoema em homenagem a Francisco José Tenreiro, inspi-rado no poema “MesƟço”. Muitos poemas escreveu, Na festa do final do segundo período, os alunos irão na sua literatura África permaneceu.dar a conhecer o poema a toda a comunidade escolar, Não como a zona escura dos medos,realizando ainda uma segunda interpretação em forro, onosso dialeto local. mas como o lugar de criação de futuros bravos negros. Francisco! Tendo como gritos de guerra, bravos poemas da nossa terra, São Tomé e Príncipe, Meu coração te pertence! Francisco! Francisco José Tenreiro. hƩp://www.facebook.com/idfstp hƩp://idf.fisicaequimica.com Página 7
  8. 8. EXPOSIÇÕESCO - FINANCIADORES: “Expedição de Gago CouƟnho a São Tomé” MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO, CULTURA E FORMAÇÃO STP “Sólidos Geométricos” “A História das Telecomunicações em São Tomé e Príncipe (Friso Cronológico)” São Tomé e Príncipe CAMPO DE MILHO - SÃO TOMÉ CAIXA POSTAL 636 SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE TEL. / FAX (+239) 222 11 94 idf.diretor@gmail.com ||| idf.stp@gmail.com “Mulheres na Ciência”

×