Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Orgânicos Campinas Café

5 views

Published on

Alimentos Orgânicos

Published in: Food
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Orgânicos Campinas Café

  1. 1. saúde 40 CAMPINAS CAFE ORGÂNICOS Especialista explica o equívoco da polêmica nas redes sociais e fala so- bre as regras de produção evenda R ecentemente, as redes sociais foram tomadas por mensagens sobre a proibição da venda de produtos orgânicos nos supermerca- dos e instantaneamente começaram a circular abaixo-assinados e comen- tários repudiando a medida. Mas, a questão não é bem essa. Se- gundo Sebastião Wilson Tivelli, pes- quisador científico da Agência Pau- lista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, trata-se de uma interpretação errada do Projeto de Lei (PL) 4576/16, que não se refere a questões de comercialização de or- gânicos em supermercados, mas sim da venda em feiras livres por produ- tores que se enquadram na agricul- tura familiar. O PL já aprovado pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados, segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, de acordo com a Agência Câmara Notícias, e depois vai a plenário. A Compra de por Karina Fusco Sem comprar gato por lebre O pesquisador da APTA afir- ma que há a Lei dos Orgâni- cos (10.831/03) e o Decreto 6.323/2007,que regulamenta todo o sistema de produção orgânica, desde a propriedade rural até o ponto de venda. Para o consumi- dor saber se realmente está levan- do para casa esses produtos, ele pode conferir se há na embalagem o selo do Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgâ- nica. Esta regra vale para o produ- tor que vende seus itens para os supermercados. “Mas a legislação permite também que o agricul- tor familiar venda diretamente ao consumidor sem a certificação, mas nesse caso ele precisa estar presente no Cadastro Nacional Fotos:Divulgação
  2. 2. Dados do Conselho Nacional da Produção Orgânica e Sustentável (Organis) apontam crescimento desse mercado no Brasil: somente em 2016 aumentou 20% com um fatura- men- to estimado de R$ 3 bilhões. Geralmente quem prioriza esse tipo de alimento se preocupa com a saúde e com o meio ambiente e ainda consegue levar à mesa alimentos muito saborosos, já que com a ausência de agrotóxicos, o gosto original é preservado. “A prin- cipal diferença do orgânico para o convencional está no sabor. Em relação à tamanho, geralmente não há distinção. Outras vantagens são a quantidade até três vezes maior de nutrientes e a maior durabilidade, se conservado em geladeira”, diz Tivelli. de Produtores Orgânicos, disponível no site do Ministério da Agricultu- ra, Pecuária e Abastecimento, e ter a declaração do órgão ates- tando o seu método de cultivo”, explicaTivelli. Ele esclarece também que o preço desses itens costuma ser maior do que os convencionaisporqueo produtor tem custos extras, por exemplo com a conversão da propriedade (só é considerada produção orgânica com a primeira colheita após18 meses das mudanças no manejo e análises de água e do solo) e com a certificação.“Para obtê- la, o agricultor paga uma taxa anual de cerca de R$ 7 mil”,afirma. Mais sabor à mesa Abrangência dos orgânicos Não são apenas as frutas, verduras e legumes que podem ser orgânicos. Ovos, frango, arroz, feijão, mel, suco e vinho são outros exemplos de itens que podem ser encontrados na versão orgânica. Para que se enquadrem nesse tipo de produto, a regra principal é que no plantio não sejam utilizados agrotóxicos, adubos químicos solúveis e sementes transgênicas. Já no caso dos animais, eles devem ser criados sem uso de hormônios de crescimento e sem medicações, como antibióticos.

×