Qualidade de água e produção          de peixes                Margarete Mallasen                 Instituto de Pesca/APTA ...
Qualidade de água e produção de             peixesPrincipais parâmetros da água parapiscicultura;Sistema de tanque-rede;Pr...
Principais parâmetros da água          para piscicultura  Temperatura:Organismos ectotérmicos: possuem a temperaturacorpor...
TemperaturaFigura de Arana (1997)
Principais parâmetros da água          para piscicultura  Oxigênio dissolvido:Parâmetro da água mais importante e crítico....
Oxigênio DissolvidoFigura de Arana (1997)
Oxigênio Dissolvido                                       18,0          Oxigênio Dissolvido (mg/L)                        ...
Oxigênio Dissolvido                                               Data: 25 e 26 de novembro de 2008                       ...
Oxigênio dissolvidoPossíveis causas de redução do oxigênio dissolvido: -excesso de peixes ou algas e resto de alimentonão ...
Principais parâmetros da água         para piscicultura  pH:Faixa ideal: 7,0 a 8,0Prejudica o crescimento: pH menor que 6,...
Principais parâmetros da água         para piscicultura  Amônia:NH3 + H2O ↔ NH4+ + OH-O NH3 é a principal forma de excreçã...
Amônia   Os peixes    recebem                                      Pelas alimento com                                 brân...
Percentagem de amônia não ionizada (NH3)em função da temperatura e pH da água.      pH               Temperatura (ºC)     ...
Principais parâmetros da água         para piscicultura  Fósforo:Ortofosfato     é     a   forma   assimilada   pelofitopl...
Principais parâmetros da água          para piscicultura  Transparência:Importante referencial para adubação do viveiro.Id...
TransparênciaExemplo de reservatório eutrofizado:-baixa transparência com muitas algas.   Figura de Tundisi & Tundisi (2008)
TransparênciaExemplo de reservatório eutrofizado:-muito fitoplâncton.        Represa de Salto Grande em Americana /SP     ...
Principais parâmetros da água         para piscicultura  DBO:A demanda bioquímica de oxigênio (DBO) é aquantidade de oxigê...
Propriedades do Sistema          Aquático         Físico          Químico                  BiológicoA interação entre os f...
Qualidade de água e produção de             peixesPrincipais parâmetros da água parapiscicultura;Sistema de tanque-rede;Pr...
Sistema de tanque-rede                    VantagensUtilização dos recursos hídricos represados;Investimento 30 a 40 % meno...
Tanque-redeLiberam diretamente no ambiente aquático    Produtos do         Alimentos não  metabolismo dos          ingerid...
Nitrogênio e FósforoPrincipais desencadeadores do processo            de eutrofização        Quebra no equilíbrio do      ...
Eutrofização     Perda da qualidade da água:Baixo teor de oxigênio dissolvido;Altos valores de DBO;Possível floração de ci...
Ações Importantes  Acompanhamento frequente daqualidade da água;  Manejo alimentar adequado.   Boas Práticas de Manejo    ...
Qualidade de água e produção de             peixesSistema de tanque-rede;Projeto de monitoramento;Principais considerações.
Projeto de monitoramento  Objetivo:Avaliar a influência dos tanques-rede nocomportamento das variáveis físicas,químicas e ...
Projeto de monitoramento  Metodologia:Àrea de estudo: piscicultura com 4,5ha,profundidade média de 14m com 240 tanques-red...
Projeto de monitoramentoMetodologia:     Rio Paraná     Rio Paraná
Projeto de monitoramentoMetodologia:                     Ponto 1                                 529 m           871 m    ...
Projeto de monitoramentoMetodologia:
T em p eratu ra (ºC )                                        21,0                                        22,0             ...
O x ig ê n io (m g /L )                                       4,0                                             5,0         ...
pH                                      6,0                                            7,0                                ...
A m ô n ia (m g /L )                                         0,00                                                0,10     ...
FID (ug/L)                                     0,0                                    20,0                                ...
Transparência (m)                                      0,0                                      1,0                       ...
DB O (mg/L)                                       0,0                                       1,0                           ...
ResultadosTaxa de sedimentação de material em suspensão         g/m2.dia:   P1: 113,3 ± 78,2   P2: 254,1 ± 125,0   P3: 102...
ResultadosClorofila “a”     g/L:  P1: 0,7 ± 0,5     P2: 0,9 ± 0,5    P3: 0,9 ± 0,5•Valores baixos de clorofila.Fitoplâncto...
Projeto de monitoramento  Principais considerações:O sistema de piscicultura em tanques-redeprovocou uma perturbação de ba...
Projeto de monitoramento  Principais considerações:O local onde foi instalada a piscicultura, na áreaaquícola Ponte Pensa,...
Bibliografia consultada e sugeridaArana, L.V. Princípios químicos de qualidade da água em aquicultura:   uma revisão para ...
Margarete malasen
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Margarete malasen

1,539 views

Published on

II Workshop Piscicultura do Noroeste Paulista

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,539
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8
Actions
Shares
0
Downloads
120
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Margarete malasen

  1. 1. Qualidade de água e produção de peixes Margarete Mallasen Instituto de Pesca/APTA maga@pesca.sp.gov.br
  2. 2. Qualidade de água e produção de peixesPrincipais parâmetros da água parapiscicultura;Sistema de tanque-rede;Projeto de monitoramento;Principais considerações.
  3. 3. Principais parâmetros da água para piscicultura Temperatura:Organismos ectotérmicos: possuem a temperaturacorporal igual a do meio ambiente.A temperatura afeta diretamente os processosfisiológicos.Faixa térmica ideal para peixes tropicais:- 24 a 30ºC
  4. 4. TemperaturaFigura de Arana (1997)
  5. 5. Principais parâmetros da água para piscicultura Oxigênio dissolvido:Parâmetro da água mais importante e crítico.Concentração ideal: valores maiores que 4,0 mg/L(maioria dos peixes tropicais).Sinal de falta de oxigênio = quando os peixes ficamna superfície golpeando com a boca a lâmina d’água.O fitoplâncton tem papel dominante na dinâmica do oxigênio dissolvido na água.
  6. 6. Oxigênio DissolvidoFigura de Arana (1997)
  7. 7. Oxigênio Dissolvido 18,0 Oxigênio Dissolvido (mg/L) 12,0 6,0 0,0 6 12 16 24 6 12 Tempo (horas)Comportamento do oxigênio dissolvido na água de um viveiroescavado, ao longo do dia, em função da fotossíntese e respiração.
  8. 8. Oxigênio Dissolvido Data: 25 e 26 de novembro de 2008 8,0 Oxigênio Dissolvido 7,5 7,0 (mg/L) 6,5 6,0 5,5 5,0 10:40 14:40 18:40 22:40 02:40 06:40 10:40 HoraComportamento do oxigênio dissolvido na água de um local comtanques-rede no reservatório de Ilha Solteira, ao longo do dia, emfunção da fotossíntese e respiração.
  9. 9. Oxigênio dissolvidoPossíveis causas de redução do oxigênio dissolvido: -excesso de peixes ou algas e resto de alimentonão ingerido.Medidas para elevar o oxigênio na água:-aumentar a vazão de água no viveiro;-acionar aeradores no viveiro;-reduzir a alimentação (oferecer 25% do total) ouaté mesmo suspender o fornecimento por 1 a 2dias.
  10. 10. Principais parâmetros da água para piscicultura pH:Faixa ideal: 7,0 a 8,0Prejudica o crescimento: pH menor que 6,0 emaior que 10,0.Nos viveiros é importante evitar as variaçõesbruscas diárias de pH, para que isto nãoaconteça, é preciso que a água tenha umaconcentração de alcalinidade acima de 30 mg/L.
  11. 11. Principais parâmetros da água para piscicultura Amônia:NH3 + H2O ↔ NH4+ + OH-O NH3 é a principal forma de excreção denitrogênio pelos peixes.Níveis críticos: amônia não ionizada (NH3) maiorque 0,2 mg/L provoca toxicidade crônica aosorganismos aquáticos.NH3 entre 0,7 a 2,4 mg/L é letal.
  12. 12. Amônia Os peixes recebem Pelas alimento com brânquiasaltos níveis de ocorreproteína. Parte liberação dessas de NH3 proteínas sãoassimiladas. O restante será eliminado. Pelas fezes ocorre liberação de nitrogênio orgânico e fósforo.
  13. 13. Percentagem de amônia não ionizada (NH3)em função da temperatura e pH da água. pH Temperatura (ºC) 20 24 28 30 7,0 0,4 0,5 0,7 0,8 8,0 3,8 5,0 6,6 7,5 9,0 28,4 34,6 41,2 44,6 10,0 79,9 84,1 87,5 89,0 Figura de Arana (1997)
  14. 14. Principais parâmetros da água para piscicultura Fósforo:Ortofosfato é a forma assimilada pelofitoplâncton.Considerado o principal responsável pelaeutrofização artificial dos ecossistemaaquáticos. Eutrofização Deterioração da qualidade de água.
  15. 15. Principais parâmetros da água para piscicultura Transparência:Importante referencial para adubação do viveiro.Ideal para viveiros: entre 30 e 60 cm (coloração daágua levemente verde).Medição através do Disco de Secchi:
  16. 16. TransparênciaExemplo de reservatório eutrofizado:-baixa transparência com muitas algas. Figura de Tundisi & Tundisi (2008)
  17. 17. TransparênciaExemplo de reservatório eutrofizado:-muito fitoplâncton. Represa de Salto Grande em Americana /SP Foto: www.macrofitas.com.br
  18. 18. Principais parâmetros da água para piscicultura DBO:A demanda bioquímica de oxigênio (DBO) é aquantidade de oxigênio necessária para oxidar amatéria orgânica por decomposição microbianaaeróbia.
  19. 19. Propriedades do Sistema Aquático Físico Químico BiológicoA interação entre os fatores físicos,químicos e biológicos da água, torna o sistema aquático muito complexo.
  20. 20. Qualidade de água e produção de peixesPrincipais parâmetros da água parapiscicultura;Sistema de tanque-rede;Projeto de monitoramento;Principais considerações.
  21. 21. Sistema de tanque-rede VantagensUtilização dos recursos hídricos represados;Investimento 30 a 40 % menor em relação aos viveiros;Mobilidade do sistema de produção. DesvantagensLiberação dos resíduos diretamente nos corpos d’água;Possível escape de espécies exóticas.
  22. 22. Tanque-redeLiberam diretamente no ambiente aquático Produtos do Alimentos não metabolismo dos ingeridos peixes Fontes de Nitrogênio e Fósforo
  23. 23. Nitrogênio e FósforoPrincipais desencadeadores do processo de eutrofização Quebra no equilíbrio do sistema aquático Perda da qualidade da água
  24. 24. Eutrofização Perda da qualidade da água:Baixo teor de oxigênio dissolvido;Altos valores de DBO;Possível floração de cianobactérias... Inviabiliza o empreendimento
  25. 25. Ações Importantes Acompanhamento frequente daqualidade da água; Manejo alimentar adequado. Boas Práticas de Manejo Evitar a Eutrofização
  26. 26. Qualidade de água e produção de peixesSistema de tanque-rede;Projeto de monitoramento;Principais considerações.
  27. 27. Projeto de monitoramento Objetivo:Avaliar a influência dos tanques-rede nocomportamento das variáveis físicas,químicas e biológicas da água e na taxa desedimentação de material em suspensão,fósforo e alguns cátions em três estaçõesde coleta no reservatório de Ilha Solteira.Apoio Fapesp Processo nº07/59677-9
  28. 28. Projeto de monitoramento Metodologia:Àrea de estudo: piscicultura com 4,5ha,profundidade média de 14m com 240 tanques-rede (14 e 20m3).Amostragens mensais em 3 estações (P1, P2 e P3).Coletas pela manhã a 1,5m de profundidade.Armadilhas de sedimento colocadas a 30 e 70%de profundidade.
  29. 29. Projeto de monitoramentoMetodologia: Rio Paraná Rio Paraná
  30. 30. Projeto de monitoramentoMetodologia: Ponto 1 529 m 871 m Ponto 3 342 m Ponto 2
  31. 31. Projeto de monitoramentoMetodologia:
  32. 32. T em p eratu ra (ºC ) 21,0 22,0 23,0 24,0 25,0 26,0 27,0 28,0 29,0 30,0 31,0 Fe v/ M 08 ar / A b 08 r/ M 08 ai J u /0 8 n/ 0 Ju 8P1: 26,6 ± 2,4 l A g /0 8 Resultados o/ S e 08 t/ O 08 ut / No 08 v D e /0 8 z/ Ponto 1 J a 08 n/ Fe 0 9 v/ M 09 ar Ponto 2 / A b 09 r/P2: 26,6 ± 2,4 M 09 ai/ Ju 0 9 Temperatura (ºC) n/ 0 Ju 9 Ponto 3 l A g /0 9 o/ S e 09 t O /0 9 ut / No 09 v D e /0 9 z/ J a 09 n/P3: 26,6 ± 2,4 30,2ºC 10
  33. 33. O x ig ê n io (m g /L ) 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 Fe v/ M 08 ar / A b 08 r/ M 08 a i/ Ju 08 n/ 0 Ju 8 lP1: 7,3 ± 0,6 A g /0 8 Resultados o/ S e 08 t O /08 u t/ No 08 v D e /0 8 Ponto 1 z /0 Ja 8 n/ Fe 0 9 v/ M 09 ar / Ponto 2 A b 09 r/P2: 6,2 ± 0,9 M 09 a i/ Ju 09 n/ 0 Ponto 3 Ju 9 l A g /0 9 o/ Oxigênio Dissolvido (mg/L) S e 09 t O /09 u t/ No 09 v D e /0 9 z /0 Ja 9P3: 6,8 ± 0,8 n/ 10
  34. 34. pH 6,0 7,0 8,0 9,0 Fe v/ M 08 ar / A b 08 r/ 0 M 8 ai/ Ju 0 8 n/ 0 Ju 8 l/ Ag 0 8P1: 7,7 ± 0,2 Resultados o/ S e 08 t/ O 08 ut /0 No 8 v D e /0 8 z/ Ponto 1 J a 08 n/ Fe 0 9 v/ pH M 09 ar / Ponto 2 A b 09 r/ 0 M 9P2: 7,4 ± 0,2 ai/ Ju 0 9 n/ 0 Ponto 3 Ju 9 l/ Ag 0 9 o/ S e 09 t/ O 09 ut /0 No 9 v D e /0 9 z/ J a 09 n/P3: 7,6 ± 0,2 10
  35. 35. A m ô n ia (m g /L ) 0,00 0,10 0,20 0,30 0,40 0,50 0,60 0,70 Fe v/ M 08 ar / A b 08 r/ M 08 ai J u /0 8 n /0P1: 0,06 ± 0,08 Ju 8 l Resultados A g /0 8 o/ S e 08 t O u /0 8 t/ No 0 8 v D e /0 8 Ponto 1 z /0 Ja 8 n F e /0 9 v/ M 09 ar / Ponto 2 A b 09 r/ M 09 aiP2: 0,11 ± 0,10 Amônia (mg/L) J u /0 9 n /0 Ponto 3 Ju 9 l A g /0 9 o/ S e 09 t O u /0 9 t/ No 0 9 v D e /0 9 z/ J a 09 n /1 0P3: 0,07 ± 0,07
  36. 36. FID (ug/L) 0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0 120,0 140,0 Fe v/ M 0 ar 8 / A 08 br / M 08 ai / Ju 08 n/ 0P1: 13,4 ± 20,3 Ju 8 l/ Resultados A 08 go /0 Se 8 t/ O 08 ut / N 08 P1 ov / D 08 ez / Ja 08 n/ P2 Fe 0 9 v/ M 09 ar / A 09 br / P3 M 09 aiP2: 22,1 ± 33,7 / Fósforo ( g/L) Ju 09 n/ 0 Ju 9 l/ A 09 go /0 Se 9 t/ O 09 ut / N 09 ov / D 09 ez / Ja 09 n/ 10P3: 12,8 ± 16,5
  37. 37. Transparência (m) 0,0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 Fe v/0 M 8 ar /0 Ab 8 r/ 0 M 8 ai/ 0 Ju 8 n/ 0 Ju 8 l/P1: 4,3 ± 1,6 Ag 0 8 o/ Resultados 0 Se 8 t/ O 08 ut /0 No 8 v D e / 08 z/ 0 Ponto 1 Ja 8 n/ 0 Fe 9 v/0 M 9 ar /0 Ponto 2 Ab 9P2: 4,0 ± 1,3 r/ 0 M 9 ai/ 0 Ju 9 n/ 0 Transparência (m) Ponto 3 Ju 9 l/ Ag 0 9 o/ 0 Se 9 t/ O 09 ut /0 No 9 v D e / 09 z/ 0P3: 3,9 ± 1,2 Ja 9 n/ 10
  38. 38. DB O (mg/L) 0,0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0 Fe v/0 M 8 ar /0 Ab 8 r/ M 08 ai/ Ju 0 8 n/ 0 Ju 8P1: 2,0 ± 1,1 l/ Ag 0 8 Resultados o/ Se 08 t/ O 08 ut / No 0 8 v D e /08 z/ 0 Ponto 1 Ja 8 n/ Fe 0 9 v/ M 09 ar / Ponto 2 A b 09P2: 2,8 ± 1,5 r/ DBO(mg/L) M 09 ai/ Ju 0 9 n/ 0 Ponto 3 Ju 9 l/ Ag 0 9 o/ Se 09 t/ O 09 ut / No 0 9 v D e /09 z/ 0 Ja 9P3: 2,7 ± 1,2 n/ 10
  39. 39. ResultadosTaxa de sedimentação de material em suspensão g/m2.dia: P1: 113,3 ± 78,2 P2: 254,1 ± 125,0 P3: 102,8 ± 52,2Taxa de sedimentação de fósforo total g/m2.dia: P1: 30,4 ± 15,0 P2: 83,8 ± 30,6 P3: 32,9 ± 12,0 •Mesmo os resultados no P2 foram considerados baixos em relação aos dados da literatura.Taxas de sedimentação dos cátions: Cobre e cádmio não foram detectados; Zinco e manganês não ultrapassaram valores do limite de detecção do equipamento analítico (5,0 µg/m2.dia).
  40. 40. ResultadosClorofila “a” g/L: P1: 0,7 ± 0,5 P2: 0,9 ± 0,5 P3: 0,9 ± 0,5•Valores baixos de clorofila.Fitoplâncton:•Durante todo o estudo foram observados baixosvalores de densidade e de dominância, característicasde ambientes oligotróficos.
  41. 41. Projeto de monitoramento Principais considerações:O sistema de piscicultura em tanques-redeprovocou uma perturbação de baixa intensidade;A sobrecarga de nutrientes, oriunda do manejo dacriação de peixes, não ultrapassou a capacidadede suporte;Não houve indícios de incremento na concentraçãode nutrientes na área da piscicultura;
  42. 42. Projeto de monitoramento Principais considerações:O local onde foi instalada a piscicultura, na áreaaquícola Ponte Pensa, apresenta característicashidrodinâmicas favoráveis, que permitiram umaexcelente dispersão dos nutrientes oriundos dasobrecarga orgânica da criação de tilápias;
  43. 43. Bibliografia consultada e sugeridaArana, L.V. Princípios químicos de qualidade da água em aquicultura: uma revisão para peixes e camarões. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1997. 166p.Ayroza, D.M.M.R.; Furlaneto, F.P.B.; Ayroza, L.M.S. Regularização dos projetos de tanques-rede em águas píblicas continentais de domínio da união no estado de São Paulo. São Paulo:IP/APTA, 2006. 32p.Baldisseroto, B. Fisiologia de peixes aplicada à piscicultura. Santa Maria: Ed. UFSM, 2002. 212p.Ceccarelli, P.S.; Senhorini, J.A.; Volpato, G. Dicas em piscicultura: perguntas e respostas. Botucatu: Santana Gráfica e Editora, 2000. 247p.Tundisi, J.G. e Tundisi, T.M. Limnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 631p.

×