Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Investimento privado em pesquisas chega a 21%

140 views

Published on

O coordenador da APTA, Orlando Melo de Castro, falou sobre o aumento do investimento privado nas pesquisas da Agência, em matéria publicada no Correio Popular, em 16 de janeiro de 2018.

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Investimento privado em pesquisas chega a 21%

  1. 1. Investimentoprivadoem pesquisaschega a 21% “Embora a patente seja da instituição em que a pesquisa foi desenvolvida, o investidor tem direito de exploração exclusiva.” PARTICIPAÇÃO ||| AVANÇO Não considero nem amoral nem imoral todos aqueles que perderam ações na Justiça do Trabalho Coordenador da Apta Fecha-bar na pauta ORLANDO MELO DE CASTRO Maria Teresa Costa DA AGÊNCIA ANHANGUERA teresa@rac.com.br A participação da iniciativa privada nas pesquisas agríco- las desenvolvidas pelos insti- tutos paulistas cresceu de 19% em 2016 para 21% no ano passado e a perspectiva é chegar, este ano, a 25%. As parcerias com a indústria de agronegócio em 2017 rende- ram R$ 61,1 milhões, equiva- lentes a 26% do orçamento global de R$ 217,2 milhões dos seis institutos ligados à Agência Paulista de Tecnolo- gia do Agronegócio (Apta), vinculada à Secretaria de Agricultura do Estado. Quatro institutos estão em Campinas e região: Instituto Agronômico (IAC), Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), Instituto Biológico (IB) e Instituto de Zootecnia. A Apta tem ainda o Instituto de Economia Agrícola (IEA) e Instituto de Pesca (IP). O crescimento do investi- mento privado em pesquisa, apesar da crise econômica, foi possibilitado por algumas mudanças na legislação que estabeleceram novas regras na relação entre instituições públicas de pesquisa e o se- tor privado, disse o coordena- dor da Apta, Orlando Melo de Castro. “As novas regras possibilitaram que as institui- ções passassem a ser mais procuradas para parcerias em pesquisas”, afirmou. Regras Cada instituto tem núcleos de inovação tecnológica (NITs), que começaram a ser implantados em 2016 para ampliar a participação da ini- ciativa privada nos projetos de pesquisa das instituições. Novas regras dessa relação, estabelecidas a lei federal do Marco Legal da Ciência, Tec- nologia e Inovação e tam- bém por portaria do Estado, estão facilitando o trabalho entre os institutos e as em- presas. A Apta definiu que um ter- ço do direito auferido pela pesquisa cabe ao pesquisa- dor. A patente do que for de- senvolvido na parceria é do instituto de pesquisa e o direi- to de exploração é da empre- sa que financiou o projeto. A legislação anterior defi- nia que a patente obtida por um projeto de pesquisa em instituição pública, mesmo que tivesse recursos priva- dos, seria sempre pública. “Isso inibia as empresas em investir em pesquisa, mas a mudança na legisla- ção trouxe uma segurança ju- rídica ao investidor, porque embora a patente seja da ins- tituição em que a pesquisa foi desenvolvida, o investi- dor tem direito de explora- ção exclusiva. Os institutos passaram a ser mais procura- dos pelo setor privado”, afir- mou Castro. Patentes A agência depositou no ano passado seis pedidos de pa- tente junto ao Instituto Na- cional de Propriedade Indus- trial (INPI) e mais cinco em cotitularidade com empre- sas, e registrou 25 cultivares de plantas. As pesquisas desenvolvi- das em parceria com institui- ções públicas e a iniciativa privada são registradas de forma conjunta. Além disso, a secretaria poderá permitir o uso compartilhado de suas instalações para que as insti- tuições de pesquisa possam desenvolver suas técnicas e estudos, desde que estejam direcionadas ao agronegó- cio. O pesquisador também ganha: ele passou a ter parti- cipação no lucro dos produ- tos e serviços desenvolvidos. Com as novas regras, a agência paulista passou a fa- zer um trabalho mais direto com os presentantes de em- presas para apresentar as pos- sibilidades de pesquisa. Castro espera bons frutos para este ano, especialmente no setor de cana-de-açúcar, que deve aumentar os investi- mentos em novos cultivares, e também em controle bioló- gico. “Precisamos agora aumen- tar o fomento federal para projetos maiores e de longo prazo — no ano passado, do total investido em pesquisa, R$ 7,6 milhões vieram de re- cursos da Embrapa Café, do Finep e da fundação estadual Fapesp.” Bens bloqueados Imposto O Movimento Brasil Li- vre (MBL) de Campinas es- tá organizando manifesta- ção para domingo, às 10h, no Largo do Rosário, con- tra o aumento do Imposto Predial e Territorial Urba- no (IPTU). O MBL conside- ra o aumento, de até 30% anunciado, abusivo. Velocidade O presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, anun- ciou a redução de velocida- de em mais quatro vias da cidade. As avenidas João Jorge, Alberto Sarmento, Amoreiras e Prestes Maia, sairão de 60 km/h para 50 km/h. Lixo O vereador Carmo Luiz (PSC) prepara projeto de lei para que as empresas de coleta de lixo em Campinas sejam obrigadas também a recolher restos de podas de árvores, móvies e outros re- síduos não tóxicos. Segun- do ele, como existem pou- cos ecopontos, o material acaba ficando pelas ruas. Tarifa A passagem dos ônibus intermunicipais na Região Metropolitana de Campi- nas está mais cara a partir de hoje. O passageiro vai pagar, em média, 4,06% a mais. Creche O prefeito de Vinhedo, Jaime Cruz (PSDB), disse que consegiu reduzir em 78% a lista de espera por va- gas em creche em 2017 e al- cançou a marca história de vagas encaminhadas num mesmo ano: mais de 1.300 vagas. Na cidade, 134 crian- ças ainda esperam uma va- ga. Investimentos A região de Campinas foi a terceira preferida no Estado na atração de inves- timentos em 2017, especial- mente os estrangeiros. De um total de R$ 3,6 bilhões anunciados, 22% foram des- tinados à região, que ficou atrás apenas da Capital e de Bauru, que têm 28% ca- da. Receitas As prefeituras da RMC projetam um crescimento de 2,8% nas receitas muni- cipais este ano. A previsão das 20 cidades é arrecadar R$ 13,6 bilhões. Campinas tem a maior previsão de re- ceita, de R$ 5,6 bilhões e Paulínia, a segunda, com R$ 1,56 bilhão. Mudança em lei facilitou parcerias; agronegócio teve maior alta Democratas na luta O ex-prefeito de Valinhos Marcos José da Silva (PMDB) e o ex-secretário de Liticações Jorge De Lucca tiveram o bens, no valor R$ 2 milhões, bloqueados pela Justiça em ação movida pelo Ministério Público por irregularidade na contratação de um escritório de advocacia. O contrato, sem licitação, visou apurar valores, levantar dados e a recuperação de pagamentos indevidos, a título de contribuição previdenciária junto à Receita Federal. O valor bloqueado, segundo a juiza da 3ª Vara da cidade, Bianca Coatti, visa garantir o ressarcimento ao erário. MARIA TERESA COSTA Xeque-Mate Os Democratas (DEM) de Campinas adotaram a meta de chegar ao final do ano com mais que o dobro dos filiados atuais. O presidente da legenda, Valter Greve, quer sair dos atuais 2.265 e chegar a 5 mil filiados. Ele não acha que será tão difícil. O partido em Campinas terá candidato a deputado federal, não definido, e estadual (o vereador Campos Filho) e contará ainda com Rodrigo Garcia, atual secretário de Habitação de Alckmin, para o governo do Estado. Produtos resultados de pesquisas no Instituto Agronômico de Campinas: parcerias no agronegócio em 2017 renderam R$ 61,1 milhões no Estado teresa@rac.com.br Associado à Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) Noticiário nacional fornecido pela Agência Estado. Noticiário internacional enviado pela France Press. Rua 7 de Setembro, 189 - Vila Industrial - CEP 13035-350 - Campinas-SP (019) 3772-8000 - FAX (019) 3772-8144 e 3772-8142 - http://www.cpopular.com.brTelefone PABX Endereço Internet: 3736-3199 - FAX (019) 3736-3101Diretoria - Telefone PABX PUBLICIDADE Telefones: (019) 3736-3085 e 3736-3086 - Fax (019) 3736-3101 - Tele-Correio Telefone 3736-3000 (Classificados por telefone) Tele-Correio discagem gratuita (0800) 14-1515. SUCURSAL DE SÃO PAULO Rua Tabapuã, 821 - 11º andar - cj. 112 Bairro Itaim Bibi - CEP 04533-013 - SÃO PAULO-SP Telefone (0xx11) 3704-1600 REPRESENTAÇÕES: Brasília (DF) - Consulta Consultoria e Comunicação Ltda. SHIS Qi 17 - Conj. 16 casa 5 - Lago Sul - Brasília - DF - 71.645-160 Fones(61)3226-6462 / 3323-1327 Fax(61) 3226-6480 Curitiba(PR)- Av. Candido Abreu, 776 - sl 1803 Centro Cívico - Curitiba - PR - CEP 80530-000 Fone/Fax (41) 3014-8887 Florianópolis(SC) - Rua Cruz e Souza, 550- Sl 08 Palhoça - SC - CEP - 88133.430 Fones: (48) 3034-2920/3341-5203 Rio de Janeiro - Av. Graça Aranha, 145 - Grupo 902 Castelo - Cep 20230-003 Fone (21) 2524-2457 Fax (21)2262-0130 ASSINATURAS: Novas Assinaturas e Disque-Bancas/Atendimento ao Jornaleiro: 3736-3200/3116-3200. Preço promocional assinatura anual à vista...............................................................R$ 818,00 Preço promocional assinatura mensal: .....................................................................................R$ 74,90 Consulte nossas condições especiais de pagamento. PUBLICIDADE LEGAL: 3736.3085 e 3736.3076 SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO ASSINANTE saa@rac.com.br WhatsApp (19) 97152-3041 3736-3200/3116-3200 O Jornal Correio Popular é produzido e comercializado por Correio Popular S/A, em parceria com as empresas Grande Campinas Editora e Gráfica Ltda. e Metropolitana Comunicação, Empreendimentos e Participação Ltda. A legislação para regular bares, restaurantes e lanchonetes que funcionam a partir das 22h em Campinas vai retornar à pauta. O líder de governo na Câmara, Marcos Bernardelli (PSDB), informou ontem que vai se reunir com o secretário de Planejamento, Carlos Augusto Santoro, para retomar a discussão. Ele defende a implantação de três faixas de horários de funcionamento, com exigências de alvará diferenciadas para cada faixa, e que a lei seja elaborada em parceria com comerciantes, vereadores, Prefeitura, MP e população. Do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marum, sobre a indicação de Cristiane Brasil (PTB) para o Ministério do Trabalho. Região de Campinas é sede de quatro grandes institutos SAIBA MAIS Orçamento da Agência Paulista de Tecnologia do Agronegócio Tesouro do Estado de São Paulo Pessoal 208.303.005,72 201.934.276,32 Investimento 476.665,77 3.009.535,32 Custeio 11.844.399,60 12.256.714,38 Total 220.624.071,09 217.200.526,02 Outras Fontes Captação Privada (pesquisa, bens e serviços) 58.129.033,39 61.130.089,02 Recursos Federais 7.442.195,04 7.672.315,98 FAPESP 6.024.582,31 7.719.978,66 Total 71.595.810,74 76.522.383,66 Total Geral de Recursos APTA 292.219.881,83 293.722.909,68 Tesouro do Estado de São Paulo Total 220.624.071,09 217.200.526,02 Outras Fontes Total 71.595.810,74 76.522.383,66 Total Geral de Recursos APTA 292.219.881,83 293.722.909,68 2016 2017 2016 2017 Editoria de Arte/AAN Cedoc/RAC A8 CORREIO POPULARA8 Campinas, terça-feira, 16 de janeiro de 2018 CIDADES

×