Hlb manejo e desafios

2,753 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,753
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
308
Actions
Shares
0
Downloads
138
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Hlb manejo e desafios

  1. 1. Huanglongbing dos citros Marcos A. Machado Centro de Citricultura Sylvio Moreira Instituto Agronômico Cordeirópolis, SP marcos@centrodecitricultura.br
  2. 2. Huanglongbing dos citros: nomes •  Taiwan: likubin (decline) •  Índia: dieback •  Filipinas: leaf mottle •  Indonésia: vein phloem degeneration •  África do Sul: greening ou yellow branch •  China: huang (amarelo) long (dragão) bing (doença)
  3. 3. I Simpósio de Proteção de Plantas Huanglongbing dos citros: importância Flórida ASIÁTICO Estado de Minas Gerais, em 2006 Estado do Paraná, em 2007 Cortesia: Fundecitrus
  4. 4. Huanglongbing dos citros: sintomas Folhas Clorose difusa Clorose generalizada Suberização da nervura Mosqueamento
  5. 5. Huanglongbing dos citros: sintomas Frutos Feixes amarelos Redução de tamanho Sementes abordadas Formato irregular
  6. 6. Huanglongbing dos citros: sintomas Sintomas na Planta Inteira Morte ponteiros ´Dragão´ Declínio geral Desfolha ´Dragão´ Desfolha • Queda de frutos Declínio geral
  7. 7. ´Dragão Amarelo´ Foto: E.F.Carlos
  8. 8. Huanglongbing dos citros: sintomas Sintomas Foliares Semelhantes CVC Gomose Pragas Zn-/Blight Rubelose CTV
  9. 9. Huanglongbing dos citros: sintomas Sintomas Foliares Semelhantes Clorose assimétrica Clorose simétrica (mosqueado)
  10. 10. Huanglongbing dos citros: danos •  Queda de folhas •  Queda de frutos •  Reduz produtividade •  Afeta a qualidade dos frutos •  Declínio geral da planta •  Morte
  11. 11. Huanglongbing dos citros: etiologia •  Bactéria Gram-negativa •  Restrita ao floema •  Cultivada em 2009 (Phytopatology) •  3 espécies: –  Candidatus Liberibacter africanus –  Ca. L. asiaticus –  Ca. L. americanus
  12. 12. Candidatus Liberibacter spp: diagnóstico Nelson Wulff
  13. 13. Candidatus Liberibacter spp: diagnóstico 16S rDNA
  14. 14. Candidatus Liberibacter spp: diagnóstico Ca. L. asiaticus Sonda Taqman 16S rDNA Ca. L. americanus f (PCR) = 2*c (até fase linear) ∆Ct = CtA – CtB Log (quantificação) DesPad CV% Produto menor, mais eficiente
  15. 15. Candidatus Liberibacter spp: diagnóstico
  16. 16. Huanglongbing dos citros: transmissão
  17. 17. Candidatus Liberibacter spp: hospedeiros experimentais Transmissão da bactéria de citros para Catharantus roseus e tabaco (Nicotiana tabacum) por Cuscuta
  18. 18. Candidatus Liberibacter spp: hospedeiros experimentais Enriquecimento da bactéria : título Concentração de Liberibacter: 8X maior em vinca que citros
  19. 19. Candidatus Liberibacter spp. Aquisição e multiplicação da bactéria no vetor Dias de alimentação 18S 20 7 0 ∆Ct = 37 – 31 = 6 cycles = 26 = 64 x in 20 days 0 20
  20. 20. Candidatus Liberibacter spp. Distribuição da bactéria na planta A) Ramo dragão C) Cloroses assimétricas B) Cloroses assimétricas E) Raízes D) Ramos sem sintomas foto: E.F.Carlos
  21. 21. Candidatus Liberibacter spp. Distribuição da bactéria na planta Dragão amarelo Clorose assimétrica Sem sintoma Experimento: A BeC D -5 plantas -2 reações/amostra -reações duplex (18S +Ca.L.am.) E.F.Carlos Sonda: 18S Sonda: Ca. L. americanus A B D C Folhas assintomáticas podem ser fonte da bactéria ∆Ct = CtD – CtABC = 42 – 31 = 11 ciclos: ABC > D 2*11 = 2048 x
  22. 22. Candidatus Liberibacter spp. Distribuição de espécies de Ca. Liberibacter em São Paulo
  23. 23. Huanglongbing dos citros: resistência varietal Hospedeiros Conclusões: ausência de resistência
  24. 24. Huanglongbing dos citros: epidemiologia Distribuição no Estado de São Paulo Fundecitrus
  25. 25. Huanglongbing dos citros: epidemiologia Progresso do HLB no Estado de São Paulo Fundecitrus
  26. 26. Epidemiologia (“efeitoSimpósio de Proteção de Plantas I vizinho”) Huanglongbing dos citros: epidemiologia Fundecitrus
  27. 27. Huanglongbing dos citros: pesquisa -  Diagnóstico: precoce e confiável -  Patógeno: cultivo e genoma -  Transmissão por sementes (?) -  Prevalência de Ca. L. asiaticus -  Vetor: biologia, ninfas x adultos na aquisição -  Controle biológico x controle químico -  Repelentes do vetor -  Hospedeiro: plantas geneticamente modificadas -  Epidemiologia
  28. 28. Huanglongbing dos citros: manejo Plantas resistentes •  Seleção massal •  Melhoramento •  Transgenia Alteração do ambiente: •  Nutrição •  Adensamento •  Irrigação •  Porta-enxerto Controle da bactéria •  Antibióticos •  Redução do inóculo Controle do vetor •  Biológico •  Físico •  Químico
  29. 29. Huanglongbing dos citros: manejo Redução da fonte de inóculo e da população do vetor -  Mudas sadias -  Fazer amostragens das mudas antes de sair do viveiro (RT-qPCR) -  Erradicação de plantas doentes -  Intensificar as vistorias e erradicação no outono/ inverno para que a vegetação da primavera não sirva como fonte de inóculo -  Início de controle com baixa incidência -  Inspeções mais frequentes e manejo diferencial de psilídeos em áreas com maior incidência de HLB (bordas, baixadas, pequenos talhões, plantios novos, vizinhos descuidados...) -  Coletar psilídeos de áreas problema e testar para Liberibacter -  Caso positivo: intensificar o controle do inseto -  Procurar saber se há gradiente de intensidade da doença (função da predominância do vento, vizinho descuidado etc.)
  30. 30. Huanglongbing dos citros: manejo -  Fazer vistorias em pomares velhos teoricamente com baixo nível de infecção -  Aumentar o número de vistorias na parte alta da planta (para detectar infecções iniciais/ primárias) -  Manter um rígido controle do psilídeo (outono, inverno) e durante brotação intensa (primavera) -  Monitorar a presença de ninfas (quando presentes, utilizar produtos que as controlem) -  Se mudas são disponíveis e se possível manejo de replantas – melhor replantar -  Reformas com plantio adensado
  31. 31. Huanglongbing dos citros: legislação -  Praga quarentenária A2 -  IN 10: diagnóstico de planta individual, inspeção, coleta, diagnóstico sob responsabilidade do Governo. -  IN 32: diagnóstico de planta individual, inspeção, coleta e diagnóstico sob responsabilidade de produtor e do Governo -  IN 53: diagnóstico por talhão, nota de corte (28 %), inspeção, coleta e diagnóstico sob responsabilidade de produtor. Governo tem ação de fiscalização. HLB é uma doença de manejo
  32. 32. Huanglongbing dos citros O que o HLB já trouxe à citricultura?
  33. 33. Huanglongbing dos citros O que a citricultura necessita para sobreviver ao HLB?   Ações rápidas de supressão da doença (urgência de curtíssimo prazo)   Eficiente pacote tecnológico de manejo (curto a médio prazo)   Variedades tolerantes ou resistentes (longo prazo)
  34. 34. Huanglongbing dos citros: é possível prevenir? Monitorar o que? - Plantas com sintomas: a doença já está presente há pelo menos um a dois anos. - Matrizes e viveiros. - Psilídeos infectivos: a doença pode estar em fase inicial ou ainda não se estabeleceu. Como monitorar? - Levantamento amostral e teste com PCR (Infra-estrutura local para diagnóstico).
  35. 35. Obrigado marcos@centrodecitricultura.br

×