Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fertilizantes E Substratos na Produção de Mudas De Oliveira

1,757 views

Published on

Fertilizantes E Substratos na Produção de Mudas De Oliveira
Fabíola Villa
Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE).

Published in: Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Fertilizantes E Substratos na Produção de Mudas De Oliveira

  1. 1. FERTILIZANTES E SUBSTRATOS NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE OLIVEIRAProfessora Adjunta, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE). E-mail: fvilla2003@hotmail.com
  2. 2. INTRODUÇÃO• O uso de bons substratos e fertilização adequada são alguns dos principais fatores para a produção de mudas de qualidade • A utilização de substratos de qualidade e fertilização adequada são fatores que podem contribuir para amenizar a dificuldade na obtenção de mudas sadias.
  3. 3. • Um substrato que mantenha umidade adequada e uma adubação equilibrada até a fase final de produção da muda ajudará a produzir mudas vigorosas
  4. 4. • O uso de adubos de liberação lenta vem sendo estudado em várias culturas devido aos seus benefícios na produção de mudas.• Estes fornecerem nutrientes gradualmente às plantas, por um período determinado, geram vantagens como menor freqüência de aplicação, evitam injúrias às sementes e raízes, e são pouco suscetíveis a perdas
  5. 5. OBJETIVO• Testar diferentes substratos e doses de adubo de liberação lenta na produção comercial de mudas de oliveira
  6. 6. MATERIAL E MÉTODOS• O trabalho foi conduzido na Fazenda Experimental da EPAMIG, Maria da Fé, MG, a partir de março de 2009.• O delineamento experimental utilizado foi em parcelas subdivididas no tempo, em esquema fatorial 2 x 4, sendo 2 substratos (Provaso® e Plantmax®) e 4 doses de Osmocote® na formulação 15-10-10 (0,0; 2,0; 3,0 e 4,0 kg.m-³), com 3 repetições e 3 plantas/parcela
  7. 7. • Foram utilizadas mudas da cv. ‘Arbequina’ com aproximadamente 15 cm transplantadas em embalagens de polietileno preto.
  8. 8. • As mudas foram mantidas em viveiro telado com 50% de luminosidade;• As avaliações ocorreram a cada 20 dias, medindo altura do colo ao ápice e diâmetro da base;• Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância pelo teste F a 5% de probabilidade. O programa utilizado para as análises estatísticas foi o Static Analysis System (SAS Institute, 1998).
  9. 9. RESULTADOS E DISCUSSÃO• De acordo com a análise de variância, verificou-se efeito significativo para doses de Osmocote® e substratos para as duas variáveis analisadas. Para altura e diâmetro das plantas houve interação entre substrato, dose e época.• As mudas apresentaram altura máxima estimada de 38 cm quando foi aplicado 3 Kg.m-3 de Osmocote®, para as mudas colocadas no substrato Plantmax®, aos 50 dias de avaliação. A partir dessa dose houve efeito contrário, caracterizado como super dosagem.
  10. 10. • Para o substrato Plantmax®, os valores médios encontrados para altura das plantas atingem 34 cm quando se aplica 3 Kg.m-3 de Osmocote®, verificada aos 50 dias de aplicação. Para o substrato Provaso®, a altura máxima encontrada foi 31 cm, utilizando-se a aplicação de 3 Kg.m-3 de Osmocote®. Esses valores são encontrados aos 50 dias sendo, portanto, o substrato com desempenho inferior ao Plantmax®.
  11. 11. • O maior diâmetro do colo das mudas foi 6 mm, obtido com a dose de 2 Kg.m-3 do fertilizante, aos 50 dias, quando essas foram transplantadas para o substrato Plantmax®.
  12. 12. CONCLUSÕES• Doses até 2 Kg.m-3 e 3 Kg.m-3 de Osmocote® são indicadas para a obtenção de mudas com diâmetro de 6 mm e 38 cm de altura, respectivamente, aos 50 dias.• O substrato Plantmax® proporcionou melhores condições ao desenvolvimento das plantas.
  13. 13. OBRIGADA

×