Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Correio Popular - 4/3

67 views

Published on

Há 50 anos

Published in: Business
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Correio Popular - 4/3

  1. 1. Previdência Eliana França Leme Psicóloga, Campinas Embora a reforma da Previdência seja fundamental para o avanço econômico do País, é desalentador constatar a dificuldade que foi convencer parlamentares a se engajarem nessa causa que nos faria dar um salto qualitativo do ponto de vista politico e econômico. Mas a resistência encontrada foi visceral, como se direitos fossem retirados dos trabalhadores, em vez de garantir suas aposentadorias no futuro. E não foi por falta de explicações, de publicidade, mostrando as vantagens que adviriam desta pré-reforma. Até o presidente da Câmara fez corpo mole. O que dizer do PSDB que se negou a apoiar algo que já foi uma de suas bandeiras? E das fake news divulgadas maldosamente pelos que temem perder privilégios inconcebíveis ou pelos que desejam o quanto pior, melhor? Temer fez o que pode. Quando se deram conta de que seria muito mais grave a reforma não passar na Câmara, Temer e seus aliados desistiram. Veículos oficiais Maurício de Souza Arruda Médico, Campinas É vergonhosa a proposta do vereador Galterio contrária à identificação dos veículos oficiais dos vereadores, pagos por nós, alegando a violência do trânsito e de pessoas a que ficam expostos e que a população da periferia acha que o vereador tem alto salário. E não tem? Está preocupado com a “malandragem”? Quem paga o estepe do carro oficial quando é furtado? Nós, munícipes pagadores de impostos. E quem é que paga os estepes, os para-brisas e os carros roubados dos servidores públicos da saúde e da educação que trabalham na mesma periferia que o senhor tanto teme? Esses servidores prestam um serviço muito mais útil e relevante que o do senhor, por um salário bem menor e não podem colocar na conta do erário, seus prejuízos! Educação André Luis Coutinho Engenheiro, Campinas Muito se fala na crise do sistema de ensino no Brasil, na crise da educação. Em geral, a culpa é da falta de recursos. Após anos e anos de blá-blá-blá, percebe-se que outro grande problema mesmo é a falta de honestidade e caráter de professores (fazendo política partidária e ameaçando alunos, não cumprem a carga horária e nem sequer comparecem às aulas), dos alunos (que não estudam e não têm respeito pela escola e pelos professores), pais (que não participam da vida dos filhos, que acham que seus filhos têm de ser aprovados sem estudar) e dos administradores (servidores públicos irresponsáveis, corruptos e que desviam dinheiro). Depois de 1982, o sistema público de escolas começou a definhar. Fiz escola pública por toda minha vida e eram escolas referência tanto do ponto de vista curricular como pela capacidade de seus professores em ensinar e formar gente de caráter. Eleições 2018 Oswaldo Real Pedagogo, Campinas É voz quase unânime afirmar que boa parte dos nossos congressistas preocupam-se mais com sua reputação que com sua firmeza de atitudes. Um filósofo dizia que é difícil encontrar um homem correto. Em vista disso, o eleitor terá que ter um permanente espírito crítico para não entrar no esquema do que é baixo e superficial. A hora é chegada do eleitor somar as derrotas que fez quando votou em candidatos medíocres e fazer valer seu voto em pessoas honestas e dignas de respeito. Se você votou mal até agora, não tenha arrependimento. Um novo começo é um novo fim. Cadeirantes Roberto Bueno Sobrinho Auxiliar, Campinas No dia 26/02, às 11h02, eu estava no ônibus circular número 403, que faz a linha 381, e me surpreendi. O ônibus parou na Avenida Benjamin Constant, perto do Super Mercado Assai, para embarcar um cadeirante. O mesmo não pode embarcar, porque o sistema não funcionou. O motorista tentou várias vezes descer a rampa, mas não conseguiu. E falou para a pessoa que tinha que esperar outro carro, porque estava quebrado. Isso se deve à má administração do prefeito, a única coisa que ele sabe fazer é prometer e não cumprir. Lamentável. Traficante Vaulber B. Pellegrini Programador, Campinas Para o sr. Frederick Barbieri, um grande traficante de armas, seria uma benção ser extraditado para o Brasil e uma benção ainda maior seria se ele fosse julgado pelo ministro Gilmar Mendes, o doutor “habeas corpus”. Aliás, quando você quiser que seu arroz fique realmente bem soltinho é só repetir o nome Gilmar Mendes, por três vezes. É “ripa na chulipa e pimba na gorduchinha” como dizia o grande comentarista Osmar Santos! Pedágios Paulo Panossian Jornalista, São Carlos As concessionárias de rodovias federais, além de aumentos de pedágio bem acima da inflação, também não cumprem contratos, como de importantes obras que deveriam realizar nestas rodovias. Quem faz essa denúncia é o próprio Tribunal de Contas da União, que constata no levantamento feito em 9,9 mil quilômetros de estradas federais transferidas para iniciativa privada, em que há casos de reajustes no preço de pedágio de até 70% acima da inflação, desde o período da assinatura do contrato e obras contratuais não concluídas. O que surpreende é que esses reajustes acima da inflação foram autorizados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres. Muito estranho, mas é bom lembrar que membros do governo do Paraná foram presos pela Polícia Federal por corrupção. (…) SIM Você substitui marcas de produtos para economizar nas contas do supermercado? A célebre expressão atribuída ao dramaturgo e jornalista Nelson Rodrigues de que a “unanimidade é burra”, embo- ra a própria frase ofereça a possibilidade de contestação, carrega o óbvio entendimento de que toda narrativa com- porta divergências. Sendo natural essa compreensão, tem- se por consequência ser saudável e desejável que as ideias eopiniões sejam assim expostas, sem patrulhamento,pres- sões e juízos, o que ofereceria ao debate de alto nível um mosaico inteligente, capaz de colaborar para a formação daopinião pública, sem extremismos. A sociedade contemporânea tem sido privilegiada por con- tar com amplo sistema para di- fusão das informações, uma realidade construída com o avanço vertiginoso da tecnolo- gia, garantindo voz e oportuni- dade deexpressão àesmagado- ra maioria. Somos 4 bilhões de almas conectadas em algum dispositivo no planeta, capita- neadospor gigantescomo Goo- gleeFacebook,eenvolvidosnu- mateia robusta, aque classificamos de redes sociais. Esse fenômeno extraordinário alterou as relações da so- ciedade, transformou comportamentos e permitiu incontá- veis oportunidades. Seja voltada para fins profissionais e acadêmicos,seja apenaspara aproximar as pessoas eofere- cer momentos de entretenimento, seja para a mobilização popular, a rede social ancora atualmente parte da engrena- gem mundial, sem exageros. Mas longe de satanizá-la, essa teia gigantesca tem sido transformada num verdadeiro tribunal de justiçamento, um ambiente para destilação de ódio e perseguição políti- co-ideológica, que descaracteriza sua essência e lhe rouba sua vocação para o congraçamento. Parte dessa roupagem é explicada, no Brasil, pela polarização da política nos últi- mos anos, uma cisão profunda na sociedade que afastou amigos e parentes em nome de suas próprias convicções. Nesse movimento maniqueísta, alimentado pela perigo- sa divisão do “bem” contra o “mal”, é possível se afirmar, com segurança, que não há vencedores. Ao contrário, per- de-se a grande chance de se aprofundar o debate sadio e construirsoluções baseadas no respeito, bom-sensoeequi- líbrio. Quando o contraditório deveria ser a oportunidade para a troca das ideias, ele passa a ser um propagador de impropérios, geralmente resumido aconversas simplistas. Nas bolhas virtuais que navegam pela rede tem prevale- cido,em grande parte, o viés de confirmação, ou seja, atris- te repetição de que se lê e se compartilha apenas e tão so- mente aquilo em que se acredita, baseado em crenças e hi- póteses iniciais. A rede está sedentapor internautas que ex- pandam suas visões e que tenham a humildade de, se for o caso,rever seus próprios conceitos. O Correio Popular publica as opiniões de seus leitores sobre temas de interesse coletivo. As cartas devem conter no máximo 15 linhas, cerca de 700 caracteres com espaços, medidos pelo Microsoft Word. A Redação se dá o direito de publicar os textos parcial ou integralmente. Fica a critério do jornal a seleção de cartas para ilustração com fotos, que serão produzidas exclusivamente pelos fotógrafos do Correio. As cartas para o Correio do Leitor devem ser enviadas para Rua 7 de Setembro, 189 - Vila Industrial - CEP 13035-350 ou por e-mail: leitor@rac.com.br = Cartas devem ser acompanhadas de: nome completo, endereço, profissão e telefone de modo a permitir prévia confirmação. = Opinião dos colunistas não reflete a opinião do jornal. Correio do Leitor O NOSSO OBJECTIVO 78,72% Você costuma expressar sua, posição política nas redes sociais? Publicado por Correio Popular S/A - Fundado em 4/9/1927 PERGUNTA DE ONTEM Diretor Presidente Sylvino de Godoy Neto Diretor Superintendente Adhemar J. de Godoy Jacob Diretor de Planejamento Marco Aurélio Matallo Pavani Diretor Adm. Financeiro Moacir Teixeira Dias Diretor Comercial Marcos Sá Diretor Editorial Nelson Homem de Mello Há 50 anos @correiopopular ● ÁGUAS POLUÍDAS DO RIO ATIBAIA VÃO SER ANALISADAS A poluição de nossos rios é pública e notória. Não se precisa escrever mais sôbre o assunto, pois tanto autoridades como povo em geral estão bem a par do que vai sucedendo. Ainda há pouco, quando o secretário da Agricultura, sr. Herbert Levy, anunciou estudos para todo um ano, da fauna ictiológica do Rio Atibaia, e, para isso, proibiu a pesca ali, tivemos ocasião de chamar a atenção de todos para o fato de que muito mais prejudicial que a pesca, era e é o envenenamento permanente das águas em consequência de detritos e tóxicos. Pedimos, como temos feito sempre, providências para o caso, -— mas onde, até hoje, qualquer notícia de qualquer providência? ● ENGENHEIROS DA SUDENE FAZEM ESTÁGIO NO IAC Realizaram estágio na Seção de Climatologia do Instituto Agronômico de Campinas, os agrônomos pernambucanos Dagmar Finizola de Sá e Mário Adelmo Varejão Silva, técnicos da Sudene. Estiveram antes referidos agrônomos realizando curso junto à Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", de Piracicaba, findo e qual vieram trabalhar junto àquela sSeção acima mencionada, sob supervisão do eng. agr. Hernani Godoy, chefe da mesma. Falando à reportagem, os jovens técnicos manifestaram sua satisfação pelo aproveitamento aqui atingido, principalmente agora que a Sudene começa a instalar no Nordeste uma rede meteorológica e estações aerológicas, as quais evidentemente, irão requerer técnica especializada. ● O PREÇO TÉTO PARA O PÃO NCr$ 1,40 é o preço maximo ajustado para o quilo de pão de tipo comum entre SUNAB-SP e o Sindicato da Indústria de Panificação. Isto quer dizer que NCr$ 0,35 é o teto que as padarias podem cobrar pela unidade de 250 gramas. Têm ocorrido abusos, nos últimos dias, após a majoração da farinha. Mas, agora, a situação será normalizada, inclusive com o orgão de classe orientando seus associados. O abastecimento de farinha de trigo continua normal e não há motivos para apreensões. A majoração de cerca de 20% foi resultante do reajuste da taxa cambial. Não deverão ocorrer novas altas no decorrer deste ano, informam os entendidos na matéria, pois não se acredita que o dólar venha aumentar. #eunocorreio NÃO Rua 7 de Setembro, 189, Vila Industrial CEP 13035-350 facebook.com/CPopular 21,28% CORREIO POPULAR AS CARTAS DEVEM SER ENVIADAS PARA: EDITORIAL “Seremos na imprensa vigilantes fiscaes da administração publica e zeladores intransigentes do direito collectivo” - (Nº 1, Anno 1) O justiçamento no tribunal das redes sociais PERGUNTA DE HOJE O Vídeo do dia e-mail: leitor@rac.com.br CORREIO @correiopontocom Enquete Perde-se a grande chance de se aprofundar o debate sadio e construir soluções baseadas no respeito e equilíbrio Os agrônomos pernambucanos que seguirão para Recife, após estágio no Instituto Agronômico de Campinas Trailer de A Maldição da Casa Winchester. Longa baseado nu- ma história verídica. Domingo, 04/03/1968 .COM.BR Opinião CORREIO POPULAR A3 Campinas, domingo, 4 de março de 2018

×