Apresentação Call AESTietê 2T12

625 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
625
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
129
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Apresentação Call AESTietê 2T12

  1. 1. Resultados 2T12Agosto, 2012
  2. 2. Principais destaques do 2T12  Geração de energia 36% superior à garantia física e 8% acima da registrada no 2T11Operacional  Investimentos de R$ 17 milhões destinados ao programa de modernização das usinas de Nova Avanhandava (347 MW) e Ibitinga (132 MW)  Portfólio de outros contratos bilaterais de longo prazo (2012-2016) fechou o trimestre com 101 MWm, com crescimento de 197% em relação ao 2T11  Receita líquida de R$ 535 milhões, aumento de 31% em relação ao 2T11Financeiro  Ebitda alcançou R$ 404 milhões, com margem de 76%  Lucro líquido de R$ 229 milhões, aumento de 43% em relação ao 2T11Eventos  Contrato bilateral com a AES Eletropaulo reajustado de R$ 173,68/MWh para R$ 182,61/MWh.Subsequentes  Distribuição de dividendos no valor de R$ 250,7 milhões, referentes ao resultado do 2T12, sendo R$ 0,63 por ação ON e R$ 0,69 por ação PN. O pagamento ocorrerá em 27 de agosto de 2012  Em julho de 2012, a Companhia vendeu 138 MWm através de contratos bilaterais, totalizando um portfólio de 239 MWm, dos quais 200 MWm foram vendidos em 2012 2
  3. 3. PLD mais alto no trimestre favoreceu a receita no mercado spot Nível dos reservatórios no SIN1 PLD 2 Submercado SE/CO - Média Mensal (R$/MWh) 193 181 93% 94% 85% 86% 125 73% 118 68% 68% 66% 91 48 46 51 37 29 32 23 20 21 44 23 26 12 17 jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez 2010 2011 2012 Sudeste/ Sul Nordeste NorteCentro Oeste 2T11 2T12 1- Sistema Interligado Nacional 2- Preço de Liquidação de Diferenças (mercado spot) 3
  4. 4. Disponibilidade operacional das usinas continua alta, mesmo com a redução do nível dos reservatórios Reservatórios das usinas da AES Tietê1 Energia Gerada (MW médio3) 130% 141% 136% 125% 124% 97% 94% 95% 97% 95% 89% 70% 65% 1.665 1.731 1.599 1.582 1.604A. Vermelha Promissão B. Bonita Caconde 2009 2010 2011 2T11 2T12 (11,0 km 2) (8,1 km 2) (3,6km 2) (0,6 km 2) 2T11 2T12 Geração - MW médio Geração/Garantia física Média: 93% 81%1 – Em 30/06/2012 3 – Energia gerada dividida pelo número de horas do período2 – Volume do reservatório 4
  5. 5. Investimentos no 2T12 direcionados principalmente à modernização das usinas de Nova Avanhandava e IbitingaInvestimentos (R$ milhões) Investimentos no 2T12 175 19 88% 82 174 12 156 3% 34 6 9% 70 20 1 28 19 2010 2011 2012(e) 2T11 2T12 Equipamentos e Manutenção Investimentos Novas PCHs Novas PCHs Projetos de TI 5
  6. 6. Obrigação de expansãoProjeto TermoSP (550 MW)- Projeto não poderá participar dos leilões A-3 e A-5 de 2012 devidoà indisponibilidade de gás- Licença ambiental prévia restaurada em função de decisãodo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo- Próximos passos: Obtenção da Licença de InstalaçãoProjeto Termo Araraquara (579 MW)- Projeto não poderá participar dos leilões A-3 e A-5 de 2012 devidoà indisponibilidade de gás- Próximos passos: Obtenção da Licença de Instalação 6
  7. 7. Maior volume de energia vendida no 2T12 devido à sazonalidade do contrato bilateral com a AES Eletropaulo e da energia vendida no MRE1 Energia Faturada (GWh) +21% 9.061 7.510 297 201 911 +15% 851 2.182 1.425 3.865 4.192 93 135 426 339 5.672 838 925 5.034 2.508 2.793 1S11 1S12 2T11 2T12 AES Eletropaulo MRE 1 Mercado Spot Outros contratos bilaterais1 - Mecanismo de Realocação de Energia 7
  8. 8. Alteração na sazonalidade e reajuste no contrato com a AES Eletropaulo, além do maior preço no spot favoreceram crescimento da receita líquidaReceita Líquida (R$ milhões) 1075 +30% 66 74 +31% 826 26 32 535 409 20 936 12 56 768 15 382 459 1S11 1S12 2T11 2T12 AES Eletropaulo Spot/MRE Outros bilaterais 8
  9. 9. Maiores gastos com compra de energia e encargos de conexão e transmissão, além de evento não recorrente de baixa de equipamentosCustos e despesas operacionais¹ (R$ milhões) 3 2 1 5 3 12 1311052T11 Energia Elétrica Baixa de Ativos Pessoal, Material Transmissão e Comp. Financ. Manutenção das 2T12 Comprada para e Conexão Utiliz. Rec.Híd. Eclusas e Outras Revenda Serv de Terc² Depesas Operacionais 1 – Não inclui depreciação e amortização 2 – Pessoal, Material e Serviços de Terceiros 9
  10. 10. Aumento de 33% no Ebitda, com margem de 76%Ebitda (R$ milhões) 78% 77% 76% 74% 827 643 404 304 1S11 1S12 2T11 2T12 EBITDA Margem EBITDA (%) 10
  11. 11. Resultado financeiro influenciado pela aumento da dívida líquida impactada pela redução no saldo de caixaResultado Financeiro (R$ milhões) 1S11 1S12 2T11 2T12 -13 -15 -24 -26 +17% +7% 11
  12. 12. Lucro líquido 43% maior no 2T12, refletindo o bom desempenho da receita 100% 110%00% 110% Lucro Líquido (R$ milhões) 3,4% 2,5% 111% 112% 108% 109%,4% 2,5% 5,3% 4,4%  Distribuição de R$ 251 milhões em dividendos 2,5% 220 2,0% relativos ao 2T12: 193 220 193 - R$0,63/ação ON - R$0,69/ação PN 476 1T10 1T11 - Ex-dividendos: 06/08/2012 354 1T10 1T11 229 - Pagamento: 27/08/2012 161 1S11 1S12 2T11 2T12 Efeito não recorrente Pay-out Yield PNay-out Yield PN Lucro Líquido 12
  13. 13. Geração de caixa reflete a maior receita com o contrato bilateralGeração de Caixa Operacional (R$ milhões) Saldo Final de Caixa (R$ milhões) -5% +56% 464 286 271 297 2T11 2T12 2T11 2T12 13
  14. 14. Baixa alavancagem com relação dívida líquida/Ebitda de 0,4Dívida líquida (R$ bilhões) Custo Médio e Prazo Médio (principal) 2,76 3,1 0,5x 0,4x 1,8 1,76 124,8% 113,9% 0,64 0,65 113% 120% 1T10 1T11 2T11 2T12 2T11 2T12 14,3% Taxa efetiva 10,1% Dívida Líquida Dívida Líquida/EBITDA 1 Prazo Médio - Anos CDI Prazo Médio - Anos CDI 1 – Percentual do CDI 14
  15. 15. Resultados 2T12Declarações contidas neste documento, relativas àperspectiva dos negócios, às projeções de resultadosoperacionais e financeiros e ao potencial de crescimento dasEmpresas, constituem-se em meras previsões e forambaseadas nas expectativas da administração em relação aofuturo das Empresas. Essas expectativas são altamentedependentes de mudanças no mercado, do desempenhoeconômico do Brasil, do setor elétrico e do mercadointernacional, estando, portanto, sujeitas a mudanças.

×