III Simpósio Nacional da ABCiber

Netnografia e Análise de Redes Sociais:
aplicações metodológicas em estudos
sobre inclus...
estrutura

1. netnografia
2. análise de redes sociais (ARS)
3. projeto
4. resultados de pesquisa
pergunta:

o que justifica o uso combinado de duas
   metodologias (netnografia e análise
   de redes sociais), oriundas d...
1. netnografia
- internet como contexto   e artefato
 culturais para captar performance de
 comunidade na web.
(Hine, 2005...
1. netnografia

- identificação e seleção das redes
  temáticas (busca, blogrings, TCUD);

- organização dos dados em tabe...
2. redes sociais
séc. XX: estudo da sociedade a partir do
  conceito de rede.

redes sociais = atores + suas
  conexões (i...
2. ARS em ciências sociais


•   análise matemática
    da sociedade
    (grafos), que
    insere a metáfora
    das redes...
2. unidades de ARS na web
3.1. atores
3.2. padrões de conexões
    = constituintes das
    arestas da rede (IMC e
    Rela...
3. projeto


projeto: inclusão social via socialização on-
   line de Pessoas com Necessidades
   Especiais (PNE) (CNPq);
...
3. inclusão social (IS)
-   Todas as formas de promover a autonomia de
    indivíduos que se encontram, temporariamente ou...
3. problemas


- aspecto temático das redes exige que se
   conheça a deficiência em questão
   (netnografia);

- aspecto ...
3. aspecto temático das redes



rede social na web que se estrutura em torno de
   um tema específico e que se
   mantém ...
3. modelo de ARS
Recuero (2005): modelo qualitativo, buscando
  analisar
• organização: interação social


• estrutura: tr...
3. foco na estrutura

-   laços sociais (Granovetter, 1973, 1983).

- Bertolini e Bravo (2004) - tipos de capital social:
...
3. laços fracos e fortes: como
      identificar na web?
3. hipótese


para ARS em redes temáticas na Web,
laço social e capital social devem ser
   levados em conta de forma
   i...
4. redes já analisadas e suportes

-   autismo e síndrome de asperger (blogs)
-   síndrome de down (fotologs)
-   deficiên...
4.1 autismo e síndrome de asperger
 Blogs analisados     No. de           No. de       No. de links    No. de links no    ...
4.1 autismo e síndrome de
                        asperger
               1. Blog 1   2. Blog 2   3. Blog 2   4. Blog 4   ...
4.1 resultado rede temática A e
           AS em blogs
rede temática constituída em blogs;

desconhecimento sobre A e AS =...
4.2 mapa rede síndrome de down
              (SD)
4.2 dados tabela SD (fotologs):
Organização dos dados coletados:

- URL do álbum e de cada foto, acompanhada da transcriçã...
4.2. dados tabela SD (fotologs):

laços fortes a partir da capital social relacional
  (nafoto.net);

fotos de encontros p...
4.3 blogs deficiência auditiva
            (blogs):
63 blogs sobre DA e de informados;

11 blogueiros permitiram análise;
...
4.3 blogs deficiência auditiva:

rede não é temática entre DA, apenas
  entre informados;

aspecto frágil de rede (links) ...
4.4 blog coletivo PC:
• 23 colaboradores (mães/pais de PC) e 4 PCs


• Postagens: 36

• Comentários: 427 (máximo de 25 por...
4.4 blog coletivo PC:
• blog foi originado a partir de comunidade do Orkut, com
  objetivo de organizar
                  ...
4.4 blog coletivo PC:

- predominância de capital social relacional
  (mães/pais PC), mas ocorrência de capital
  social c...
considerações finais
•   redes sempre são maiores do que as analisadas
    (recorte);

•   em redes temáticas na web há so...
considerações finais

algumas plataformas escolhidas favorecem mais
   o capital social confiança no ambiente
   social ma...
considerações finais
netnografia + análise de redes sociais

•   o fato de a rede ser temática justifica o uso da
    netn...
considerações finais



netnografia + análise de redes sociais:



permite a identificação de inclusão   social em
   rede...
Referências

Artigos sobre projeto aqui exposto estão disponíveis em
    www.sandramontardo.com, link Textos.


RECUERO, R...
Muito obrigada!



sandramontardo@feevale.br

www.sandramontardo.com

@sandramontardo
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Mesa epistemologia Sandra Montardo

1,116 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,116
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
7
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mesa epistemologia Sandra Montardo

  1. 1. III Simpósio Nacional da ABCiber Netnografia e Análise de Redes Sociais: aplicações metodológicas em estudos sobre inclusão social em redes temáticas na Web (CNPq) Prof. Dra. Sandra Portella Montardo (Feevale) Mestrado em Inclusão Social e Acessibilidade
  2. 2. estrutura 1. netnografia 2. análise de redes sociais (ARS) 3. projeto 4. resultados de pesquisa
  3. 3. pergunta: o que justifica o uso combinado de duas metodologias (netnografia e análise de redes sociais), oriundas de áreas do conhecimento diferentes, em um mesmo estudo?
  4. 4. 1. netnografia - internet como contexto e artefato culturais para captar performance de comunidade na web. (Hine, 2005). - adaptação da etnografia para netnografia (Kozinets, 2002).
  5. 5. 1. netnografia - identificação e seleção das redes temáticas (busca, blogrings, TCUD); - organização dos dados em tabelas. - envio de questionários.
  6. 6. 2. redes sociais séc. XX: estudo da sociedade a partir do conceito de rede. redes sociais = atores + suas conexões (interações ou laços sociais).
  7. 7. 2. ARS em ciências sociais • análise matemática da sociedade (grafos), que insere a metáfora das redes na sociedade;
  8. 8. 2. unidades de ARS na web 3.1. atores 3.2. padrões de conexões = constituintes das arestas da rede (IMC e Relações Sociais) 3.2.1. laços sociais 3.2.2. capital social 3.2.3. processos dinâmicos.
  9. 9. 3. projeto projeto: inclusão social via socialização on- line de Pessoas com Necessidades Especiais (PNE) (CNPq); objetivo: verificar como se dá a inclusão social de PNE e de seus familiares em blogs.
  10. 10. 3. inclusão social (IS) - Todas as formas de promover a autonomia de indivíduos que se encontram, temporariamente ou não, e, sob algum aspecto específico, em desvantagem a outros grupos sociais; - Processo permanente, embora não constante, em que todos podem estar, simultaneamente, incluídos em algumas situações e excluídos de outras; - A Inclusão Digital (ID),pode ser vista como uma faceta da IS; (Montardo e Passerino, 2007; Azevedo e Barros, 2004; Ladeira e Amaral, 1999; Sposati, 2006; Warshauer, 2006).
  11. 11. 3. problemas - aspecto temático das redes exige que se conheça a deficiência em questão (netnografia); - aspecto quantitativo dos sites de ARS; - há diferença entre os possíveis nós nas redes (suporte);(problematização da ARS);
  12. 12. 3. aspecto temático das redes rede social na web que se estrutura em torno de um tema específico e que se mantém restrita a ele. (Montardo, Passerino, 2008).
  13. 13. 3. modelo de ARS Recuero (2005): modelo qualitativo, buscando analisar • organização: interação social • estrutura: trocas sociais em grupo; capital social e laços sociais • dinâmica: modificações sofridas na rede
  14. 14. 3. foco na estrutura - laços sociais (Granovetter, 1973, 1983). - Bertolini e Bravo (2004) - tipos de capital social: relacional, normativo, cognitivo, confiança no ambiente social e institucional. * laços sociais não foram problematizados, talvez pela falta de análise de redes temáticas.
  15. 15. 3. laços fracos e fortes: como identificar na web?
  16. 16. 3. hipótese para ARS em redes temáticas na Web, laço social e capital social devem ser levados em conta de forma interdependente para estabelecimento do tipo de laço estabelecido.
  17. 17. 4. redes já analisadas e suportes - autismo e síndrome de asperger (blogs) - síndrome de down (fotologs) - deficiência auditiva (blogs) - deficiência visual (blogs, Twitter)* - paralisia cerebral (blogs e Orkut)* * em andamento.
  18. 18. 4.1 autismo e síndrome de asperger Blogs analisados No. de No. de No. de links No. de links no Tipo de capital Tipo de capital postagens comentários que partem do blogroll em blogs social que indica social presente em 2007 em 2007 blog no do webring laço forte nos comentários (até (até setembro) blogroll que indica laço setembro ) fraco 1. Blog 1 11 23 de 17 31 6 Cognitivo Relacional pessoas 2. Blog 2 20 274 de 13 20 - Cognitivo Relacional 3. Blog 3 6 27 de 15 4 4 Relacional Cognitivo. pessoas 4. Blog 4 2 18 de 17 8 1 Relacional Cognitivo. pessoas 5. Blog 5 29 92 de 35 12 3 Relacional Cognitivo pessoas   6. Blog 6 3 2 de 2 12 1 Relacional Cognitivo pessoas. 7. Blog 7 Nenhuma - 8 1 - - postagem em 2007 8. Blog 8 30 819 de 113 35 3 Relacional. Cognitivo pessoas 9. Blog 9 Nenhuma - 9 2 - - postagem em 2007. 10. Blog 10 Nenhuma - 2 - - - postagem em 2007.[1]
  19. 19. 4.1 autismo e síndrome de asperger    1. Blog 1 2. Blog 2 3. Blog 2 4. Blog 4 5. Blog 5 6. Blog 6 7. Blog 7 No. de 11 20 6 2 29 3 30 posts entre jan. e set. de 2007 Média de 2,1 13,7 4,5 9 3,2 0,7 27,3 comen tários por posts Média de 1,3 21,1 1,8 1,1 2,6 1 7,2 comen tários por pesso a
  20. 20. 4.1 resultado rede temática A e AS em blogs rede temática constituída em blogs; desconhecimento sobre A e AS = texto para esclarecer dúvidas dos pais; laços fracos e fortes em torno de capital social cognitivo e capital social relacional.
  21. 21. 4.2 mapa rede síndrome de down (SD)
  22. 22. 4.2 dados tabela SD (fotologs): Organização dos dados coletados: - URL do álbum e de cada foto, acompanhada da transcrição da legenda e da data/hora de sua publicação. - Sobre a foto1)Onde a foto foi tirada?2) Como foi tirada (posada ou espontânea)?;3) Quem aparece na foto?4) Quem tirou a foto?5) Em que contexto é mostrada a SD? - Tipo de uso do fotográfico (Kuhn Jr., 2008) - Comentários (autor, e-mail e/ou URL do autor, transcrição do comentário, data/hora de sua publicação. - Capital Social - Laços Sociais
  23. 23. 4.2. dados tabela SD (fotologs): laços fortes a partir da capital social relacional (nafoto.net); fotos de encontros presenciais; em e-mails (texto), capital social cognitivo; confiança no ambiente social (rede e encontros presenciais);
  24. 24. 4.3 blogs deficiência auditiva (blogs): 63 blogs sobre DA e de informados; 11 blogueiros permitiram análise; 6 portugueses e 5 brasileiros; 7 blogueiros com DA e 4 informados; período: janeiro de 2007 a outubro de 2008;
  25. 25. 4.3 blogs deficiência auditiva: rede não é temática entre DA, apenas entre informados; aspecto frágil de rede (links) inscrita em uma rede maior abordando a deficiência auditiva; pouca interação na rede da amostra; laços predominantes fortes (relacionais) entre DA e fracos entre informados (cognitivos).
  26. 26. 4.4 blog coletivo PC: • 23 colaboradores (mães/pais de PC) e 4 PCs • Postagens: 36 • Comentários: 427 (máximo de 25 por postagem) • Média: 11,9 comentários por postagem Período: Dezembro 2006 a Janeiro de 2009
  27. 27. 4.4 blog coletivo PC: • blog foi originado a partir de comunidade do Orkut, com objetivo de organizar e disponibilizar discussão e informações sobre o tema. • postagens têm vídeos, fotos e links. • organização por tags: “depoimento de mãe/pai” e “depoimento de jovem/adulto com PC”.
  28. 28. 4.4 blog coletivo PC: - predominância de capital social relacional (mães/pais PC), mas ocorrência de capital social cognitivo, principalmente entre PCs; - Confiança no ambiente social (blog coletivo)
  29. 29. considerações finais • redes sempre são maiores do que as analisadas (recorte); • em redes temáticas na web há sobreposição de laços relacionais (voluntários) e laços associativos (pertencimento) (Breiger, 1974); • há diferentes apropriações conforme plataforma que suporta a interação e a rede temática em questão.
  30. 30. considerações finais algumas plataformas escolhidas favorecem mais o capital social confiança no ambiente social mais explícita (fotologs no nafoto.net e blog coletivo). redes com suportes mantidos pelos sujeitos com deficiência não se configura como temática (abordam outros temas).
  31. 31. considerações finais netnografia + análise de redes sociais • o fato de a rede ser temática justifica o uso da netnografia para que se capte a performance de comunidade; • ARS vai possibilitar identificação de padrão de socialização nas diferentes redes, com análise de estrutura e dinâmica para identificação da Inclusão Social.
  32. 32. considerações finais netnografia + análise de redes sociais: permite a identificação de inclusão social em redes temáticas.
  33. 33. Referências Artigos sobre projeto aqui exposto estão disponíveis em www.sandramontardo.com, link Textos. RECUERO, R. Comunidades em Redes Sociais na Internet. Proposta de tipologia baseada no Fotolog.com. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação e da Informação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2006.
  34. 34. Muito obrigada! sandramontardo@feevale.br www.sandramontardo.com @sandramontardo

×