Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Grande Sertão - Veredas (Guimarães rosa

647 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Grande Sertão - Veredas (Guimarães rosa

  1. 1. Grande sertão: veredas Livro resumido - Guimarães Rosa A obra-prima de Guimarães Rosa é também o seu único romance, Grande sertão: veredas. É um livro instigante, inovador, em que o escritor faz uma grande experimentação linguística, utilizando-se de neologismos e termos coloquiais do sertão. A narrativa é um monólogo de Riobaldo, que conta suas memórias a um interlocutor cuja fala é apenas sugerida. A fala dos demais personagens é também feita através das palavras de Riobaldo, um velho fazendeiro e ex-jagunço. Riobaldo conta suas aventuras no interior de Minas, no sul da Bahia epelo interior de Goiás. No meio disso, reflexões sobre tudo, em especial sobre a existência ou não do Diabo, fato do qual parece depender a salvação de sua alma: ele teria feito um pacto com o Demo para vencer uma luta contra seu inimigo Hermógenes. Embora a existência do pacto pareça clara em alguns momentos, ela fica a cargo da interpretação do leitor. Os acontecimentos todos são embaralhados pela memória do narrador, confusa pela passagem do tempo, o que leva o real e o irreal a se misturarem o tempo todo. No campo amoroso, a preocupação principal do narrador é o amor de Diadorim - a quem conhece a vida toda como homem, o guerreiro Reinaldo, e cuja identidade feminina só conhece com o fim de sua luta com Hermógenes, em que morre.
  2. 2. Biografia Guimarães Rosa é figura de destaque dentro do Modernismo, por ter criado um estilo próprio e original de escrever e criar palavras, transformando e renovando radicalmente o uso da língua. Fez os primeiros estudos na pequena cidade mineira de Codisburgo, onde nasceu, mudando-se para Belo Horizonte para estudar medicina. Formado médico, trabalhou em várias cidades do interior de Minas, tomando contato com o mundo que depois serviria de cenário para sua obra. Autodidata, aprendeu alemão e russo e entrou para a carreira diplomática, servindo inclusive na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. O rompimento entre Brasil e Alemanha levou à sua prisão, sendo libertado em troca de diplomatas alemães. Sua primeira obra foi Magma, um livro de poemas que ficaria inédito, mas com o qual obteve um prêmio da Academia. Estreou para o público, em 1946 com um livro de contos que se tornaria um marco em nossa literatura: Sagarana. Mas sua consagração definitiva viria dez anos depois, com Corpo de Baile e seu único romance Grande sertão: veredas. Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 1963. Adiou sua posse por anos, até finalmente assumir seu lugar em 1967; três dias depois, morreu de enfarte no Rio de Janeiro. Grande sertão: veredas provocou impacto sem precedentes em nossa literatura. Quando lançado, percebeu-se que estava ali algo diferente de tudo o que até então se fizera em nossa literatura. Guimarães Rosa tinha levado a efeito a mais radical experimentação lingüistica pela qual passara o romance brasileiro, com o uso de termos coloquiais típicos do sertão, aliados a palavras que já estão praticamente em desuso e neologismos nascidos a partir de formas típicas da língua portuguesa, com uso constante de onomatopéias e aliterações. Geralmente suas histórias concentram-se em torno de "casos" que sustentam os enredos. É o caso de Grande sertão: veredas: Como um imenso caleidoscópio constituído de casos, histórias curtas, páginas de diário, anedotas, a obra sustenta- se numa narrativa relativamente fácil. Principais obras: Grande Sertão: Veredas (romance); Sagarana (contos); Corpo de Baile (contos); Primeiras Estórias (contos); Tutaméia – Terceiras Estórias (contos); Estas Estórias (contos); Ave, Palavra (contos).

×