Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Jornadas ADEP 2011 - Todas as apresentações

61,488 views

Published on

http://www.adeportugal.org/jornadas

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

Jornadas ADEP 2011 - Todas as apresentações

  1. 1. Bem-vindos
  2. 2. Joana Vieira Pianista
  3. 3. A FAMÍLIA Cândida Vieira
  4. 4. Profª Cândida Vieira CELE - Olhão JORNADAS DE CULTURA ESPÍRITA DO OESTE Óbidos, 16/04/2011 EDUCAÇÃO DO FUTURO
  5. 5. <ul><li>A Família ao longo da História </li></ul><ul><li>A noção de Família </li></ul><ul><li>Definições </li></ul><ul><li>Censos 2001 </li></ul><ul><li>Diferentes Tipos de Família </li></ul><ul><li>Funções da Família </li></ul><ul><li>A Família Virtual </li></ul><ul><li>A família para a Doutrina Espírita </li></ul><ul><li>Tipos de Família </li></ul><ul><li>Tipos de Casamento </li></ul><ul><li>A Ciência e o Espiritismo </li></ul><ul><li>Outros Problemas </li></ul><ul><li>Profilaxia </li></ul><ul><li>Que perspetivas para o futuro </li></ul>ÍNDICE
  6. 6. A FAMÍLIA AO LONGO DA HISTÓRIA
  7. 7. A NOÇÃO DE FAMÍLIA
  8. 8. <ul><li>1. conjunto de pessoas com relação de parentesco que vivem juntas; agregado familiar </li></ul><ul><li>2. grupo de pessoas formado pelos progenitores e seus descendentes; linhagem, estirpe </li></ul><ul><li>3. conjunto de pessoas do mesmo sangue ou parentes por aliança </li></ul><ul><li>4. grupo de pessoas unidas pelo vínculo do casamento, afinidade ou adoção </li></ul><ul><li>http :// www.infopedia.pt/lingua-portuguesa-ao/fam%C3%ADlia </li></ul>DEFINIÇÕES A família é unidade básica da sociedade formada por indivíduos com ancestrais em comum ou ligados por laços afetivos. pt.wikipedia.org/wiki/Família
  9. 9. CENSOS 2001 DENSIDADE POPULACIONAL AS FAMÍLIAS
  10. 10. DIFERENTES TIPOS DE FAMÍLIA NUCLEAR MONOPARENTAL ALTERNATIVAS RECONSTRUÍDAS COMUNITÁRIAS
  11. 11. FUNÇÕES DA FAMÍLIA FUNÇÕES FÍSICAS E BIOLÓGICAS FUNÇÕES AFETIVAS E ESPIRITUAIS FUNÇÕES SOCIAIS E CULTURAIS FUNÇÕES ECONÓMICAS
  12. 12. FAMÍLIA VIRTUAL
  13. 13. A FAMÍLIA PARA A DOUTRINA ESPÍRITA [ O casamento] “ É um progresso na marcha da Humanidade .” (695) [A abolição do casamento] “ Seria uma regressão à vida dos animais .” (696) [A indissolubilidade absoluta do casamento] “ É uma lei humana muito contrária à da Natureza. (697)
  14. 14. TIPOS DE FAMÍLIAS Famílias pelos laços espirituais Famílias pelos laços corporais Fortalecem pela purificação e se perpetuam no mundo dos Espíritos, através das várias migrações da alma Frágeis como a matéria, se extinguem com o tempo e muitas vezes se dissolvem moralmente, já na existência actual O Evangelho Segundo o Espiritismo Espíritos simpáticos, ligados por anteriores relações, que se expressam por uma afeição recíproca na vida terrena … estranhos uns aos outros esses Espíritos, afastados entre si por antipatias igualmente anteriores
  15. 15. TIPOS DE CASAMENTO TRANSCENDENTAL AFIM SACRIFICIAL ACIDENTAL EXPIATÓRIO ou PROVACIONAL
  16. 16. CIÊNCIA E ESPIRITISMO Ou aprendemos a viver como irmãos, ou vamos morrer juntos como idiotas.
  17. 17. Quem É Minha Mãe e Quem São Meus Irmãos? E olhando para os que estavam sentados à roda de si: Eis aqui, lhes disse, minha mãe e  meus irmãos. Porque o que fizer a vontade de Deus, esse é meu irmão, e minha irmã e minha mãe. (Marcos, III: 20-21 e 31-35 – Mateus, XII: 46-50). O Evangelho Segundo o Espiritismo
  18. 18. OUTROS PROBLEMAS Constelação Familiar Mediunidade na família Perturbadora ou não gerar desequilíbrios Obsessão Provas e expiações no lar Caráter expiatório Provas Doenças infeto-contagiosas, acidentes, dores morais, distúrbios psicológicos, transtornos de conduta, solidão, conflitos… Enfermidades degenerativas como Surdez, cegueira, mudez, paralisia, distúrbios mentais irreversíveis… Crimes em relação à lealdade Insatisfações sexuais, aborto Droga e álcool Desencarnação na família Tragédias no lar Separações, crimes Carreira
  19. 19. PROFILAXIA Constelação Familiar Educação E Paz na Família Doméstica Para a Amizade Pelo trabalho Para a Coragem Sexual Orientação Religiosa na Família EVANGELHO NO LAR
  20. 20. <ul><li>O livro-libelo = </li></ul><ul><li>livro-acusação contra os postulados espíritas </li></ul><ul><li>A força do EXEMPLO em família : </li></ul><ul><li>Resignação, serenidade, Fé, paciência cristã </li></ul><ul><li>A PARÁBOLA DO SEMEADOR </li></ul>QUE PERSPETIVAS PARA O FUTURO
  21. 21. OBRIGADA!
  22. 22. <ul><li>1. Arié, História social da criança e da família , p.270 </li></ul><ul><li>2. Palestra de Chafic Jbeili em www.chafic.com.br </li></ul><ul><li>3. http://www.prof2000.pt/users/mmcpereira/definicoesfamilias.htm </li></ul><ul><li>4. http://www.infopedia.pt/lingua-portuguesa-ao/fam%C3%ADlia </li></ul><ul><li>5. http://www.priberam.pt/DLPO/default.aspx?pal=família </li></ul><ul><li>6. http://pt.wikipedia.org/wiki/Família </li></ul><ul><li>7. http://alea-estp.ine.pt/html/actual/pdf/actualidades_27.pdf </li></ul><ul><li>8. http://pt.wikipedia.org/wiki/Fam%C3%ADlia </li></ul><ul><li>9. http://ww3.scml.pt/media/revista/rev_14/Familia_portug.pdf </li></ul><ul><li>10. http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1224165225Z5aRR5fx5Sc98EV6.pdf </li></ul><ul><li>11. http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=47597 </li></ul><ul><li>12. http://www.acores.com/a/vicio_da_internet_destroi_casamentos.html </li></ul><ul><li>13. http://www.oespiritismo.com.br/textos/ver.php?id1=125 </li></ul><ul><li>14. ESE, cap. XIV, Honrai vosso pai e vossa mãe: “A parentela corporal e a parentela espiritual”, item 8 </li></ul><ul><li>15. ESE, cap. IV, Nascer de novo: “A reencarnação fortalece os laços de família, ao passo que a unicidade da existência os rompe”, itens 18 a 23 </li></ul><ul><li>16. Questão 207ª de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec </li></ul>BIBLIOGRAFIA 17. Questão 775 de O Livro dos Espíritos 18. O problema do ser, do destino e da dor, Léon Denis, XIII: “As vidas sucessivas – A reencarnação e suas leis” 19. Casamento, problemas e soluções, de Pedro A. Bonilha, caps 2 a 8 20. http://pt.wikipedia.org/wiki/Resili%C3%AAncia_(psicologia) 21. Encontro com a Paz e a Saúde, Divaldo Franco/Joanna de Ângelis: Como conseguir a felicidade, pp. 148 a 153 22. Atitudes Renovadas, Divaldo Franco, psicografia de Joanna de Ângelis: Benefícios advindos do Sofrimento, p. 185 23. O Amor como solução, Divaldo Franco/Joanna de Ângelis: Capacidade de ousar, p. 95 24. http://www.oocities.org/tampo_8/politica/frei-betto-moldar.html 25. http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S0103-84862007000200006&script=sci_arttext 26. http://rudineiaugusti.blogspot.com/2010/06/educar-para-alteridade.html 27. ESE, Allan Kardec, cap. XI, Amar ao próximo como a si mesmo: o maior mandamento 28. ESE, Allan Kardec, cap. XIV, Honrai a vosso pai e a vossa mãe: Quem é minha mãe e quem são meus irmãos? Itens 5 a 7 29. Constelação Familiar, Divaldo Franco/Joanna de Ângelis, cap. 18 e segs 30. Constelação Familiar, Divaldo Franco/Joanna de Ângelis, cap. 18 e segs 31. A vida escreve, Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, pelo Espírito Hilário Silva: O Livro-libelo, pp. 33 a 35 32. O MELHOR É VIVER EM FAMÍLIA – Estudos da Família à luz do Espiritismo, 2000, Brasil
  23. 23. TOXICO-INDEPENDÊNCIA Paulo Mourinha
  24. 24. Tóxico - Independência
  25. 27. As pessoas assaltadas de desejos andam sempre à volta do mesmo ponto, tal como a lebre presa numa rede…sofrem por longo tempo. Siddartha Gautama .
  26. 30. As nossas clínicas e salas de consulta recebem cada dia mais pacientes que se queixam de um vazio interior, de uma sensação de falta de sentido , total e definitiva, das suas vidas. Podemos definir o vácuo existencial como a frustração daquela que se pode considerar a mais fundamental das forças motivadoras do homem, a que podemos chamar…o desejo de ser. Viktor Frankl
  27. 32. “ A carne, de certo modo, em muitas circunstâncias não é apenas um vaso divino para o crescimento de nossas potencialidades, mas também uma espécie de carvão milagroso, absorvendo os tóxicos e resíduos de sombra que trazemos no corpo substancial.” Entre a Terra e o Céu, André Luiz , Chico Xavier
  28. 34. Aprende, como uma das tuas primeiras obrigações, a dominar-te a ti mesmo. Pitágoras
  29. 37. A multidão não é de fiar . Soren Kierkegard
  30. 38. O Homem é capaz de suportar tudo, menos a falta de sentido para a vida. Vicktor Frankl
  31. 42. Nada contribui mais para serenar o espírito do que um propósito estável. Um ponto em que a alma possa fixar os olhos do intelecto . Mary Wollstonecraft
  32. 44. Quantos estamos presos a grilhões invisíveis? Esse está preso ao campo que comprou por milhões. Outro prendeu-se à fama que lhe consome a vida. Aquele lembra um louco em algemas de ouro. Há quem faça do amor um cativeiro em trevas. Se queres paz em Deus, desapega-te e ama.   Caminhos – Francisco Cândido Xavier/Emmanuel Desapego
  33. 45. O TRABALHO Maíra Diniz
  34. 46. Intervalo
  35. 47. DEBATE Cândida Vieira Paulo Mourinha Maíra Diniz
  36. 48. MÚSICA ESPÍRITA Reinaldo Barros
  37. 49. O HOMEM NA NATUREZA Jorge Gomes
  38. 50. educação para o futuro no presente Jorge Gomes JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011
  39. 51. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011
  40. 52. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 luxo ? necessidade?
  41. 53. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Temos como certos os bens de que dispomos em abundância AR ÁGUA ALIMENTOS desenvolver potencialidades + informação «=» sobrevivência
  42. 54. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Só se tapar o nariz é que se lembra que está a respirar: num minuto, inspira e expira quantas vezes? Esquecemos como são produzidos, de onde vêm. Nas greves de fome ninguém faz greve de água …
  43. 55. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 A natureza teria sido dada ao Homem por Deus para ser consumida com um pressuposto: nunca acabaria. O que é o homem? Espécie Homo sapiens. Nenhuma outra espécie parece ser capaz de transformar (destruir) o meio natural como esta.
  44. 56. Natureza… ambiente… JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 O que é a natureza ? Envolve desde o subatómico até às galáxias. À escala do homem, inclui o meio ambiente natural. Óptica espírita - homem é um Espírito em passagem pela vida material. Existia antes e continuará a viver depois do corpo físico colapsar, desprendendo-se dele.
  45. 57. NATUREZA JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 O homem não está acima da natureza: faz parte dela Ser humano
  46. 58. O que é o ambiente ? JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Conjunto de unidades ecológicas que funcionam como um sistema natural
  47. 59. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Deus Natureza Cosmos Planeta Biodiversidade Ser humano
  48. 60. Natureza Economicistas quiseram… resumir os mercados à lei do mais forte , aplicando conceitos darwinistas aos mercados. A natureza ensina cooperação Lei da selva? Cadeia alimentar… equilíbrio .
  49. 61. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Melros & sabugueiros Abelhas & plantas com flor Gaios & bolotas Castanheiros & javalis Homem & catapreiro … a ave do mel …
  50. 62. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 O homem e a natureza alimenta-o abriga-o inspira-o São lições de sustentabilidade - O salgueiro caído - A semente que sai do lameiro - O sol e a luz, a sabedoria e o conhecimento …
  51. 63. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Depois de voltar sair da Terra e não a deixar pior… Vidas sucessivas Lei de causa e efeito Ética Ética kantiana – o valor do exemplo pessoal
  52. 64. “ Ao romper do dia, sentei-me no prado. Travei conversa com a Natureza, enquanto o Homem ainda descansava nas dobras da sonolência. Deitei-me nas ervas verdes e comecei a meditar: Será a beleza verdade? Será verdade a beleza? JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011
  53. 65. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Nos meus pensamentos vi-me levado para longe. A imaginação descerrou o véu de matéria que escondia o meu íntimo. A minha alma expandiu-se e senti-me ligado à natureza e aos seus segredos. Assim que me sentei entreguei-me à meditação. Senti uma brisa a perpassar os galhos das árvores e percebi um suspiro como o de um órfão perdido... “ Por que te lamentas, brisa amorosa?”, perguntei.
  54. 66. E a brisa respondeu: “ Porque vim da cidade que ferve sob o calor do sol, e os germes das pragas contaminaram as minhas vestes puras. Podes culpar-me por me lamentar?” JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Mirei depois as faces de lágrimas coloridas das flores e ouvi o seu terno lamento... Indaguei: “Por que chorais, flores?”
  55. 67. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Outra flor acrescentou: “À noite, quando estivermos murchas, ele atirar-nos-á ao lixo. Choramos porque a mão do Homem nos arranca das nossas moradas nativas.” Uma ergueu-se e murmurou: “Choramos porque o Homem virá para nos arrancar; há-de pôr-nos à venda no mercado.” Ouvi também um regato a lamentar-se como uma viúva que chorasse o filho morto e interroguei: “Por que choras límpido regato?”
  56. 68. O regato retrucou: “Porque sou compelido a ir à cidade, onde o Homem me despreza e me troca por bebidas fortes, fazendo de mim transportador de lixo. Polui a minha pureza e transforma o meu serviço em imundície.” JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Escutei, ainda, os pássaros a soluçar e interpelei-os: “ Por que chorais belos pássaros?”
  57. 69. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Um deles aproximou-se, pousou na ponta de um ramo e justificou: “Daqui a pouco, os filhos de Adão virão a este campo com as suas armas e desencadearão uma guerra contra nós, como se fôssemos inimigos mortais. Agora estamos a despedir-nos uns dos outros, pois não sabemos quem escapará à fúria do Homem.”
  58. 70. JORNADAS DE CULTURA ESPIRITA - Óbidos 2011 Contemplei aquela beleza imensa e perguntei a mim próprio: “Por que tem o Homem de destruir o que a Natureza construiu? Kahlil Gibran Ler mais: http://www.forumespirita.net/fe/mensagens-de-animo/o-homem-e-a-natureza-(-kahlil-gibran-)/msg12688/?PHPSESSID=d99f49c9cbc96a244b0602edb79555a5#msg12688#ixzz1ANPsV0GI Então o Sol já se levantava detrás das montanhas e coloria o topo do arvoredo com uma auréola dourada.
  59. 71. MOMENTO DE POESIA Manuela Félix
  60. 72. Jantar
  61. 73. EDUCAÇÃO WEB Vasco Marques
  62. 74. Vasco Marques - 16 de Abril de 2011 Jornadas ADEP – Educação do Futuro
  63. 75. Índice <ul><li>Evolução Web, sites e acessos </li></ul><ul><li>Social Media / Redes Sociais </li></ul><ul><li>Casos: CBE (vídeos e directo), palestras </li></ul><ul><li>Inquérito alunos CBE </li></ul><ul><li>Dispositivos móveis </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul><ul><li>Bibliografia e Cibergrafia </li></ul>
  64. 77. Internet mundo <ul><li>Fonte: http://www.internetworldstats.com/stats.htm 2011 </li></ul>
  65. 78. Internet em 63% dos lares PT
  66. 79. Sites mais visitados no mundo <ul><li>Google.com – Search engine </li></ul><ul><li>Facebook.com – Social Netwotk </li></ul><ul><li>Youtube.com – share videos </li></ul><ul><li>Yahoo.com - Portal </li></ul><ul><li>Live.com – Search engine from Microsoft </li></ul><ul><li>Blogger.com – Google blog </li></ul><ul><li>Baidu.com – Chinese search engine </li></ul><ul><li>Wikipedia – Free encyclopedia </li></ul><ul><li>Twitter – Microblogging </li></ul><ul><li>QQ.com – Chinese portal </li></ul><ul><li>Fonte: http:// www.alexa.com/topsites/global ou http://www.google.com/adplanner/static/top1000 / http:// toolbar.netcraft.com/stats/topsites </li></ul>
  67. 81. Facebook em Portugal <ul><li>Utilizadores: 3 537 000 </li></ul><ul><li>Penetração on-line: 68 % </li></ul><ul><li>Fonte: http://www.facebakers.com/countries-with-facebook/PT/ 2011 </li></ul>
  68. 82. Facebook no Brasil <ul><li>Utilizadores: 15 926 000 </li></ul><ul><li>Penetração on-line: 21 % </li></ul><ul><li>Fonte: http://www.facebakers.com/countries-with-facebook/PT/ </li></ul>
  69. 83. Facebook no mundo <ul><li>Fonte: http://www.facebakers.com/countries-with-facebook/PT/ </li></ul>
  70. 84. Proposta Social Media <ul><li>Wordpress – presença on-line </li></ul><ul><li>Facebook – página, perfil, eventos, aplicações, etc </li></ul><ul><li>Youtube – 15 minutos (antes era 10) e 2GB, canal, keywords </li></ul><ul><li>Ustream.tv – Livecasts (livestream.com, stickam.com, etc) </li></ul><ul><li>Blip.tv – sem limite de tempo e tamanho </li></ul><ul><li>Slideshare – palestras ppt, slidecast (prezi, Authorstream) </li></ul><ul><li>Scribd – cartazes, documentação, flyers </li></ul><ul><li>Twitter – Micro blogging, novidades, acompanhar </li></ul><ul><li>Integração – Graffiti (FB), ping.fm, RSS </li></ul><ul><li>Wikipedia - criar ou melhorar artigos </li></ul>
  71. 86. www.facebook.com/adeportugal
  72. 87. http://twitter.com/adeportugal
  73. 88. www.youtube.com/user/adeportugal <ul><li>17 vídeos </li></ul><ul><li>20 mil Visualizações </li></ul><ul><li>Mais visto: CBE </li></ul>
  74. 89. www.slideshare.net/adeportugal/ 36 PPTs 56 mil Visualizações Mais visto: Relações Interpessoais (3 anos)
  75. 90. pt.scribd.com/adeportugal <ul><li>28 docs </li></ul><ul><li>6 mil visualizações </li></ul><ul><li>Mais visto: CARTAZ SEMINÁRIO CHICO XAVIER </li></ul>
  76. 91. ustream.tv/channel/educacao-do-futuro <ul><li>900 pessoas </li></ul><ul><li>675 horas </li></ul><ul><li>2477 visualizações vídeos gravados </li></ul>
  77. 92. adeportugal.blip.tv <ul><li>227 visualizações, 6 vídeos (4 meses) </li></ul>
  78. 93. http://pt.wikipedia.org/wiki/Associção_de_Divulgadores_de_Espiritismo_de_Portugal
  79. 94. adeportugal.blip.tv/file/4500633/
  80. 95. www.adeportugal.org/cbe <ul><li>43 alunos </li></ul><ul><li>91 visualizações </li></ul><ul><li>15 horas vistas </li></ul><ul><li>176 vis. vídeos posteriormente </li></ul>
  81. 96. ustream.tv/channel/aseb
  82. 98. Que ferramenta considera mais interessante para estudar espiritismo?
  83. 99. Onde prefere estudar espiritismo?
  84. 100. Como classifica o Curso Básico de Espiritismo da ADEP, on-line?
  85. 101. Plataformas móveis
  86. 102. adeportugal.org/mob
  87. 104. Conclusões <ul><li>Centros Espíritas </li></ul><ul><ul><li>Transmissões em directo </li></ul></ul><ul><ul><li>Vídeos </li></ul></ul><ul><ul><li>Blog </li></ul></ul><ul><ul><li>Scribd </li></ul></ul><ul><ul><li>Slideshare </li></ul></ul><ul><ul><li>Facebook </li></ul></ul><ul><ul><li>Plat. móveis </li></ul></ul><ul><li>Utilizadores </li></ul><ul><ul><li>Cursos </li></ul></ul><ul><ul><li>Palestras </li></ul></ul><ul><ul><li>Interagir </li></ul></ul><ul><ul><li>Conteúdos </li></ul></ul><ul><ul><li>Partilha de conteúdos </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>Propagação </li></ul></ul>
  88. 105. Bibliografia e cibergrafia <ul><li>Socialnomics, Wikinomics, Macrowikinomics, Crowdsourcing, Web trends 2.0 </li></ul><ul><li>http://www.ted.com </li></ul><ul><li>http://www.linkedin.com Grupo Social Media </li></ul><ul><li>http://www.flowtown.com leveraging social media </li></ul><ul><li>http://www.facebakers.com PT Stats </li></ul><ul><li>http://www.marktest.com/ estudo sobre redes sociais </li></ul>
  89. 106. PARTICIPAÇÃO DO BRASIL Ângela Moraes
  90. 107. DEBATE Jorge Gomes Vasco Marques
  91. 108. LANÇAMENTO DE LIVRO ESPÍRITA Hugo e Inês Guinote
  92. 109. 16 e 17 de Abril de 2011 JORNADAS DE CULTURA ESPÍRITA
  93. 110. Há um ano, 5 amadores lançavam-se neste projecto . Muitos julgaram ser uma loucura... os mais sensatos vaticinaram o fracasso, a maioria o esquecimento. Mas...!
  94. 111. Entre Dezembro de 2009 e Julho de 2010, contabilizámos dezenas de acções de divulgação por todo o país. Construímos um site que é hoje a principal plataforma de contacto do projeto.
  95. 112. Mas foi particularmente gratificante dinamizar o concurso nacional “Desafio Jovem Ilustrador”. De 100 para 1000!
  96. 113. E AGORA?
  97. 114. Continuamos a converter os capítulos do ESE em fábulas …
  98. 115. O volume II percorre os conteúdos evangélicos desde o capítulo VIII ao XIV do ESE: - Textos mais sintéticos - Ilustrações coloridas ...
  99. 116. - Exercícios diversificados - Inserção da componente musical
  100. 117. De uma mera ocupação de tempos livres, o projecto evoluiu para esta estrutura: Coordenação da equipa de trabalho Edição e coordenação dos livros Gestão do site Coordenação da divulgação <ul><li>Livros </li></ul><ul><li>-Textos, </li></ul><ul><li>ilustrações, </li></ul><ul><li>exercícios e </li></ul><ul><li>músicas. </li></ul><ul><li>Estruturas de apoio </li></ul><ul><li>Gráfica e </li></ul><ul><li>Estúdio </li></ul>Site - Aquisição do livro; - Notícias; - Calendário de eventos; - Contacto com autores; - Esclarecimento de dúvidas; - Inserção de contributos e críticas; - Acesso a material didáctico extra; - Disponibilização de guiões doutrinários; - Divulgação de músicas. Acções de divulgação - Apresentação da obra; - Imprensa; - Iniciativas: Desafio “Jovem Ilustrador” - Distribuição e venda.
  101. 118. VAMOS TODOS! VAMOS BICHINHOS! VAMOS A CORRER, TREPAR, NADAR, VOAR INDIFERENTES SÃO OS CAMINHOS O IMPORTANTE É LÁ CHEGAR! QUEREMOS OUVIR AS HISTÓRIAS VERDADEIRAS MAS DE ENCANTAR SONHANDO EM TODAS AS CORES PARA APRENDER E ENSINAR:
  102. 119. APRENDER COM OS PATOS, AS REVELAÇÕES A ALEGRIA DA OBEDIÊNCIA, COM OS MACACOS E OS BICHOS DA SELVA A UNIÃO, TRABALHO E PACIÊNCIA! COM A FORMIGA DAR UM PASSO EM FRENTE, NÃO À PREGUIÇA, SEMPRE A MELHORAR, ENTRE ’STRELAS APRENDER, ESTUDAR, CADA DIA NO PLANET’ APROVEITAR! O URSO ENSIN’ Á LEI DE ACÇÃO E REACÇÃO A IMPORTÂNCIA DE RECOMEÇAR, OS PEIXES O VALOR DA PERSISTÊNCIA, A TOUPEIR’ Á SER-SE BOM E AJUDAR!
  103. 120. VAMOS TODOS! VAMOS BICHINHOS! VAMOS A CORRER, TREPAR, NADAR, VOAR INDIFERENTES SÃO OS CAMINHOS O IMPORTANTE É LÁ CHEGAR! QUEREMOS OUVIR AS HISTÓRIAS VERDADEIRAS MAS DE ENCANTAR SONHANDO EM TODAS AS CORES PARA APRENDER E ENSINAR:
  104. 121.   SUBSTITUIR OS MAUS PENSAMENTOS DAS AVESTRUZES PELOS SENTIMENTOS DA JOANINHA, DE DOAÇÃO, DOÇURA, PUREZA DE CORAÇÃO! COM OS ESQUILOS APRENDER A BONDADE NÃO AO ORGULHO, EGOÍSMO OU VAIDADE, COM A ABELHA TRABALHO E ABNEGAÇÃO, COM O CARACOL A INDULGÊNCIA, O PERDÃO! ENTRE OS URSOS E PINGUINS A UNIÃO, A TOLERÂNCIA, O BEM! ENTRE A FAMÍLIA DOS PAPAGAIOS APROFUNDAR LAÇOS COM PAI E MÃE!  
  105. 122. VAMOS TODOS! VAMOS BICHINHOS! VAMOS A CORRER, TREPAR, NADAR, VOAR INDIFERENTES SÃO OS CAMINHOS O IMPORTANTE É LÁ CHEGAR! QUEREMOS OUVIR AS HISTÓRIAS …
  106. 124. Até amanhã
  107. 125. Bem-vindos
  108. 126. O CENTRO ESPÍRITA José Lucas
  109. 127. O Centro Espírita Estudar e analisar as implicações das actividades do Centro Espírita na educação do futuro da Humanidade. Objectivo
  110. 128. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>Panorâmica
  111. 129. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul>
  112. 130. O Centro Espírita
  113. 131. O Centro Espírita
  114. 132. O Centro Espírita
  115. 133. O Centro Espírita
  116. 134. O Centro Espírita
  117. 135. O Centro Espírita
  118. 136. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>
  119. 137. O Centro Espírita Que papel tem o CE na sociedade?
  120. 138. O Centro Espírita Esclarecer Consolar 5 pontos básicos da DE: - Deus - Imortalidade - Comunicabilidade - Reencarnação - Plur. Mundos habitados Tríplice aspecto da DE: - Ciência - Filosofia - Moral Criando nova base existencial para a humanidade, com as suas alegrias e tristezas, passa a haver uma lógica, um sentido para a vida…
  121. 139. O Centro Espírita Como se chega ao Centro Espírita?
  122. 140. O Centro Espírita Ando perdido, sem rumo?
  123. 141. O Centro Espírita Dor?
  124. 142. O Centro Espírita
  125. 143. O Centro Espírita Para quê?
  126. 144. O Centro Espírita Solução para a dor
  127. 145. O Centro Espírita Buscar conhecimento…
  128. 146. O Centro Espírita Crescimento espiritual
  129. 147. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>
  130. 148. O Centro Espírita
  131. 149. O Centro Espírita O que é?
  132. 150. O Centro Espírita Templo? O que é?
  133. 151. O Centro Espírita Hospital? O que é?
  134. 152. O Centro Espírita Escola? O que é?
  135. 153. O Centro Espírita Igreja? Hospital? Escola? Templo? O que é?
  136. 154. O Centro Espírita O que devia ser?
  137. 155. O Centro Espírita Se os espíritas soubessem o que é o Centro Espírita, quais são realmente a sua função e o seu significado, o Espiritismo seria hoje o mais importante movimento cultural e espiritual da Terra. … Mas o que fazemos, em todo este vasto continente espírita, é um imenso esforço de igrejificar o Espiritismo, de emparelhá-lo com as religiões decadentes e ultrapassadas , formando por toda parte núcleos místicos e portanto fanáticos, desligados da realidade imediata.
  138. 156. O Centro Espírita Associações espíritas, promissoramente organizadas, logo se transformam em grupos de rezadores pedinchões. O carimbo da igreja marcou fundo a nossa mentalidade em penúria.
  139. 157. O Centro Espírita O Centro Espírita não é tempo nem laboratório – é, para usarmos a expressão espírita de Victor Hugo: point d’opotique do movimento doutrinário, ou seja, o seu ponto visual de convergência. Podemos figurá-lo como um espelho côncavo em que todas as actividades doutrinárias se reflectem se unem, projectando-se conjugadas no plano social geral, espírita e não espírita.
  140. 158. O Centro Espírita O Centro Espírita não pode trocar os seus serviços de amor e fraternidade pelo acirramento das lutas entre grupos e classes. Ele apela aos valores da inteligência, que através da razão equilibrada e da compreensão profunda das necessidades humanas, conduzem os homens a solução e não apenas a tentativas de maiores conflitos.
  141. 159. O Centro Espírita O Centro Espírita é realmente um centro de convergência de toda a dinâmica doutrinária. Nele iniciam-se os neófitos, revelam-se os médiuns, comunicam­se os Espíritos, educam-se crianças e adultos, libertam-se os obsedados, estuda-se a Doutrina nos seus aspectos teóricos e práticos, promove-se a assistência social a todos os necessitados, sem imposições e discriminações, cultiva-se a fraternidade pura que abre os portais do Futuro.
  142. 160. O Centro Espírita A coordenação das actividades de um Centro Espírita bem orientado é praticamente automática, resultando do clima fraterno em que todos se sentem como em família, ajudando­se mutuamente. É nessa comunhão de esforços que os espíritas podem antecipar as realizações mais fecundas.
  143. 161. O Centro Espírita O que o Espiritismo objectiva é a transforma-ção interior das criaturas, para que se tornem mais esclarecidas e com isso, dotadas de mente mais arejada e coração mais puro.
  144. 162. O Centro Espírita O Centro Espírita entranha-se naturalmente na comunidade, é parte dela, um órgão activo e operante da estrutura social.
  145. 163. O Centro Espírita QUALIFICAR , para servir melhor, para ser mais solidário. ESPIRITIZAR   O trabalho de adquirir o conhecimento espírita, de perseverar no estudo. Humanizar , ser mais humano.
  146. 164. O Centro Espírita Igreja? Hospital? Escola? Templo? O que é?
  147. 165. O Centro Espírita Actividades
  148. 166. O Centro Espírita Actividades
  149. 167. O Centro Espírita Actividades
  150. 168. O Centro Espírita Actividades
  151. 169. O Centro Espírita Actividades
  152. 170. O Centro Espírita Actividades
  153. 171. O Centro Espírita Actividades
  154. 172. O Centro Espírita Todos eles vocacionados para a educação do ser humano com vista ao seu porvir. Actividades
  155. 173. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>
  156. 174. O Centro Espírita Quando a mediunidade aparece: problema ou solução?
  157. 175. O Centro Espírita
  158. 176. O Centro Espírita Que mudanças existem e / ou devem existir?
  159. 177. O Centro Espírita Entramos para o Espiritismo
  160. 178. O Centro Espírita O espiritismo entra em nós
  161. 179. O Centro Espírita
  162. 180. O Centro Espírita O Espiritismo sai de nós
  163. 181. O Centro Espírita
  164. 182. O Centro Espírita
  165. 183. O Centro Espírita
  166. 184. O Centro Espírita O CE é uma escola que ajuda o ser humano a educar-se espiritualmente
  167. 185. O Centro Espírita Estudando educa-se
  168. 186. O Centro Espírita Educando-se, educa os que o rodeiam, através da sua atitude, do seu comportamento
  169. 187. O Centro Espírita “ Os espíritas são diferentes ”…, … dizem as outras pessoas, e ficam curiosas em saber porquê !
  170. 188. O Centro Espírita O CE dá contribuição social para a educação através da educação espírita que promove Actividades no exterior do CE CBE no exterior do CE Palestras Escolas Debates Jornais Rádio / TV Hospitais Prisões Local de trabalho Lares Creches
  171. 189. José Lucas – jcmlucas@gmail.com
  172. 190. José Lucas – jcmlucas@gmail.com
  173. 191. José Lucas – jcmlucas@gmail.com Que consequências tem?
  174. 192. José Lucas – jcmlucas@gmail.com
  175. 193. O Espiritismo ensina que: Reencarnamos para rectificar atitudes …
  176. 194. José Lucas – jcmlucas@gmail.com O Espiritismo ensina que: Reencarnamos para aprender…
  177. 195. José Lucas – jcmlucas@gmail.com O Espiritismo ensina que: Reencarnamos para rectificar sentimentos …
  178. 196. José Lucas – jcmlucas@gmail.com O Espiritismo ensina que: Reencarnamos para Evoluirmos, sermos felizes …
  179. 197. O Centro Espírita O CE tem de se tornar um parceiro social, ser socialmente reconhecido e aceite para poder facilmente cumprir a sua função de contribuidor para a educação social
  180. 198. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>
  181. 199. O Centro Espírita Passa a haver um maior e melhor entrosamento social, espiritual, um maior e melhor crescimento interior Evangelizando a criança, evangeliza-se o adulto Evangelizando o adulto, entrosa-se a educação no lar, baseada no exemplo Por consequência entrosa-se na Escola
  182. 200. O Centro Espírita <ul><li>Não sabemos como deve ser a educação do futuro… </li></ul><ul><li>Mas, sabemos como não deve ser: como é agora, </li></ul><ul><li>separada, espartilhada… </li></ul><ul><li>Se alterarmos este estado de coisas, a educação </li></ul><ul><li>deixa de ser um fardo para passar a ser uma missão, </li></ul><ul><li>um prazer para pais, professores e todo o tipo de </li></ul><ul><li>educadores. </li></ul><ul><li>Falta o ingrediente essencial: o Amor. </li></ul>
  183. 201. O Centro Espírita
  184. 202. O Centro Espírita Espiritualidade
  185. 203. O Centro Espírita
  186. 204. O Centro Espírita
  187. 205. O Centro Espírita
  188. 206. O Centro Espírita
  189. 207. O Centro Espírita
  190. 208. O Centro Espírita
  191. 209. O Centro Espírita <ul><li>A realidade, hoje </li></ul><ul><li>O papel do Centro Espírita na sociedade </li></ul><ul><li>O Centro Espírita: conceito, actividades </li></ul><ul><li>Papel do C. E. na educação do futuro </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>Sumário
  192. 210. O Centro Espírita Bibliografia
  193. 211. TRANSIÇÃO PLANETÁRIA Antero Ricardo
  194. 212. Transição Planetária Jornadas de Cultura Espírita - Óbidos Apresentação: Antero Ricardo
  195. 213. “ Para que na Terra sejam felizes os homens, preciso é que somente a povoem Espíritos bons, encarnados e desencarnados, que somente ao bem se dediquem. Havendo chegado o tempo, grande emigração se verifica dos que a habitam: a dos que praticam o mal pelo mal, ainda não tocados pelo sentimento do bem, os quais, já não sendo dignos do planeta transformado, serão excluídos, porque, senão, lhe ocasionariam de novo perturbação e confusão e constituiriam obstáculo ao progresso… Substituí-los-ão Espíritos melhores, que farão reinem em seu seio a justiça, a paz e a fraternidade…” “ A época atual é de transição; confundem-se os elementos das duas gerações. Colocados no ponto intermédio, assistimos à partida de uma e à chegada da outra, já se assinalando cada uma, no mundo, pelos caracteres que lhes são peculiares…” A Génese, Cap. XVIII, item 27 e 28
  196. 214. Mundos Primitivos Provas e Expiações Regeneradores Superiores Celestes ou Divinos
  197. 215. “ Dizem-nos de todas as partes que são chegados os tempos marcados por Deus, em que grandes acontecimentos se vão dar para regeneração da Humanidade” Allan Kardec, A Génese, Cap. 18 item 1 “ Aproximai-vos do momento em que se dará a transformação da Humanidade, transformação que foi predita e cuja chegada é acelerada por todos os homens que auxiliam o progresso” “ O Livro dos Espíritos” Q.1019 . S. Luís
  198. 216. Transição das Formas
  199. 217. Exilados de Capela
  200. 218. Plêiades Alcyone
  201. 219. “ O indivíduo, que se renova moralmente, contribui de forma segura para as alterações que se vêm operando no planeta. Não é necessário que o turbilhão dos sofrimentos gerais o sensibilize, a fim de que possa contribuir eficazmente com os Espíritos que operam em favor da grande transição”. Joanna de Ângelis, Jesus e Vida. Médium Divaldo P. Franco “ Como entender o trabalho de purificação nos ambientes do mundo? [...] Todos os Espíritos encarnados, porém, devem considerar que se encontram no planeta como em poderoso cadinho de acrisolamento e regeneração, sendo indispensável cultivar a flor da iluminação íntima, na angústia da vida humana, no círculo da família ou da comunidade social, através da maior severidade para consigo mesmo e da maior tolerância com os outros [...]” Emmanuel, O Consolador
  202. 220. “ (…) dá-se neste momento a renovação do planeta, graças à qualidade dos espíritos que começam a habitá-lo, enriquecidos de títulos de enobrecimento e de interesse fraternal.” Joanna de Ângelis “Momentos de Harmonia”
  203. 221. “ P. – O que a Doutrina Espírita pode dizer a respeito do fim dos tempos, isto é, como ocorrerá a transformação do planeta em planeta de provas e expiações para de regeneração? R. – Através da busca da espiritualização, superação das dores e construção de uma nova sociedade, a Humanidade caminha para a regeneração das consciências. [...] Cabe, a cada um, longa e árdua tarefa de ascensão. Trabalho e amor ao próximo com Jesus, este o caminho.” Francisco Cândido Xavier, Plantão de Respostas
  204. 223. FUTURO DA EDUCAÇÃO Reinaldo Barros
  205. 225. Processo [modo de fazer; norma; método; sistema]que visa o desenvolvimento do ser humano nos seus aspectos intelectual , moral e físico e a sua inserção na sociedade . Processo de aquisição de conhecimentos e aptidões . Instrução. Adopção de comportamentos e atitudes correspondentes aos usos socialmente tidos como correctos e adequados ; cortesia, polidez.
  206. 226. A forma mais básica e elementar de educação visa a sobrevivência do indivíduo e do grupo. Dá ao indivíduo competências e saberes. Dá ao grupo uma identidade e uma coesão.
  207. 227. Transmissão geracional de Elementares Essenciais para a sobrevivência (Obter alimentos, observar os astros) Origem e identidade do grupo em que os indivíduos nasceram e foram criados Socialização, identidade dos grupos humanos Hábitos, tradições, projectos do grupo a que se pertence
  208. 228. Família Sociedade Estado Transmissão de saberes e competências Grupos alargados Complexificação das relações e das funções Especialização Sistemas de ensino de massas Homogeneização da formação dos cidadãos Preparação “técnica” e “humanística” Pequenos grupos EDUCAÇÃO Condicionada pela sobrevivência e pela identidade de grupo
  209. 243. Conhecer a História do que aconteceu em Auschwitz e criar um clima intelectual, cultural e social que não permita a sua repetição. Tornar conscientes os motivos que levaram à barbárie. Abordar o consciente e o inconsciente da população. Entender o impacto dos modernos meios de comunicação sobre um estado de consciência. Auschwitz representa a identificação cega com o colectivo. A manipulação das massas por homens como Himmler, Höss, Eicheman. É preciso tratar criticamente aquilo que se chama a razão de estado . Quando se coloca o direito do Estado acima do de seus integrantes, o terror já passa a estar potencialmente presente. Eis um importante objetivo da educação: evitar a barbárie . Não ajudar a produzir as causas da violência extrema entre seres humanos . Theodor Adorno
  210. 244. Os quatro pilares de uma educação para o século XXI Quatro aprendizagens fundamentais [na sociedade do conhecimento] 1 – APRENDER A CONHECER 2 – APRENDER A FAZER 3- APRENDER A VIVER JUNTOS OU A CONVIVER COM OS OUTROS 4 – APRENDER A SER
  211. 245. O Conhecimento O Conhecimento Pertinente A Identidade Humana A Compreensão Humana A Incerteza A Condição Planetária A Antropo-ética
  212. 246. (Elementos determinantes para a civilização e o progresso) É uma capacidade geral para: Raciocinar, Solucionar problemas, Pensar no abstracto, Compreender ideias, Organizar reacções e Aprender. A inteligência permite-nos : Registar e gerir informação, Criar e a desenvolver conhecimentos e Inventar possibilidades .
  213. 247. Para a tomada de decisões , a inteligência socorre-se A prática da inteligência resulta da aplicação de uma série de recursos : da percepção, da atenção, da memória, do pensamento criativo, do autocontrolo, da adaptação social e até da motivação. intelectuais (não apenas), emocionais, sentimentais, volitivos e sociais.
  214. 248. A inteligência é uma expressão do comportamento e uma manifestação da personalidade .
  215. 249. LE 23 - Espírito é o princípio inteligente do universo . LE 24 - A inteligência é um atributo essencial do Espírito (…) LE 71 - (…) a inteligência só pode manifestar-se por meio dos órgãos materiais . É preciso a união com o Espírito para prover de inteligência a matéria animalizada [o corpo]. LE 76 - (…) os Espíritos são os seres inteligentes da Criação . (…)
  216. 250. LE 72 a – (…) A inteligência é um dom próprio de cada ser e constitui a sua individualidade moral . (…)
  217. 251. LE 629 - [Definição] A moral é a regra do bem proceder , ou seja, a que permite distinguir entre o bem e o mal . Ela é fundada sobre o cumprimento da lei de Deus . (…) LE - 630 - (…) fazer o bem é proceder conforme a lei de Deus (…). LE - 631 – O homem tem, por si mesmo, meios de distinguir o bem do mal? Sim, quando crê em Deus e de facto quer saber porque Deus lhe deu a inteligência para distinguir um do outro .
  218. 252. 218 – [O Espírito tem uma vaga lembrança das percepções que teve e dos conhecimentos que adquiriu em existências anteriores] (…) ideias inatas . 218 a - (…) os conhecimentos adquiridos em cada existência não se perdem . (…) mas a intuição que conserva deles o ajuda em seu adiantamento . (…)
  219. 253. 132 Qual é o objectivo da encarnação dos Espíritos? A Lei de Deus lhes impõe a encarnação com o objectivo de fazê-los chegar à perfeição . Para uns é uma expiação ; para outros é uma missão . Mas, para chegar a essa perfeição, devem sofrer todas as tribulações da existência corporal: é a expiação. A encarnação tem também um outro objectivo: dar ao Espírito condições de cumprir sua parte na obra da criação . Para realizá-la é que, em cada mundo, toma um corpo em harmonia com a matéria essencial desse mundo para executar aí, sob esse ponto de vista, as determinações de Deus, de modo que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.
  220. 254. É um estado de conhecimento do próprio (Self) e do ambiente que o rodeia, da realidade interna e da realidade externa. LE 189 – (…) Na origem, os Espíritos têm somente uma existência instintiva e mal têm consciência de si mesmos e de seus actos . É pouco a pouco que a inteligência se desenvolve [e eles alcançam a plenitude das suas faculdades]. LE 621 - Onde está escrita a lei de Deus? Na consciência. LE 619 - Deus deu a todos os homens meios de conhecer Sua lei? Todos podem conhecê-la, mas nem todos a compreendem; os que a compreendem melhor são os homens de bem e os que procuram pesquisá-la ; entretanto, todos a compreenderão um dia, porque é preciso que o progresso se realize.
  221. 255. LE 614 - A lei natural é a lei de Deus. É a única verdadeira para a felicidade do homem (…). LE 617 - (…) O sábio estuda as leis da matéria [ciência], o homem de bem estuda as da alma [moral / religião] e as pratica [pela lei de justiça, amor e caridade]. LE 617 a - [As leis de Deus são aprofundadas ao longo de muitas encarnações].
  222. 256. André Luiz – “ No Mundo Maior ” O CÉREBRO (castelo) pode ser dividido em 3 regiões distintas: 1º - Subconsciente : impulsos automáticos, sumário vivo dos serviços realizados – hábitos e automatismos. 2º - Consciente : “domínio das conquistas actuais”, onde se erguem e consolidam as qualidades nobres que estamos edificando – esforço e vontade . 3º - Superconsciente : “casa das noções superiores”, iminências do que nos cumpre atingir – ideal e meta superiores .
  223. 257. impulsos automáticos, sumário vivo dos serviços realizados “ domínio das conquistas actuais”, onde se erguem e consolidam as qualidades nobres que estamos edificando noções superiores; o que nos cumpre atingir ideal e meta superiores esforço e vontade hábitos e automatismos
  224. 258. Onde ensinava? A quem ensinava? O que ensinava? Como ensinava? Consequências do que ensinava?
  225. 259. 25 DE ABRIL DE 1866 (Paris, resumo das comunicações dadas pelos srs. M... e T... em sonambulismo.) a Humanidade chegou a um de seus períodos de transformação , e a Terra vai se elevar na hierarquia dos mundos. Não é (…) o fim do mundo material (…), mas o fim do mundo moral (…) [desabam os preconceitos, o egoísmo, o orgulho e o fanatismo]. Para que os homens sejam felizes sobre a Terra , é necessário que ela não seja povoada senão por bons Espíritos (…) que não quererão senão o bem . Tendo chegado esse tempo, uma grande emigração se cumprirá (…) aqueles que fazem o mal pelo mal, que o sentimento do bem não toca, (…) serão excluídos (…). Serão substituídos na Terra por Espíritos melhores , que farão reinar, entre eles, a justiça, a paz e a fraternidade. A REGENERAÇÃO DA HUMANIDADE
  226. 260. (…) A nova geração , devendo fundar a era de progresso moral , se distingue por uma inteligência e uma razão geralmente precoces, unidas ao sentimento inato do bem e das crenças espiritualistas , (…) sinal indubitável de um certo grau de adiantamento anterior. Ela não será composta exclusivamente de Espíritos eminentemente superiores, mas daqueles que, tendo já progredido, estão predispostos a assimilar todas as ideias progressistas e aptos a secundar o movimento regenerador . O que distingue, ao contrário, os Espíritos atrasados , é primeiro a revolta contra Deus , pela negação da Providência e de todo poder superior à Humanidade ; depois a propensão instintiva para as paixões degradantes , para os sentimentos antifraternais do orgulho , do ódio , do ciúme , da cupidez , enfim, a predominância do apego para tudo o que é material .
  227. 261. [despontam] (…) os primeiros raios da era nova ! A fraternidade põe os seus fundamentos sobre todos os pontos do globo (…); a barbárie se familiariza ao contacto da civilização; os preconceitos de raça e de seitas (…) se extinguem; o fanatismo , a intolerância, perdem terreno, ao passo que a liberdade de consciência se introduz nos costumes e se torna um direito . Por toda a parte as ideias fermentam ; vê-se o mal e se tentam remédios, mas muitos caminham sem bússola e se desviam nas utopias. O mundo está num imenso trabalho de criação, que irá durar um século ;
  228. 262. (…) Um dos caracteres distintivos da nova geração será a fé inata ; não a fé exclusiva e cega que divide os homens, mas a fé raciocinada que esclarece e fortalece, que os une e os confunde num comum sentimento de amor a Deus e ao próximo . (…) (…) O Espiritismo é o caminho que conduz à renovação (…) A nova era vê-lo-á, pois, aumentar e prosperar pela própria força das coisas. Tornar-se-á a base de todas as crenças , o ponto de apoio de todas as instituições.
  229. 264. Psicografia de Francisco Cândido Xavier Todas as reformas sociais , necessárias em vossos tempos de indecisão espiritual, têm de processar-se com a base do Evangelho . (…) Pela educação (…). (…) Nessas transformações [que a Humanidade tem de passar], há sempre necessidade do pensamento religioso para manter-se a espiritualidade das criaturas em momentos tão críticos . (…) Urge reformar, reconstruir, [reorganizar o] (…) o edifício social. (…) Urge, sobretudo a criação dos núcleos verdadeiramente evangélicos, de onde possa nascer a orientação cristã a ser mantida no lar (…). As escolas do lar são mais do que precisas, em vossos tempos, para a formação do espírito que atravessará a noite de lutas que a vossa Terra está vivendo, em demanda da gloriosa luz do porvir.
  230. 265. Há necessidade de iniciar-se o esforço de regeneração em cada indivíduo , dentro do Evangelho , com a tarefa nem sempre amena da auto-educação . Evangelizado indivíduo , evangeliza-se a família ; regenerada esta, a sociedade estará a caminho de sua purificação, reabilitando-se simultaneamente a vida no futuro. As actividades pedagógicas do presente e do futuro terão de se caracterizar pela sua feição evangélica e espiritista , se quiserem colaborar no grandioso edifício do progresso humano.
  231. 267. Intervalo
  232. 268. MESA REDONDA José Lucas Antero Ricardo Reinaldo Barros
  233. 269. EDUCAÇÃO, FAMÍLIA E REENCARNAÇÃO Ricardo Di Bernardi
  234. 270. Educação e Família Dr. Ricardo Di Bernardi
  235. 271. ESCOLA NOME / HONRA BRASÃO AUTORIDADE TRABALHO PRENDAS DOMÉSTICAS PÓS QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO – FEUDOS, DOMÍNIO DA IGREJA RELIGIÃO DOGMÁTICA <ul><ul><li>Escola Antiga / Família </li></ul></ul>
  236. 272. CONTESTAÇÃO DOS VALORES DROGA TV BABÁ FILHOS PAI MÃE RELIGIÃO <ul><ul><li>Escola de Transição / Família Atual </li></ul></ul>
  237. 273. <ul><li>Escola do Terceiro Milênio </li></ul>
  238. 274. Construção Espiritual Familiar Família Esp. Afins Esp. em Afinização Necessária Esp. em Afinização Urgente Filhos Afetos do Passado (Harmônicos ou Desarmônicos) Desafetos
  239. 275. SER BIDIMENSIONAL
  240. 276. <ul><li>O Educando: </li></ul>C riatura H umana I nconsciente L iberação D irecionada R espeitando E spírito N aturalmente
  241. 277. <ul><li>Educando: Ser Multimilenar </li></ul>Memória Extracerebral Retrocognição Hipnótica Terapia Regressiva
  242. 278. <ul><li>Fatores Educacionais </li></ul>Intrínsecos Pré-Aquisições Positivas -PAP Pré-Aquisições Negativas -PAN Extrínsecos Pais Mestres Educadores Extrafísicos Afins Mesológicos Afins
  243. 279. <ul><li>Pedagogia IIIº Milênio </li></ul>Tomada Serena de Consciência (educ. / Mestre) Aplicação Ampliação P.A.P. P.A.N. Tomada SUAVE de Consciência (educ. / Mestre) Compreender Nocividade Sublimar Praticar Sublimação 7.1 -Atender Conteúdo Intrínseco
  244. 280. 7.2 – Priorizar Conteúdo Não Curricular 7.3 – Individualizar o Ensino 7.4 – Estímulos à Expansão da Consciência . Ioga . Psicometria . Cores invisíveis . Amigos invisíveis . Música relaxante . Sons inaudíveis . Hora da Harmonização
  245. 281. Arquivos=Arquétipos Barreiras do Inconsciente Expansão da Consciência
  246. 282. 7.5 – Tomada de Consciência . Lei de Ação e Reação . Afinidade das Energias 7.6 – Estimular Auto-Competição . Vitória sobre Si Mesmo . Hetero-competição compreender direcionar
  247. 283. 7.7 – Ampliar o Conceito de Universo . Outros Mundos . Outras Dimensões 7.8 – Tentar Eliminar a Culpa . Atos Bons Compensam . Citar Casos
  248. 284. <ul><li>Controlar Fatores Anti-Pedagógicos </li></ul>Mesológicos Físicos Mesológicos Extrafísicos Fatores Anti-Pedagógicos: são aqueles que estimulam as P.A.N
  249. 285. 8.1 – Fatores Mesológicos Físicos . Lar Enfermo . Escola Despreparada . Companhia Inadequada . TV não- educativa . Outros 8.2 – Fatores Mesológicos Extrafísicos . Egrégora do Ambiente . Ideoplastias . Entidades Extrafísicas
  250. 286. Consciente Inconsc. Presente Inconsc. Passado Inconsciente Puro DESTINO
  251. 288. Joana Vieira Pianista
  252. 289. MOMENTO DE POESIA Manuela Félix
  253. 290. MÚSICA ESPÍRITA Inês Guinote
  254. 291. Agradecimentos
  255. 292. Até breve!

×