Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Proposta de resolução do questionário do caderno de actividades 2

14,207 views

Published on

  • Be the first to comment

Proposta de resolução do questionário do caderno de actividades 2

  1. 1. PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO QUESTIONÁRIO DO CADERNO DE ACTIVIDADESPágina 7- Questão 1:Com base na análise do documento, "qualquer progresso importante eraimediatamente corrigido por uma catástrofe natural ou humana", pois bastava um mauano agrícola para as fomes e as pestes, referidas no documento 4 da página 5, seinstalarem. Com elas, chegavam também as guerras, como é o caso da Guerra dos 30Anos, explícita no documento 3, que, como nos diz um excerto do texto, trazia "raziasexecráveis e tirânicas que fazem os soldados alemães...". Isto, eram motivos mais quesuficientes para que um ano passasse de bom a catastrófico.Página 7- Questão 2:De acordo com o texto, "a população mundial progrediu cerca de dois terçosrelativamente ao seu nível de meados do século XVIII, e a partir daí, até aos nossosdias, a população cresceu continuamente. Com isto, concluímos que a partir do séculoXVIII, o crescimento da população, pela primeira vez na História, não mais se inverteu.Tentei também melhorar as duas perguntas de desenvolvimento que nos erampedidas:Página 6- Questão 4:No século XVII, o modelo demográfico apontava para uma enorme crise, um giganteretrocesso, onde a taxa de mortalidade era elevadíssimo, particularmente, a taxa demortalidade infantil como se pode observar no documento 2, e, onde contrariamente, aesperança média de vida era baixíssima. Isto, logicamente, levou a um recuo dapopulação.Este modelo demográfico relaciona-se com o sistema económico existente no AntigoRegime, designado por economia pré-industrial, que se caracteriza essencialmentepela base agrícola e pela debilidade tecnológica, que fazia com que os camponesesvivessem à mercê das condições climatéricas, como podemos verificar observando aimagem da página 6 (documento 5). Neste século, essas condições não foram, detodo, as mais favoráveis, levando à fraca produção de subsistências, e levando aoaumento das mesmas, como nos diz o documento 3, que refere o "preço excessivo dotrigo", por exemplo. As fomes, também referidas no documento 3, onde este nostransmite que "muitas pessoas morrerem de fome", dão origem ao enfraquecimentodos corpos, facilitando a propagação de doenças e epidemias patentes no documento4, que fala sobre a peste negra, e que nos dá a informação de que "a população que apróxima peste de Londres ceifará será provavelmente de 120 000". Também asguerras, contribuíram significativamente para a miséria deste século. A Guerra maismarcante foi a Guerra dos 30 Anos, situada no documento 3, que nos mostra, atravésde uma simples frase, a dimensão da gravidade da situação: "...razias execráveis (...)acompanhadas de toda a espécie de crueldades...".Todos estes fatores, aliados a outros como os atrasos na medicina e na farmácia, ahigiene precária, a falta de tecnologias utilizadas e a mínima importância dada àcriança, fizeram com que este século fosse, de facto, deplorável, onde se assistiramdificuldades a todos os níveis.
  2. 2. Página 9-Questão 5:A sociedade do Antigo Regime mantinha a divisão trinitária medieval, sendo assim,uma sociedade de ordens dividida em clero, nobreza e povo. Esta divisão levava adistinções, que segundo o documento 1 da página 8, eram necessárias, comodetetamos assim que o título é lido.A nobreza era uma ordem social privilegiada, mas que mesmo dentro de si mesma,era heterogénea, onde os estratos se diferenciavam pela origem e funções. Contudo,possuía direitos e isenções, que eram pelos nobres severamente defendidos, como énotório no documento 3, onde eles afirmam o seguinte: "...jamais consentiremos nasupressão dos direitos que, até aqui, caracterizaram a Ordem Nobre...".O clero era também uma ordem privilegiada e heterogénea (por razões idênticas àsapresentadas para a nobreza), e possuíam também direitos como o direito canónico, ofacto de dependerem de uma autoridade exterior à nacional, ao Papa, era uma ordemextremamente influente que detinha altos cargos e, para além de tudo isto, eramcobradores da dízima, exposta no documento 6.O povo, era uma ordem não privilegiada, que trabalhava e pagava impostos, ou seja,que "sustentava o luxo" das outras classes. No documento 5, visionamos uma famíliade camponeses, e percebemos a miséria em que estes vivem.Em relação à mobilidade social, ela mostrava-se difícil de ser efetuada. Contudo, porvezes a burguesia mais abastada, conseguia ascender à nobreza, casando adescendência com um nobre menos abastado, como se verifica no documento 4.Maria Veríssimo 11ºLH2 nº14 (2012-13)PROPOSTAS DE RESPOSTAS DE COLEGAS DE ANOS ANTERIORESFICHA 1, Conjunto 21 - A afirmação «qualquer progresso importante era imediatamente corrigido por umacatástrofe natural ou humana» significa que quando começava a existir evolução num país ouregião, esta era atacada ou por factores naturais, como pestes ou maus anos agrícolas, quedavam origem a fomes ou humanos, as guerras. Estes factores provocavam um retrocesso nocrescimento tanto a nível demográfico como económico.Solange Maurícioquestão 2 do Grupo 2, da Ficha 1O aspecto mais marcante da demografia mundial, de meados do século XVIII atéaos nossos dias, foi o aumento da população em 1500 milhões num só século, achamada Revolução Demográfica, que desencadeou uma subida contínua dapopulação, como de demonstra no documento em "Todos os dados convergem:num só século [1750-1850] a população mundial ganhou cerca de 500 milhões dehabitantes, progrediu cerca de dois terços relativamente ao seu nível de meados doséculo XVIII. E este salto em frente, que, sem dúvida, não será espectacular se ocompararmos com os nossos ritmos do século XX (...) é, contudo, a primeiraexpansão desta dimensão na História.".Sílvia Ferreira
  3. 3. Resposta à questão 4 do Grupo 2, da Ficha 1Na opinião do autor, as limitações que se colocam ao conhecimento dos fenómenosdemográficos anteriores ao século XIX devem-se ao facto de "Os nossosconhecimentos, muito europeus (...) e muito franceses, porque os primeirospassos da demografia histórica foram, antes de mais nada, obra de investigadoresfranceses (...) permitem adiantar algumas hipóteses, embora os esquemasindicados tenham tendência para extrapolar de mais ou para projectar umarealidade conhecida em populações submetidas a outras causas de evolução.",como diz o que documento, ou seja, o conhecimento demográfico da época, devidoao facto de ser ter intensificado mais em França, é geralmente usado paracaracterizar a evolução demográfica de outras regiões, que não tiveram nem omesmo desenvolvimento nem as mesmas causas, mostrando-nos uma versão darealidade um pouco alterada.Sílvia FerreiraFicha 2 – Página 95- A sociedade de ordens do Antigo Regime era estratificada e hierarquizada, poiscada indivíduo tinha o seu lugar bem definido na sociedade, em função donascimento, da riqueza, prestígio ou poder. Estava dividida no grupo dosprivilegiados (Clero e Nobreza) e dos não privilegiados (3º Estado – Burguesia ePovo). A cada ordem era atribuído um estatuto jurídico específico, que definia osprivilégios (direitos, deveres, valores e comportamentos). No doc.1 é referido asdistinções necessárias das diferentes ordens, bem como as suas funções eprivilégios.O 1º Estado corresponde ao Clero, que representa 4% da população. A sua vocaçãoera o serviço religioso, o ensino e a caridade. Segundo a estratificação interna, oClero dividia-se no Alto Clero (oriundos da Nobreza; eram cardeais, bispos,arcebispos e cónegos) e no Baixo Clero (oriundos de um meio rural; tinham fracaformação cultural e viviam modestamente; eram os párocos) O Clero dividia-seainda em Clero Regular, sujeitos à regra de uma ordem religiosa superior ( Ex:Monges Franciscanos e Monges da Ordem de Cister), e em Clero Secular,prestavam actividades junto ao público (Ex: Párocos, abades e bispos). Osprivilégios da ordem eclesiástica eram: direito canónico (rege-se por leis próprias),defendem uma autoridade superior (Papa), estavam isentos de impostos e eramdetentores de bens fundiários, recebiam 10% da produção nacional através dacobrança da dízima (O doc.6 mostra-nos os produtos sujeitos à cobrança da dízima:“ Estão sujeitos ao dízimo o trigo, o centeio, a cevada (…), as favas, as ervilhas, ogrão-de-bico, o milho grosso e miúdo, o linho e o vinho.”), tinham cargos naadministração local e central e possuíam uma forte influência sobre todos ossectores da sociedade (detinham funções no ensino, na saúde e na assistência. Nodoc.4 é possível visualizar toda a opulência, os luxos e os privilégios que o Cleropossuía, principalmente o Alto Clero.O 2º Estado é composto pela Nobreza (10%) e a sua vocação é governar edefender (“ (…) O nobre consagra o seu sangue à defesa do Estado (…)” – doc.1). Éuma ordem muito heterogénea e os estratos diferenciavam-se pela origem. Assim,
  4. 4. existia uma Nobreza de Sangue (obtida por linhagem; eram cavaleiros nobres e develhas famílias) e uma Nobreza de Mérito ou de Toga (obtida por consideração oucargos; oriunda da Burguesia letrada, que ocupava cargos na magistratura e naadministração e recebia notabilização por mérito. Os privilégios da Nobreza eram:direitos e isenções semelhantes aos do Clero, isenção fiscal e imunidade das suasterras, forte poder económico pela posse de extensos domínios e das rendas etributos (direitos senhoriais) e possuíam os mais altos cargos político-militares. Odoc.3 refere-se aos direitos da Nobreza, especialmente da Nobreza de Sangue, quesofreram uma alteração, visto a burguesia letrada ter ascendido socialmente devidoaos seus méritos e cargos. É também a partir do século XVII, que se assiste àafirmação do poder absoluto, por parte dos reis, o que originou a perda do prestígioe da influência que a nobreza tinha.O 3º Estado, constituído pela Burguesia e Povo, corresponde à restante população(86%), em que a sua principal função era trabalhar e pagar impostos (“ (…) Aúltima classe da nação, que não pode prestar ao Estado serviços tão elevados,contribui para ele com tributos, indústria e trabalho corporal.” – doc.1). É umaordem muito heterogénea e diversificada, que estava carregada de impostos eobrigações. No doc.5 visualizamos uma família de camponeses, pobres e quase semcomer, com rostos tristes e cansados de trabalhar. Apesar da mobilidade social serdifícil, a Burguesia, graças à sua instrução e riqueza, conseguira ascender àNobreza: “ E pode qualquer um, do dito último estado (Terceiro Estado), chegar aosegundo, por virtude e por diligência. (…) Para chegar ao estado de nobreza, énecessário que se obtenha graça e privilégio do príncipe; (…)” – doc.2.Vitória Chagas

×