Bematech - Bematef turbo - Automação Comercial - PAF-ECF

4,297 views

Published on

Apresentação completa do Bematef Turbo (Bematech) que você encontra na Acimaq Equipamentos Comerciais - www.acimaq.com.br

Dispomos de uma equipe completa para implementação desta solução.

Published in: Business, Technology
  • Be the first to comment

Bematech - Bematef turbo - Automação Comercial - PAF-ECF

  1. 1. Mercado de meios eletrônicos de pagamento Material de treinamento São Paulo, Fevereiro de 2011
  2. 2. O que iremos assistir? Como surgiu o mercado? Como evoluiu? Nossa parte nele, qual é? Como desempenhamos nosso papel? Como diferenciar meu speach? Como melhorar o cenário? Como virar ator principal?
  3. 3. Mercado de Transferência A história do Cartão de Crédito O cartão de crédito surgiu na década de 1920 , nos Estados Unidos. Inicialmente, os cartões de créditos eram dados somente aos clientes mais fiéis em que o dono do estabelecimento acreditava em que eles pagavam as suas compras em dia. Na década de 1950 , quando Frank MacNamara estava com executivos financeiros em um restaurante na cidade de Nova York percebeu que tinha esquecido seu dinheiro e seu talão de cheques para pagar a conta. Teve então a idéia de criar um cartão em que a conta ou compra pudesse ser paga posteriormente. Então, naquele mesmo ano, ele criou o Diners Club Card que era feito de papel-cartão.
  4. 4. Mercado de Transferência A história do Cartão de Crédito Em 1952 , o cartão começou a ganhar milhares de adeptos e já era aceito por vários estabelecimentos. E neste mesmo ano foi criado o primeiro cartão de crédito internacional. Em 1955 , o cartão passou a ser feito de plástico. Em 1958 , foi a vez de a American Express criar o seu cartão. Mas foi em 1966 que o BankAmerican Service Corporation , criou o cartão BankAmericard com um sucesso, já que era aceito em mais de 12 milhões de estabelecimentos e, pouco tempo depois, o cartão passou a se chamar a atual Visa . No mesmo ano, foi criado o Master Change que originou a bandeira MasterCard .
  5. 5. Mercado de Transferência A história do Cartão de Crédito No Brasil, o empresário tcheco Hanus Tauber (precursor dos cartões no Brasil), em 1954 , comprou nos Estado Unidos uma franquia da Diners , propondo sociedade no cartão com o empresário Horácio Klabin. Em 1956 , o Diners chegou ao Brasil, sendo inicialmente um cartão de compra e não um cartão de crédito. Em 1968 , foi lançado o primeiro cartão de crédito de banco, o ELO . Em 1971 foi fundada no Rio de janeiro a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços - ABECS .
  6. 6. Principais agentes do mercado de meios eletrônicos de pagamento Adquirente Emissor Bandeira Processadora <ul><li>Licencia sua marca para o emissor e para o adquirente e coordena o sistema de aprovação/compensação/liquidação </li></ul><ul><li>É um banco ou uma instituição financeira não-bancária que fornece o cartão PF ou PJ e cobra o pagamento do cliente </li></ul><ul><li>Fornece a base operacional (o terminal de ponto de venda) para o credenciado, faz a manutenção dos terminais de captura, a transmissão dos dados das transações eletrônicas e deposita os fundos em sua conta corrente </li></ul><ul><li>Executam o processamento das transições de cartões e emitem boletos </li></ul>
  7. 7. Mercado de Transferência “ Personagens” do cenário mercadológico Portador: Pessoa interessada em adquirir bens ou contratar serviços pagando através do cartão de crédito. Pode ser o titular da conta de cartão de crédito ou apenas portador do cartão adicional. Estabelecimento: Vende produtos ou serviços aos consumidores. Conhecido no mercado como E/C . Adquirente: Empresa responsável pela comunicação da transação entre o estabelecimento e a bandeira. Viabiliza a transação para o E/C via “maquininhas” e “pinpads”
  8. 8. Mercado de Transferência Adquirente em seu papel principal Bandeira... Emissor... Transação Realizada!
  9. 9. Mercado de Transferência “ Personagens” do cenário mercadológico Bandeira: Empresa responsável pela comunicação da transação entre o adquirente e o emissor do cartão de crédito. Para identificar qual é o emissor do cartão, as bandeiras usam os 6 primeiros números do cartão, chamados de &quot;bin-number&quot;. <ul><li>Emissor: Instituição Financeira, principalmente bancos, que: </li></ul><ul><li>emitem o cartão de crédito, </li></ul><ul><li>definem limite de compras, </li></ul><ul><li>decidem se as transações são aprovadas, </li></ul><ul><li>emitem fatura para pagamento, </li></ul><ul><li>cobram os titulares em caso de inadimplência e </li></ul><ul><li>oferecem produtos atrelados ao cartão como seguro, </li></ul><ul><li>cartões adicionais e plano de recompensas. </li></ul>
  10. 10. Normas ISO: ISO/IEC 7812-1:2006   Identificação dos cartões e o sistema de Numeração (incluindo os números Bins) ISO/IEC 7826-1:2011 Circuitos Integrados – Cartões por contato físico ISO/IEC 10373-6:2011 Circuitos Integrados – Cartões por proximidade
  11. 11. Mercado de Transferência O Papel de cada “personagem” <ul><ul><li>Algumas Bandeiras: </li></ul></ul><ul><ul><li>Benefícios: </li></ul></ul><ul><ul><li>Crédito: </li></ul></ul><ul><ul><li>Débito: </li></ul></ul>Adquirentes:
  12. 12. Mercado de Transferência O Papel de cada “personagem”
  13. 13. Mercado de Transferência O Papel de cada “personagem”
  14. 14. Quem paga quem no mercado Taxas e Tarifas Taxa Quem Paga Quem recebe Modelo Repasse Valor Tarifa ao portador Portador do cartão Emissor Anuidade Não há Aluguel de POS e conectividade Estabelecimento Adquirente Parcela fixa mensal Não há Variável por meio de captura Taxa de desconto Estabelecimento Adquirente Variável sobre o valor da transação Tarifa de intercâmbio Crédito: de 1,8% a 5,14% Débito: de 0,5% a 5% Tarifa de intercâmbio Adquirente Emissor Variável sobre o valor da transação Não há Crédito: de 1,26% a 2,3% Débito: de 0,2% a 1,56% Taxa de afiliação Adquirente Bandeira Pagamento anual por estabelecimento Não há Entre R$ 20 e R$40
  15. 15. Meios de captura e tecnologia Existem várias tecnologias disponíveis para captura da transação TEF Discado Maquineta Manual TEF Dedicado <ul><li>Sendo descontinuado </li></ul>Público-alvo TEF IP Características <ul><li>É operacionalizado pelo decalque do cartão </li></ul><ul><li>O lojista através de uma URA, pede autorização para a venda. </li></ul><ul><li>Lojista de pequeno porte </li></ul><ul><li>Sistema de backup </li></ul><ul><li>Delivery </li></ul><ul><li>Utiliza linha discada para se comunicar </li></ul><ul><li>Emite os comprovantes de venda </li></ul><ul><li>Não emite cupom fiscal, não vinculado a PDV </li></ul><ul><li>Pode utilizar rede de telefonia de celular </li></ul><ul><li>Utiliza HW com impressora e modem integrados </li></ul><ul><li>Pequenos lojistas </li></ul><ul><li>Integrado no PdV (emite cupom fiscal) </li></ul><ul><li>Utiliza linha telefônica para conexão </li></ul><ul><li>Software de captura específico </li></ul><ul><li>Necessita de Pin pad e CPU e SW no PdV </li></ul><ul><li>Grandes lojistas </li></ul><ul><li>Redes e franquias </li></ul><ul><li>Integrado com PdV (Emite cupom fiscal) </li></ul><ul><li>Todo o sistema é próprio do lojista </li></ul><ul><li>Solução de alto custo para grandes volumes de transações e controle centralizado. </li></ul><ul><li>Necessita de Pin Pad, CPU e SW no PdV </li></ul><ul><li>Lojistas de pequeno e médio porte </li></ul><ul><li>Integrado com PdV (emite cupom fiscal) </li></ul><ul><li>Aplicativo específico para funcionar com IP </li></ul><ul><li>Utiliza como forma de comunicação a conexão Internet já existem no PdV </li></ul><ul><li>Necessita de Pin Pad, CPU e SW no PdV </li></ul>POS Adquirente Internet Adquirente
  16. 16. 110 300 1.400 Internet Tamanho do mercado por tipo de meio eletrônico de captura TEF Discado POS TEF Dedicado TEF IP 1% 6% 17% 77% Número de checkouts, mil unidades, 2009 10 Comentários <ul><li>Produto foco das adquirentes atuais, distribuído através de rede bancária </li></ul><ul><li>Não requer integração com o PDV </li></ul><ul><li>Produto novo, com pouca penetração, lançado por SW houses de automação comercial </li></ul><ul><li>Produto de grandes redes varejistas </li></ul><ul><li>Investimento próprio em infra (hardware, link dedicado) e configuração customizada </li></ul><ul><li>Foco no pequeno e médio varejo, com forte motivação regulatória (fiscalização) </li></ul><ul><li>Tecnologia fornecida pelas adquirentes via integradores (players de automação comercial) </li></ul>R$ 400 bilhões em transações processadas
  17. 17. Comparação de produtos – POS versus TEF (1/2) Apesar de ambos serem meios de captura, POS e TEF são negócios bastante distintos <ul><li>Sem necessidade de instalação </li></ul><ul><li>Distribuição via rede bancária (sem especialização) </li></ul><ul><li>Revendas de automação comercial (especialização para integração com PDV – impressora, software e CPU) </li></ul>POS TEF <ul><li>Business de escala, plug and play (1,4 milhões de checkouts) </li></ul><ul><li>Modelo de custos e distribuição alavancado nas redes adquirentes e seus bancos (sem necessidade de fornecedores) </li></ul><ul><li>Negócio de nicho, motivado pela fiscalização, com pequeno volume absoluto no mercado (120 mil clientes) </li></ul><ul><li>Requer cadeia mais complexa de fornecedores (software house, integrador, pinpad) </li></ul><ul><li>A venda da solução ocorre no credenciamento com canal emissor (bancos) ou 0800 das adquirentes </li></ul><ul><li>Motivação regulatória, com escolha do provedor através do canal de automação comercial (mesmo fornecedor da tecnologia do PDV) </li></ul><ul><li>Sistema não fiscal, não garante a emissão do cupom fiscal e a arrecadação de impostos estaduais e federais </li></ul><ul><li>Sistema fiscal, garante a emissão do cupom fiscal e arrecadação de impostos) </li></ul>Canal de instalação Economics Momento de venda Pressão regulatória <ul><li>Facilidade de uso (sem integração com PDV) </li></ul><ul><li>Permite sonegação fiscal </li></ul><ul><li>Melhor valor da solução para 1 checkout e 1 adquirente </li></ul><ul><li>Maior controle e segurança (fraudes e erros mais difíceis, integrado com sistema gerencial) </li></ul><ul><li>Melhor valor da solução para mais de um checkout e adquirente </li></ul><ul><li>Solução multi-adquirente </li></ul>Vantagem do produto
  18. 18. Bematech Solução tecnológica Fabricante Pinpad Bancos Revendas Adquirente Fatura Mensal Ligações Internet Instala-ção Relacionamento Manut. Atendimento Captura Licença Compra de Equip. TEF (modelo integrador) POS Comparação de produtos – POS versus TEF (1/2) Como cada solução é levado ao mercado Telecom Cliente (EC) Cliente (EC) Fabricante POS Bancos Adquirente Fatura Mensal Distribuição (via rede bancária) Atendimento/ Manut. Compra de Equip. Relacionamento
  19. 19. Mercado de Transferência Duopólio em cena
  20. 20. Mercado de Transferência Abertura de Mercado
  21. 21. Recentes mudanças nas regras do jogo mudaram a dinâmica do mercado de meios eletrônicos de pagamento <ul><li>Para a indústria </li></ul><ul><li>Espaço para entrada de novas adquirentes, até então coibidas pela exclusividade de bandeiras (Visa e Mastercard) </li></ul><ul><li>Tendência de maior especialização, possibilitando a entrada de players em elos específicos ao longo de toda cadeia de valor </li></ul><ul><li>Maior disputa entre as adquirentes por lojistas, com possível redução de taxas de transação (taxa de desconto) </li></ul><ul><li>Adquirentes atuais forçadas a buscar fidelização dos varejista por meio de contratos ou aluguel de equipamentos ( lock in ) </li></ul><ul><li>Disputa entre as adquirentes por oferta de produtos e precificação atrativa aos lojistas (antecipação, consulta cheque, recarga de celular) </li></ul><ul><li>Para o varejo </li></ul><ul><li>Necessidade de afiliação a somente uma adquirente para aceitar os cartões Visa e Mastercard </li></ul><ul><li>Aumento do poder do varejista na negociação de taxas de desconto e condições comerciais (prazo de recebimento, aluguel de equipamento, serviços, etc) </li></ul>Mudanças na regras de mercado Implicações <ul><li>Players acatam recomendações do Banco Central e suspendem exclusividade entre bandeiras e adquirentes </li></ul><ul><li>A partir de 01/jul/2010, todas as bandeiras com mais de 10% de participação de mercado deixam de ser exclusivas </li></ul>
  22. 22. Novas adquirentes estão entrando no mercado Outras 6% Private Label 14% Redecard 33% 39% Cielo <ul><ul><li>Mercado atual de adquirência dominado por 2 players (incumbents) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estrutura de venda e distribuição bem estabelecidas, através de ampla rede bancária </li></ul></ul><ul><ul><li>Margens típicas de indústrias monopolistas (60-70% margem de EBITDA) </li></ul></ul>Mercado de adquirência Em % do volume de transações, 2009 6% Novos players <ul><ul><li>Parceria com Santander </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrada em Jul/01 </li></ul></ul><ul><ul><li>Em processo de certificação da Visa e Mastercard </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrada no 1º sem/2011 </li></ul></ul><ul><ul><li>Acquirer americana, fechou parceria com Citi e Credicard </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrada no 1º sem/2011 </li></ul></ul><ul><ul><li>Acquirer canadense, já inicou montagem da operação brasileira </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrada no 1º sem/2011 </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrou no mercado brasileiro como processadora em 2009 </li></ul></ul><ul><ul><li>Sem sinalização clara quanto a sua entrada como acquirer </li></ul></ul><ul><ul><li>Entrou no mercado brasileiro como processadora em 2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Sem sinalização clara quanto a sua entrada como acquirer </li></ul></ul>
  23. 23. Como as incumbents estão se preparando para enfrentar o mercado competitivo (1/2) A corrida para capturar bandeiras Em homologação!
  24. 24. Como as incumbents estão se preparando para enfrentar o mercado competitivo (2/2) Produtos diferenciais das adquirentes <ul><li>Antecipação de recebíveis </li></ul><ul><li>Aumento do prazo de parcelamento para o consumidor, sem juros ao E/C </li></ul><ul><li>Redução do prazo de depósito do extrato mensal </li></ul><ul><li>Redução da taxa administrativa por volume de transações </li></ul><ul><li>Isenção de aluguel por volume de transações </li></ul>
  25. 25. Novos players poderão atuar em elos selecionados da cadeia Por conta da exclusividade, todos os elos eram dominados pelas adquirentes incumbents (Redecard e Cielo), que podiam impor seu modelo e escolher fornecedores Captura Credenciamento Instalação Transmissão Processamento Pagamento ao lojista Manutenção <ul><ul><ul><li>Emissores (bancos) e 0800 das adquirentes são os principais canais credenciadores atuais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>POS: a venda da solução ocorre no credenciamento (baixa complexidade) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>TEF: a venda da solução ocorre após o credenciamento, junto aos integradores </li></ul></ul></ul>Adquirente <ul><ul><ul><li>POS: não necessita de instalação (somente envio retirada do POS na agência bancária) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>TEF: requer canal especializado (integradores de automação comercial e TI), indicado pela adquirente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>POS: não compartilhado (exclusivo de uma única adquirente), tecnologia proprietária de cada adquirente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>TEF: Software houses desenvolvem tecnologia, que é distribuída pelas adquirentes. Requer integração com sistema de automação comercial do PDV </li></ul></ul></ul>Adquirente <ul><ul><ul><li>Interface e certificação com bandeiras (core business da adquirente) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Processamento pode ser terceirizado pela adquirente </li></ul></ul></ul>Adquirente Mesmo da instalação Elo sub-contratado pela adquirente Elo aberto a outros players Elo dominado pela adquirente SW House

×