CENTRO UNIVERSITÁRIO NILTON LINS
CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DO
TRABALHO

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

Manaus
...
Aníbal da Silva Cajado

Karen Lopes Lima

Amiraldo Ribeiro Cardoso

Marcelo do Rêgo Lima

Carlos Alexandre Barros Firmino
...
AO PROFESSOR VALMIR MELO:

“A verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca.”

Antoine de Saint - Exupé...
AOS PATROCINADORES:

“A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade
humana.”

Franz Kaska
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

TERMO DE ABERTURA
ÍNDICE

I – TITULO DO PROJETO

II – RESUMO DAS CONDIÇÕES DO PROJETO
III- NOME DO GERENTE DO PROJETO, SUAS RESPONSABILIDADE...
SOPA SOLIDÁRIA
TERMO DE ABERTURA

PROJECT CHARTER
Preparado por

Dinarte de Carvalho

Versão 1.0

Carlos Alexandre
Aprovad...
2.

Cronograma básico do projeto

O projeto será executado em no máximo 50 dias. Onde a elaboração do
escopo do projeto in...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

DECLARAÇÃO DO ESCOPO
ÍNDICE

I.

TIME DO PROJETO

II.

DESCRIÇÃO DO PROJETO

III.

OBJETIVO DO PROJETO

IV.

JUSTIFICATIVA DO PROJETO

V.

PROD...
ÍNDICE DE ELEMENTO GRÁFICO

I.

QUADRO 01. TIME DO PROJETO

II.

QUADRO 02. PLANO DE ENTREGAS E MARCOS DO PROJETO
SOPA SOLIDÁRIA
DECLARAÇÃO DE ESCOPO

SCOPE STATEMENT
Preparado por

Dinarte de Carvalho

Versão 1.0

Carlos Alexandre
Apro...
IV.

Justificativa do projeto

O projeto “Sopa Solidária” tem a finalidade de distribuir sopa aos acompanhantes
dos pacien...


XI.

Falta de clientes.

Principais atividades e estratégias do projeto
1

Escopo
o Planejamento do escopo definindo lo...
o Controle de RH, através de acompanhamento de cada fase.

6

Comunicação
o Plano de comunicação entre as equipes envolvid...
XII.

Entregas do projeto


Primeira fase a arrecadação dos alimentos e descartáveis. No primeiro
momento é necessário qu...
Custos

Definição do orçamento do projeto.

21/10/2012

Riscos

Definição do controle dos riscos.

21/10/2012

Qualidade

...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

DICIONÁRIO DA EAP
ÍNDICE

I.

INFORMAÇÕES BÁSICAS

II.

PRINCIPAIS TAREFAS A SEREM REALIZADAS

III.

RECURSOS PREVISTOS

IV.

PREDECESSORES ...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

QUADRO 01. SUCESSORAS PRINCIPAIS DO PACOTE DE TRABALHO
SOPA SOLIDÁRIA
DICIONÁRIO DA EAP

Pacote: 001
Preparado por

Dinarte de Carvalho

Versão: 1.0

Carlos Alexandre Barros
Apr...


Tempo elaboração do cronograma das atividades, calendário e priorização.



Qualidade elaboração do plano de gerenciam...
Estimativas de duração de atividade;
Desenvolvimento do cronograma;
Controle do cronograma.


Custos
Estimativa de custos...
Solicitar respostas de fornecedores;
Selecionar fornecedores;
Administração de contrato;
Encerramento do contrato.


Risc...
VI.

Riscos associados ao pacote


Integração: risco de não haver o interligamento das fases.



Escopo: risco de não se...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO

II.

PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS DE ESCOPO E RESPOSTA

III.

...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

FIGURA 01. GERENCIAMENTO DAS CONFIGURAÇÕES
SOPA SOLIDÁRIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO

SCOPE MANAGEMENT PLAN
Preparado por

Dinarte de Carvalho.

Versão 1.0

Ca...
IV.

Frequência de avaliação do escopo do projeto

Será realizada semanalmente uma frequência de avaliação através de reun...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO
ÍNDICE

I - DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE TEMPO
II - PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS NOS PRAZOS
III - SISTEMA DE CO...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

GRÁFICO 01. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

II.

CRONOGRAMA 01. CONTROLE DOS PRAZOS...
Sopa Solidária
PLANO DE GERENCIAMENTO DO TEMPO

SCHEDULE MANAGEMENT PLAN

Preparado por:
Aprovado por:

I.

Raimundo Nonat...
Um segundo item deve ser destacado que trata da alocação de recursos financeiros
para combustível e logística, tal etapa p...
IV.

Mecanismo adotado para o conciliamento de recursos

Os recursos adotados serão a partir de elaboração de ofícios enca...
de recurso do projeto identifica feriados específicos de recursos e períodos de
disponibilidade de recursos. O calendário ...
IX.

Freqüência de atualização do plano de gerenciamento de tempo

É importante destacar sobre a obrigatoriedade na avalia...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho
Gerente de Projeto
Carlos Alexandre
Sub Gerente
Raimundo Nonato de O. Magina
Gerente do Ger...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS
ÍNDICE

I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS
FLUXOGRAMA DE CUSTOS
II. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DO ORÇAMENT...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

FLUXOGRAMA 01. GERENCIAMENTO DE CUSTOS

II.

TABELA 01. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PROD...
FLUXOGRAMA01. GERENCIAMENTO DE CUSTOS

GERENCIAMENTO DE CUSTOS

ESTIMATIVA DE
CUSTOS

ORÇAMENTAÇÃO

do
-Definição do escop...
SOPA SOLIDÁRIA

Preparado por
Aprovado por

I.

PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS
COST MANAGEMENT PLAN
Anibal da Silva Caja...


Na tabela 03 estão os valores e a quantidade na compra de uma botija de gás de 13
kg, aonde cada botija custará R$ 38,0...
TABELA 01. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS

ITE
NS

PRODUTOS

QUANTIDADE

**PREÇ
O 02

*PREÇO 01

***CUSTO
TOTAL

1

...
TABELA 02. COLABORAÇÃO
Nº

COLABORADORES

ASSINATURA

VALOR

SITUAÇÃO

DATA

01

Marcelo

R$ 10,00

__/__/ 2012

02

Valmi...
TABELA 04. ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS

CÓDIGOS DOS ALIMENTOS E METAS DE ARRECADAÇÃO
DIA

Nº Equipe

01

02

03

04

05

06
...
 No oficio é importante conter o objetivo do projeto, a identificação dos
responsáveis, o local onde será realizado o pro...
O gasto de R$ 180,00 (cento e oitenta reais) serão feitas a partir de doações e arrecadações
dos colaboradores da sala de ...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho
21/10/2012
Gerente do Escopo
Carlos Alexandre
21/10/2012
Sub Gerente do Escopo
Anibal da Si...
PROJETO SOPA SOLIDARIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE

II.

PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS NOS QUESITOS DE QUALIDADE...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA

II.

QUADRO 01. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE

III.

QUADR...
SOPA SOLIDÁRIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE
QUALITY MANAGEMENT PLAN
Preparado
por

Karen Lopes Lima

Aprovado por

...
se enquadram nas normas alimentares, proporcionando o consumo de caldos
e outras bebidas quentes.
 Programação da logísti...
TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA
Itens

Produtos

Quantidade

1

Batata

15 Kg

2

Carne Picadinho (Opcional)

4 Kg

3

Ceb...
III.

Sistema de controle de mudanças da qualidade (Quality change
control system)

QUADRO 01. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE
...
V.

Alocação financeira das mudanças nos requisitos de qualidade

Será disposto um valor de R$ 108,00 reais caso ocorra qu...
ORGANOGRAMA 01. PROCESSO DE COMPETÊNCIA E INTERAÇÃO
DOS MEMBROS DAS EQUIPES

INTEGRAÇÃO
Marcelo
Valmir
ESCOPO
Dinarte
Carl...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho
Gerente de Projeto

25/10/2012

Carlos Alexandre Barros
Sub Gerente

25/10/2012

Karen Lope...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS
ÍNDICE

I – ORGANOGRAMA DO PROJETO
II – DIRETÓRIO DO TIME DO PROJETO
III – MATRIZ DE RESPONSABILIDADE
IV – NOVOS RECURSOS,...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO

II.

QUADRO 01. TIMES DO PROJETO

II...
SOPA SOLIDÁRIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS

STAFF MANAGEMENT PLAN
Preparado por

Silvânia Souza

Versão 1.0...
II-

Diretório do time do projeto (Team directory)
QUADRO 01. TIMES DO PROJETO

No

2

3

4

5
6
7
8
9

Valmir Melo
Marcel...
QUADRO 02. MATRIZ DE RESPONSABILIDADES

Valmir Melo
1

Risco

Aquisição

RH

Qualidade

Custo

Área

Escopo
Tempo

Nome

I...
IV- Novos recursos, realocação e substituição de membros do time
Os novos recursos aqui adquiridos são a participação da p...
8. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de RH
A cada 10 dia se realizará a atualização do plano de gerencia...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÃO
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO

DOS

PROCESSOS

DE

GERENCIAMENTO

DE

COMUNICAÇÃO
II.

EVENTOS DE COMUNICAÇÃO

III.

CRONOGRAMA DO...
SOPA SOLIDARIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES

COMMUNICATIONS MANAGEMENT PLAN
Preparado por

Gleicimara Bandeira
...
f. Duração – 40 min.
g. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins.
h. Outros – Troca de informações via e-mail da t...
21/10/12 – Reunião com as equipes:
Gerenciamento da qualidade
Gerenciamento das comunicações
Gerenciamento de Riscos
Geren...
Responsável: Dinarte de Carvalho
Carlos Alexandre

VI.

Alocação financeira para o gerenciamento das comunicações

Utiliza...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho
Gerente de Projeto

15/10/2012.

Carlos Alexandre
Sub Gerente

15/10/2012.

Marilene Benchi...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO

DOS

PROCESSOS

DE

GERENCIAMENTO

DE

SUPRIMENTOS
II.

GERENCIAMENTO E TIPOS DE CONTRATOS

III.

C...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA

II.

TABELA 02. ALOCAÇÃO FINANCEIRA

III.

QUADRO 01. A...
SOPA SOLIDARIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES

PROCUREMENT MANAGEMENT PLAN
Preparado por

Dejane Nascimento da Silva...
IV.

Avaliação de fornecedores


A avaliação dos ingredientes da sopa será feita por uma nutricionista, no qual
se baseou...
TABELA 02. ALOCAÇÃO FINANCEIRA

Itens

Produtos

Quantidade

Preço 01

Preço 02

1

Batata

15 Kg

3,00

2,60

2

Carne Pi...
QUADRO 01. ATUALIZAÇÃO DE FREQUÊNCIA

DIA

EQUIPES
Reunião das equipes

29/11/12
18:00hs
Reunião das equipes
30/11/12
18:0...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho
Gerente do Escopo

19/10/2012

Carlos Alexandre
Sub Gerente do Escopo

19/10/2012

Dhane Ey...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

II.

RBS – RISK BREAKDOWN STRUCTURE PARA A IDENTIFICAÇÃO D...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

QUADRO 01. QUALIFICAÇÃO DOS RISCOS

II.

QUADRO 02. RESPOSTAS PLANEJADAS AOS RISCOS

III...
SOPA SOLIDÁRIA
PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE RESPOSTAS AOS RISCOS
Preparado por

Amiraldo Cardoso

Versão 1.0

Már...


Riscos: Não identificar os riscos cabíveis a cada fase; Alterações climáticas
(chuva); assalto/roubo; Não aceitação por...
IV.

Qualificação dos riscos

Os riscos identificados serão qualificados na sua probabilidade de ocorrência e
gravidade do...
Item

Fase

Risco

Probabilidade

Gravidade

Resposta

Com o
tempo

Tempo

Prazos

Não
cumprir
prazos
determinados
pelo es...
VII.

Reservas de contingência
QUADRO 03. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA
Reservas de Contingência

Aquisição (falta de mantimento...
X.

Administração do plano de gerenciamento de riscos
1. Responsável pelo plano


Amiraldo Cardoso – Diretor do Gerenciam...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carlos

Data

Gerente do Escopo

21/10/2012.

Carlos Alexandre

Data

Sub Gerente do Escopo

21/10/2...
PROJETO SOPA SOLIDÁRIA

PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO
ÍNDICE

I.

DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO

II.

TITULO DO PROJETO

III.

DESCRIÇÃO DO PROJETO

IV...
XVII.

FREQÜÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE
INTEGRAÇÃO

XVIII.

OUTROS

ASSUNTOS

RELACIONADOS

AO

GERE...
ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS

I.

ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO

II.

TABELA 01. COMPRA DO GÁS DE COZ...
Sopa Solidária
PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO

STAFF MANAGEMENT PLAN
Preparado por

Marcelo Lima

Versão 1.0

Aprova...
V.

Recursos previstos


Integração elaboração do plano de integração, objetivo do projeto e controle.



Escopo elabora...
VII.

RBS – Risk Breakdown Structure para a identificação dos riscos
da integração do projeto


Integração: risco de não ...
f. Duração – 40 min.
g. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins.
h. Outros – Troca de informações via e-mail da t...
TABELA 02 . EQUIPES DE ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS

CÓDIGOS DOS ALIMENTOS E METAS DE ARRECADAÇÃO
DIA

29/11/12

30/11/12

Nº...
TABELA 03. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS

ITENS

PRODUTOS

QUANTIDADE

*PREÇO 01

**PREÇO 02

R$ 3,00

R$ 2,60

R$ ...
X.

Alocação financeira para o gerenciamento das aquisições da
integração do projeto


Aquisição dos utensílios da sopa:
...
 Adquirir água potável para a realização da sopa
 Aquisição de copos descartáveis de 300 ml e 180 ml e de talheres
desca...
XIV.

Alocação financeira para o gerenciamento da integração

Quanto a alocação financeira será disponibilizado um valor d...
XVI.

Administração do plano de gerenciamento de integração do
projeto

1.

Responsável pelo plano



XVII.

Marcelo Lim...
APROVAÇÕES
Dinarte de Carvalho

30/10/2012

Gerente do Escopo
Carlos Alexandre Barros

30/10/2012

Sub Gerente do Escopo
M...
ANEXOS
OFÍCIO

À
(Nome da Empresa)
Referente : Apoio/Patrocínio

Vimos pelo presente expor e solicitar a Vossa Senhoria, apoio co...
CURSO SUPERIOR TECNÓLOGO EM SEGURANÇA DO TRABALHO
GERENCIAMENTO DE PROJETO
GERENCIAMENTO DA COMUNICAÇÃO

Manaus, 05 de Dez...
PATROCINADORES

AGROARTE
ECOPOSTO – ALEIXO
FEIRA DA MANAUS MODERNA
FEIRA DA PANAIR
FEIRA DO PRODUTOR DA ZONA LESTE
FG LOPE...
VISITA A FEIRA DO PRODUTOR

CONHECENDO A FEIRA

CONVERSA COM SEU FABIO
ADMINISTRADOR
DA FEIRA DO PRODUTOR

FEIRA DA PANAIR
PREPARANDO A SOPA

TRABALHANDO EM PROL DA
SOLIDARIEDADE

AMIGO PRA TODA HORA

APOIO MINISTÉRIO INTERNACIONAL
MONTE SIÃO
EXECUÇÃO DO PROJETO
SOPA SOLIDÁRIA

ENTREGA DO PROJETO
UM SUCESSO

A UNIÃO FAZ A FORÇA

UM PROJETO QUE ALIMENTA
COMEMORANDO O PROJETO

MULHERES DE SUCESSO

PASTORA SUELI AZEVEDO
UM EXEMPLO DE SOLIDARIEDADE

MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO
GERENCIAMENTO DE PROJETOS - Sopa Solidária
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

GERENCIAMENTO DE PROJETOS - Sopa Solidária

2,789 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,789
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
49
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

GERENCIAMENTO DE PROJETOS - Sopa Solidária

  1. 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO NILTON LINS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SEGURANÇA DO TRABALHO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Manaus 2012
  2. 2. Aníbal da Silva Cajado Karen Lopes Lima Amiraldo Ribeiro Cardoso Marcelo do Rêgo Lima Carlos Alexandre Barros Firmino Márcia do Nascimento Silva Cecília Sayure da Silva Kataoka Marilene Benchimol Pereira Damaris Lima Assunção Marta Lobato Lima Dejane Nascimento da Silva Raimundo Nonato Oliveira Magina Dhane Eyre Braga Sabrina Santos Viana Dinarte de Carvalho Rocha Silvânia Souza de Araújo Gleicimara Costa Bandeira PROJETO SOPA SOLIDÁRIA T rabalho apr es enta do como r equ is it o par a obtençã o de nota par cial da Dis cip lina G er encia ment o de Pr ojet o d o Cur so T ecnólogo em S egur ança do T r abalho, 5º P er íodo, T ur ma SEG 051. Or ienta dor : Valmir M elo. Manaus 2012
  3. 3. AO PROFESSOR VALMIR MELO: “A verdadeira solidariedade começa onde não se espera nada em troca.” Antoine de Saint - Exupéry
  4. 4. AOS PATROCINADORES: “A solidariedade é o sentimento que melhor expressa o respeito pela dignidade humana.” Franz Kaska
  5. 5. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA TERMO DE ABERTURA
  6. 6. ÍNDICE I – TITULO DO PROJETO II – RESUMO DAS CONDIÇÕES DO PROJETO III- NOME DO GERENTE DO PROJETO, SUAS RESPONSABILIDADES E SUA AUTORIDADE IV – NECESSIDADES BÁSICAS DO TRABALHO A SER REALIZADO V – DESCRIÇÃO DO PROJETO VI – ADMINISTRAÇÃO
  7. 7. SOPA SOLIDÁRIA TERMO DE ABERTURA PROJECT CHARTER Preparado por Dinarte de Carvalho Versão 1.0 Carlos Alexandre Aprovado por Valmir Melo DATA 10/10/2012 I- Título do projeto Sopa Solidária II - Resumo das condições do projeto Este projeto está sendo concretizado pela turma de estudantes do Curso Superior Tecnólogo em Segurança do Trabalho da Universidade Nilton Lins, onde será arrecadado verduras e legumes doados pelos feirantes para a realização da sopa, que será entregue no hospital João Lucio aos acompanhantes de pacientes em observações, funcionários e transeuntes do local. Contribuindo com aqueles que não têm condições financeiras para comprar um lanche enquanto aguardam o atendimento do paciente. A fim de ajudar ao próximo com um pouco de alimento. III - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade Dinarte de Carvalho, gerente do projeto Sopa Solidaria. Responsável pela administração do projeto, tendo autoridade de aprovar ou desaprovar qualquer uma das fases do projeto. IV - Necessidades básicas do trabalho a ser realizado O projeto tem por necessidades o apoio de todo os grupos envolvidos para a realização de todas as fases do projeto. V - Descrição do projeto 1. Produto do projeto Sopa de legumes com carne moída, feita por cozinheiros que entendem do assunto e acompanhada por uma nutricionista.
  8. 8. 2. Cronograma básico do projeto O projeto será executado em no máximo 50 dias. Onde a elaboração do escopo do projeto iniciou-se no dia 10/10/2012, dando continuidade nas demais fases e sendo executado entre os dias 20/11 à 01/12/2012. 3. Estimativas iniciais de custo A princípio os custos serão zero, mas podendo sofrer alterações no decorrer do desenvolvimento do projeto com uma estimativa de custo de R$ 180,00 reais. VI - Administração 1. Necessidade inicial de recursos No primeiro momento é necessário que haja uma equipe capacitada para arrecadar os alimentos junto aos feirantes, mercadinhos e açougue. Onde serão encaminhados os ofícios aos comerciantes descrevendo os tópicos a serem necessários para a elaboração da sopa e a equipe responsável irá esclarecer todas as dúvidas quanto ao projeto. 2. Necessidade de suporte pela organização No projeto Sopa Solidaria será montada uma equipe de pessoas que desenvolveram varias etapas do projeto. Onde se distribuem em escopo, integração, tempo, custo, qualidade, recursos humanos, aquisições, comunicação e riscos. 3. Controle e gerenciamento das informações do projeto O projeto Sopa Solidaria terá um controle por documentos tipo formulários que envolvem todas as fases do projeto. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 10/10/2012. Gerente de Projeto Carlos Alexandre Sub Gerente 10/10/2012.
  9. 9. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA DECLARAÇÃO DO ESCOPO
  10. 10. ÍNDICE I. TIME DO PROJETO II. DESCRIÇÃO DO PROJETO III. OBJETIVO DO PROJETO IV. JUSTIFICATIVA DO PROJETO V. PRODUTO DO PROJETO VI. EXPECTATIVA DO CLIENTE VII. FATORES DE SUCESSO VIII. RESTRIÇÕES IX. PREMISSAS X. EXCLUSÕES ESPECIFICAS XI. PRINCIPAIS ATIVIDADES E ESTRATÉGIA DO PROJETO XII. ENTREGAS DO PROJETO XIII. ORÇAMENTO DO PROJETO XIV. PLANO DE ENTREGA E MARCOS DO PROJETO
  11. 11. ÍNDICE DE ELEMENTO GRÁFICO I. QUADRO 01. TIME DO PROJETO II. QUADRO 02. PLANO DE ENTREGAS E MARCOS DO PROJETO
  12. 12. SOPA SOLIDÁRIA DECLARAÇÃO DE ESCOPO SCOPE STATEMENT Preparado por Dinarte de Carvalho Versão 1.0 Carlos Alexandre Aprovado por Valmir Melo DATA 10/10/2012 I. Time do Projeto QUADRO 01. TIME DO PROJETO Silvania Recursos Humanos do Projeto Carlos Alexandre Escopo do Projeto Gleicimara Comunicação do Projeto Sabrina Qualidade do Projeto Dhane Aquisições do Projeto Cecília Custo do Projeto Damaris Tempo do Projeto Amiraldo Riscos do Projeto Marcelo Integração do Projeto II. Marta Recursos Humanos do Projeto Dinarte Escopo do Projeto Marilene Comunicação do Projeto Karen Qualidade do Projeto Dejane Aquisições do Projeto Aníbal Custo do Projeto Raimundo Nonato Tempo do Projeto Márcia Riscos do Projeto Valmir Integração do Projeto Descrição do Projeto Este projeto procura arrecadar hortaliças, junto aos feirantes e amigos do projeto. Diante da arrecadação desses materiais será realizada e entregue a sopa no dia 01/12/2012, das 20:00 às 21:00 horas na área externa do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio. III. Objetivo do projeto O projeto tem como objetivo realizar a doação de sopa as pessoas que se encontram no hospital João Lúcio acompanhando pacientes em observação, assim como funcionários e transeuntes do local.
  13. 13. IV. Justificativa do projeto O projeto “Sopa Solidária” tem a finalidade de distribuir sopa aos acompanhantes dos pacientes internados e em atendimento no hospital. V. Produto do projeto Sopa de legumes com carne moída. VI. Expectativa do cliente   VII. Satisfação do cliente. Agradecimento Fatores de sucesso do projeto  União das equipes envolvidas;  Comprometimento das equipes;  Solidariedade por parte de todos.  Colaboração dos alunos e professores envolvidos no projeto em relação apoio logístico ( veículos ) onde será disponibilizado ao total de 6. VIII. Restrições   Condições climáticas;  Insegurança quanto ao local da entrega da sopa;  Defeito na parte mecânica dos veículos de entrega da sopa;  IX. Sopa insuficiente para atender a todos; Intoxicação alimentar. Premissas   Data da realização e entrega no dia 01/12/2012.  X. Local da entrega da sopa Hospital João Lúcio. Mobilização das equipes. Exclusões específicas  Falta de apoio logístico.  Falta de recursos humanos.
  14. 14.  XI. Falta de clientes. Principais atividades e estratégias do projeto 1 Escopo o Planejamento do escopo definindo local, horário e valor estimado para elaboração da sopa, através de formulários específicos. o Definição das equipes envolvidas. o Controle das fases desenvolvidas, através de acompanhamento. 2 Custos o Planejamento de orçamento estimado para elaboração da sopa, através de tabela de custos; o Definição dos recursos para arrecadação dos ingredientes necessário para a realização da sopa, através de elaboração de ofícios a fim de arrecadar os ingredientes perante os comerciantes e feirantes; o Controle dos custos, através da estimativas dos custos. 3 Tempo o Planejamento de desenvolvimento do tempo do projeto, através de elaboração do calendário de realização das atividades; o Priorização da arrecadação dos ingredientes, através do cumprimento da data estipulada; o Controle do tempo, através de cada etapa executada. 4 Qualidade o Planejamento das identificações dos padrões da qualidade, através de acompanhamento de uma Nutricionista. o Garantir uma sopa de qualidade, através de todas as etapas do planejamento cumpridas. o Controle da qualidade, através do acompanhamento de todas as fases do projeto, identificando possíveis falhas no projeto. 5 Recursos Humanos o Planejamento dos recursos humanos, através do organograma de hierarquia do projeto. o Diretório do time do projeto, através de tabelas identificando, nomes dos participantes das equipes, área de competência e contato.
  15. 15. o Controle de RH, através de acompanhamento de cada fase. 6 Comunicação o Plano de comunicação entre as equipes envolvidas, através de email, telefonemas e mensagens. o Cronograma do evento, através de elaboração do calendário de reuniões e palestras realizadas. o Controle da comunicação, através da elaboração de documentos de ata de reunião e relatórios. 7 Aquisição o Plano de aquisição de suprimentos, através de doações de comerciantes, feirantes e amigos do projeto. o Execução da aquisição, através de documentação elaborada e enviada aos comerciantes, feirantes e amigos do projeto. o Controle da aquisição, através da elaboração de documentos de memorandos e guarda dos mesmos. 8 Riscos o Planejamento dos processos de identificação dos riscos, através de análises qualitativas e quantitativas de cada fase. o Qualificação dos riscos, através do calculo da probabilidade de ocorrência e gravidade dos resultados. o Controle dos riscos, através de respostas planejadas a cada risco. 9 Integração o Planejamento dos processos de integração das fases do projeto, através de identificação, definição, unificação e coordenação de cada fase. o Focar no objetivo do projeto, através de uma visão geral dos principais processos integrados. o Controle da integração, através de acompanhamento do escopo, orientação e gerenciamento da execução do projeto e encerramento do projeto.
  16. 16. XII. Entregas do projeto  Primeira fase a arrecadação dos alimentos e descartáveis. No primeiro momento é necessário que haja uma equipe capacitada para arrecadar os alimentos junto aos feirantes, mercadinhos e açougue. Onde serão encaminhados os ofícios aos comerciantes descrevendo os tópicos a serem necessários para a elaboração da sopa e a equipe responsável irá esclarecer todas as dúvidas quanto ao projeto.  Segunda fase a realização e entrega da sopa. Todos os ingredientes arrecadados serão levados até o local cedido pela igreja Ministério Internacional Monte Sião, onde será realizada a preparação da sopa, que após a preparação serão alocadas nos veículos ao destino de entrega que será no hospital João Lucio a partir das 20:00 horas. XIII. Orçamento do projeto  Quanto ao orçamento será gasto o mínimo possível até porque todo material será doado tanto às verduras quanto o material descartável.  O local e os utensílios a serem utilizados serão cedidos junto com o apoio de nutricionista pela igreja Ministério Internacional Monte Sião.  Quanto a valores adicionais será utilizados uma verba de R$ 180,00 reais que irá suprir as necessidades futuras.  No apoio logístico os gastos serão custeados pelos próprios alunos e professores envolvidos no projeto. XIV. Plano de entregas e marcos do projeto Para cada fase definidas as tarefas a serem executadas e as datas de entrega. QUADRO 02. PLANO DE ENTREGA E MARCOS DO PROJETO Entrega Escopo Descrição Término 10/10/2012 Tempo Definição do tema, local e data da execução do projeto. Definição de cada etapa a ser executada. Comunicação Definição de meios de comunição. 17/10/2012 Aquisição Definição de meios de aquisição. 19/10/2012 15/10/2012
  17. 17. Custos Definição do orçamento do projeto. 21/10/2012 Riscos Definição do controle dos riscos. 21/10/2012 Qualidade Definição do controle da qualidade. 25/10/2012 Recursos Humanos Definição da formação das equipes e responsabilidades Definição do meio de integração do projeto 27/10/2012 Integração 30/10/2012 REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 18/10/2012 Modificado por Dinarte de Carvalho Carlos Alexandre Barros Gerente do Projeto 18/10/2012 Dinarte de Carvalho Carlos Alexandre Barros Descrição da mudança A sopa deixou de ser para os moradores de rua e passou a ser direcionada ao hospital João Lucio servindo acompanhantes de pacientes e funcionários do local. E a data de realização e entrega da sopa que passou do dia 15/11/2012 para 01/12/2012. Gerente do Projeto APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 18/10/2012. Gerente de Projeto Carlos Alexandre Sub Gerente 18/10/2012.
  18. 18. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA DICIONÁRIO DA EAP
  19. 19. ÍNDICE I. INFORMAÇÕES BÁSICAS II. PRINCIPAIS TAREFAS A SEREM REALIZADAS III. RECURSOS PREVISTOS IV. PREDECESSORES PRINCIPAIS DO PACOTE DE TRABALHO V. SUCESSORAS PRINCIPAIS DO PACOTE DE TRABALHO VI. RISCOS ASSOCIADOS AO PACOTE
  20. 20. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. QUADRO 01. SUCESSORAS PRINCIPAIS DO PACOTE DE TRABALHO
  21. 21. SOPA SOLIDÁRIA DICIONÁRIO DA EAP Pacote: 001 Preparado por Dinarte de Carvalho Versão: 1.0 Carlos Alexandre Barros Aprovado por Valmir Melo DATA 10/10/2012 I. Informações básicas Código EAP 001 Responsável Dinarte de Carvalho. Carlos Alexandre. Prazo estimado Prazo de 50 dias. Custo estimado Valor de R$ 180,00 reais. II. Principais tarefas a serem realizadas   Escopo  Custos  Tempo  Qualidade  Recursos Humanos  Comunicação  Aquisição  III. Integração Riscos Recursos previstos  Integração elaboração do plano de integração, objetivo do projeto e controle.  Escopo elaboração do plano do escopo, previsões das fases e controle.  Custos elaboração de tabelas, planilhas e estimativas.
  22. 22.  Tempo elaboração do cronograma das atividades, calendário e priorização.  Qualidade elaboração do plano de gerenciamento, organograma e controle  Recursos Humanos elaboração do organograma de hierarquia, diretório e responsabilidades.  Comunicação elaboração do plano de comunicação, cronograma do evento e registros de documentos.  Aquisição elaboração do plano de aquisição de suprimentos, execução e controle.  IV. Riscos elaboração do planejamento dos riscos, quantificação e controle. Predecessores principais do pacote de trabalho  Integração Desenvolver o termo de abertura do projeto; Desenvolver a declaração do escopo preliminar do projeto; Desenvolver o plano de gerenciamento; Orientar e gerenciar a execução do projeto; Monitorar e controlar o trabalho do projeto.  Escopo Planejamento do escopo; Definição do escopo; Criar a EAP; Verificação do escopo; Controle do escopo;  Tempo Definição das atividades; Sequenciamento das atividade; Estimativas de recursos de atividade;
  23. 23. Estimativas de duração de atividade; Desenvolvimento do cronograma; Controle do cronograma.  Custos Estimativa de custos; Orçamentação; Controle de Custos.  Qualidade Planejamento da qualidade; Realizar a garantia da qualidade; Realizar o controle da qualidade;  Recursos Humanos Planejamento de Rh; Contratar ou Mobilizar as Equipes do Projeto; Desenvolver as Equipes do Projeto; Gerenciar as Equipes do Projeto.  Comunicação Planejamento das comunicações; Distribuições das informações; Relatório de desempenho; Gerenciar as partes interessadas.  Aquisição Planejar compras e aquisições; Planejar contratações;
  24. 24. Solicitar respostas de fornecedores; Selecionar fornecedores; Administração de contrato; Encerramento do contrato.  Risco Planejamento do gerenciamento dos riscos; Identificação dos riscos; Análise qualitativa dos riscos; Análise quantitativa dos riscos; Planejamento de respostas a riscos; Monitoramento e controle dos riscos. V. Sucessoras principais do pacote de trabalho QUADRO 01. SUCESSORAS PRINCIPAIS DO PACOTE DE TRABALHO Entrega Descrição Término 10/10/2012 Tempo Definição do tema, local e data da execução do projeto. Definição de cada etapa a ser executada. Comunicação Definição de meios de comunição. 17/10/2012 Aquisição Definição de meios de aquisição. 19/10/2012 Custos Definição do orçamento do projeto. 21/10/2012 Riscos Definição do controle dos riscos. 21/10/2012 Qualidade Definição do controle da qualidade. 25/10/2012 Recursos Humanos Definição da formação das equipes e responsabilidades Definição do meio de integração do projeto 27/10/2012 Escopo Integração 15/10/2012 30/10/2012
  25. 25. VI. Riscos associados ao pacote  Integração: risco de não haver o interligamento das fases.  Escopo: risco de não ser bem elaborado.  Custos: risco de não ser o suficiente para elaboração do projeto.  Tempo: riscos de não cumprir prazos determinados pelo escopo.  Qualidade: risco de não atender todos os requisitos.  Recursos Humanos: risco de não ter um bom gerenciamento.  Comunicação: riscos de haver falha na emissão da mensagem.  Aquisição: risco de haver falha na elaboração de documentos.  Riscos: risco de não ser identificado todos os riscos. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 10/10/2012 Gerente de Projeto Carlos Alexandre Sub Gerente de Projeto 10/10/2012
  26. 26. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO
  27. 27. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO II. PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS DE ESCOPO E RESPOSTA III. GERENCIAMENTO DAS CONFIGURAÇÕES IV. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DO ESCOPO DO PROJETO V. ALOCAÇÃO FINANCEIRA DAS MUDANÇAS DE ESCOPO VI. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO VII. FREQUÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO VIII. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS ESCOPO NÃO PREVISTOS NESSE PLANO AO GERENCIAMENTO DO
  28. 28. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. FIGURA 01. GERENCIAMENTO DAS CONFIGURAÇÕES
  29. 29. SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO SCOPE MANAGEMENT PLAN Preparado por Dinarte de Carvalho. Versão 1.0 Carlos Alexandre. Aprovado por Valmir Melo. DATA 10/10/2012 I. Descrição dos processos de gerenciamento de escopo   Definição do escopo.  Criação da EAP.  Verificação do escopo.  II. Planejamento do escopo. Controle do escopo. Priorização das mudanças de escopo e respostas Será priorizado o planejamento do escopo, o planejamento dos custos, o planejamento do tempo e o planejamento da qualidade. A fim de haver a identificação da configuração, contabilidade do andamento da configuração e a auditoria e verificação da configuração para garantir a evolução do projeto e obter respostas rápidas. III. Gerenciamento das configurações (Configuration management) FIGURA 01. GERENCIAMENTO DAS CONFIGURAÇÕES Identificação da configuração •Pordutos e Documentos denominados Contabiliade do andamento da configuração •Informações do produto de forma eficaz Auditoria e vrifcação da configração •Certificar se os requisitos e desempenhos foram atendidos
  30. 30. IV. Frequência de avaliação do escopo do projeto Será realizada semanalmente uma frequência de avaliação através de reuniões com as equipes. V. Alocação financeira das mudanças de escopo Será disponibilizado valores de R$ 180,00 reais para situações emergenciais que não estão contidas no projeto. VI. Administração do plano de gerenciamento de escopo 4. Responsável pelo plano   VII. Dinarte de Carvalho - Gerente de Projeto. Carlos Alexandre Barros - Sub Gerente de Projeto. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de escopo Será atualizada semanalmente junto com a frequência de avaliação do escopo do projeto. VIII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento do escopo do projeto não previstos neste plano Será a critério de cada participante confeccionar ou não a sua camisa; REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 10/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há mudanças a serem tomadas. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho Data Gerente de Projeto 10/10/2012. Carlos Alexandre 10/10/2012. Sub Gerente
  31. 31. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO
  32. 32. ÍNDICE I - DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE TEMPO II - PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS NOS PRAZOS III - SISTEMA DE CONTROLE DE MUDANÇAS DE PRAZOS IV - MECANISMO ADOTADO PARA O CONCILIAMENTO DE RECURSOS V - BUFFER DE TEMPO DO PROJETO VI - FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS PRAZOS DO PROJETO VII - ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DE TEMPO VIII - ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IX - FREQUÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO X - OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO DE TEMPO DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO
  33. 33. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. GRÁFICO 01. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE TEMPO II. CRONOGRAMA 01. CONTROLE DOS PRAZOS III. FIGURA 01. CICLO DE TEMPO DO PROJETO IV. FIGURA 02. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS PRAZOS DO PROJETO V. FIGURA 03. FREQÜÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO TEMPO
  34. 34. Sopa Solidária PLANO DE GERENCIAMENTO DO TEMPO SCHEDULE MANAGEMENT PLAN Preparado por: Aprovado por: I. Raimundo Nonato Magina Damaris Assunção Dinarte de Carvalho Versão:1 Data: 15/10/2012 Descrição dos processos de gerenciamento de tempo  A partir do dia 10 de outubro com o inicio da elaboração do escopo e definição das equipes responsáveis por cada etapa do projeto, dar-se inicio as etapas e cronogramas necessários para a consumação e sucesso do mesmo.  Entre os dias 15 a 25 de outubro serão realizadas reuniões com as equipes para fins de prestação de contas sobre o andamento de cada fase.  Nos dias 29 e 30 de outubro será distribuída duas equipes para arrecadar os ingredientes necessários para a elaboração da sopa.  E no dia 01 de dezembro será executa o projeto sopa solidária. GRÁFICO 01. PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE TEMPO II. Priorização das mudanças nos prazos A priorização do projeto será a arrecadação dos ingrediente até o dia 15 de novembro, tal etapa possui prioridade zero para início.
  35. 35. Um segundo item deve ser destacado que trata da alocação de recursos financeiros para combustível e logística, tal etapa possui prioridade 1. A alocação de material e ou equipamentos para o manuseio e preparo da sopa, tem prioridade 2. Confecção de possível material de divulgação, prioridade 3. III. Sistema de controle de mudanças de prazos (Schedule Change Control System) Como o uso inadequado de antecipações ou atrasos pode distorcer o cronograma do projeto, as antecipações ou atrasos são ajustados durante a análise de rede do cronograma para desenvolver um cronograma do projeto viável. Segue cronograma a ser seguido: CRONOGRAMA 01. CONTROLE DOS PRAZOS "Sopa Solidária" Início do projeto 10 de out/12 Tempo Prazo total de 50 dias Prazos Doações até 15 de nov/12 Execução Até dia 25 de nov/12 Reunir todo material Reuniões ordinárias semanais até 28 de nov/12 Prazo limite para alocação de recursos financeiros até 20 de nov/12 Seleção dos ingredientes e preparo Dia 30 de nov/12 Coleta do material necessário. Período entre 22 a 25 de nov/12 Prazo limite para possível desistência ou cancelamento 25 de nov/12 Execução e distribuição da sopa. Dia 01 de dez/12
  36. 36. IV. Mecanismo adotado para o conciliamento de recursos Os recursos adotados serão a partir de elaboração de ofícios encaminhados aos comerciantes e feirantes, através da equipe de comunicação será protocolados todos os ofícios confirmados com os itens de interesse, a partir das entregas e comunicações será estipulado o prazo máximo de 2 dias recebimento dos ingredientes e descartáveis. V. Buffer de tempo do projeto Todas as atividades darão início a partir do dia 10 de outubro e de acordo com todos os prazos já previamente estipulados, passamos a contar com um prazo extra e de segurança que possibilitará uma segunda alternativa para a execução do projeto. Temos como prazo limite o dia 15 de novembro para alocação de materiais de interesse como forma de doação. A partir da data do dia 16 de novembro desencadeia-se uma segunda alternativa que será através de reunião de recursos financeiros obtidos por patrocinadores já previamente comunicados em caso de falha na gratuidade da aquisição dos itens. FIGURA 01. CICLO DE TEMPO DO PROJETO Compra de material (ingredientes) Alocação de recursos Material financeiros doado (gratuidade ) VI. Freqüência de avaliação dos prazos do projeto O projeto será avaliado em seus prazos e tolerâncias a cada 08 dias e eventuais contratempos devem ser apresentados de imediato para que assim se possa soluciona-los em um prazo máximo de 15 dias. Um calendário de recurso composto do projeto documenta os dias trabalhados e os dias não trabalhados que determinam as datas nas quais um recurso específico, uma pessoa ou material, pode estar ativo ou está ocioso. Normalmente o calendário
  37. 37. de recurso do projeto identifica feriados específicos de recursos e períodos de disponibilidade de recursos. O calendário de recurso do projeto identifica a quantidade de cada recurso disponível durante cada período de disponibilidade. Como o uso inadequado de antecipações ou atrasos pode distorcer o cronograma do projeto, as antecipações ou atrasos são ajustados durante a análise de rede do cronograma para desenvolver um cronograma do projeto viável. Importante destacar que todos esses processos serão avaliados e controlados através de calendário e softwares de apoio, tais como excell e pert. FIGURA 02. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS PRAZOS DO PROJETO Inico do projeto Alertas e revisões • Relatórios • a cada 08 dias VII. Sequência • Reuniões • a cada 15 dias • Confirmações • a cada 02 dias Alocação financeira para o gerenciamento de tempo Todo o projeto desde a sua criação intelectual será desenvolvido através do financiamento por recursos pessoais dos integrantes responsáveis por cada etapa e para a concretização será trabalhada a arrecadação dos ingredientes por doação de comerciantes do ramo de varejo e ou feirantes. Para a logística toda será trabalhada a utilização de recursos pessoais e com limite máximo para a devida arrecadação até a data limite do dia 15 de novembro de 2012. VIII. Administração do plano de gerenciamento de tempo  Raimundo Nonato de Oliveira Magina – Gerente do Gerenciamento de Tempo  Damaris Assunção – Suplente do Gerenciamento de Tempo
  38. 38. IX. Freqüência de atualização do plano de gerenciamento de tempo É importante destacar sobre a obrigatoriedade na avaliação de cada equipe de trabalho, que semanalmente deverá reunir-se e apresentar relatórios e os resultados sobre o andamento de suas atividades específicas e demonstração do resultado coletivo e a cada (02) dois dias é preciso atualizar e notificar possíveis falhas ou atritos presentes na logística e na comunicação. FIGURA 03. FREQUÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DE TEMPO Problema sinalizado X. Reunião de Falha de avaliação entrega de ofício Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de tempo do projeto não previstos neste plano Importante haver preocupação com a arrecadação dos materiais, no que concerne ao suporte de transporte para a devida coleta e correto armazenamento das verduras e legumes, pois deve haver mais de um carro à disposição com o devido provisionamento financeiro para aquisição de combustível e embalagem adequada ao armazenamento dos materiais necessários. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 15/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há mudanças a serem feitas.
  39. 39. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho Gerente de Projeto Carlos Alexandre Sub Gerente Raimundo Nonato de O. Magina Gerente do Gerenciamento de Tempo Damaris Assunção Suplente do Gerenciamento de Tempo 15/10/2012 15/10/2012 15/10/2012 15/10/2012
  40. 40. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS
  41. 41. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS FLUXOGRAMA DE CUSTOS II. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DO ORÇAMENTO DO PROJETO E DAS RESERVAS GERENCIAIS III. RESERVAS GERENCIAIS IV. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA V. OUTRAS RESERVAS VI. AUTONOMIAS VII. ALOCAÇÃO FINANCEIRA DAS MUDANÇAS NO ORÇAMENTO VIII. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS IX. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO DE CUSTOS DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO
  42. 42. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. FLUXOGRAMA 01. GERENCIAMENTO DE CUSTOS II. TABELA 01. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS III. TABELA 02. COLABORAÇÃO IV. TABELA 03. COMPRA DO GÁS DE COZINHA V. TABELA 04. ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS VI. QUADRO 01. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA
  43. 43. FLUXOGRAMA01. GERENCIAMENTO DE CUSTOS GERENCIAMENTO DE CUSTOS ESTIMATIVA DE CUSTOS ORÇAMENTAÇÃO do -Definição do escopo; fluxograma; - Oficio da faculdade; - Doação de alimentos - Doação de alimentos e produtos dos e produtos dos feirantes e feirantes comerciante em geral;e comerciante em geral; - Utensilio sediados - Utensiliodasediados pela igreja Pastora pela igreja da Pastora Sueli; Sueli; Metas de -Colaborações dos arrecadação voluntários em espécie alimentos; moeda brasileira; - Dias de 29 a 30 de Metas novembro de 2012,de 2 arrecadação dos (dois) equipes dividas alimentos; na arrecadação dos - Gasto previsto no projeto (Sopa Solidária) de R$ 180,00(cento oitenta 108,00(cento e e oito reais) compensar na falta de alguns alimentos ou produtos; mantimentos. - Dias de 29 a 30 de novembro de 2012, 2 CUSTO TOTAL: (dois) equipes dividas Comparativo final dos mantimentos e produtos na arrecadação dos do orçamento da sopa mantimentos. estimado solidária ficou Preço de mantimentos variável nas feiras e comércios locais; em R$ 279,10 (duzentos setenta nove e dez reais). - Compra do Gás de Cozinha no valor de R$ 38,00 (trinta e oito reais); - Das contribuições dos 18 voluntários esta prevista um quantia de R$ 10,00(dez reais) de 6,00(seis reais) cada um; - Tabelas comparativas de alimentos e produtos. CONTROLE DE CUSTOS Pesquisa de Mantimentos peso e unidades; - As dispersas com os voluntários e recursos internos não serão considerados no orçamento; Valores dos orçamentos e gastos com outros produtos necessários; - Controle definidos e atualizados das contribuições, recolhimentos de mantimentos, voluntário envolvidos no projeto. - Anexos de pesquisa e relatórios pendentes de outrostemplante.
  44. 44. SOPA SOLIDÁRIA Preparado por Aprovado por I. PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS COST MANAGEMENT PLAN Anibal da Silva Cajado Versão1. 0 Cecilia Sayure Kataoka Carlos Alexandre 21/10/2012 Dinarte de Carvalho Descrição dos processos de gerenciamento de custos  Doação de alimentos (legumes) e produtos junto aos feirantes ecomerciantesde Manaus no total de 15 (quinze)itens na construção da sopa solidária;  O projeto prevê um gasto de até R$ 180,00 (cento e oitenta reais) para suprir as necessidades na falta de algum mantimento ou produtos, na compra da botija de gás de cozinha de 13 kg;  Para servir a sopa os copos descartáveis de 300 ml;  As camisas personalizadas com tema do projeto, aonde cada voluntário ganharão um (unidade), através da doação dos patrocinadores.  Sacos de lixo para recolher os resíduos deixados no local;  Panelas de 100 litros, quantidade o suficiente para servi 300 copos;  Quantidades necessárias para fazer 100 litros de sopa, 15 kg de batata, 10 kg de cenoura, 3 kg de cebola, 2 kg de tomate, 4 maços de feijão verde, 5 maços de couve, 5 kg de maxixe, 5 kg de repolho, 4 kg de picadinho e 10 pacotes de macarrão para sopa, 1 concha para sopa conforme descrito na tabela de custo 01, nesta tabela estão estabelecido o orçamento dos mantimentos e os comparativos entre as feiras e comércios de Manaus;  As despesascom voluntários e recursos internos não serão consideradas dentro do orçamento do projeto;  Tabela de Colaboração 02, nos dias 12 a 20 de novembro de 2012 será feita a arrecadação de ajudar em espécie moeda corrente brasileira, nas despesas de compra da botija de gás e mantimentos. Nesta tabela estão relacionados os nomes dos colaboradores e o valor das contribuições recolhidas e assinadas por cada pessoa.
  45. 45.  Na tabela 03 estão os valores e a quantidade na compra de uma botija de gás de 13 kg, aonde cada botija custará R$ 38,00 (trinta oito reais).  A capitação ou recolhimento dos alimentos ocorrerá nos dias 29 e 30 de Novembro de 2012, serão formado duas equipes de 18 voluntario divido nos dois dias que seguir na obtenção de mantimentos, cada equipe terão que cumpre mentas estabelecidas conforme a tabela 04.  As pesquisas feitas da botija de gás tiveram uma grande variação de preço entre as 2 zonas de Manaus, ficaram estabelecidas pelo menor preço de pesquisa, conforme o anexo, pesquisa realizada no 04/11/12.
  46. 46. TABELA 01. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS ITE NS PRODUTOS QUANTIDADE **PREÇ O 02 *PREÇO 01 ***CUSTO TOTAL 1 BATATA 15 kg R$ 3,00 R$ 2,60 R$ 39,00 2 CARNE PICADINHO (OPCIONAL) 4 kg R$ 17,00 R$ 10,00 R$ 40,00 3 CEBOLA 3 kg R$ 4,00 R$ 5,30 R$ 12,00 4 CENOURA 10 kg R$ 4,20 R$ 6,40 R$ 42,00 5 COPOS 300 ml (DESCATAVEL) 400 unidades (cada) R$ 3,50 R$ 4,00 R$ 3,50 6 COUVE 5 Maços R$ 1,50 R$ 1,00 R$ 5,00 7 FEIJÃO VERDE 4 Maços R$ 1,20 R$ 1,50 R$ 4,80 8 (1) 13 kg (botija) R$ 38,90 R$ 38,00 R$ 38,00 9 MACARRÃO (tipo sopa) 10 pacotes R$ 2,70 R$ 3,00 R$ 27,00 10 MAXIXE 5 kg R$ 5,10 R$ 5,00 R$ 25,00 11 (2) Igreja Igreja Igreja 12 REPOLHO 5 kg R$ 2,80 R$ 3,00 R$ 14,00 13 TOMATE 2 kg R$ 5,30 R$ 6,00 R$ 26,60 14 SACO PLÁSTICO (PACOTE) 1 unidade R$ 2,50 R$ 2,20 R$ 2,20 15 (3) CONCHA 1 unidade Igreja Igreja Igreja R$ 99,80 R$ 88,00 R$ 279,10 GÁS PANELA DE 100 Litros 1 Panelão (SOPA) Total Pesquisa realizada nas 2 Zonas de Manaus nas feiras e comercio, conforme a variação de preço ao consumido foi realizada dia 03/11/2012. Os preços dos produtos e baseado em (unidade e 1 kg) de um terminado produto. * PREÇO 01: Zona Norte (Unidade ou 1 kg); ** PREÇO 02: Leste (Unidade ou 1 kg). Neste comparativo de preços constatou que preço final dos produtos na zona leste sairá a um custo de R$ 88,00, mas levando em conta a variação dos diferentes preços de todos os itens da sopa em destaques nesta tabela de orçamento. ***CUSTO TOTAL: Comparativo final dos mantimentos e produtos do orçamento da sopa solidária ficou estimado em R$ 279,10 (duzentos setenta nove e dez reais) essas comparação em destaque visa estabelece os preços menores das duas zonas pesquisas. (1) GÁS DE COZINHA: PREÇO VARIAVEL ENTRE DISTRIBUIDORA NAS ZONAS DE MANAUS NO VALOR DE R$ 38,00 A R$ 40,00 (O preço de R$ 38,00, aconselhado e da na zona leste). (2) (3) Concha e a Panela para sopa, serão sediadas pela igreja da Pastora Sueli.
  47. 47. TABELA 02. COLABORAÇÃO Nº COLABORADORES ASSINATURA VALOR SITUAÇÃO DATA 01 Marcelo R$ 10,00 __/__/ 2012 02 Valmir R$ 10,00 __/__/ 2012 03 Dinarte R$ 10,00 __/__/ 2012 04 Carlos R$ 10,00 __/__/ 2012 05 Damaris R$ 10,00 __/__/ 2012 06 Nonato R$ 10,00 __/__/ 2012 07 Aníbal R$ 10,00 __/__/ 2012 08 Cecília R$ 10,00 __/__/ 2012 09 Sabrina R$ 10,00 __/__/ 2012 10 Karen R$ 10,00 __/__/ 2012 11 Silvânia R$ 10,00 __/__/ 2012 12 Marta R$ 10,00 __/__/ 2012 13 Gleicimara R$ 10,00 __/__/ 2012 14 Marilene R$ 10,00 __/__/ 2012 15 Amiraldo R$ 10,00 __/__/ 2012 16 Marcia R$ 10,00 __/__/ 2012 17 Dhane R$ 10,00 __/__/ 2012 18 Dejane R$ 10,00 __/__/ 2012 TOTAL R$ 180,00 TABELA 03. COMPRA DO GÁS DE COZINHA Itens Produtos VALORES (UNIDADE) TOTAL 1 Botija de Gás (13 kg) R$ 38,00 R$ 38,00
  48. 48. TABELA 04. ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS CÓDIGOS DOS ALIMENTOS E METAS DE ARRECADAÇÃO DIA Nº Equipe 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 29/1 1/12 10 voluntários 7,5 kg 5 kg 1,5 kg 1 kg 2 maços 2,5 maços 2,5 kg 2,5 kg 2 kg 5 pacotes 1 pacote 200 unid. 30/1 1/12 08 voluntários 7,5 kg 5 kg 1,5 kg 1 kg 2 maços 2,5 maços 2,5 kg 2,5 kg 2 kg 5 pacotes 1 pacote 200 unid. Códigos dos Alimentos e Produtos: 01 15 kg de batata 02 10 kg de cenoura 03 3 kg de cebola 04 2 kg de tomate 05 4 maços de feijão verde 06 5 maços de couve 07 5 kg de maxixe 08 5 kg de repolho 09 4 kg de picadinho 10 10 pacotes de macarrão para sopa 11 Sacos Plásticos de Lixo (unidade) 12 Copos de descartável 300 ml (400 unidades) DIA N0 DE EQUIPES 29/11/12 10 voluntários NOMES DOS VOLUNTÁRIOS Marcelo, Valmir, Dinarte, Carlos, Damaris, Nonato, Aníbal, Cecília, Sabrina, Karen. 30/11/12 II. 08 voluntários Silvânia, Marta, Gleicimara, Marilene, Amiraldo, Marcia, Dhane, Dejane. Frequência de avaliação do orçamento do projeto e das reservas gerenciais  Existem duas formas de adquiriros mantimentos, por doações e o outro por patrocínio próprio;  Se caso escolha o caminho das doações é importante elaborar oficio em nome da faculdade ou do curso para encaminhar aos destinatários do qual se pede a ajuda;
  49. 49.  No oficio é importante conter o objetivo do projeto, a identificação dos responsáveis, o local onde será realizado o projeto e a data da realização. III. Reservas gerenciais  Doação de alimentos (legumes) junto aos feirantes e comerciante de Manaus no total de 15 (quinze)itens na construção da sopa solitária;  O projeto prevê um gasto de até R$ 180,00 (cento e oitenta reais) para supri as necessidades na falta de algum mantimento, na compra da botija de gás de cozinha de 13 kg. IV. Reservas de Contingência Por doações e o outro por patrocínio próprio; Gasto de até R$ 180,00, para supri as necessidades na falta de algum mantimento, ou na compra do gás de cozinha de 13 kg. V. Outras Reservas – No momento não contamos com outras reservas extras, somente de contingencia. VI. Autonomias O gerente de projeto tem as seguintes autonomias quanto à utilização das reservas: QUADRO 01. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA Reservas de Contingência Gerenciamento de Custo R$ 180,00 0,00 Gerenciamento de Custo VII. Outras Reservas R$ 180,00 0,00 Alocação financeira das mudanças no orçamento Custo Total: Comparativo final dos mantimentos e produtos do orçamento da sopa solidária ficou estimado em R$ 279,10 (duzentos setenta nove e dez reais) essas comparação em destaque visa estabelece os preços menores das duas zonas pesquisas.
  50. 50. O gasto de R$ 180,00 (cento e oitenta reais) serão feitas a partir de doações e arrecadações dos colaboradores da sala de aula da turma seg.= 051. VIII. Administração do plano de gerenciamento de custos 5. Responsável pelo plano  Anibal da Silva Cajado –Gerente do Gerenciamento de Custos  Cecília Sayure Kataoka – Suplente do Gerenciamento de Custos. 6. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de custos Estimativas de custos das atividades (gastos) e avaliações quantitativas dos prováveis custos necessários para executar o trabalho do projeto, fornecer um entendimento completo a respeito de como a estimativa de custos foi derivado. IX. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de custos do projeto não previstos neste plano Não há outros assuntos. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data Modificado por Descrição da mudança 15/11/2012 Anibal da Silva Cajado Com a quantidade de pessoal ou com a quantidade de trabalho serem feito no decorre da construção da sopa. 15/11/2012 Cecilia Sayure Kataoka Despesas com combustível e automóvel.
  51. 51. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 21/10/2012 Gerente do Escopo Carlos Alexandre 21/10/2012 Sub Gerente do Escopo Anibal da Silva Cajado 21/10/2012 Gerente do Gerenciamento de Custos Cecília Sayure Kataoka Suplente do Gerenciamento de Custos : 21/10/2012
  52. 52. PROJETO SOPA SOLIDARIA PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE
  53. 53. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE II. PRIORIZAÇÃO DAS MUDANÇAS NOS QUESITOS DE QUALIDADE E RESPOSTA III. SISTEMA DE CONTROLE DE MUDANÇAS DA QUALIDADE IV. FREQÜÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS DE QUALIDADE DO PROJETO V. ALOCAÇÃO FINANCEIRA DAS MUDANÇAS NO REQUISITOS DE QUALIDADE VI. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE VII. FREQUÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE VIII. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO QUALIDADE DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO DA
  54. 54. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA II. QUADRO 01. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE III. QUADRO 02. PROCESSO DA QUALIDADE IV. ORGANOGRAMA 01. PROCESSO DE COMPETÊNCIA E DOS MEMBROS DAS EQUIPES INTERAÇÃO
  55. 55. SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DA QUALIDADE QUALITY MANAGEMENT PLAN Preparado por Karen Lopes Lima Aprovado por Dinarte de Carvalho I. Versão 1.0 Sabrina Santos Data: 25/10/20012 Descrição dos processos de gerenciamento da qualidade Os processos de gerenciamento da qualidade do projeto incluem todas as atividades da organização executora que determinam as responsabilidades, os objetivos e as políticas de qualidade, de modo que o projeto atenda às necessidades que motivaram sua realização. Eles implementam o sistema de gerenciamento da qualidade através da política, dos procedimentos e dos processos de planejamento da qualidade, garantia da qualidade e controle da qualidade, com atividades de melhoria contínua dos processos conduzidas do início ao fim, conforme adequado. Os processos de gerenciamento da qualidade do projeto incluem as seguintes fases:  1ª Fase: Planejamento da qualidade identificação dos padrões de qualidade relevantes para o projeto e determinação de como satisfazê-los.  Acompanhamento de uma nutricionista.  Seleção de legumes e verduras.  Agregação do valor nutricional.  Utilização do local adequado e cedido contendo panelas de 100l, fogão industrial e talheres.  Adquirir água potável para a realização da sopa  Aquisição de copos descartáveis de 300 ml e 180 ml e de talheres descartáveis. Obs: Um copo seguro NOTA: O polipropileno (PP) é um material utilizado na fabricação de copos e não contém a substância química Bisfenol A ou BPA. Desta forma os copos
  56. 56. se enquadram nas normas alimentares, proporcionando o consumo de caldos e outras bebidas quentes.  Programação da logística de transporte.  Gerenciamento de resíduos sólidos.  2ª Fase: Realizar a garantia da qualidade aplicação das atividades de qualidade planejadas e sistemáticas para garantir que o projeto emprega todos os processos necessários para atender aos requisitos.  Desenvolver e executar todas as etapas do projeto sob a supervisão do CQ (Controle de Qualidade).  3ª Fase: Realizar o controle da qualidade monitoramento de resultados específicos do projeto a fim de determinar se eles estão de acordo com os padrões relevantes de qualidade e identificação de maneiras de eliminar as causas de um desempenho insatisfatório.  Acompanhar todas as fases do projeto.  Identificar possíveis falhas no Gerenciamento da Qualidade  Monitorar a execução do projeto (realização da sopa).  Gerenciar resíduos em sacos plásticos e descartá-los no depósito de resíduos do hospital. II. Priorização das mudanças nos quesitos de qualidade e respostas A priorização do projeto Sopa Solidária será a seleção dos ingredientes de hortaliças e legumes de alto valor nutritivo para uma refeição de qualidade, conforme tabela a seguir:
  57. 57. TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA Itens Produtos Quantidade 1 Batata 15 Kg 2 Carne Picadinho (Opcional) 4 Kg 3 Cebola 3 Kg 4 Cenoura 10 Kg 5 Copos 300 Ml (Descartável) 6 Couve 5 Maços 7 Feijão Verde 4 Maços 8 Gás 9 Macarrão (Tipo Sopa) 10 Maxixe 11 Panela De 100litros 12 Repolho 13 Tomate 13 Kg (Botija) 10 Pacotes 5 Kg 1 Panelão 5 Kg 2 Kg Total . 300 Unidades
  58. 58. III. Sistema de controle de mudanças da qualidade (Quality change control system) QUADRO 01. GERENCIAMENTO DA QUALIDADE IV. Freqüência de avaliação dos requisitos de qualidade do projeto A frequência de avaliação será executada semanalmente pela equipe do CQ. (Controle de Qualidade).
  59. 59. V. Alocação financeira das mudanças nos requisitos de qualidade Será disposto um valor de R$ 108,00 reais caso ocorra qualquer imprevisto nas doações dos ingredientes da sopa. VI. Administração do plano de gerenciamento da qualidade 1. Responsável pelo plano   VII. Karen Lopes Lima – Gerente do Gerenciamento da Qualidade Sabrina Santos Viana – Suplente do Gerenciamento da Qualidade Frequência de atualização do plano de gerenciamento da qualidade Será realizado semanalmente durante a frequência de avaliação do projeto. VIII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento da qualidade do projeto não previstos neste plano Não há outros assuntos. QUADRO 02. PROCESSO DA QUALIDADE ESPAÇO Cozinha industrial Climatizada e Higienizada ALIMENTOS In natura Nutritivos UTENSILIOS ARMAZENAMENTOS Fogão Hortaliças industrial Panelas de alumínio acondicionados em geladeira Carne acondicionados em frezeer
  60. 60. ORGANOGRAMA 01. PROCESSO DE COMPETÊNCIA E INTERAÇÃO DOS MEMBROS DAS EQUIPES INTEGRAÇÃO Marcelo Valmir ESCOPO Dinarte Carlos TEMPO Damaris Nonato CUSTOS Aníbal Cecília QUALIDADE Sabrina Karen RECURSOS HUMANOS Silvania Marta AQUISIÇÔES COMUNIÇÃO Dejane Gleicimara Marcia Dhane Marilene Amiraldo RISCOS REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 25/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há mudanças.
  61. 61. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho Gerente de Projeto 25/10/2012 Carlos Alexandre Barros Sub Gerente 25/10/2012 Karen Lopes Lima Gerente do Gerenciamento da Qualidade Sabrina Santos Viana Suplente do Gerenciamento da Qualidade 25/10/2012 25/10/2012
  62. 62. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS
  63. 63. ÍNDICE I – ORGANOGRAMA DO PROJETO II – DIRETÓRIO DO TIME DO PROJETO III – MATRIZ DE RESPONSABILIDADE IV – NOVOS RECURSOS, REALOCAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO DE MEMBROS DO TIME V – TREINAMENTO VI – AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO TIME DO PROJETO VII – BONIFICAÇÃO VII – FREQUENCIA DE AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO TIME IX – ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DE RH X – ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS XI – OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO DE RH DO PROJETO NÃO PREVISTO NESTE PLANO
  64. 64. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO II. QUADRO 01. TIMES DO PROJETO III. QUADRO 02. MATRIZ DE RESPONSABILIDADES
  65. 65. SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS STAFF MANAGEMENT PLAN Preparado por Silvânia Souza Versão 1.0 Marta Lobato Aprovado por Dinarte de Carvalho 27/10/2012 Carlos Alexandre I. Organograma do projeto. Tem como objetivo coordena o colegiado formado pelos coordenadores de cada grupo de trabalho específico. Controla a distribuição de recursos do Projeto. Cabe a nós convocar reuniões, administra as dificuldades e propor soluções que afetam a todos os envolvidos. Auxiliado pelo Gestor Pedagógico e pelo Gerente do Projeto. ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO INTEGRAÇÃO Marcelo Valmir ESCOPO Dinarte Carlos TEMPO Damaris Nonato CUSTOS Aníbal Cecília QUALIDADE Sabrina Karen RECURSOS HUMANOS Silvania Marta AQUISIÇÔES COMUNIÇÃO Dejane Gleicimara Marcia Dhane Marilene Amiraldo RISCOS
  66. 66. II- Diretório do time do projeto (Team directory) QUADRO 01. TIMES DO PROJETO No 2 3 4 5 6 7 8 9 Valmir Melo Marcelo Rêgo Dinarte Carlos Carlos Alexandre Damaris Lima Raimundo Nonato Aníbal Cajado Cecília Sayure Sabrina Santos Karen Lima Silvania Souza Marta Lobato Dejane Nascimento Dhane Braga Gleicimara Bandeira Marilene Benchimol Marcia Nascimento Amiraldo Ribeiro III- e-mail Telefone valmir39.melo@hotmail.com 1 Nome Área 9194-7011 yushuke7@hotmail.com 9393-3314 dinartepaty@hotmail.com 9316-9632 carlosalexandre_b@hotmail.com 91297753 Integração Escopo damarislima39@hotmail.com Tempo nonatomagina@yahoo.com.br cajado@hotmail.com Custo 9390-5135 9223-6159 sayure_kataoka@hotmail.com 9275-3161 sabrina.geovanna@hotmail.com 9419-3991 katelopeslima@hotmail.com 9171-5922 silsouzaar@hotmail.com 9365-3450 martalobato@hotmail.com 9187-2025 dejane_nascimento@hotmail.com 9315-8670 dhane_alves@hotmail.com 9199-5463 gleic_life@hotmail.com 9167-8180 marilenebenchimol125@hotmail.com 9356-0324 marciasilva-06@hotmail.com 9243-0455 amiraldo.mantec@hotmail.com 9119-3276 Qualidade Recursos Humanos Aquisição Comunicação 9393-7405 Riscos Matriz de responsabilidade Quando pensamos em gerenciar recursos humanos alocados em um projeto, logo nos vem à mente os papéis e as responsabilidades a serem definidos. Esse é um passo fundamental para o desenvolvimento das mais diversas atividades planejadas para o projeto. Assim, a matriz surge como uma importante responsabilidade de apoio no gerenciamento dos recursos humanos e das comunicações É utilizada para ”formalizar os papéis e responsabilidade”.
  67. 67. QUADRO 02. MATRIZ DE RESPONSABILIDADES Valmir Melo 1 Risco Aquisição RH Qualidade Custo Área Escopo Tempo Nome Integração No Comunicação Planos A Integração Marcelo Rêgo R R Dinarte Carlos 2 Escopo S Carlos Alexandre Damaris Lima 3 R Tempo Raimundo Nonato S Aníbal Cajado 4 R Custo Cecília Sayure S Karen Lopes 5 R Qualidade Sabrina Santos S Silvania Souza 6 R RH Marta Lobato S Dejane Nascimento 7 R Aquisição Dhane Braga S Gleicimara Bandeira 8 R Comunicação Marilene Benchimol S Amiraldo Ribeiro 9 R Risco Márcia Nascimento R – Responsável S A – Apoio S – Suplente
  68. 68. IV- Novos recursos, realocação e substituição de membros do time Os novos recursos aqui adquiridos são a participação da pastora Sueli Azevedo que auxiliará no preparo da sopa e disponibilizará o ambiente e os materiais a serem utilizados. V - Treinamento Como o produto do projeto é uma sopa, será feita uma sopa extra para avaliação da qualidade, dias antes da realização da sopa solidaria. Feita com legumes e carne moída e servida aos participantes do projeto que colaborarem com a mesma. VI - Avaliação de resultados do time do projeto Todas as equipes estão mobilizadas em executar cada fase do projeto, onde cada etapa está sendo desenvolvida conforme o andamento do projeto. VII - Bonificação Para cada equipe que executar sua fase do projeto com sucesso será retribuída com um brinde surpresa que será entregue no dia do evento. VIII - Frequência de avaliação consolidada dos resultados do time Cada equipe será avaliada conforme a execução do projeto com base nos resultados. IX - Alocação financeira para o gerenciamento de RH Quanto a alocação financeira será disponibilizado um valor de R$ 180,00 reais caso aconteça algo inesperado ao projeto. X - Administração do plano de gerenciamento de recursos humanos 7. Responsável pelo plano  Silvânia Souza – Gerente do Gerenciamento de Recursos Humanos  Marta Lobato – Suplente do Gerenciamento de Recursos Humanos
  69. 69. 8. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de RH A cada 10 dia se realizará a atualização do plano de gerenciamento de RH. XI - Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de RH do projeto não previstos neste plano Não há outros assuntos. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data Modificado por 27/10/2012 Descrição da mudança Não há mudanças. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 27/10/2012 Gerente do Escopo Carlos Alexandre Barros 27/10/2012 Sub Gerente do Escopo Silvânia Souza 27/10/2012 Gerente do Gerenciamento de Recursos Humanos Marta Lobato Suplente do Gerenciamento de Recursos Humanos 27/10/2012
  70. 70. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÃO
  71. 71. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÃO II. EVENTOS DE COMUNICAÇÃO III. CRONOGRAMA DOS EVENTOS DE COMUNICAÇÃO IV. ATAS DE REUNIÃO V. RELATÓRIO DO PROJETO VI. ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DAS DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES VII. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO COMUNICAÇÕES VIII. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLAN
  72. 72. SOPA SOLIDARIA PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES COMMUNICATIONS MANAGEMENT PLAN Preparado por Gleicimara Bandeira Versão 1.0 Marilene Benchimol Aprovado por Dinarte Carvalho 15/10/2012 Carlos Alexandre Barros I. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações  Planejamento das comunicações  Distribuição das informações  Gerenciar as partes interessadas Informações via e-mail dos itens concluídos para posterior finalização do projeto. . II. Eventos de comunicação O projeto terá os seguintes eventos de comunicação 1. Reuniões semanais com todas as duplas do projeto a. Objetivo – Analisar como o projeto deverá ser conduzido, o porquê da participação de cada um e a responsabilidade de cada componente na execução do projeto, unir as informações para a montagem do projeto escrito. b. Metodologia – Formulários e slides de cada tópico. c. Responsável – Gerente do projeto: Dinarte Carvalho Carlos Alexandre Barros. d. Envolvidos – Representantes das duplas. e. Data e Horário – No tempo da disciplina de gerenciamento de projetos.
  73. 73. f. Duração – 40 min. g. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins. h. Outros – Troca de informações via e-mail da turma. 2. Palestra a. Objetivo-Descrever o local para realização do projeto e absorver conhecimento sobre outros projetos já realizados b. Metodologia – Descrição oral. c. Responsável – Pastora Sueli Azevedo. d. Envolvidos- Todos os participantes do projeto. e. Data e Horário – 17/10/2012. f. Duração – 40 min. g. Número de participantes – 18 h. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins. III. Cronograma dos eventos de comunicação 10/10/12 – Primeira reunião sala de aula. Mostra do Escopo Definição das atividades de cada Templates específicos. 14/10/12 – Segunda reunião na casa da representante de RH Marta Lobato. Preenchimento dos formulários de RH e Requisições. 17/10/12 – Palestra com a Pastora Sueli Azevedo. Esclarecimento sobre a execução de um projeto e definição do local para a entrega da sopa.
  74. 74. 21/10/12 – Reunião com as equipes: Gerenciamento da qualidade Gerenciamento das comunicações Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Recursos Humanos Gerenciamento de Custos 31/10/12 – Reunião de acompanhamento do Projeto Repasse do PMBOX as equipes via Pen drive. IV. Atas de reunião Realizada reuniões semanais com os representantes das duplas para a montagem do projeto. Atas de reuniões serão encaminhadas vias e-mail para todos os participantes do projeto. V. Relatório do projeto Fica definido que as correspondências (atas de reunião, relatórios de acompanhamento) serão encaminhadas via e-mail. Todas as correspondências enviadas aos participantes do projeto deverão ser do conhecimento do Gerente do Projeto. Conforme modelo em anexo. 1. Relatório de reunião do gerenciamento de projeto Realizada em 10/10/2012 Responsável: Dinarte de Carvalho Carlos Alexandre 2. Relatório de acompanhamento do projeto Acompanhamento das atividades em progresso e próximos passos. Comunicar a situação do projeto. Conforme modelo em anexo.
  75. 75. Responsável: Dinarte de Carvalho Carlos Alexandre VI. Alocação financeira para o gerenciamento das comunicações Utilização de Slides, comunicação oral, por telefone e via e-mail. Custo: Impressão dos Templates. VII. Administração do plano de gerenciamento das comunicações 9. Responsável pelo plano  Marilene Benchimol- Gerente do Gerenciamento de Comunicação  Gleicimara Bandeira – Suplente do Gerenciamento de Comunicação 10. Freqüência de atualização do plano de gerenciamento das comunicações Semanalmente VIII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento das comunicações do projeto não previstos neste plano Dificuldade em reunir todos os representantes das equipes para conclusão do projeto. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 15/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há modificação.
  76. 76. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho Gerente de Projeto 15/10/2012. Carlos Alexandre Sub Gerente 15/10/2012. Marilene Benchimol Gerente do Gerenciamento de Comunicação 15/10/2012. Gleicimara Bandeira Suplente do Gerenciamento de Comunicação 15/10/2012.
  77. 77. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES
  78. 78. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE SUPRIMENTOS II. GERENCIAMENTO E TIPOS DE CONTRATOS III. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE COTAÇÕES E PROPOSTAS IV. AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES V. FREQÜÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE AQUISIÇÕES VI. ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES VII. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES VIII. FREQÜÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES IX. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO SUPRIMENTOS DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESSE PLANO DE
  79. 79. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA II. TABELA 02. ALOCAÇÃO FINANCEIRA III. QUADRO 01. ATUALIZAÇÃO DE FREQUÊNCIA
  80. 80. SOPA SOLIDARIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE AQUISIÇÕES PROCUREMENT MANAGEMENT PLAN Preparado por Dejane Nascimento da Silva Versão 1.0 Dhane Eyre Braga Aprovado por DATA Carlos Alexandre Barros I. Dinarte Carvalho 19/10/2012 Descrição dos processos de gerenciamento de suprimentos   Planejar contratações;  Solicitar respostas de fornecedores;  Selecionar fornecedores;  Administração de contrato;  II. Planejar compras e aquisições; Encerramento do contrato. Gerenciamento e tipos de contratos  O Projeto “Sopa Solidária” será realizado por meio de doações de parceiros e amigos do projeto, sem qualquer vínculo contratual. Sendo através de doações de feirantes, comerciantes e amigos do projeto. III. Critérios de avaliação de cotações e propostas  O projeto prevê um gasto de até R$ 180,00 para supri as necessidades na falta de algum mantimento, nas confecções de camisas e na compra do gás de cozinha;  As despesas com pessoal e recursos internos não serão consideradas dentro do orçamento do projeto.
  81. 81. IV. Avaliação de fornecedores  A avaliação dos ingredientes da sopa será feita por uma nutricionista, no qual se baseou em tais ingredientes por agregarem valores nutricionais, tais como: TABELA 01. INGREDIENTES DA SOPA Alimentos: 01 02 10 kg de cenoura 03 3 kg de cebola 04 2 kg de tomate 05 4 maços de feijão verde 06 5 maços de couve 07 5 kg de maxixe 08 5 kg de repolho 09 4 kg de picadinho 10 V. 15 kg de batata 10 pacotes de macarrão para sopa Frequência de avaliação dos processos de aquisições Será realizada semanalmente uma frequência de avaliação através de reuniões com as equipes. VI. Alocação financeira para o gerenciamento das aquisições  Aquisição dos utensílios da sopa: Panelas, conchas, fogão. O espaço físico será doado pela igreja Ministério Internacional Monte Sião através da pastora Sueli Azevedo, sendo acompanhada pela nutricionista que será fornecida pela mesma.  Aquisição dos ingredientes da sopa será feita por meio de doação de feirantes comerciantes tais como:
  82. 82. TABELA 02. ALOCAÇÃO FINANCEIRA Itens Produtos Quantidade Preço 01 Preço 02 1 Batata 15 Kg 3,00 2,60 2 Carne Picadinho (Opcional) 4 Kg 17,00 10,00 3 Cebola 3 Kg 4,00 5,30 4 Cenoura 10 Kg 4,20 6,40 5 Copos 300 Ml (Descatavel) 400 Unidades 8 Pct. 3,50 4,00 6 Couve 5 Maços 1,50 1,00 7 Feijão Verde 4 Maços 1,20 1,50 8 (1) 13 Kg (Botija) R$ 38,00 R$ 38,00 9 Macarrão (Tipo Sopa) 10 Pacotes 2,70 3,00 10 Maxixe 5 Kg 5,10 5,00 12 Repolho 5 Kg 2,80 3,00 13 Tomate 2 Kg 5,30 6,00 14 Saco Plástico (Pacote) 100l 1 Unidade 2,50 2,20 357,30 331,10 Gás Total VII. Administração do plano de gerenciamento das aquisições 11. Responsável pelo plano  Dhane Eyre Braga – Gerente do Plano de Gerenciamento das Aquisições  Dejane Nascimento da Silva – Suplente do Plano de Gerenciamento de Aquisições VIII. Freqüência de atualização do plano de gerenciamento das aquisições
  83. 83. QUADRO 01. ATUALIZAÇÃO DE FREQUÊNCIA DIA EQUIPES Reunião das equipes 29/11/12 18:00hs Reunião das equipes 30/11/12 18:00hs 01/12/2012 IX. Realização e Distribuição da sopa Reuniões Todas as equipes que compõe cada atividade do projeto para discutirem as aquisições feitas dos produtos. Todas as equipes que compõe cada atividade do projeto para discutirem as aquisições feitas dos produtos. Todos os alunos e professores envolvidos no projeto. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de suprimentos do projeto não previstos nesse plano Não há outros assuntos. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 19/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há descrição de mudança.
  84. 84. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho Gerente do Escopo 19/10/2012 Carlos Alexandre Sub Gerente do Escopo 19/10/2012 Dhane Eyre Braga Gerente do Gerenciamento das Aquisições 19/10/2012 Dejane Nascimento da Silva Suplente do Gerenciamento de Aquisições 19/10/2012
  85. 85. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS
  86. 86. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE RISCOS II. RBS – RISK BREAKDOWN STRUCTURE PARA A IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS III. RISCOS IDENTIFICADOS IV. QUALIFICAÇÃO DOS RISCOS V. QUANTIFICAÇÃO DOS RISCOS VI. RESPOSTAS PLANEJADAS AOS RISCOS VII. RESERVAS DE CONTINGÊNCIA VIII. FREQUÊNCIA DE AVALIAÇÃO DOS RISCOS DO PROJETO IX. ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DE RISCOS X. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS XI. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO DE RISCOS DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO XII. FREQUÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS XIII. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO ESCOPO DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO DO
  87. 87. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. QUADRO 01. QUALIFICAÇÃO DOS RISCOS II. QUADRO 02. RESPOSTAS PLANEJADAS AOS RISCOS III. QUADRO 03. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA
  88. 88. SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE RESPOSTAS AOS RISCOS Preparado por Amiraldo Cardoso Versão 1.0 Márcia do Nascimento Silva Aprovado por Dinarte Carvalho 21 /10/2012 Carlos Alexandre Barros I. Descrição dos processos de gerenciamento de riscos   Identificação,  Análise Qualitativa e Quantitativa;  Respostas;  Monitoramento;  II. Planejamento, Controle. RBS – Risk Breakdown Structure para a identificação dos riscos Os Riscos do projeto “Sopa Solidária” serão identificados em suas respectivas fases:  Integração: Não haver o interligamento das fases do projeto;  Escopo: Elaboração não detalhada ou não definida;  Custos: Falhas no controle sobre os gastos;  Tempo: Não cumprir prazos determinados pelo escopo;  Qualidade: Não atender todos os requisitos/padrões de qualidade, contaminação da sopa, falhas no gerenciamento de resíduos;  Recursos Humanos: Falhas no gerenciamento de pessoas e, por conseguinte, falta de apoio técnico para realizar as tarefas.  Comunicação: Falhas na emissão da mensagem;  Aquisição: Falhas na elaboração de documentos, a fim de arrecadar ingredientes para a execução da sopa e falhas na solicitação de apoio logístico;
  89. 89.  Riscos: Não identificar os riscos cabíveis a cada fase; Alterações climáticas (chuva); assalto/roubo; Não aceitação por parte do hospital devido à falta de identificação (camisas), bem como de outras pessoas em relação à sopa. III. Riscos identificados Os riscos identificados no projeto, segundo o WBS do projeto e a RBS anteriormente apresentada estão apresentados na estrutura a seguir.
  90. 90. IV. Qualificação dos riscos Os riscos identificados serão qualificados na sua probabilidade de ocorrência e gravidade dos resultados, conforme tabela a seguir: QUADRO 01. QUALIFICAÇÃO DOS RISCOS PROBABILIDADE          V. GRAVIDADE          Integração – Baixa Escopo – Alta Custos – Média Tempo – Baixa Qualidade – Alta Recursos – Média Comunicação – Baixa Aquisição – Alta Riscos - Média Integração – Baixa Escopo – Alta Custos – Média Tempo – Baixa Qualidade – Alta Recursos – Média Comunicação – Baixa Aquisição – Alta Riscos - Média Quantificação dos riscos A quantificação dos riscos será realizada por meio da probabilidade e gravidade, bem como as respostas planejadas aos possíveis riscos identificados. VI. Respostas planejadas aos riscos Para os riscos identificados e qualificados, optou-se por estratégias diferenciadas para cada necessidade, conforme quadro a seguir. QUADRO 02. RESPOSTAS PLANEJADAS AOS RISCOS Item Fase Risco Probabilidade Gravidade Resposta Com o tempo Integração Interação Não haver interligamento entre as fases do projeto Alta Alta Gerenciar a integração em parceria com o RH e a Comunicação a fim de obter a interação entre as equipes Atenua Escopo Elaboração Falhas no monitoramento e execução do projeto Alta Alta Gerenciar o escopo com a participação de todas as áreas do projeto apresentando sugestões e melhorias Atenua Custos Controle Falhas no controle sobre os gastos Média Média Gerenciar os gastos em parceria com a Aquisição e a Comunicação a fim de minimizar/isentar os gastos Atenua
  91. 91. Item Fase Risco Probabilidade Gravidade Resposta Com o tempo Tempo Prazos Não cumprir prazos determinados pelo escopo Baixa Baixa Gerenciar em parceria com o Gerente do Escopo, Custos, Aquisição, RH e Comunicação as fases relativas a prazos/datas do projeto a cada oito dias Atenua Controle da Qualidade Não atender todos os requisitos/ padrões de qualidade, contaminação da sopa, falhas no gerenciamento de resíduos Alta Alta Gerenciar o Controle da Qualidade por meio de auditorias internas acompanhando todas as fases do projeto; Monitorar a execução do projeto (realização da sopa); Descartar os resíduos no depósito de resíduos do hospital com a autorização do mesmo. Atenua Falhas no gerenciamento de pessoas, falta de apoio técnico para realizar as tarefas. Média Média Identificar o profissional com qualificação específica para se responsabilizar pela elaboração e acompanhamento das atividades previstas no projeto. Atenua Baixa Baixa Gerenciar a Comunicação em parceria com o Gerente do Projeto, RH, Aquisição e o Custo a elaboração, o envio, o recebimento e a guarda dos documentos de comunicação referentes ao projeto. Atenua Qualidade Recursos Humanos Contratar Mobilizar Equipe Projeto ou a do Comunicação Distribuição das Comunicações Falhas emissão mensagem Aquisição Aquisição de mantimentos e serviços Falhas na elaboração de documentos e falhas na solicitação de apoio logístico Alta Alta Gerenciar em parceria com a Comunicação, Custos e o Tempo as doações, gastos e a datas limites para entrega dos mantimentos, bem como a confirmação de parcerias. Atenua Riscos Identificação e Controle dos Riscos Não identificar os riscos cabíveis a cada fase; Alterações climáticas (chuva); assalto/roubo; Não aceitação por parte do hospital devido à falta de identificação (camisas), bem como de outras pessoas em relação à sopa. Média Média Monitorar os riscos identificados de cada fase; caso chova servir a sopa na área coberta do hospital (área de vivência); os participantes do projeto deverão andar em pares ou em trio, a fim de evitar o risco de assalto/roubo nas dependências do hospital; deverão estar devidamente identificados por meio de camisas padronizadas ou por meio de crachás; gerenciar em parceria com a Qualidade a realização da sopa. Atenua na da
  92. 92. VII. Reservas de contingência QUADRO 03. RESERVAS DE CONTIGÊNCIA Reservas de Contingência Aquisição (falta de mantimentos) R$ 10,00 por pessoa Custos R$ 180,00 Riscos (10%) R$ 198,00 (+) R$ 162,00 (-)  O Gerenciamento de Riscos, por meio do Planejamento de Riscos, prevê a reserva de contingência na falta de doações e parcerias, o valor de R$ 10,00 por pessoa/integrante do projeto;  O Gerenciamento de Custos prevê um gasto de até R$ 180,00 para suprir a falta de algum mantimento e na compra do gás de cozinha;  O Gerenciamento de Riscos prevê o acréscimo e decréscimo de 10% do valor calculado;  As despesas com pessoal e recursos internos não serão consideradas dentro do Escopo e Custos do projeto. VIII. Frequência de avaliação dos riscos do projeto As avaliações dos riscos serão feitas de acordo com o desenvolvimento das atividades realizadas. IX. Alocação financeira para o gerenciamento de riscos Conforme o Gerenciamento de Custos, os valores de R$ 108,00 reais não considerarão as despesas com pessoal e recursos internos, bem como situações emergenciais que não estão contidas no projeto. Portanto com base nas informações citadas acima, o Gerenciamento de Riscos prevê o percentual de Riscos Financeiros para o projeto “Sopa Solidária” em torno de 15%.
  93. 93. X. Administração do plano de gerenciamento de riscos 1. Responsável pelo plano  Amiraldo Cardoso – Diretor do Gerenciamento de Riscos.  Márcia do Nascimento Silva – Suplente do Gerenciamento de Riscos. XI. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de riscos Serão realizadas durante o inicio de cada fase/etapa do projeto com o objetivo de identificar, analisar, monitorar e controlar os riscos identificados. XII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de riscos do projeto não previstos neste plano O Gerenciamento de Riscos prevê para o Projeto “Sopa Solidária” a sua real efetivação/realização. XIII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento do escopo do projeto não previstos neste plano O local e a data da realização e distribuição da sopa poderão sofrer alterações com objetivos de apresentar efeitos positivos ao projeto. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 18/10/202 Modificado por Dinarte de Carvalho Carlos Alexandre Barros Gerenciamento do Escopo 18/10/2012 Raimundo Nonato Magina Damaris Assunção Gerenciamento do Tempo do Projeto Descrição da mudança O local de distribuição da sopa sofreu alteração, onde a mesma seria distribuída para os moradores de rua e passou a ser direcionado aos acompanhantes do Hospital João Lúcio. A data da realização da sopa foi alterada do dia 15/11/2012 para o dia 01/12/2012.
  94. 94. APROVAÇÕES Dinarte de Carlos Data Gerente do Escopo 21/10/2012. Carlos Alexandre Data Sub Gerente do Escopo 21/10/2012.
  95. 95. PROJETO SOPA SOLIDÁRIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO
  96. 96. ÍNDICE I. DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO II. TITULO DO PROJETO III. DESCRIÇÃO DO PROJETO IV. RESUMO DAS CONDIÇÕES DO PROJETO V. RECURSOS PREVISTOS VI. ORGANOGRAMA DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO VII. RBS – RISK BREAKDOWN STRUCTURE PARA A IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO VIII. EVENTOS DE COMUNICAÇÃO DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO IX. TABELAS DE CUSTOS DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO X. ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DAS AQUISIÇÕES DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO XI. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NA INTEGRAÇÃO DO PROJETO XII. AVALIAÇÃO DE RESULTADOS DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO XIII. FREQÜÊNCIA DE AVALIAÇÃO CONSOLIDADA DOS RESULTADOS DA INTEGRAÇÃO XIV. ALOCAÇÃO FINANCEIRA PARA O GERENCIAMENTO DA INTEGRAÇÃO XV. CONTROLE DOS PRAZOS DA INTEGRAÇÃO DO PROJETO XVI. ADMINISTRAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO
  97. 97. XVII. FREQÜÊNCIA DE ATUALIZAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO XVIII. OUTROS ASSUNTOS RELACIONADOS AO GERENCIAMENTO INTEGRAÇÃO DO PROJETO NÃO PREVISTOS NESTE PLANO DE
  98. 98. ÍNDICE DE ELEMENTOS GRÁFICOS I. ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO II. TABELA 01. COMPRA DO GÁS DE COZINHA III. TABELA 02. EQUIPES DE ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS IV. TABELA 03. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS V. QUADRO 01. ALOCAÇÃO DE MATERIAIS VI. CRONOGRAMA 01. CONTROLE DOS PRAZOS
  99. 99. Sopa Solidária PLANO DE GERENCIAMENTO DE INTEGRAÇÃO STAFF MANAGEMENT PLAN Preparado por Marcelo Lima Versão 1.0 Aprovado por Dinarte de Carvalho 30/10/2012 Carlos Alexandre I. Descrição dos processos de gerenciamento de integração   Desenvolver a declaração do escopo preliminar do projeto;  Desenvolver o plano de gerenciamento;  Orientar e gerenciar a execução do projeto;  II. Desenvolver o termo de abertura do projeto; Monitorar e controlar o trabalho do projeto. Titulo do projeto Sopa Solidária III. Descrição do Projeto Este projeto procura arrecadar hortaliças, junto aos feirantes e amigos do projeto. Diante da arrecadação desses materiais será realizada e entregue a sopa no dia 01/12/2012, das 20:00 às 21:00 horas na área externa do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio. IV. Resumo das condições do projeto Este projeto está sendo concretizado pela turma de estudantes do Curso Superior Tecnólogo em Segurança do Trabalho da Universidade Nilton Lins, onde será arrecadado verduras e legumes doados pelos feirantes para a realização da sopa, que será entregue no hospital João Lucio aos acompanhantes de pacientes em observações, funcionários e transeuntes do local. Contribuindo com aqueles que não têm condições financeiras para comprar um lanche enquanto aguardam o atendimento do paciente. A fim de ajudar ao próximo com um pouco de alimento.
  100. 100. V. Recursos previstos  Integração elaboração do plano de integração, objetivo do projeto e controle.  Escopo elaboração do plano do escopo, previsões das fases e controle.  Custos elaboração de tabelas, planilhas e estimativas.  Tempo elaboração do cronograma das atividades, calendário e priorização.  Qualidade elaboração do plano de gerenciamento, organograma e controle  Recursos Humanos elaboração do organograma de hierarquia, diretório e responsabilidades.  Comunicação elaboração do plano de comunicação, cronograma do evento e registros de documentos.  Aquisição elaboração do plano de aquisição de suprimentos, execução e controle.  VI. Riscos elaboração do planejamento dos riscos, quantificação e controle. Organograma da integração do projeto ORGANOGRAMA 01. ORGANIZAÇÃO DAS FUNÇÕES DO PROJETO INTEGRAÇÃO Marcelo Valmir ESCOPO Dinarte Carlos TEMPO Damaris Nonato CUSTOS Aníbal Cecília QUALIDADE Sabrina Karen RECURSOS HUMANOS Silvania Marta AQUISIÇÔES COMUNIÇÃO Dejane Gleicimara Marcia Dhane Marilene Amiraldo RISCOS
  101. 101. VII. RBS – Risk Breakdown Structure para a identificação dos riscos da integração do projeto  Integração: risco de não haver o interligamento das fases.  Escopo: risco de não ser bem elaborado.  Custos: risco de não ser o suficiente para elaboração do projeto.  Tempo: riscos de não cumprir prazos determinados pelo escopo.  Qualidade: risco de não atender todos os requisitos. E haver contaminação da sopa.  Recursos Humanos: risco de não ter um bom gerenciamento. E a falta de pessoal para realizar as tarefas.  Comunicação: riscos de haver falha na emissão da mensagem.  Aquisição: risco de haver falha na elaboração de documentos. E não arrecadar ingredientes suficientes para a execução da sopa. E não conseguir o transporte para o dia ou algo dar errado.   VIII. Riscos: risco de não ser identificado todos os riscos cabíveis a cada fase. Outros riscos: quanto à previsão do tempo que pode chover. Eventos de comunicação da integração do projeto O projeto terá os seguintes eventos de comunicação 3. Reuniões semanais com todas as duplas do projeto a. Objetivo – Analisar como o projeto deverá ser conduzido, o porquê da participação de cada um e a responsabilidade de cada componente na execução do projeto, unir as informações para a montagem do projeto escrito. b. Metodologia – Formulários e slides de cada tópico. c. Responsável – Gerente do projeto: Dinarte Carvalho Carlos Alexandre Barros. d. Envolvidos – Representantes das duplas. e. Data e Horário – No tempo da disciplina de gerenciamento de projetos.
  102. 102. f. Duração – 40 min. g. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins. h. Outros – Troca de informações via e-mail da turma. 4. Palestra a. Objetivo-Descrever o local para realização do projeto e absorver conhecimento sobre outros projetos já realizados b. Metodologia – Descrição oral. c. Responsável – Pastora Sueli d. Envolvidos- Todos os participantes do projeto. e. Data e Horário – 18/10/2012. f. Duração – 40 min. g. Número de participantes – 18 h. Local – sala de aula da Universidade Nilton Lins. IX. Tabelas de Custos da integração do projeto TABELA 01. COMPRA DO GÁS DE COZINHA Itens Produtos VALORES (UNIDADE) TOTAL 1 Botija de Gás (13 kg) R$ 38,00 R$ 38,00
  103. 103. TABELA 02 . EQUIPES DE ARRECADAÇÃO DOS ALIMENTOS CÓDIGOS DOS ALIMENTOS E METAS DE ARRECADAÇÃO DIA 29/11/12 30/11/12 Nº Equipe 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 10 voluntários 7,5 kg 5 kg 1,5 kg 1 kg 2 maços 2,5 maço s 2,5 kg 2,5 kg 2 kg 5 pacote s 1 pacote 200 unidad e 08 voluntários 7,5 kg 5 kg 1,5 kg 2 maços 2,5 maço s 2 kg 5 pacote s 1 pacote 200 unidad e 1 kg 2,5 kg 2,5 kg Códigos dos Alimentos e Produtos: 01 15 kg de batata 02 10 kg de cenoura 03 3 kg de cebola 04 2 kg de tomate 05 4 maços de feijão verde 06 5 maços de couve 07 5 kg de maxixe 08 5 kg de repolho 09 4 kg de picadinho 10 10 pacotes de macarrão para sopa 11 Sacos Plásticos de Lixo (unidade) 12 Copos de descartável 300 ml (400 unidades) DIA N0 DE EQUIPES 29/11/12 10 voluntários NOMES DOS VOLUNTÁRIOS Marcelo, Valmir, Dinarte, Carlos, Damaris, Nonato, Aníbal, Cecília, Sabrina, Karen. 30/11/12 08 voluntários Silvânia, Marta, Gleicimara, Marilene, Amiraldo, Marcia, Dhane, Dejane.
  104. 104. TABELA 03. ESTIMATIVA DE ORÇAMENTO DOS PRODUTOS ITENS PRODUTOS QUANTIDADE *PREÇO 01 **PREÇO 02 R$ 3,00 R$ 2,60 R$ 17,00 R$ 10,00 1 BATATA 15 kg 2 CARNE PICADINHO (OPCIONAL) 4 kg 3 CEBOLA 3 kg R$ 4,00 R$ 5,30 4 CENOURA 10 kg R$ 4,20 R$ 6,40 5 COPOS 300 ml (DESCATAVEL) R$ 3,50 R$ 4,00 6 COUVE 5 Maços R$ 1,50 R$ 1,00 7 FEIJÃO VERDE 4 Maços R$ 1,20 R$ 1,50 8 (1) 13 kg (botija) R$ 38,90 R$ 38,00 9 MACARRÃO (tipo sopa) 10 pacotes R$ 2,70 R$ 3,00 10 MAXIXE 5 kg R$ 5,10 R$ 5,00 11 (2) 1 Panelão Igreja Igreja 12 REPOLHO 5 kg R$ 2,80 R$ 3,00 13 TOMATE 2 kg R$ 5,30 R$ 6,00 14 SACO PLÁSTICO (PACOTE) 1 unidade R$ 2,50 R$ 2,20 15 (3) 1 unidade Igreja Igreja R$ 99,80 R$ 88,00 400 unidades GÁS PANELA DE 100 Litros CONCHA (SOPA) Total Pesquisa realizada nas 2 Zonas de Manaus nas feiras e comercio, conforme a variação de preço ao consumido foi realizada dia 03/11/2012. Os preços dos produtos e baseado em (unidade e 1 kg) de um terminado produto. * PREÇO 01: Zona Norte (Unidade ou 1 kg); ** PREÇO 02: Leste (Unidade ou 1 kg). Neste comparativo de preços constatou que preço final dos produtos na zona leste sairá a um custo de R$ 88,00, mas levando em conta a variação dos diferentes preços de todos os itens da sopa em destaques nesta tabela de orçamento. (1) GÁS DE COZINHA: PREÇO VARIAVEL ENTRE DISTRIBUIDORA NAS ZONAS DE MANAUS NO VALOR DE R$ 38,00 A R$ 40,00 (O preço de R$ 38,00, aconselhado e da na zona leste). (2) Concha e a Panela para sopa, serão sediadas pela igreja da Pastora Sueli.
  105. 105. X. Alocação financeira para o gerenciamento das aquisições da integração do projeto  Aquisição dos utensílios da sopa: Panelas, conchas, fogão. O espaço físico será doado pela igreja Ministério Internacional Monte Sião através da pastora Sueli Azevedo, sendo acompanhada pela nutricionista que será fornecida pela mesma.  Aquisição dos ingredientes da sopa será feita por meio de doação de feirantes e comerciantes tais como: QUADRO 01. ALOCAÇÃO DE MATERIAIS Utensílios Ingredientes Temperos Fogão Batata Óleo Gás Cenoura Sal Panelas Feijão de corda Colorau Talheres Couve Alho Copo descartáveis Tomate Pimenta do reino Sacos de lixo Maxixe Caldo de carne Mesa Cebola Pimenta de cheiro Repolho Cheiro verde Macarrão de sopa Picadinho XI. Sistema de Gestão da Qualidade na integração do projeto  1ª Fase: Planejamento da qualidade identificação dos padrões de qualidade relevantes para o projeto e determinação de como satisfazê-los.  Acompanhamento de uma nutricionista.  Seleção de legumes e verduras.  Agregação do valor nutricional.  Utilização do local adequado e cedido contendo panelas de 100 L, fogão industrial e talheres.
  106. 106.  Adquirir água potável para a realização da sopa  Aquisição de copos descartáveis de 300 ml e 180 ml e de talheres descartáveis.  Programação da logística de transporte.  Gerenciamento de resíduos sólidos.  2ª Fase: Realizar a garantia da qualidade aplicação das atividades de qualidade planejadas e sistemáticas para garantir que o projeto emprega todos os processos necessários para atender aos requisitos.  Desenvolver e executar todas as etapas do projeto sob a supervisão do CQ (Controle de Qualidade).  3ª Fase: Realizar o controle da qualidade monitoramento de resultados específicos do projeto a fim de determinar se eles estão de acordo com os padrões relevantes de qualidade e identificação de maneiras de eliminar as causas de um desempenho insatisfatório.  Acompanhar todas as fases do projeto.  Identificar possíveis falhas no Gerenciamento da Qualidade  Monitorar a execução do projeto (realização da sopa).  Gerenciar resíduos em sacos plásticos e descartá-los no depósito de resíduos do hospital. XII. Avaliação de resultados da integração do projeto Todas as equipes estão mobilizadas em executar cada fase do projeto, onde cada etapa está sendo desenvolvida conforme o andamento do escopo. XIII. Frequência de avaliação consolidada dos resultados da integração Será avaliado semanalmente todas as fases conforme a execução do projeto com base nos resultados.
  107. 107. XIV. Alocação financeira para o gerenciamento da integração Quanto a alocação financeira será disponibilizado um valor de R$ 108,00 reais para caso aconteça algo inesperado ao projeto. XV. Controle dos prazos da integração do projeto CRONOGRAMA 01. CONTROLE DOS PRAZOS "Sopa Solidária" Início do projeto 10 de out/12 Tempo Prazo total de 50 dias Reuniões ordinárias semanais até 28 de nov/12 Prazos Doações até 15 de nov/12 Prazo limite para alocação de recursos financeiros até 20 de nov/12 Prazo limite para possível desistência ou cancelamento 25 de nov/12 Execução Até dia 25 de nov/12 Reunir todo material Seleção dos ingredientes e preparo Dia 30 de nov/12 Execução e distribuição da sopa. Dia 01 de dez/12
  108. 108. XVI. Administração do plano de gerenciamento de integração do projeto 1. Responsável pelo plano   XVII. Marcelo Lima – Gerente do Gerenciamento de Integração Valmir Melo – Gestor Pedagógico. Frequência de atualização do plano de gerenciamento de Integração A cada 10 dia se realizará a atualização do plano de gerenciamento de Integração. XVIII. Outros assuntos relacionados ao gerenciamento de Integração do projeto não previstos neste plano Não há outros assuntos. REGISTRO DE ALTERAÇÕES Data 30/10/2012 Modificado por Descrição da mudança Não há mudanças.
  109. 109. APROVAÇÕES Dinarte de Carvalho 30/10/2012 Gerente do Escopo Carlos Alexandre Barros 30/10/2012 Sub Gerente do Escopo Marcelo Lima 30/10/2012 Gerente do Gerenciamento de Integração Valmir Melo Gestor Pedagógico 30/10/2012
  110. 110. ANEXOS
  111. 111. OFÍCIO À (Nome da Empresa) Referente : Apoio/Patrocínio Vimos pelo presente expor e solicitar a Vossa Senhoria, apoio com a (doação de) para o Projeto “Sopa Solidária”, a ser realizado no dia 01 de dezembro de 2012 às 20:00 hs no Hospital João Lúcio. Este projeto é de inteira responsabilidade da turma de estudantes do Curso Tecnólogo em Segurança do Trabalho da Universidade Nilton Lins (Japiim) da disciplina de Gerenciamento de Projetos do professor Valmir Melo, sendo o projeto como aula prática da referida disciplina. O evento vai proporcionar uma alimentação de qualidade às pessoas que se encontram no hospital acompanhando pacientes, assim como funcionários e transeuntes do local. Certos de que poderemos contar com seu importante apoio, nos comprometeremos a estampar o logo de sua empresa em nossas camisas e divulgaremos como marketing o acontecimento do Projeto “Sopa Solidária” em uma página no FACEBOOK, agradecendo o apoio de todos os patrocinadores deste projeto. Sem mais nos colocamos à disposição para qualquer esclarecimento e ficamos no aguardo de sua resposta, dentro de um prazo de 3 dias corridos, a partir desta publicação. Atenciosamente, Silvânia Souza, Fone: (92) 9365- xxxx) Márcia Nascimento, Fone: (92) 9243- xxxx) REPRESENTANTES DA TURMA Manaus,......... de............................. de 2012.
  112. 112. CURSO SUPERIOR TECNÓLOGO EM SEGURANÇA DO TRABALHO GERENCIAMENTO DE PROJETO GERENCIAMENTO DA COMUNICAÇÃO Manaus, 05 de Dezembro de 2012. Nota de Agradecimento Prezados Patrocinadores Venho por meio desta, agradecer o apoio que nos foram oferecidos para o nosso Projeto “Sopa Solidária”. Conforme pode ver nas fotos anexas, os beneficiários ficaram muitos felizes mediante a realização e distribuição da sopa. É por causa de atitudes como da vossa organização que muitas ações são abrilhantadas e tornam melhor o dia de pessoas que se encontram em momentos difíceis, como por exemplo, as pessoas que estavam presentes no Hospital João Lúcio. Esperamos poder contar com essa parceria outras vezes, pois, será sempre muito importante levarmos a solidariedade ao próximo. Faço aqui também um convite que sua organização venha nos fazer uma visita na nossa página do Facebook e conhecer o nosso trabalho. Muito obrigada! Atenciosamente. __________________________________ __________________________________ GLEICIMARA COSTA BANDEIRA MARILENE BENCHIMOL PEREIRA Gerente da Comunicação Suplente da Comunicação
  113. 113. PATROCINADORES AGROARTE ECOPOSTO – ALEIXO FEIRA DA MANAUS MODERNA FEIRA DA PANAIR FEIRA DO PRODUTOR DA ZONA LESTE FG LOPES MANTEC MINISTÉRIO INTERNACIONAL MONTE SIÃO PANIFICADORA SÃO FRANCISCO POSTO DUBLIN
  114. 114. VISITA A FEIRA DO PRODUTOR CONHECENDO A FEIRA CONVERSA COM SEU FABIO ADMINISTRADOR DA FEIRA DO PRODUTOR FEIRA DA PANAIR
  115. 115. PREPARANDO A SOPA TRABALHANDO EM PROL DA SOLIDARIEDADE AMIGO PRA TODA HORA APOIO MINISTÉRIO INTERNACIONAL MONTE SIÃO
  116. 116. EXECUÇÃO DO PROJETO SOPA SOLIDÁRIA ENTREGA DO PROJETO UM SUCESSO A UNIÃO FAZ A FORÇA UM PROJETO QUE ALIMENTA
  117. 117. COMEMORANDO O PROJETO MULHERES DE SUCESSO PASTORA SUELI AZEVEDO UM EXEMPLO DE SOLIDARIEDADE MOMENTOS DE DESCONTRAÇÃO

×