Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Pesquisa de plataformas de e-commerce

15,419 views

Published on

Pesquisa da ABComm ajuda a escolher a plataforma de e-commerce para sua loja virtual. Pesquisa feita em parceria com o portal Ecommerce News e a ComSchool.

Published in: Business

Pesquisa de plataformas de e-commerce

  1. 1. Pesquisa: Plataformas de E-commerce 2014 Apoio: www.abcomm.org _______________________________________________
  2. 2. A ABComm surgiu da necessidade do setor em ter uma voz ativa: empresas de varejo e prestadores de serviços nas áreas de tecnologia da informação, mídia e meios de pagamento. A Associação abre espaço para que empresários discutam as necessidades, desafios e caminhos do mercado digital brasileiro. A ABComm é uma livre iniciativa, sem fins lucrativos, democrática e ágil. Visão Ser reconhecida como uma entidade conceituada de defesa da economia digital por nossa eficiência, credibilidade, responsabilidade social e alcançar projeção e participação internacional. Sobre a ABComm
  3. 3. Missão • Promover Políticas Públicas • Gerar networking entre empresários • Promover o empreendedorismo digital • Congregar os empresários e representá-los • Defender os interesses do comércio eletrônico Valores • Credibilidade • Ética • Idoneidade • Respeito • Responsabilidade • Transparência Missão e Valores
  4. 4. Ao optar pela entrada no comércio eletrônico, as empresas necessitam tomar diversas decisões na escolha de fornecedores de serviços e produtos, sendo a escolha correta da plataforma de e-commerce, fator decisivo de sucesso. Objetivos da pesquisa: • Compreender o mercado de plataformas de e-commerce no Brasil • Auxiliar empreendedores na tomada de decisão • Colaborar com as plataformas no aumento de seu nível de serviço • Reduzir as taxas de mortalidade no e-commerce. A pesquisa foi feita pela ABComm: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico com apoio da ComSchool e do portal Ecommerce News. Introdução
  5. 5. A metodologia de pesquisa utilizada foi a quantitativa, com instrumentos de coleta de dados por desk research e aplicação de questionário em clientes de empresas que contratam o serviço da plataforma de e- commerce. Foram coletados 1.018 questionários online entre 10 e 20 de setembro de 2014. Destes, foram considerados válidos 772 questionários (lojas virtuais – varejo de bens de consumo). Os demais foram descartados por serem fabricantes, bens digitais ou serviços. Considerando um Universo de 13,5 mil lojas virtuais ativas no Brasil* a Margem de Erro da pesquisa é de 6% com Grau de Confiança de 95. Metodologia * Estimativa ABComm 2014
  6. 6. Mercado Nacional Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014 Magento 20,2% Fastcommerce 5,9% Vtex 5,6% WordPress 4,7% Ciashop 4,4% Jet 3,8% Tray / Locaweb 3,5% Mercado Shop 3,2% Prestashop 3,2% Rakuten 3,2% Dotstore 2,9% Uol Host 2,9% Loja Integrada 2,3% Nuvem Shop 1,8% EZ Commerce 1,5% Loja Mestre 1,5% Moovin 1,5% Vertis 1,2% 00K Shop 0,9% ShopDelivery 0,9% ATG 0,6% Hybris 0,6% Bizcommerce 0,6% Iluria 0,6% Lojas Virtuais BR 0,6% Shopify 0,6% Webvenda 0,6% Accurate 0,3% Bis2Bis 0,3% Boxloja 0,3% Chleba 0,3% Clickweb 0,3% Elo7 0,3% F1 Soluções 0,3% IBM 0,3% Interspire 0,3% Ranking de plataformas por volume de lojas válidas Loja Eficaz 0,3% Loja2 0,3% Marlin 0,3% Maxistore 0,3% NetSuite 0,3% Plusnet 0,3% Primordia 0,3% Quality Press 0,3% S3Commerce 0,3% Saiteria 0,3% SM Commerce 0,3% Spree Commerce 0,3% TMWXD 0,3% Usina Store 0,3% Vannon 0,3% VExpress 0,3% ViaEcommerce 0,3% Xtech Commerce 0,3% Outros 12,0%
  7. 7. O ranking de plataformas no mercado brasileiro, de acordo com o número de lojas pesquisadas, indica boa presença de plataformas de código livre (Open Source). Magento, Prestashop, WordPress, Opencart e Joomla foram as mais citadas. Outro fator a ser considerado é que apesar de haver uma quantidade significativa de empresas que oferecem esse tipo de serviço, o mercado brasileiro de plataformas de e-commerce mostra-se concentrado, uma vez que as dez primeiras plataformas juntas detêm 57,8% do mercado. Quando avaliadas do ponto de vista do volume financeiro transacionado pelas lojas virtuais, o ranking das top 10 se apresenta conforme o gráfico a seguir. Mercado Nacional * Estimativa ABComm 2014
  8. 8. 45,6% 27,8% 9,4% 4,3% 3,8% 3,3% 3,0% 2,0% 1,8% 1,8% Mercado Nacional Nota: Bseller e eHub foram contabilizadas como plataformas próprias. Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014 Ranking de plataformas por faturamento das lojas
  9. 9. Satisfação com serviços Do ponto de vista dos varejistas virtuais “plataformas engessadas” incomodam. Quase um terço deles (29,8%) citou que o Nível de Customização de sua plataforma é péssimo ou ruim. Por outro lado, a maioria dos entrevistados se mostrou satisfeita com a Estabilidade do Serviço (78%) seguida por Velocidade de Carregamento (70,2%), Preço (66,1%) e Atendimento ao Cliente (62,6%). Avalie sua plataforma com relação: Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  10. 10. Atendimento Comercial Quando perguntados: “Você recebeu a visita de um representante comercial da plataforma antes de decidir?” 68,2% dos lojistas respondeu NÃO Ou seja, mais de dois terços das empresas contratam o serviço sem ter conversado pessoalmente com um vendedor. Se por um lado essa afirmação mostra que muitas plataformas oferecem serviços “self service”, (plataformas de entrada), por outro mostra que muitos empreendedores decidem pelo serviço tendo em mãos poucas informações sobre o mesmo. Baixo custo de entrada ocasiona mais ousadia nos empreendedores no momento da escolha, o que gera mais escolhas erradas, aumentando a taxa de mortalidade das lojas virtuais recém entrantes.
  11. 11. Funcionalidades Muitas das funcionalidades oferecidas pelas plataformas nem sempre são percebidas como valor. Quando confrontamos as funcionalidades que suas plataformas oferecem com as funcionalidades que os lojistas necessitam, descobrimos um gap. Deve-se levar em consideração que a necessidade de algumas funcionalidades é diretamente relacionada ao seu segmento de atuação. Algumas funcionalidades como “look book” e “provador virtual”, podem ser fundamentais na categoria “Moda e Acessórios” mas são irrelevantes para a categoria “Alimentos”, por exemplo. Há funcionalidades complexas, que demandam mais conhecimentos técnicos de quem opera a plataforma. A definição das funcionalidades necessárias ao negócio deve ser exaustivamente discutida na etapa de planejamento da loja virtual, pois assim será possível fazer a escolha correta.
  12. 12. 95,9 90,8 88,6 73,5 70,5 70,0 64,9 62,7 57,0 55,1 52,4 51,6 49,7 48,4 44,6 44,3 37,8 25,7 Busca de produtos Integração com meios de pagamentos Cadastro de promoções Gestão de cadastro de clientes Carrinho de compras amigável Personalização do layout Facilidade de checkout Filtros Integração com ERPs Relatórios analíticos SEO friendly Facilidade de personalização Integração com outros sistemas Usabilidade Variedade de templates Gestão de carrinhos abandonados Programa de afiliados Testes A/B Que funcionalidades sua plataforma oferece? (em % de respostas) Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  13. 13. Quais funcionalidades abaixo você considera importantes para seu negócio? Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  14. 14. Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014 Quais funcionalidades abaixo você considera importantes para seu negócio?
  15. 15. Quais funcionalidades abaixo você considera importantes para seu negócio? Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  16. 16. Preço Ao optar por uma plataforma de e-commerce, a empresa firma contrato com um sistema de informações que será responsável por parte de seu sucesso de vendas online. Mesmo dispondo de tal importância no negócio, muitas empresas ainda levam em conta o preço como sendo o fator decisório. Mais da metade dos entrevistados (57%) gasta menos que R$ 500,00 Por mês com sua plataforma de e-commerce. Apesar da plataforma ser um dos fatores críticos de sucesso no e-commerce, não pode ser considerado como o único fator: 38% das empresas que gastam menos de R$ 3.000,00 por mês com plataforma, faturam mais que o dobro da média das empresas que gastam entre R$ 3.000,00 e R$ 5.000,00 por mês com plataforma.
  17. 17. Quanto você paga por mês para sua plataforma? Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  18. 18. Qual o modelo de cobrança da sua plataforma? O modelo comercial das plataformas que inicialmente estava baseado em custo mensal de pageviews ou sobre o percentual de vendas, vem ganhando variações. O custo fixo mensal aparece como o modelo mais utilizado pelos lojistas virtuais, com 60,3%. Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  19. 19. Quando perguntados sobre “Quais os principais fatores que levaram em consideração ao contratar a plataforma de e-commerce”, Funcionalidades (90,6%) e Credibilidade (88,6%) foram os mais citados. Atendimento (22,2%) e a Quantidade de Clientes (31,4%) aparecem por último. Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  20. 20. Quantos pedidos sua loja virtual recebe em média por mês? Fonte: Associação Brasileira de Comércio Eletrônico - ABComm 2014
  21. 21. Informações complementares: Tabela com as respostas das perguntas abertas: • O que te deixa mais INSATISFEITO em sua plataforma de e-commerce? • Em que acha que sua plataforma poderia melhorar? Somente para associados Premium ABComm. Associe-se em: www.abcomm.org
  22. 22. Você indicaria sua plataforma de e-commerce? Por último, para avaliar o grau de satisfação dos entrevistados com sua plataforma de e-commerce, perguntamos se indicariam o serviço para algum amigo. Dois terços dos entrevistados (65,1%) indicaria. Apesar do saldo positivo, ainda há muito o que melhorar, considerando que 25,1% das empresas entrevistadas não está satisfeita com o serviço. Satisfação
  23. 23. A variedade de sistemas disponíveis no mercado nacional e internacional, torna a escolha da plataforma uma tarefa difícil, uma vez que implica em variáveis tais como: preços, prazos de implantação, atendimento, funcionalidades, disponibilidade, velocidade de carregamento, flexibilidade de personalização do design e integrações, entre outros. O problema se torna ainda maior, na escolha de uma plataforma que não suporte a quantidade de acessos de visitantes e número de pedidos, de acordo com seu plano de negócios, pois tornará o sistema lento e aumentará o número de reclamações e consumidores insatisfeitos. Por outro lado, optar por uma plataforma em desacordo com sua estratégia de crescimento, seja ela cara demais – ou barata demais – pode ser um erro cuja correção implica em profundas mudanças estruturais no projeto do e-commerce. Conclusões
  24. 24. Conclusões O alto índice de empreendedores insatisfeitos com sua plataforma (25,1%) e o gap entre as funcionalidades oferecidas pelas plataformas e o que os lojistas virtuais precisam e esperam, devem ser vistos pelos fornecedores atuais como uma oportunidade de negócios num mercado que ainda promete muito crescimento e inovação nos próximos anos. Um dos erros mais frequentes tem sido achar que plataformas de e-commerce caras resolvem todos os problemas de uma operação de e-commerce. Nesse segmento, nem sempre preço é sinônimo de qualidade e quase nunca, os custos operacionais iniciais irão baixar depois.
  25. 25. Sobre a ABComm Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entidade sem fins lucrativos, surgiu para fomentar o setor de negócios digitais com informações relevantes, além de contribuir com seu crescimento no país. A Associação reúne mais de 4.700 associados, sendo 70% lojas virtuais e 30% empresas prestadoras de serviços nas áreas de tecnologia da informação, mídia e meios de pagamento. Atuamos frente às instituições governamentais através da colaboração na criação de políticas públicas e na capacitação dos empreendedores digitais, em prol da evolução do setor. Mais informações: www.abcomm.org
  26. 26. Fundado no ano de 2009, o E-Commerce News é um site projetado para profissionais de todas as áreas, interessados nos mais recentes conteúdos sobre o e-commerce no Brasil e no mundo. O acesso é gratuito e irrestrito ao site. Nossa missão é produzir conteúdos fidedignos e disseminá-los, informando ao leitor tudo o que ocorre no mercado online, com o intuito de corroborar com o desenvolvimento do comércio eletrônico brasileiro. Nossos valores estão alicerçados sobre a qualidade e eficácia das informações publicadas, tendo como foco a clareza das matérias e a satisfação de nossos leitores. Atualmente o E-Commerce News é um dos principais sites do gênero no país, e a médio e longo prazo almejamos consolidar essa posição de referência, aumentar a produção e a qualidade dos conteúdos publicados, buscando o que há de mais rico e atual neste segmento, para oferecer melhores subsídios aos empresários para que estes possam rentabilizar os seus negócios. Mais informações: www.ecommercenews.com.br Sobre o Ecommerce News
  27. 27. Ecommerce School agora é ComSchool (www.comschool.com.br). Criada em 2007, foi a 1ª escola brasileira especializada em cursos de e-commerce, redes sociais, marketing digital e mobile marketing. Destaque para os cursos de Gerentes de E-commerce, Marketing Digital de Alta Performance, Gerentes de Redes Sociais, E-commerce na Prática e E-commerce para Empresas de Moda, entre outros. • +de 15 mil alunos formados • +de 110 professores • +de 90 cursos • Três livros publicados • Programas internacionais • Presente em SP, RJ, SC, RS, PR e MG. Mais informações: www.comschool.com.br Sobre a ComSchool
  28. 28. Avenida Paulista, 2006, cj 1.806 São Paulo/SP contato@abcomm.com.br www.abcomm.org OBRIGADO!

×