A história do vidro

3,601 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,601
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A história do vidro

  1. 1. VIDROS
  2. 2. Histórico – A nobre arte do vidro <ul><ul><li>Antigamente o Império Romano usava um material parecido com a mica para fechar as janelas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Mas o vidro já existia embora não se saiba ao certo quando o vidro começou a ser usado, o fato é que, há 5000 anos, ele já era utilizado pelos egípcios, na forma de contas, bolas de vidro colocadas, junto com o ouro, em colares. Em 1500 antes de Cristo, já se faziam peças ocas de vidro, como garrafas e vasos. </li></ul></ul>
  3. 3. <ul><ul><li>Naquela época, apesar de saber como fazer vidro e produzir uma série de objetos com ele, o ser humano ainda não tinha aprendido a produzir placas planas e transparentes desse material para serem usadas, por exemplo, nas janelas. </li></ul></ul>
  4. 4. Materiais e Modo para produção <ul><li>Para fabricá-lo, são necessários areia, barrilha e calcário, sendo que barrilha é um material feito com sal marinho, gás carbônico e amônia, e calcário, um mineral. Esses três &quot;ingredientes&quot; são misturados e postos num forno, onde a temperatura chega a 1550 graus. Reagem e formam uma massa transparente com consistência de melado, chamada vidro fundido. Ao esfriar, ela endurece e forma o vidro propriamente dito. </li></ul>
  5. 5. Como era produzido <ul><li>No início da era cristã, as placas desse material eram fabricadas manualmente, despejando o vidro fundido sobre uma superfície metálica e o prensando com um bloco de madeira úmido. Mas o as placas eram pequenas e tinham espessura e superfície irregulares. </li></ul>
  6. 6. Como ele é feito hoje <ul><li>Somente no século 11 o vidro plano começou a ser feito pelo processo da centrifugação. Nele, uma pessoa colhia um pouco de vidro fundido usando um tubo de ferro chamado cana. Soprando o material o vidro se transformava numa grande bolha oca. </li></ul>
  7. 7. O símbolo do vidro <ul><li>Os alquimistas (na Idade Média) usavam símbolos para identificar elementos. O símbolo do vidro era formado por um oito deitado -- que representa o infinito -- e uma cruz invertida -- representando a fragilidade, pois o material tem essas duas qualidades. O vidro pode ser considerado infinito porque não se decompõe e é integralmente reciclável. </li></ul>
  8. 8. http :// cienciahoje . uol .com. br / controlPanel / materia / view /1958
  9. 9. Outros tipos de vidros <ul><li>O vidro resulta tipicamente da fusão a alta temperatura de uma mistura de anídrido silícico (obtido normalmente de areia, quartzo, etc.), de um álcali terroso (óxido de cálcio, derivado do carbonato de cálcio presente na areia) e de um carbonato de sódio (soda) ou de potássio (potassa). Podem acrescentar-se outras substâncias, como os corantes, que de igual modo modificam em parte ou substancialmente a própria estrutura do vidro. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Com estes objectivos, um dos maiores grupos da indústria vidreira inglesa, a Glass Sellers Company , depositou confiança no químico George Ravenscroft (1618-1681), que, após algumas tentativas, alcançou finalmente os resultados desejados: em 1675 conseguiu produzir um novo tipo de vidro, sob o ponto de vista químico muito diferente dos anteriores: o cristal de chumbo ( glass of lead e flint glass , usando-se esta última designação porque a sílica era extraída de pedras de rio moídas, em vez de areia). Os componentes deste novo cristal eram: </li></ul><ul><li>55 por 100 de sílica </li></ul><ul><li>32 por 100 de óxido de chumbo </li></ul><ul><li>12 por 100 de potassa </li></ul>
  11. 11. Conclusão <ul><li>para a investigação científica: sem instrumentos como barômetros e termômetros, gases não teriam sido estudados e máquinas a vapor, eletricidade e lâmpadas não existiriam. Sem microscópios, seria impossível observar microrganismos e não haveria revolução médica; não conheceríamos as células e seu funcionamento e a genética seria ainda um mistério. A arte foi igualmente influenciada pelos novos caminhos abertos pelo vidro. O estudo da ótica e o surgimento de espelhos, lentes e vitrais foram imprescindíveis para as mudanças ocorridas durante o Renascimento. </li></ul><ul><li>Os autores concluem que o vidro está por trás de quase todas as transformações que a Europa ocidental conheceu entre 1200 e 1850 -- intervalo de tempo por eles estudado. Esse material foi fundamental para o advento das revoluções científica e industrial, que mudaram o mundo. &quot;O vidro abriu a mente e os olhos das pessoas para novas possibilidades de observação, ao transformar a percepção humana da forma auditiva para a visual&quot;, afirmam. </li></ul>

×