Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
• A origem do gótico
• Elementos da literatura gótica
ProfªWinnie Elias Teofilo
¹ relativo ou pertencente ao povo godo (original em inglês:
GOTH); derivado ou atribuído à sua cultura.
² (arquitetura) re...
Ao longo dos séculos, o termo Gótico foi usado como
adjetivo ou classificação para diversas manifestações
artísticas, esté...
Etimologicamente, a
palavra Gótico
deriva-se de Godo,
povo germânico
considerado bárbaro.
Os Godos foram para a costa do Mar Báltico,
onde eles se separaram em dois grupos distintos:
Visigodos ou Visigoths (the ...
A origem histórica dos Godos é a Escandinávia, mais precisamente o território
onde situa-se atualmente a Suécia. Já havia ...
Apesar dos godos terem sido extintos no começo do
século VIII, seus feitos e conquistas deixaram marcas
permanentes nos po...
Este estilo arquitetônico cheio de ogivas, vitrais e
gárgulas, passou a ser considerado pelos italianos,
como pertencente ...
O termo "Gótico“, na literatura, veio para
descrever um certo tipo de romances, assim chamado
porque todos esses romances ...
 Surgiu na Inglaterra da segunda metade
do século XVIII.
 Este tipo de literatura que se coloca
francamente contra as id...
O gênero gótico aflora no seio do século das luzes
como uma ferida aberta que foi momentaneamente
cicatrizada enquanto ges...
A literatura gótica inicia-se no século XVIII, na
Inglaterra, com a obra O Castelo de Otranto
(1764), de Horace Walpole.
 Walpole foi um erudito e
entusiasta da idade medieval e, a
leitura do romance deixará claro
que ele não pretendia ser le...
The Castle of Otranto, contém todos os elementos que
constituem o gênero. É considerada a primeira novela gótica.
Walpole ...
Na história, o único filho do príncipe usurpador
Manfred, o adoentado príncipe Conrad, morre no dia
do seu casamento. O ac...
Em 1794 a obra The Mysteries of Udolpho , de
Ann Radcliffe se destaca. Com enredo bem
construído e bem desenvolvido, instâ...
Outras obras góticas de peso da década de
1790:
 The Monk (1796), de Matthew Lewis
 Orphan of the Rhine (1798), de Elean...
 Do início do século XIX até a década de 1820, a literatura
gótica perdurou com toda a força na Inglaterra, agora ancorad...
 O romantismo e o realismo, na literatura inglesa, sempre
caminharam juntos, de mãos dadas.
 No decorrer do século XVIII...
A cultura que está na base do povo inglês é a cultura dos
bárbaros, uma cultura pagã, cheia de sombras e da qual a
própria...
 Além das culturas viking, saxônica e
normanda, está na base do povo inglês uma
outra cultura pagã: a cultura celta. Os c...
O cristianismo Católico, de base filosófica grega e latina,
nunca fez muito sucesso nas Ilhas Britânicas (exceto na
Irland...
Logo, em terras inglesas, o gótico encontrou solo
fértil: uma cultura que sempre ficou à margem da
lucidez e da racionalid...
 Beowulf - Primeiro texto da língua inglesa, conta a história
do herói godo contra o terrível monstro Grendel.
 Lendas a...
 Ambientação clássica - Castelos:
Um romance gótico pode se passar em um castelo abandonado ou
ocupado que tem passagens ...
 Eventos sobrenaturais ou inexplicáveis:
Pode conter, por exemplo, monstros, fantasmas, gigantes ou objetos
inanimados qu...
Outras leituras possíveis da literatura gótica
envolvem destacar nos romances o uso da
psicologia do terror (o medo, a lou...
 A ação no romance gótico tende a acontecer
durante a noite, ou em um ambiente claustrofóbico
sem luz.
 Cenário de ascensão (uma alta escadaria ou no
topo de uma colina, montanha)
 Cenário nas profundezas (em um calabouço,
caverna, câmaras subterrâneas ou labirinto) ou
queda de um precipício; passage...
 Deterioração física, crânios, cemitérios e outras
imagens da morte; fantasmas; vingança; maldição
da família; sangue e v...
 Doppelgänger segundo as lendas germânicas
de onde provém, é um monstro ou ser
fantástico que tem a capacidade de se
tran...
 Metonímia é um subtipo de metáfora, em
que algo (como a chuva) é usado para
representar algo mais (como tristeza). Por
e...
Vento, vento uivante, assobios Suspiros, gemidos, uivos e sons
misteriosos
Chuva, chuva com vento,
tempestade
Correntes se...
 O cenário é muito influente nas novelas góticas.
Ele não evoca apenas a atmosfera de horror e
medo, mas também retrata a...
 Há nos romances góticos, o herói gótico que
torna-se uma espécie de arquétipo.
 Há sempre o protagonista, geralmente is...
Animais podem ser encontrados em algumas histórias
góticas, como símbolos de agouro. Eles geralmente são:
 Gatos pretos
...
 “Eis, de repente, abro a
janela, e esvoaça então,
vindo de fora,
um Corvo grande, ave
ancestral, dos tempos
bíblicos, - ...
 “Pluto – esse era o nome do
gato – era minha mascote
favorita e era com ele que
passava mais tempo. Era só
eu que o alim...
Na história de Bram Stoker, Drácula governa
morcegos. Muitas vezes ele assume
características de morcego e sua presença
du...
*Charles, A; Durant, R; Grant, D; Menon, E & Turner, B. (2008). "Building Skills
in English" . United Kingdom: Heinemann
*...
"Best Gothic Books Of All Time." Best Gothic Books Of All Time (190 Books). Good Reads, n.d.
Web. 16 Sept. 2012.
<http://w...
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Literatura Gótica - Parte I
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Literatura Gótica - Parte I

598 views

Published on

- Significado (e origem) do termo gótico.
- Elementos da Literatura gótica.

Published in: Education
  • Be the first to comment

Literatura Gótica - Parte I

  1. 1. • A origem do gótico • Elementos da literatura gótica ProfªWinnie Elias Teofilo
  2. 2. ¹ relativo ou pertencente ao povo godo (original em inglês: GOTH); derivado ou atribuído à sua cultura. ² (arquitetura) relativo a estilo artístico que predominou na Europa ao final da Idade Média, notável pela arquitetura das catedrais, com arcobotantes, arcos e abóbadas ogivais, formas esguias e grandes vitrais. ³ (literatura) diz-se de ou gênero de prosa ficcional que envolve mistério e terror, ambientes lúgubres, como castelos arruinados, passagens secretas etc., fantasmas e entidades sobrenaturais.
  3. 3. Ao longo dos séculos, o termo Gótico foi usado como adjetivo ou classificação para diversas manifestações artísticas, estéticas e comportamentais. Deste modo, podemos ter uma noção da diversidade de significados que esta palavra traz em si.
  4. 4. Etimologicamente, a palavra Gótico deriva-se de Godo, povo germânico considerado bárbaro.
  5. 5. Os Godos foram para a costa do Mar Báltico, onde eles se separaram em dois grupos distintos: Visigodos ou Visigoths (the west Goths) Ostrogodos ou Ostrogoths (the east Goths)
  6. 6. A origem histórica dos Godos é a Escandinávia, mais precisamente o território onde situa-se atualmente a Suécia. Já havia muitos séculos, talvez desde 300 a.C, que os Visigodos e Ostrogodos haviam abandonado suas terras ancestrais para conquistar o entorno do Mar Báltico, descer os rios que levavam ao coração do território que é hoje a Rússia, e chegar até as margens do Mar Negro.
  7. 7. Apesar dos godos terem sido extintos no começo do século VIII, seus feitos e conquistas deixaram marcas permanentes nos povos italianos. Na época do Renascimento, no século XVI, o termo godo era sinônimo de "inculto destruidor da arte clássica". E esse conceito pejorativo, passa a ser usado para classificar a arte cristã produzida entre o século XII e XVI, período em que a Igreja absorvia a estética pré-cristã da região onde se instalava, chegando até mesmo a absorver certas características pagãs.
  8. 8. Este estilo arquitetônico cheio de ogivas, vitrais e gárgulas, passou a ser considerado pelos italianos, como pertencente ao "povo bárbaro" que "invade" o "povo clássico-cristão", tornando impura a arquitetura cristã da época. A grande intenção era vulgarizar todo o estilo, mas pelo que foi visto nos séculos posteriores, o termo "gótico" acabou formando uma coesão do obscurantismo medieval, fincando deste modo, raízes permanentes na Europa.
  9. 9. O termo "Gótico“, na literatura, veio para descrever um certo tipo de romances, assim chamado porque todos esses romances se passavam em lugares em arquitetura de estilo gótico - principalmente castelos, mansões, e, claro, abadias ("Gothic ...").
  10. 10.  Surgiu na Inglaterra da segunda metade do século XVIII.  Este tipo de literatura que se coloca francamente contra as ideias iluministas.  É uma literatura engajada socialmente, mas caracterizada pela presença do horrível, do insano, da noite, do sobrenatural, da morte, dos cenários arcaicos, do terror.
  11. 11. O gênero gótico aflora no seio do século das luzes como uma ferida aberta que foi momentaneamente cicatrizada enquanto gestava seus horrores no submundo, na escuridão, no lugar em que os iluministas deliberadamente não quiseram olhar. Preocupados que estavam com a razão, a ciência e o coletivo, os iluministas se esqueceram do sujeito, da subjetividade, do humano, e esse humano reprimido veio à tona da forma mais violenta e repugnante com o surgimento da literatura Gótica.
  12. 12. A literatura gótica inicia-se no século XVIII, na Inglaterra, com a obra O Castelo de Otranto (1764), de Horace Walpole.
  13. 13.  Walpole foi um erudito e entusiasta da idade medieval e, a leitura do romance deixará claro que ele não pretendia ser levado a sério com este livro.  O interesse do autor por assuntos medievais se manifesta nas descrições meticulosas do cenário, já que a narrativa investe na representação de átrios, pórticos, abóbadas, criptas e galerias. São precisamente essas características arquitetônicas que conferem o status de “gótico” ao romance walpoliano.
  14. 14. The Castle of Otranto, contém todos os elementos que constituem o gênero. É considerada a primeira novela gótica. Walpole escreveu O Castelo de Otranto inspirado em um pesadelo que tivera.
  15. 15. Na história, o único filho do príncipe usurpador Manfred, o adoentado príncipe Conrad, morre no dia do seu casamento. O acontecimento é insólito: um elmo gigantesco cai misteriosamente do céu esmagando o jovem príncipe. Sem herdeiros e com uma antiga maldição do castelo pairando sobre a sua dinastia, o pai Manfred passa então a assediar sexualmente a noiva do filho morto. Obcecado pela ideia de desposar a quase nora Isabella, contra a vontade da donzela, Manfred passa a rejeitar veementemente a filha “inútil” e a esposa “estéril”, tentando de todas as formas evitar a terrível profecia.
  16. 16. Em 1794 a obra The Mysteries of Udolpho , de Ann Radcliffe se destaca. Com enredo bem construído e bem desenvolvido, instâncias narrativas consistentemente amarradas, equilíbrio entre terror e horror são as características que tornam a obra que imprimiu um grau respeitável de excelência à nascente literatura gótica.
  17. 17. Outras obras góticas de peso da década de 1790:  The Monk (1796), de Matthew Lewis  Orphan of the Rhine (1798), de Eleanor Sleath;  Clermont (1798), de Regina Maria Roche, entre outros.
  18. 18.  Do início do século XIX até a década de 1820, a literatura gótica perdurou com toda a força na Inglaterra, agora ancorada e largamente difundida pelo Romantismo ascendente.  The Rime of the Ancient Mariner, de Samuel Taylor Coleridge, um dos poemas presentes na obra que funda o Romantismo inglês [Lyrical Ballads (1798)] traz à cena uma maldição desconhecida e um navio fantasma cheio de corpos em putrefação;  Glenarvon (1816), de Lady Caroline Lamb, traz a maligna e macabra personagem Lord Ruthven, confessadamente baseada na figura de Lord Byron e no (anti) herói byroniano;  O próprio Lord Byron escreverá o poema dramático Manfred (1816 – 1817), povoado de fantasmas e feiticeiros malignos e claramente baseado no enredo e na personagem Manfredo de O Castelo de Otranto.
  19. 19.  O romantismo e o realismo, na literatura inglesa, sempre caminharam juntos, de mãos dadas.  No decorrer do século XVIII surge o gênero romance na Literatura Inglesa (Robinson Crusoé, realismo descritivo de aventura - 1719 , Viagens de Gulliver – retrato alegórico da sociedade inglesa -1726).  A Literatura Gótica surge se contrapondo à tendência realista, porém não apresenta os excessos subjetivistas do romantismo, ao mesmo tempo em que utiliza o poder descritivo do Realismo para suscitar o sobrenatural e o fantástico.
  20. 20. A cultura que está na base do povo inglês é a cultura dos bárbaros, uma cultura pagã, cheia de sombras e da qual a própria arquitetura gótica se origina. Os vikings invadem as ilhas britânicas ainda no século VIII e se misturam à cultura anglo-saxônica já existente na ilha. Em seguida, no século XI, os normandos, invadem a região.
  21. 21.  Além das culturas viking, saxônica e normanda, está na base do povo inglês uma outra cultura pagã: a cultura celta. Os celtas habitaram as ilhas britânicas por volta de 500 a.c.
  22. 22. O cristianismo Católico, de base filosófica grega e latina, nunca fez muito sucesso nas Ilhas Britânicas (exceto na Irlanda). Henrique VIII enfrentou o poder papal; o Cristianismo Católico foi oficialmente banido das terras inglesas e substituído pelo Anglicanismo e pelo Protestantismo.
  23. 23. Logo, em terras inglesas, o gótico encontrou solo fértil: uma cultura que sempre ficou à margem da lucidez e da racionalidade legadas pela cultura greco-latina; uma língua que pouco foi influenciada pelo latim; e uma base cultural junto a um imaginário que desde seus primórdios foram habitados por monstros, fadas, bosques sombrios, castelos em ruínas, bruxos e bruxas.
  24. 24.  Beowulf - Primeiro texto da língua inglesa, conta a história do herói godo contra o terrível monstro Grendel.  Lendas arthurianas (do rei Arthur): Mago Merlin – de origens celtas.  The Faerie Queene (1590) – Edmund Spenser: estrutura todo o mundo mítico das fadas.  Shakespeare: Hamlet, Macbeth, Othelo: sangue, espectros, bruxas e assassinos sanguinários.  O Paraíso Perdido (John Milton) – conta a história do demônio.  Ainda hoje: O Senhor dos Anéis (1954) e Harry Potter (1997).
  25. 25.  Ambientação clássica - Castelos: Um romance gótico pode se passar em um castelo abandonado ou ocupado que tem passagens secretas, alçapões, salas secretas, passagens escuras ou escondidas, alguns do castelos também pode estar em ruínas.  Atmosfera de mistério e suspense: O enredo de um romance gótico pode ser construído em torno de um mistério e envolve um sentimento de terror ou medo do desconhecido.  Uma antiga profecia: Essa profecia pode estar associada tanto com o próprio castelo ou os personagens; poderia ser "obscura, parcial ou confusa."  Presságios, portentos, visões: Isto pode incluir um personagem ter uma visão de sonho.
  26. 26.  Eventos sobrenaturais ou inexplicáveis: Pode conter, por exemplo, monstros, fantasmas, gigantes ou objetos inanimados que ganham vida.  Alta, emoção, mesmo exagerada: A narração da história pode ser muito emocional e os personagens podem ser dominados pela raiva, tristeza, surpresa e, claro terror.  Donzela em perigo: Assim como em qualquer conto de fadas, há sempre uma mulher que precisa resgatar a partir de um homem arrogante. As mulheres podem experimentar muitas emoções negativas, e é geralmente são o "centro das atenções" do romance.  Mulher ameaçada por um poderoso impulsivo e tirânico do sexo masculino: Isto poderia incluir um homem que domina como um rei, senhor do castelo, o pai ou responsável que pode ser o motivo de aflição da moça.
  27. 27. Outras leituras possíveis da literatura gótica envolvem destacar nos romances o uso da psicologia do terror (o medo, a loucura, a devassidão sexual, a deformação do corpo), do imaginário sobrenatural (fantasmas, demônios, espectros, monstros), das reflexões sobre o Poder (colonialismo, o papel da mulher, sexualidade), da discussão política (monarquismo, republicanismo, as Revoluções, a industrialização), dos aspectos religiosos (catolicismo, protestantismo, a Inquisição, as Cruzadas), das concepções estéticas (neoclassicismo, romantismo, o Sublime) e filosóficas (a Natureza, Platão, Aristóteles, Rousseau), além de outras possíveis chaves interpretativas.
  28. 28.  A ação no romance gótico tende a acontecer durante a noite, ou em um ambiente claustrofóbico sem luz.
  29. 29.  Cenário de ascensão (uma alta escadaria ou no topo de uma colina, montanha)
  30. 30.  Cenário nas profundezas (em um calabouço, caverna, câmaras subterrâneas ou labirinto) ou queda de um precipício; passagem secreta; portas escondidas.
  31. 31.  Deterioração física, crânios, cemitérios e outras imagens da morte; fantasmas; vingança; maldição da família; sangue e violência; tortura; o Doppelganger* (gêmeo do mal ou duplo); possessão demoníaca; mascaramento / mudança de forma; magia negra; loucura; incesto e outros tabus sexuais quebrados.
  32. 32.  Doppelgänger segundo as lendas germânicas de onde provém, é um monstro ou ser fantástico que tem a capacidade de se transformar em um “clone perfeito” da pessoa, uma cópia idêntica, imitando inclusive características emocionais mais profundas, tem o dom de representar uma cópia idêntica de uma pessoa que ele escolhe ou que passa a acompanhar.
  33. 33.  Metonímia é um subtipo de metáfora, em que algo (como a chuva) é usado para representar algo mais (como tristeza). Por exemplo, no gênero gótico, a indústria cinematográfica gosta de usar a metonímia como uma abreviação do que está por vir, por isso muitas vezes é possível perceber que há chuva em cenas fúnebres.
  34. 34. Vento, vento uivante, assobios Suspiros, gemidos, uivos e sons misteriosos Chuva, chuva com vento, tempestade Correntes se arrastando Portas rangendo com dobradiças enferrujadas Rajadas de vento apagando velas Passos se aproximando Portas se fechando de repente Luzes em lugares abandonados Riso enlouquecido Personagens preso em um cômodo Latido de cães distantes (ou lobos) Ruínas ou construções abandonadas Trovão e relâmpago
  35. 35.  O cenário é muito influente nas novelas góticas. Ele não evoca apenas a atmosfera de horror e medo, mas também retrata a deterioração de seu mundo. O decadente, o cenário arruinado, implica que em algum momento houve ali um mundo de prosperidade. Indica que a abadia, castelo, ou paisagem já foi algo precioso e apreciado. Agora, tudo o que resta é a casca decadente de uma habitação outrora próspera.
  36. 36.  Há nos romances góticos, o herói gótico que torna-se uma espécie de arquétipo.  Há sempre o protagonista, geralmente isolado, voluntária ou involuntariamente.  Há o vilão, que é a representação do mal, (geralmente um homem) que caiu em desgraça, ou que apresenta maldade implícita.  O andarilho, encontrado em muitos contos góticos, é a representação do isolamento enquanto vagueia a terra no exílio perpétuo, geralmente como uma forma de punição divina.
  37. 37. Animais podem ser encontrados em algumas histórias góticas, como símbolos de agouro. Eles geralmente são:  Gatos pretos  Corvos  Morcegos  Sapos  Corujas ... E eles compartilham certas características; Eles são mais comumente noturna ou mau presságio e alguns são feios.
  38. 38.  “Eis, de repente, abro a janela, e esvoaça então, vindo de fora, um Corvo grande, ave ancestral, dos tempos bíblicos, - d'outrora! Sem cortesias, sem parar, batendo as asas noturnais, ele, com ar de grão-senhor, foi, sobre a porta do meu quarto, pousar num busto de Minerva, - e sobre a porta do meu quarto quedou, sombrio, e nada mais.” Edgar Allan Poe
  39. 39.  “Pluto – esse era o nome do gato – era minha mascote favorita e era com ele que passava mais tempo. Era só eu que o alimentava e o animal me acompanhava em qualquer parte da casa em que eu fosse. De fato, era difícil impedi-lo de sair à rua comigo e acompanhar-me. ” Edgar Allan Poe
  40. 40. Na história de Bram Stoker, Drácula governa morcegos. Muitas vezes ele assume características de morcego e sua presença durante a noite é frequentemente a forma de um morcego pairando fora da janela de um potencial vítima.
  41. 41. *Charles, A; Durant, R; Grant, D; Menon, E & Turner, B. (2008). "Building Skills in English" . United Kingdom: Heinemann *Meyers Spacks, P. (2006). Novel Beginnings. Experiments in Eighteenth-Century Fiction. Chapter 7 Gothic Fiction. United Kingdom: Yale University Press New Haven & London *Foster, N. (2012) "What characterizes Gothic Fiction?" http://www.wisegeek.com/what-characterizes-gothic-fiction.htm *The Castle of Otranto. (2010). In Wikisource, The Free Library. http//en.wikisource.org/wiki/The_Castle_of_Otranto *MacLeod, K. Incompetech. Royalty Free Music. http://incompetech.com/m/c/royalty-free/index.html?genre=Horror&page=1 *You tube, Broadcast Yourself. http://www.youtube.com/watch?v=4YxXcDohJH4 *You tube, Broadcast Yourself. http://www.youtube.com/watch?v=YLsTrHtdKN4 wikipedia spectrum scathe
  42. 42. "Best Gothic Books Of All Time." Best Gothic Books Of All Time (190 Books). Good Reads, n.d. Web. 16 Sept. 2012. <http://www.goodreads.com/list/show/1230.Best_Gothic_Books_Of_All_Time>. De Vore, David, Anne Domenic, Alexandra Kwan, and Nicole Reidy. "The Gothic Novel."The Gothic Novel. N.p., n.d. Web. 16 Sept. 2012. <cai.ucdavis.edu/waters- sites/gothicnovel/155breport.html>. Harris, Robert. "Elements of the Gothic Novel." Elements of the Gothic Novel. Virtual Salt, 22 Nov. 2011. Web. 16 Sept. 2012. <http://www.virtualsalt.com/gothic.htm>.

×