Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Unificação Italiana




Prof. Wilton
História
Colégio FAAG
Introdução
 1815  Fim da Era Napoleônica = “Congresso de
Viena”, que estabelece o “equilíbrio europeu”:
ninguém deve ser...
Antecedentes da Unificação
Italiana

 Era necessário: unificar
mercado em torno dos
grandes centros
industriais. Ali, a a...


A Itália do Congresso de
Viena
Início do Século XIX  A Itália era uma

“aspiração geográfica”: havia uma identidade
cu...
“ O Risorgimento ”

 Revoluções de 1848/1849  Desenvolveu-se
o risorgimento (ressurreição), um movimento
intelectual que...
Durante a unificação da
Itália...
- Principal articulador político foi Cavour, ministro

do rei Vítor Emanuel II, que cons...
Surge um novo país:
reino da Itália (1861)
 1861  É formado o Reino da Itália e Vitor
Emanuel é proclamado rei. Fora do ...
A Questão Romana

Roma foi anexada em 1870, por meio de
ocupação militar e de plebiscito. Desde então,
o papa considerou-s...
O Tratado de Latrão

 O papa não aceitou a perda de suas terras e
se declarou prisioneiro do governo italiano.
 1929 = M...
O Tratado de Latrão

 O papa não aceitou a perda de suas terras e
se declarou prisioneiro do governo italiano.
 1929 = M...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Unificação da itália

1,082 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Unificação da itália

  1. 1. Unificação Italiana    Prof. Wilton História Colégio FAAG
  2. 2. Introdução  1815  Fim da Era Napoleônica = “Congresso de Viena”, que estabelece o “equilíbrio europeu”: ninguém deve ser mais poderoso do que ninguém.  A Revolução Francesa deixou duas heranças importantes: o liberalismo (existência de formas representativas de governo) e o nacionalismo (a valorização do sentimento de pátria e nação)  Após 1860  Reordenamento político da Europa = A configuração geográfica da Europa, herdada do Congresso de Viena, sofre os primeiros abalos, quando ocorre a 2ª Revolução Industrial e o reino da Sardenha e do Piemonte, se industrializa. A disputa agora é por matérias primas, fontes de energia e mercados consumidores.
  3. 3. Antecedentes da Unificação Italiana  Era necessário: unificar mercado em torno dos grandes centros industriais. Ali, a articulação política se processa por meio da unificação política.  Para a Sardenha e Piemonte, era necessário unificar os italianos sob sua hegemonia.
  4. 4.  A Itália do Congresso de Viena Início do Século XIX  A Itália era uma “aspiração geográfica”: havia uma identidade cultural, mas não havia um país.  Península Itálica dividida em vários estados: o Reino Sardo Piemontês, autônomo; o Reino da Duas Sicílias, era da França; o Reino Lombardo Veneziano, pertencia à Áustria; os Estados Pontifícios, estavam sob controle da Igreja Católica e tinha proteção da França e Áustria.
  5. 5. “ O Risorgimento ”  Revoluções de 1848/1849  Desenvolveu-se o risorgimento (ressurreição), um movimento intelectual que propunha espalhar a luta por ideais de independência e unificação da Itália.  As primeiras tentativas de unificação ocorreram com Giuseppe Mazzini, quanto este lutou pelo estabelecimento de uma república unificada, sem auxílio internacional. Assim, caberia ao Reino Sardo Piemontês a condução do processo de unificação, que, em um 1º instante, falhou com a repressão dos austríacos.
  6. 6. Durante a unificação da Itália... - Principal articulador político foi Cavour, ministro do rei Vítor Emanuel II, que conseguiu apoio da França para a unificação, através da liderança da Sardenha e do Piemonte, em uma possível guerra contra a Áustria. A princípio, ganharam algumas batalhas dos austríacos, mas quando os franceses retiraram seu apoio, os nacionalistas italianos partiram para a ofensiva contra a França: ganharam a adesão de Giussepe Garibaldi e dos “Camisa Vermelha” e assim, conquistaram o reino das Duas Sicílias, até então da França, além de outros estados da Igreja, como a Marca e a Úmbria. - Por plebiscitos, a Itália central foi anexada: Toscana, Parma, Módena e Romanha.
  7. 7. Surge um novo país: reino da Itália (1861)  1861  É formado o Reino da Itália e Vitor Emanuel é proclamado rei. Fora do reino, estavam Roma, Veneza, Trentino, Ístria e Trieste, regiões que faltavam para completar a unificação.  Conquista de Veneza  Na guerra entre Áustria e Prússia, os italianos ficaram junto aos alemães, contra os austríacos, que após sua derrota, foi obrigada a entregar Veneza aos italianos e um plebiscito, confirmou a anexação. O problema maior, porém, era a capital: Roma!
  8. 8. A Questão Romana Roma foi anexada em 1870, por meio de ocupação militar e de plebiscito. Desde então, o papa considerou-se um prisioneiro no Vaticano, em uma briga conhecida como a “Questão Romana”.  Faltava ainda uma parte do norte, em posse dos austríacos, conhecida como “Itália Irredenta” (“Itália não resgatada”), onde o nacionalismo continuou até a libertação dos estrangeiros, ocorrida após o fim da I Guerra, quando Trentino, Ístria e Trieste passaram a fazer parte da Itália.
  9. 9. O Tratado de Latrão  O papa não aceitou a perda de suas terras e se declarou prisioneiro do governo italiano.  1929 = Mussolini e o papa assinam o Tratado de Latrão, no qual foi delimitado um espaço dentro de Roma, concedendo-se ao Clero a soberania sobre a região da praça de São Pedro, com a criação do Estado do Vaticano.  A Igreja Católica perdeu poder, mas reforçou seu poderio espiritual sobre os católicos italianos.
  10. 10. O Tratado de Latrão  O papa não aceitou a perda de suas terras e se declarou prisioneiro do governo italiano.  1929 = Mussolini e o papa assinam o Tratado de Latrão, no qual foi delimitado um espaço dentro de Roma, concedendo-se ao Clero a soberania sobre a região da praça de São Pedro, com a criação do Estado do Vaticano.  A Igreja Católica perdeu poder, mas reforçou seu poderio espiritual sobre os católicos italianos.

×