Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Panorama do Autoarquivamento nos Repositórios
Institucionais Portugueses
Viviane Veiga Luis Guilherme Macena
• A crise ver...
A CRISE VERDE
BOAI
2002
A CRISE VERDE
BOAI
2002
14 anos 2016
!
ANTECEDENTES
Repositório Institucional (RI) da
Universidade de Coimbra
Documentos em livre acesso que foram
inseridos atra...
A CRISE VERDE
BOAI
2012
Reafirmamos as duas principais estratégias apresentadas na
BOAI: AA através de repositórios (també...
A CRISE..
“O principal fator contra a via verde é
que os autores não autoarquivam
espontaneamente: como ‘publique ou
pereç...
A CRISE..
“Os repositórios experimentam diversas
dificuldades que limitam o seu crescimento e
desenvolvimento e que se tra...
OBJETIVO / PERGUNTAS
Qual a percepção dos GESTORES dos
repositórios institucionais portugueses
sobre o AUTOARQUIVAMENTO
Qu...
PROCEDIMENTOS METODOLOGICOS
Repositórios registrados no OpenDoar
Repositórios registrados no RCAAP
area geográfica: Por...
43 RIs
39 RIs
artigos
49 RIs
48 RIs
artigos
48 RIs
artigos
Envio em duas sessões, a primeira entre os dias 04 e 30 de abri...
PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
48 RIs
artigos
1 RI
Acesso
negado
47 RIs
artigos
QUESTIONÁRIO ONLINE
SEMIESTRUTURADO
27 RIs
ar...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Lembrando que...
Um princípio na criação dos repositórios, inspirado pela proposta
subversiva de St...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
O Repositório da sua instituição possibilita
o autoarquivo?
81%
19%
Autoarquivamento habilitado Aut...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Por que 19% dos RIs portugueses
desabilitaram o autoarquivo
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Principal motivo para não habilitar o
autoarquivo no sistema ?
60%20%
20%
Os pesquisadores não fari...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
O autoarquivo esta disponível para quais
tipologias?
Artigos Trabalho
apresentado
em eventos
Relató...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Políticas mandatórias
ROWLANDS, NICHOLAS, 2005; NICHOLAS et al, 2006; RODRIGUES, 2014; AMANTE, 2014...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM
AUTOARQUIVADOS?
18%
41%5%
9%
27%
Menos de 5% 6% ...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM
AUTOARQUIVADOS?
59%
5%
9%
27%
Menos de 5% 6% a 3...
RESULTADOS E DISCUSSÃO
DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM
AUTOARQUIVADOS?
64%9%
27%
Menos de 5% 6% a 30% 3...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• A VISÃO DO GESTOR DO RI E DA INSTITUIÇÃO É FUNDAMENTAL PARA O
AVANÇO DO AA PELA VIA VERDE NA INSTIT...
OBRIGADA
Viviane Veiga
viviane.veiga@icict.fiocruz.br
Coordenação do Arca - Repositório Institucional da Fiocruz
Doutorand...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Panorama do autoarquivamento nos Repositórios Institucionais Portugueses

65 views

Published on

Apresenta a visão dos gestores de Repositórios Institucionais Portugueses quanto ao auto-arquivo em RIs e mostra o índice de autoarquivamento alcançado em Portugal.
Apresentação realizada na 7a Conferencia Luso-brasileira em Acesso Aberto.
Dados completos em artigo publicado na Revista BAD.

Published in: Science
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Panorama do autoarquivamento nos Repositórios Institucionais Portugueses

  1. 1. Panorama do Autoarquivamento nos Repositórios Institucionais Portugueses Viviane Veiga Luis Guilherme Macena • A crise verde • Objetivos da pesquisa • Procedimentos metodológicos • Panorama do Autoarquivamento Cícera H. Silva Maria M. Borges
  2. 2. A CRISE VERDE BOAI 2002
  3. 3. A CRISE VERDE BOAI 2002 14 anos 2016 !
  4. 4. ANTECEDENTES Repositório Institucional (RI) da Universidade de Coimbra Documentos em livre acesso que foram inseridos através do autoarquivamento. 6% Migueis (2012)
  5. 5. A CRISE VERDE BOAI 2012 Reafirmamos as duas principais estratégias apresentadas na BOAI: AA através de repositórios (também designado “green OA”/“AA verde”) e AA através de revistas (também designado “Gold OA”)“AA dourado”). Dez anos de experiência leva-nos a reafirmar que o AA verde e dourado “não são apenas meios diretos e efetivos para este propósito, como estão ao alcance dos próprios acadêmicos, imediatamente, sem a necessidade de aguardar por mudanças operadas pelos mercados ou pela legislação”. Dez anos de experiência levam-nos a reafirmar a definição de AA apresentada na BOAI original: “Acesso aberto” à literatura científica revisada por pares significa a disponibilidade livre na Internet, permitindo a qualquer usuário ler, fazer download, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar ou referenciar o texto integral desses artigos, recolhe-los para indexação, introduzi-los como dados em software, ou usá-los para outro qualquer fim legal, sem barreiras financeiras, legais ou técnicas que não sejam inseparáveis ao próprio acesso a uma conexão à Internet. As únicas restrições de reprodução ou distribuição e o único papel para o direito autoral neste domínio é dar aos autores o controle sobre a integridade do seu trabalho e o direito de ser devidamente reconhecido e citado.
  6. 6. A CRISE.. “O principal fator contra a via verde é que os autores não autoarquivam espontaneamente: como ‘publique ou pereça’ o acesso aberto pela via verde depende de políticas mandatórias das instituições e agências de fomento”. (HARNARD; POYNDER, 2014). Proposta Subversiva 20 anos depois..
  7. 7. A CRISE.. “Os repositórios experimentam diversas dificuldades que limitam o seu crescimento e desenvolvimento e que se traduzem em resistência, inércia ou desinteresse dos autores/investigadores por esta forma de publicação” (RODRIGUES, 2014).
  8. 8. OBJETIVO / PERGUNTAS Qual a percepção dos GESTORES dos repositórios institucionais portugueses sobre o AUTOARQUIVAMENTO Qual o índice de AUTOARQUIVAMENTO alcançado nos RIs de Portugal
  9. 9. PROCEDIMENTOS METODOLOGICOS Repositórios registrados no OpenDoar Repositórios registrados no RCAAP area geográfica: Portugal Tipo de conteúdo: artigo Característica: Institucional
  10. 10. 43 RIs 39 RIs artigos 49 RIs 48 RIs artigos 48 RIs artigos Envio em duas sessões, a primeira entre os dias 04 e 30 de abril e a segunda entre os dias 1 e 18 de agosto de 2016. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS OpenDoar RCAAP
  11. 11. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS 48 RIs artigos 1 RI Acesso negado 47 RIs artigos QUESTIONÁRIO ONLINE SEMIESTRUTURADO 27 RIs artigos RESPOSTAS
  12. 12. RESULTADOS E DISCUSSÃO Lembrando que... Um princípio na criação dos repositórios, inspirado pela proposta subversiva de Stevan Harnard, e nos primeiros repositórios Citeseer e Arxiv, é que o próprio autor possa compartilhar em acesso aberto seus artigos, sem intermediários, o que na BOAI é chamado de Selfarchiving (autoarquivamento). Apesar dos softwares mais utilizados para construção de RIs possuírem como default o autorquivamento, algumas instituições vêm desabilitando esta função no sistema para que o depósito seja feito por outros funcionários da instituição, normalmente bibliotecários. Porém...
  13. 13. RESULTADOS E DISCUSSÃO O Repositório da sua instituição possibilita o autoarquivo? 81% 19% Autoarquivamento habilitado Autoarquivamento não habilitado
  14. 14. RESULTADOS E DISCUSSÃO Por que 19% dos RIs portugueses desabilitaram o autoarquivo
  15. 15. RESULTADOS E DISCUSSÃO Principal motivo para não habilitar o autoarquivo no sistema ? 60%20% 20% Os pesquisadores não fariam Direitos do autor Outros
  16. 16. RESULTADOS E DISCUSSÃO O autoarquivo esta disponível para quais tipologias? Artigos Trabalho apresentado em eventos Relatórios de pesquisas Teses Dissertações Dados de pesquisas Outros 100% 95% 59% 50% 50% 22%
  17. 17. RESULTADOS E DISCUSSÃO Políticas mandatórias ROWLANDS, NICHOLAS, 2005; NICHOLAS et al, 2006; RODRIGUES, 2014; AMANTE, 2014). Habilitar o autoarquivamento no sistema garante sua efetiva utilização Tem sido suficiente para garantir o autoarquivamento N ã o NÃO
  18. 18. RESULTADOS E DISCUSSÃO DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM AUTOARQUIVADOS? 18% 41%5% 9% 27% Menos de 5% 6% a 30% 31% a 50% 61% a 80% 91%a 100%
  19. 19. RESULTADOS E DISCUSSÃO DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM AUTOARQUIVADOS? 59% 5% 9% 27% Menos de 5% 6% a 30% 31% a 50% 61% a 80% 91%a 100%
  20. 20. RESULTADOS E DISCUSSÃO DO TOTAL DESPOSITADO NO RI QUANTOS PORCENTOS FORAM AUTOARQUIVADOS? 64%9% 27% Menos de 5% 6% a 30% 31% a 50% 61% a 80% 91%a 100%
  21. 21. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A VISÃO DO GESTOR DO RI E DA INSTITUIÇÃO É FUNDAMENTAL PARA O AVANÇO DO AA PELA VIA VERDE NA INSTITUIÇÃO; • OS GESTORES DOS REPOSITÓRIOS PORTUGUESES, EM SUA GRANDE MAIORIA, VIABILIZAM O AUTOARQUIVAMENTO; • EXISTE UM ENTENDIMENTO DOS OBJETIVOS DA CRIAÇÃO DE REPOSITÓRIOS POR PARTE DOS GESTORES DE RI EM PORTUGAL; • OS RIS PORTUGUESES ESTÃO ATENTOS PARA A IMPORTÂNCIA DO ACESSO AOS DADOS DE PESQUISA NA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA, PREPARANDO SEUS REPOSITÓRIOS PARA O AUTOARQUIVAMENTO DESTA TIPOLOGIA; • EXISTE UMA BAIXA ADESÃO AO AUTOARQUIVAMENTO PELOS PESQUISADORES; • É IMPRESCINDÍVEL CONHECER AS ESPECIFICIDADES DAS ÁREAS, VERIFICAR AS BARREIRAS E OS ESTÍMULOS AO COMPARTILHAMENTO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS E DADOS DE PESQUISA PARA, ASSIM, AMPLIAR A ADESÃO AO AUTOARQUIVAMENTO POR PARTE DOS PESQUISADORES EM PORTUGAL.
  22. 22. OBRIGADA Viviane Veiga viviane.veiga@icict.fiocruz.br Coordenação do Arca - Repositório Institucional da Fiocruz Doutoranda em Informação e Comunicação Cientifica e Tecnológica em Saúde Luis Guilherme Macena guilhermelg2004@gmail.com Bibliotecário Especialista em Informação Científica eTecnológica em Saúde (Repositório) Cícera da Silva cicera.henrique@icict.fiocruz.br Professora do PPGICS/ICICT/Fiocruz Pesquisadora labicites/ICICT/Fiocruz Maria Manuel Borges mmb@fl.uc.pt borges Professora da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra

×