Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

Agile Black Ops - Como infiltrar agile em ambiente hostil

Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Ad
Loading in …3
×

Check these out next

1 of 45 Ad
Advertisement

More Related Content

Similar to Agile Black Ops - Como infiltrar agile em ambiente hostil (20)

Advertisement
Advertisement

Agile Black Ops - Como infiltrar agile em ambiente hostil

  1. 1. Agile BlackOps
  2. 2. Profile ● Vitor Queiroz ● 9 anos desenvolvendo software ● 5 anos trabalhando com agile ● Arquiteto de software e agilista
  3. 3. Black Operation A black operation typically involves activities that are highly clandestine and often outside of standard military/intelligence protocol, sometimes against the law Wikipedia 107.170.21.140
  4. 4. Problema Agile é
  5. 5. Problema Agile é
  6. 6. Problema Vamos adaptar...
  7. 7. Problema Agile??
  8. 8. algumas Dicas
  9. 9. x Não somos inimigos
  10. 10. Todos precisam Se sentir seguros
  11. 11. Esqueça os rótulos Trabalhe com os conceitos
  12. 12. Não fale apenas. Demonstre
  13. 13. Encare a infiltração de agile... ...como um projeto
  14. 14. Crie um backlog de problemas para resolver.
  15. 15. Escolha o que traz maior em menos tempo valor
  16. 16. Seja prático Resultados mensuráveis
  17. 17. Faça Comparações Conduza ao incômodo
  18. 18. Previous Scenario ● Empresa formada por ex-diretores de empresas estatais ● Produto principal: planejador para malhas ferroviárias ● 74% do desenvolvimento direcionado para correção de bugs ● 105.000 linhas de código ● 75% de duplicação de código ● Nenhuma documentação
  19. 19. Problemas indentificados ● ● Forte cultura C.Y.A(Cover your Ass) ● Código altamente acoplado e mal estruturado ● Falta de testes e de rastreabilidade ● Falta de visibilidade de progresso efetivo ● Muita micro-gestão ● Time desmotivado ● Desejo de documentação excessiva ● Processos rígidos.
  20. 20. Atacando ● Código altamente acoplado e mal estruturado ● Falta de testes e de rastreabilidade ● Falta de visibilidade de progresso efetivo ● Time desmotivado
  21. 21. ● Design evolutivo e conjunto ● TDD ● Ferramenta de análise de código estático (Sonar) ● Entregas em pequenas iterações de uma semana Usando
  22. 22. ● Diretoria confiante na qualidade do código ● Diretoria impressionada, versao mega simplificada rodando após 2 iterações. ● Time mais engajado na solução Resultado
  23. 23. ● Ainda queriam um planejamento detalhado do futuro (MS-Project bem detalhado) ● Ainda queriam documentação extensiva de todo o design antes de ser implementado. Barreira
  24. 24. ● Processos rígidos. ● Falta de visibilidade de progresso efetivo ● Micro Gestão ● Documentação excessiva Atacando
  25. 25. ● Domain Driven + Domain Expert ● Backlog de funcionalidades macro ● Começamos a replanejar todo o backlog futuro de acordo com o nosso progresso ● Medir todo o tempo de atualizar isso no MS-Project Usando
  26. 26. ● Diretores com visão de complexidade ● Noção de desperdício ao tentar prever tudo ● MS-Project consumia muito tempo (abolido). ● Mais segurança no replanejamento constante ● Aprenderam a priorizar dada a complexidade Resultado
  27. 27. ● Desejo de documentação excessiva ● Falta de visibilidade de progresso efetivo ● Time desmotivado Atacando
  28. 28. ● Behavior Driven Design (time + domain expert) ● Release Burndown ● Sistema puxado de tarefas Usando
  29. 29. ● Proatividade do time ● Documentação mínima e efetiva ● Reuniões de entrega mais rápidas e mais focadas Resultado
  30. 30. ● Time desmotivado ● Micro-gestão ● Processos rígidos Atacando
  31. 31. ● Reuniões de melhoria contínua (Retrospectivas) Usando
  32. 32. ● Confiança na capacidade de como fazer. ● Foco das entregas no que foi entregue e não no como foi entregue ● Liberdade, não seguiamos o processo da empresa ● Equipe mais confiante e engajada ● Gerente passou a ser um mediador, com muito menos dor de cabeça Resultado
  33. 33. Virando a mesa...
  34. 34. A diretoria passou a nos pedir para .....
  35. 35. Compartilhar nossas “descobertas” com outras equipes
  36. 36. Variar o escopo inicial nos perguntando qual seriam os impactos das variações e a priorizar por isso (ROI !!)
  37. 37. Ajudar em como priorizar o que era mínimo para instalar o produto em novos Clientes (MVP !!)
  38. 38. E nem falamos de SCRUM, XP....
  39. 39. Mas nem tudo são flores Resolvemos o C.Y.A interno do time.... mas ainda tínhamos o C.Y.A entre equipes e setores Barreira
  40. 40. Depois do caminho das pedras ● Série de workshops sobre SCRUM, XP e etc... ● Equipe ajudando nos workshops
  41. 41. Saldo final ● A maioria dos problemas da equipe foi resolvido nesse periodo ● Estávamos ensinando outras equipes ● O processo da empresa sendo reformulado de forma colaborativa
  42. 42. E o futuro?? ● Mentoring/coaching dos gestores ● Identificar problemas e pontos fortes das equipes ● Um time responsável pela melhoria contínua
  43. 43. Mas isso... Já é uma outra estória
  44. 44. Momento Jabá http://www.caipiraagil.com/ http://nitryx.com.br/
  45. 45. Obrigado!!! vitorv@gmail.com @vitor_q http://vitorqueiroz.com/

×