Farmacocinética básica e clínica

45,929 views

Published on

5 Comments
39 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
45,929
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
1,497
Comments
5
Likes
39
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Farmacocinética básica e clínica

  1. 1. FARMACOCINÉTICABÁSICA E CLÍNICAProf. Msc. Vinicius HenriqueFarmacêutico Clínico
  2. 2. Introdução A farmacocinética é a área da farmacologia que estuda os processos cinéticos dos fármacos, isto é, o movimento do fármaco pelo organismo Segunda etapa para o processo terapêutico Possui uma grande relação com a farmacodinâmica
  3. 3. Um pouco de fisiologia...Vamos relembrar?
  4. 4. A membrana plasmática
  5. 5. Transporte através damembrana
  6. 6. Voltando a farmacocinética...
  7. 7. ABSORÇÃO DOS FÁRMACOS
  8. 8. Absorção
  9. 9. Absorção
  10. 10. Absorção É a transferência de um fármaco desde o seu local de administração até a corrente sanguínea. A velocidade e a eficiência da absorção dependem da via de administração que o fármaco é aplicado
  11. 11. Fatores envolvidos na absorção
  12. 12. Absorção Absorção Depende Grau de ionização pH do meio e pKa do fármaco pKa = pH no qual 50% das moléculas estão na forma ionizada pH do meio e pKa do fármaco  define a absorção
  13. 13. Aprisionamento Iônico
  14. 14. Vias de administração
  15. 15. Absorção TGI Difusão passiva- Aquosa, lipídica ou facilitada Transporte Ativo- PTN transportadoras e Endo e Exocitose
  16. 16. Fatores importantes
  17. 17. Fatores importantes INTERAÇÕES COM ALIMENTOS EFEITOS PÓS-PRADIAIS ABSORÇÃO É DIMINUÍDA OU PELO MENOS RETARDADA DEVIDO A DIMINUIÇÃO NA VELOCIDADE DE ESVAZIAMENTO GÁSTRICO.
  18. 18. Fatores importantes A ABSORÇÃO É MAIS RÁPIDA QUANDO O FÁRMACO É ADMINISTRADO EM JEJUM COM QUANTIDADE SUFICIENTE DE LÍQUIDO (~ 250ml) FÁRMACOS MUITO LIPOSSOLÚVEIS QUANDO INGERIDOS COM REFEIÇÕES GORDUROSAS TEM ABSORÇÃO AUMENTADA.
  19. 19. Absorção por inalação Pouco utilizada para tratamentos sistêmicos Depende do TAMANHO da partícula
  20. 20. Soares, 2012
  21. 21. Biodisponibilidade (F) É A FRAÇÃO DE DROGA INALTERADA QUE CHEGA À CIRCULAÇÃO SISTÊMICA APÓS ADMINISTRADA POR DETERMINADA VIA DE ADMINISTRAÇÃO É MEDIDA EM COMPARAÇÃO COM A INJEÇÃO ENDOVENOSA MEDIDA EM PORCENTAGEM (%)
  22. 22. Biodisponibilidade
  23. 23. Fatores que regulam aBiodisponibilidade • VIA DE ADMINISTRAÇÃO • ABSORÇÃO E SOLUBILIDADE • EFEITO DE 1° PASSAGEM • INSTABILIDADE QUÍMICA
  24. 24. DISTRIBUIÇÃODOS FÁRMACOS
  25. 25. Distribuição Após a absorção, o fármaco precisa ser distribuído para o corpo Esta distribuição é realizada pela corrente sanguínea O fármaco pode ser distribuído “livre” ou “complexado” a proteínas plasmáticas
  26. 26. Ligação as proteínas plasmáticas• Albumina e alfa1-glicoproteína• Depende da [fármaco], [proteínas] e afinidade QUAL FRAÇÃO DO FÁRMACO ESTARÁ DISPONÍVEL PARA SER DISTRIBUÍDO AOS TECIDOS??
  27. 27. Distribuição
  28. 28. Distribuição especial dosfármacos
  29. 29. Discussão sobre o tema...
  30. 30. DROGAS QUE ATRAVESSAM ABARREIRA PLACENTÁRIA Drogas lipossolúveis Baixo peso molecular Ex: Álcool, Sedativos, Hipnóticos, Heroína, Nicotina, etc TOXICIDADE SOBRE O FETO: Talidomida – Membros deformados Anticoagulante – hemorragia fetal e neonatal Tetraciclinas – Dentição anormal Sulfonamidas – Icterícia neonatal
  31. 31. Volume de distribuição Volume de água no organismo PLASMA SANGUÍNEO ~ 3 L LÍQUIDO EXTRACELULAR ~ 12 L LÍQUIDO INTRACELULAR ~ 28 L ~ 40 L DE ÁGUA NO ORGANISMO VOLUME REAL DE DISTRIBUIÇÃO
  32. 32. Volume de Distribuição Aparente (Vd)É O VOLUME NECESSÁRIO PARA A DROGA ESTAR DISTRIBUÍDA HOMOGENEAMENTE ENTRE O SANGUE E OS TECIDOS.CALCULADO PARA ADULTOS DE 70Kg É EXPRESSO EM: LITROS EM RELAÇÃO AO PESO (Kg) CORPORAL
  33. 33. Volume de Distribuição Aparente(Vd) Vd ALTO IMPLICA QUE A DROGA ESTA AMPLAMENTE LOCALIZADA NOS TECIDOS Vd BAIXO IMPLICA QUE A DROGA ESTA AMPLAMENTE CONTIDA NO ESPAÇO VASCULAR
  34. 34. Exercício!! Um fármaco é administrado na dose de 0,5 mg e possui Cp de 18,7 mcg. Calcule o Volume de Distribuição e interprete o resultado. Resposta! Importância clínica? Vd = 26,7 L/70Kg Fluido intracelular
  35. 35. Acúmulo nos tecidos NORMALMENTE COM SUBSTÂNCIAS MUITO LIPOSSOLÚVEIS PODE LEVAR AO PROLONGAMENTO DA AÇÃO POR RECIRCULAÇÃO DA DROGA OU RETORNO DO EFEITO APÓS ALGUM TEMPO EFEITO “RESSACA” E “REBOTE”
  36. 36. Biotransformação
  37. 37. Biotransformação(Metabolismo) É necessária para tornar as substâncias mais polares, mais hidrossolúveis para serem facilmente eliminadas pelos rins, a mais importante via de eliminação Principal órgão: FÍGADO Demais órgãos: rins, pulmões, intestino, pele.
  38. 38. BiotransformaçãoREAÇÕES DE FASE I(OXIDAÇÃO, REDUÇÃO OUHIDRÓLISE)REAÇÕES DE FASE II(CONJUGAÇÃO)
  39. 39. Biotransformação
  40. 40. Reações de Fase I CONVERTEM A DROGA ORIGINAL EM UM METABÓITO MAIS POLAR PODEM FORMAR COMPOSTOS ATIVOS (MAIS COMUM) OU INATIVOS PREPARAM A DROGA PARA SOFRER REAÇÕES DE FASE II
  41. 41. Reações de Fase I
  42. 42. Reações de Fase I
  43. 43. Reações de Fase II
  44. 44. Reações de Fase II
  45. 45. Pró-fármacos
  46. 46. Metabólitos Ativos
  47. 47. Metabolismo de PrimeiraPassagem
  48. 48. Soares, 2012
  49. 49. Excreção
  50. 50. Excreção Tipos de Excreção de drogas:- RENAL- BILIAR- PULMONAR- Outros fluídos: saliva, suor, leite materno, etc.
  51. 51. Excreção Renal
  52. 52. Excreção Renal
  53. 53. Excreção Renal
  54. 54. Filtração Glomerular
  55. 55. Secreção Tubular
  56. 56. Secreção Tubular
  57. 57. Difusão nos túbulos
  58. 58. Difusão no túbulos
  59. 59. Reabsorção tubular
  60. 60. CLEARANCE (CL) É a taxa de eliminação da droga do organismo É um dos parâmetros mais importantes para o planejamento posológico racional É expresso NORMALMENTE em L/h/70Kg
  61. 61. TEMPO DE MEIA-VIDA (T1/2)
  62. 62. CLEARANCE E T1/2
  63. 63. CLEARANCE E Vd
  64. 64. RELAÇÃO CLEARANCE, T1/2E Vd
  65. 65. EXCREÇÃO BILIAR Algumas substâncias conjugadas são excretadas na bile, caindo no intestino Hidrólise intestinal Recirculação entero-hepática
  66. 66. RECIRCULAÇÃO ENTERO-HEPÁTICA Fármacos excretados pela bile Prolonga a ação dos fármacos DEPENDE da flora intestinal
  67. 67. Anticoncepcional X Antibiótico
  68. 68. IMPLICAÇÕES CLÍNICAS Insuficiência Renal Hepatopatia Distúrbios Vesiculares Diminuição do aporte plasmático para os rins (ICC)
  69. 69. Farmacocinética Clínica
  70. 70. ÍNDICE TERAPEUTICO (IT)
  71. 71. MODELOSFARMACOCINÉTICOS Modelo de 1 compartimento  O corpo é visto como um único compartimento central onde a droga penetra e onde ela sai Modelo de 2 compartimentos  O corpo é visto como um compartimento central (sangue) e um periférico (tecidos)
  72. 72. PROCESSOS CINÉTICOS Cinética de Primeira Ordem Cinética de Ordem Zero
  73. 73. Cinética de Primeira Ordem
  74. 74. Cinética de Primeira Ordem
  75. 75. Cinética de Ordem Zero
  76. 76. Cinética de Ordem Zero
  77. 77. Cinética de Ordem Zero
  78. 78. Cinética de Ordem Zero
  79. 79. Cinética de Ordem Zero
  80. 80. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  81. 81. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  82. 82. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  83. 83. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  84. 84. Estado de equilíbrio dinâmico
  85. 85. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  86. 86. PLANEJAMENTO POSOLÓGICO RACIONALQual a melhor posologia?
  87. 87. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  88. 88. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  89. 89. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  90. 90. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL
  91. 91. Exercício!!
  92. 92. Cálculo da Dose deManutenção
  93. 93. Exercício 2!!
  94. 94. Cálculo para a Dose deManutenção Oral
  95. 95. PLANEJAMENTO POSOLÓGICORACIONAL DOSE DE ATAQUE Utilizada em casos onde é necessário obter o efeito terapêutico rápido D.A = Vd x Ca
  96. 96. Planejamento Racional Saber a CA Saber o Vd e CL Escolher a via de administração Aplicar dose de ataque quando necessário Calcular dose de manutenção (INDIVIDUAL) Medir resposta Avaliar eficácia
  97. 97. Exercício!!
  98. 98. Cálculo de Dose Um paciente chegou a farmácia com uma prescrição de 120mg de uma medicação subcutânea, esta medicação possui apresentação de 0,5g por 2 mL. Quantos mL você deverá administrar no paciente? 500 mg ------- 2 mL 120 mg ------- x x ≈ 0,5 mL
  99. 99. Cálculo de Dose Foi prescrito Gentamicina de 40mg IM de 12/12h. A gentamicina possui apresentação de 80mg em uma ampola de 2ml. O tratamento é por 3 dias. A cada aplicação, qual será o volume aplicado? Quantas ampolas você irá precisar para o tratamento total e quantos mg será dado ao paciente durante todo o tratamento? Volume aplicado será de 1 mL Serão necessárias 3 ampolas Será dado ao paciente 240 mg de gentamicina

×