Industria do PetroLeo - Andre Costa (Ifrj) 03.12.09

4,966 views

Published on

Slides da Palestra do Instrutor André Costa sobre a Indústria do Petróleo e suas oportunidades.

Published in: Business
3 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
4,966
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
58
Actions
Shares
0
Downloads
427
Comments
3
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Industria do PetroLeo - Andre Costa (Ifrj) 03.12.09

  1. 1. Petróleo & Gás Operações e Mercado ANDRÉ COSTA Consultor na área de perfuração de poços de petróleo
  2. 2. Dedicatória  Dedico esta palestra ao saudoso Monteiro Lobato o primeiro brasileiro a acreditar de forma efetiva que poderíamos petróleo e principalmente ter uma indústria pungente brasileira.
  3. 3. André Luiz Palmeira Costa  Pós-graduado em geologia e geofísica de poços em reservatórios de petróleo e gás (UNESA);  Tecnólogo em petróleo e gás (UNESA);  Técnico em edificações (ETEHL);  Membro da SBGf;  Membro do IBP;  CRQ 3ª Região nº 16236-S.
  4. 4. Operações Upstream & Downstream
  5. 5. Indústria do Petróleo  Por que emprega-se estes termos?  A história moderna do petróleo tem início em 1859.
  6. 6. Ambiente Upstream
  7. 7. Ambiente Upstream  Conhecida no Brasil como seguimento E & P - Exploração e Produção: • Exploração; • Explotação; • Produção.
  8. 8. Exploração  Conjunto de operações e utilização de métodos indiretos de prospecção visando identificar um sistema petrolífero.  A etapa exploratória apresenta altos custos por conta dos grandes riscos envolvidos.
  9. 9. Exploração  Inúmeros profissionais envolvido em uma etapa que pode dar em poços que não têm viabilidade técnica e/ou econômica.  Obs. 90% das perfurações resulta em poços não comerciais.
  10. 10. Bacia Sedimentar  Constituem 64% do território brasileiro;  Servem como importante repositório de recursos naturais, tais como água subterrânea, petróleo e recursos minerais diversos.
  11. 11. Exploração  Poderá ser onshore (terra);  Poderá ser offshore (mar).
  12. 12. Explotação  Operação de retirada do hidrocarboneto da jazida (reservatório).  Nessa fase ocorre o comissionamento (completação) do poço.
  13. 13. Produção  Basicamente é a etapa de tratamento do fluido explotado e armazenamento do óleo resultante do processo.  Consiste na instalação de uma plataforma de produção.
  14. 14. Ambiente Downstream
  15. 15. Ambiente Downstream  Refino;  Distribuição e Armazenamento;  Comercialização.
  16. 16. Refino  Constitui na separação do óleo bruto, por meio de processos físicos e químicos com objetivo de transformá-lo em frações de derivados;  Que possa atender de forma satisfatória as necessidades dos consumidores.
  17. 17. Refinaria  Planta industrial que realiza processos extremamente complexos, fazendo com que o óleo bruto ao chegar da plataforma de produção.  Cerca de 90% dos produtos de refino no mundo são de derivados energéticos (combustível).
  18. 18. Unidades Petroquímicas  A jusante a refinaria, transforma os derivados intermediários gerado na refinaria em bens duráveis.  Ex. plástico; PEAD e mais de 6 mil outros produtos.
  19. 19. Distribuição e Armazenamento  Etapa que proporciona a entrega dos derivados ao mercado consumidor.  Geralmente realizado por um CD – Centro de Distribuição.
  20. 20. Comercialização  Etapa em que o consumidor final compra os derivados para os mais diversas finalidades.  Combustível;  Lubrificante;  Outros.
  21. 21. Mercado
  22. 22. Mercado  Para fazer parte desse mundo de oportunidades a palavra chave é: Qualificação.
  23. 23. O que o mercado de petróleo e gás estar buscando?
  24. 24. Mercado  Pessoas com facilidade para se adaptar a novos processos e capazes de propor soluções inovadoras serão os mais valorizados nesse futuro próximo.
  25. 25. Mercado  O setor é o que mais cresce na economia brasileira.  Livre da crise e com promessas de investimentos que chegam a US$ 200 bilhões até 2013.
  26. 26. Mercado  De acordo com consultores de recrutamento na área, a falta de talentos é percebida em todo o mundo.
  27. 27. Mercado  É comum a migração de profissionais das engenharias química, industrial e de produção para o setor de óleo e gás.  "É uma boa oportunidade para profissionais com sólida formação acadêmica e experiência profissional em projetos desafiadores no pais ou no exterior"
  28. 28. Mercado  Algumas profissões: Engenheiros de todas as áreas, geólogos, geofísicos, químicos, advogados, jornalistas especializados, executivos e analistas.  Ainda, sem citar especificamente, todas as de suporte operacional.
  29. 29. Mercado  Nesses segmentos, haverá projetos de grande porte que vão gerar boas oportunidades de carreira.  A retomada da economia agravou o problema da escassez de mão-de-obra treinada no mercado, considerado um dos gargalos mais sérios e objetivos que o Brasil deverá enfrentar nos próximos anos.
  30. 30. Prominp
  31. 31. Prominp  Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural – foi instituído através do decreto nº. 4.925 de 19 de dezembro de 2003, com o objetivo de maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior.
  32. 32. Prominp  Aponta que será necessário formar cerca de 200 mil profissionais dividido.  Os cursos são de nível básico, médio, técnico e superior, em 175 categorias profissionais ligadas às atividades do setor de petróleo e gás.
  33. 33. Prominp  Estão envolvidas cerca de 80 instituições de ensino em 17 estados do Brasil, com investimentos que chegam à casa dos R$ 300 milhões.  Além dos cursos gratuitos, são oferecidas bolsas- auxílio mensais para os alunos desempregados, que variam entre R$ 300 e R$ 900, dependendo do nível de escolaridade.
  34. 34. Prominp  Atualmente em seu quarto ciclo de qualificação, já formou aproximadamente 40 mil pessoas e mais 38 mil receberão treinamento nos próximos meses, totalizando 78 mil profissionais qualificados até março de 2010* , em 15 estados do país.
  35. 35. Petrobras
  36. 36. Petrobras  A execução do Plano de Negócios da Petrobras para o período 2009-2013 irá demandar a qualificação de mais 207 mil pessoas, em 185 categorias profissionais, para o atendimento dos empreendimentos previstos para esse período, em 13 estados do país.
  37. 37. Petrobras  Prevê a abertura de 9 mil vagas até 2013, com oportunidades para variados níveis de escolaridade e diversos cargos.
  38. 38. Petrobras  A mão-de-obra que entra por concurso é absorvida em três grandes áreas da empresa.  E & P - que contempla as operações das plataformas e nos campos de petróleo, emprega técnicos que trabalham com perfuração de poços e fazem manutenção de equipamentos, por exemplo.
  39. 39. Petrobras  No nível superior - são contratados engenheiros de petróleo, geólogos, geofísicos e engenheiros de equipamento.  Na área de engenharia (construções e obras em geral) são empregados técnicos de manutenção e engenheiros de equipamentos entre outros.
  40. 40. Petrobras  Refino - são contratados operadores e técnicos de manutenção e engenheiros de processamento e equipamento.
  41. 41. Petrobras  Anunciou em 25 de Outubro de 2009, durante encontro com autoridades e representantes do setor naval na sede da empresa que pretende criar uma base industrial para a construção de módulos para plataformas de petróleo na área do antigo estaleiro Setal (na Ponta da Areia) que deve gerar 1,5 mil empregos.
  42. 42. Petrobras  Também anunciou que até o final do ano vai publicar edital de licitação para a construção de 24 embarcações de apoio às plataformas, orçadas entre R$ 60 e R$ 80 milhões cada.
  43. 43. Petrobras  Ao todo, está prevista a construção até 2013 de 146 embarcações para dar suporte às diversas atividades necessárias à extração de petróleo.  Estima-se que os estaleiros de Niterói detenham de 30% a 40% dessas licitações.
  44. 44. Petrobras  A Refinaria Duque de Caxias - Reduc, é a 4ª maior da Petrobras em termos de capacidade instalada.  Pode processar 242 mil barris de petróleo diariamente e está passando por processo de modernização e ampliação que vai gerar 6 mil empregos.
  45. 45. Agência Nacional do Petróleo  De acordo com dados do site, há oportunidades tanto em companhias que atuam na construção de poços e refino, quanto nas prestadoras de serviço.  Estima-se que até o ano de 2010, sejam criados cerca de 180 mil empregos nesta área.
  46. 46. Mercado  A falta de mão-de-obra especializada no Brasil é inversamente proporcional ao grande número de estudantes que pretendem ingressar nesse ramo e, consequentemente, a multiplicação das instituições de ensino que surgem para treinar os futuros profissionais em inúmeras ramificações que o mercado petrolífero abrange.
  47. 47. Procura X Demanda  Nos últimos três anos houve um aumento entre 50% e 60% na procura por Cursos de Capacitação de Petróleo e Gás;  Cursos Superior de Tecnologia (que confere o Título de Tecnólogo);  Engenharia de Petróleo e Pós-Graduação, o aumento ocorrido é de até 40%.
  48. 48. Procura X Demanda  A criação de cursos técnicos de petróleo e gás e a crescente procura por eles tem ganho grande representatividade, visto que a carência de técnicos neste setor é muito grande.
  49. 49. Procura X Demanda  “As pessoas precisam se preparar. Quem tem Ensino Básico tem que fazer o Médio, procurar um curso técnico, especializado, e melhorar suas chances”. Firjan
  50. 50. Mercado  Rio recupera prestígio com novos investimentos.  Além da sede da Petro-Sal, novo marco do petróleo concentra aqui maior parte dos 616 mil empregos.  Impulso a outros setores permite ao estado ressurgir como centro econômico
  51. 51. Mercado  O documento Decisão Rio 2010-2012, da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que mostra que os investimentos no estado vão além do petróleo e deverão atingir R$ 126 bilhões nos próximos três anos e gerar pelo menos 300 mil empregos diretos e indiretos.
  52. 52. Mercado  Rio de Janeiro - manteve a posição como principal estado produtor de petróleo, o que será reforçado com a operação do pré-sal, porque as linhas que demarcam áreas beneficiadas por royalties e participação especial (PE) privilegiam o estado.  Assim, estuda-se instalar a principal base do pré- sal em Itaguaí, perto do novo porto e de frente para as reservas.
  53. 53. Pré-Sal
  54. 54. Pré-Sal  A “nova fronteira” também oferece um grande potencial de aproveitamento de profissionais das mais variadas especializações.
  55. 55. Pré-Sal  Conjunto de reservatórios mais antigos que a camada de sal (principalmente halita e anidrita).  Esses reservatórios podem ser encontrados do Nordeste ao Sul do Brasil (onshore e offshore)* e de uma forma similar no Golfo do México e na costa Oeste africana.
  56. 56. Pré-Sal  A área que tem recebido destaque é o trecho que se estende do Norte da Bacia de Campos ao Sul da Bacia de Santos desde o Alto Vitória até o Alto de Florianópolis respectivamente.
  57. 57. Pré-Sal  Este sal foi depositado durante a abertura do oceano Atlântico, após a quebra do Gondwana (Antigo Supercontinente formado pelas Américas e África) durante a fase de mar raso e de clima semi- árido/árido.
  58. 58. Pré-Sal  É prioridade nos investimentos da espanhola Repsol para os próximos anos.  Em visita ao Brasil, o presidente da companhia, Antonio Brufau, anunciou que somente para 2010 a empresa vai investir US$ 380 milhões na exploração de blocos que possui em parceria com a Petrobras na Bacia de Santos.
  59. 59. Pré-Sal  O volume representa 40% do que a companhia vai investir em exploração nos 30 países em que atua.  Entre 10 e 12 anos, o investimento no Brasil pode chegar a US$ 20 bilhões.
  60. 60. Comperj
  61. 61. Comperj  Um dos principais empreendimentos da história da Petrobras, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro marca a retomada da Companhia no setor petroquímico e vai transformar o perfil socioeconômico de sua região de influência.
  62. 62. Comperj  Será construída em uma área de 45 milhões de metros quadrados e com custo estimado em US$ 8,4 bilhões.  Processará 150 mil barris de óleo pesado por dia para gerar os insumos petroquímicos, principalmente eteno e propeno. Tem previsão de operar no fim de 2012.
  63. 63. ANP Agência Nacional do Petróleo
  64. 64. Agência Nacional do Petróleo  Ao longo dos 10 anos de programa (PRH-ANP) foram destinados R$ 178,4 milhões a taxas de bancada (suporte financeiro para material para pesquisa, livros, periódicos, viagens de estudos e participações em congressos) e 4.586 bolsas de estudos em mais de 200 especializações relacionadas a atividades da indústria do petróleo e dos biocombustíveis.
  65. 65. Agência Nacional do Petróleo  O sucesso do PRH-ANP é confirmado pelo alto índice de empregabilidade dos bolsistas participantes em empresas, nacionais e internacionais, pela qualidade das monografias, dissertações e teses produzidos pelos bolsistas do PRH-ANP/MCT e também pelos resultados de pesquisa e desenvolvimento tecnológico alcançados.
  66. 66. Outras Oportunidades
  67. 67. Novas Oportunidades  A petroquímica Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas na América Latina, do Grupo Odebrecht, informou oficialmente que está em negociações com sua principal concorrente, a Quattor, controlada pela Petrobras e a família Geyer, do Grupo Unipar.
  68. 68. Novas Oportunidades  Indústria Naval – Setor tem R$ 55 bilhões em investimento e encomendas, segundo o BNDES; com pré-sal, futuro é ainda mais promissor.  Em nove anos, empregos sobem de 2.000 para 45 mil; 5 estaleiros se somarão aos 25 já existentes e cada um pode ter até 3.500 funcionários
  69. 69. Novas Oportunidades  Indústria Naval – A demanda por embarcações de grande porte em especial, as destinadas à exploração de petróleo na área do pré-sal promete alavancar a indústria de construção de navios, sondas e plataformas no País.
  70. 70. Novas Oportunidades  Indústria Naval – projetos que somam investimentos da ordem de R$ 1,7 bilhão e a geração de empregos que pode ultrapassar dez mil postos de trabalho na Bahia.
  71. 71. Novas Oportunidades  Turismo - somam R$ 500 milhões os investimentos para o período 2010-2012. Além dos empreendimentos da região da Costa do Sol, em especial em Cabo Frio, devem ser destacados os investimentos projetados na infraestrutura e saneamento básico em diversas cidades.
  72. 72. Novas Oportunidades  Logística - Modernização e recuperação do Aeroporto Internacional Tom Jobim e de rodovias de grande importância para o estado, a exemplo da duplicação da BR-101 norte.
  73. 73. Novas Oportunidades  Energia - a construção de Angra 3 já tem as licenças ambientais e previsão de início das obras ainda neste ano.
  74. 74. Novas Oportunidades  Energia - há ainda a Usina Termelétrica do Açu, na retroárea do Porto, as pequenas centrais hidrelétricas em diversas regiões do estado e o primeiro parque eólico do País, em São Francisco de Itabapoana, no Norte do RJ.
  75. 75. Novas Oportunidades  Negócios Variados – o Rio comemora números positivos.  É recordista em registro de empresas: a Junta Comercial do Estado do Rio registrou, de janeiro a agosto de 2008, 22.113 novas. No mesmo período de 2009, foram 27.299 (23,4% de aumento).
  76. 76. Perguntas ??? 04/09 Obrigado!!!

×