Introdução à educação digital 2012

525 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
525
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
75
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução à educação digital 2012

  1. 1. TECNOLOGIAS NO COTIDIANO: DESAFIOS À INCLUSÃO DIGITAL
  2. 2. AS UNIDADES
  3. 3. Tecnologias Vamos adotar a interpretação de Martinez (2009),segundo a qual a tecnologia é o “estado da arte” datécnica. Ainda segundo o autor, “a terminação logos,(tecno)logia indica interpretação, aplicação e/ouestudo da técnica e das suas variáveis. Pode também ser entendida como oconhecimento técnico acumulado, a capacidade ou aarte necessárias para projetar, investigar, produzir,refinar, reutilizar/re-empregar técnicas, artefatos,ferramentas, utensílios”. A tecnologia permite “(...) criar, transformar emodificar materiais, recursos, insumos ou a naturezacomo um todo, o entorno social e o próprio homem”.
  4. 4. Mídias[Do inglês media] designa os meios ou oconjunto dos meios de comunicação:jornais, revistas, TV, rádio, cinema etc.
  5. 5. “Vivemos em um cenário de grandestransformações sociais e econômicas. Essastransformações estão revolucionando nossosmodos de produção, de comunicação e derelacionamento, e produzindo um intensointercâmbio de produtos e práticassocioculturais.”
  6. 6. ProgramasOs programas também são chamados de software. Emcontraposição ao termo hardware, que denota a partefísica do computador (pesada) Os programas instalados determinam o que o micro “saberá” fazer. Se você quer ser um engenheiro, primeiro precisará ir à faculdade e aprender a profissão. Com um micro não é tão diferente assim, porém o “aprendizado” não é feito através de uma faculdade, mas sim através da instalação de um programa de engenharia [...] Se você quer que o seu micro seja capaz de desenhar, basta “ensiná-lo” através da instalação um programa de desenho, como o Corel Draw! e assim por diante. (MORIMOTO, 2007).
  7. 7. Memória principalMemória foi inicialmente um conceito bastante amplo,referia-se a qualquer dispositivo que permitisse arecuperação de informações (confundindo-se assimcom o conceito de dispositivo de armazenamento).Atualmente o que chamamos de memória é odispositivo que armazena os dados diretamente parao processamento. Ele também é interno aocomputador (localiza-se na placa-mãe). Ao comprarum computador, além de checar a velocidade doprocessador é preciso também conferir a capacidadedo disco rígido e a capacidade da Memória. Estascapacidades são atualmente medidas em Gigabytes(GB).; os Bytes são medidas de quantidade deinformação.
  8. 8. Como já foi dito, podemos, então, afirmar que aconfiguração geral de qualquer computador éformada por cinco componentes básicos: oprocessador, a memória, as unidades dearmazenamento , os programas , e, por fim, osdispositivos de entrada e saída.
  9. 9. “Linux”Linux: é um sistema operacional, umsoftware livre, com distribuição gratuita,que nasceu de um projeto de LinusBenedict Torvald. O nome Linux surgiu damistura de Linus + Unix. Para saber maissobre a história do Linux acesse aWikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Linux
  10. 10. “... O sistema operacional Linux Educacional, foidesenvolvido especialmente para uso de professores, gestores ealunos da rede pública de ensino. O seu desenvolvimento tevecomo premissa básica a customização (adequação) do ambientecomputacional às necessidades educacionais, com aplicativosde produtividade, diversos conteúdos multimidiáticos (Portaldo Professor, TV Escola, Domínio Público, dentre outros).”
  11. 11. Então, vamos refletir... Ao olhar para o microcomputador que está a sua frente, tente imaginar: - Quantas coisas podem ser feitas com ele? - O que você gostaria de aprender a fazer? -Como posso melhorar os processos de ensino e de aprendizagem utilizando o computador?
  12. 12. Cronograma Estão previstas 4 horas semanais para cada unidade de estudo e prática, num total de 40 horas, que serão ou podem ser distribuídas em:- Encontros presenciais de 4 horas;- Encontros presenciais semanais de , no mínimo 2 horas; e estudo a distância, para estudo e prática de, no máximo 2 horas por semana.Obs.: Ficará a critério do formador - seguindo a Pauta estabelecida para cada encontro ou/e as condições da UE.
  13. 13. Proinfo Integrado Formadora:Vania Carvalho de Almeida beijiinho@r7.com Email do curso:introducaodigital@r7.com

×