Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A sexualidade

1,913 views

Published on

ppt

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

A sexualidade

  1. 1. A SexualidadeA Sexualidade
  2. 2. SidaSida && ContraceptivosContraceptivos
  3. 3.  IntroduçãoIntrodução  O que é a SIDA?O que é a SIDA?  O que é o HIV?O que é o HIV?  Qual é a diferença entre um seropositivo e um doente de SIQual é a diferença entre um seropositivo e um doente de SI  Como evolui a infecção do HIV?Como evolui a infecção do HIV?  Como se transmite o HIV?Como se transmite o HIV?  Como não se transmite o HIV?Como não se transmite o HIV?  Como se previne o contagio do HIV?Como se previne o contagio do HIV?  Que testes são utilizados para a detecção do HIV?Que testes são utilizados para a detecção do HIV?  Existe algum medicamento eficaz?Existe algum medicamento eficaz?  Qual é a situação da Sida em Portugal?Qual é a situação da Sida em Portugal?  Como apoiar pessoas com SIDA?Como apoiar pessoas com SIDA?  Mais vale prevenirMais vale prevenir  BibliografiaBibliografia
  4. 4. IntroduçãoIntrodução  O nosso objectivo, é divulgar o que é aO nosso objectivo, é divulgar o que é a sida, assim como nos devemos prevenir.sida, assim como nos devemos prevenir.  Ninguém esta imune a esta doença.Ninguém esta imune a esta doença.  A sida não tem rosto nem idade.A sida não tem rosto nem idade.  Por isso o melhor caminho é informares-tePor isso o melhor caminho é informares-te e prevenires-te:e prevenires-te: não sejas camelo, usanão sejas camelo, usa o preservativo!!!o preservativo!!!
  5. 5.  OO SS é a inicial de Síndrome, que significaé a inicial de Síndrome, que significa conjunto de sintomas e sinais de umaconjunto de sintomas e sinais de uma doença.doença.  OO II corresponde a imuno e refere-se aocorresponde a imuno e refere-se ao sistema imunitário, que é o mecanismo que osistema imunitário, que é o mecanismo que o nosso corpo possui para se defender dosnosso corpo possui para se defender dos microorganismos que provocam doenças.microorganismos que provocam doenças.  OO DD é de deficiência, isto é, de falha ou maué de deficiência, isto é, de falha ou mau funcionamento.funcionamento.  OO AA corresponde a adquirida.corresponde a adquirida.
  6. 6. VIHVIH  OO VV é de vírusé de vírus  OO II é de imunodeficiênciaé de imunodeficiência  OO HH é de Homemé de Homem
  7. 7. SeropositivoSeropositivo  Um seropositivo éUm seropositivo é uma pessoa que estáuma pessoa que está infectada com o HIVinfectada com o HIV  O Vírus permaneceO Vírus permanece adormecido dentroadormecido dentro do linfócito (3)do linfócito (3)  O doente nãoO doente não apresenta sintomasapresenta sintomas  Pode transmitir oPode transmitir o vírus a outra pessoavírus a outra pessoa
  8. 8. Doente de SIDADoente de SIDA  O vírus torna-se activoO vírus torna-se activo  Reproduz-se dentro daReproduz-se dentro da célula que rebentacélula que rebenta libertando uma grandelibertando uma grande quantidade de vírusquantidade de vírus  Estes vírus vão afectarEstes vírus vão afectar outros linfócitos T4(B)outros linfócitos T4(B)  As defesas imunitáriasAs defesas imunitárias enfraquecemenfraquecem  Aparecem os primeirosAparecem os primeiros sintomassintomas
  9. 9. Primeiros SintomasPrimeiros Sintomas Perda de pesoPerda de peso Cansaço inexplicávelCansaço inexplicável Suores friosSuores frios
  10. 10. Doenças oportunistasDoenças oportunistas Sarcoma de Kaposi (Cancro da pele) Sarcoma de Kaposi (Cancro da pele) PneumoniaPneumonia DiarreiaDiarreia TuberculoseTuberculose
  11. 11. Infecção pelo HIVInfecção pelo HIV Infectada pelo HIV 2 a 12 semanas Período janela Formação de anticorpos SIDADe 6 meses a 10 anos ......... tempo? MORTE
  12. 12. Transmissão do HIVTransmissão do HIV Transmissão do vírus por via SexualTransmissão do vírus por via Sexual  Como podeComo pode acontecer?acontecer?  Durante as relaçõesDurante as relações sexuais, homo ousexuais, homo ou heterossexuais, semheterossexuais, sem protecção,comprotecção,com pessoas infectadas.pessoas infectadas.
  13. 13. Transmissão do vírus por via parentérica,Transmissão do vírus por via parentérica, sanguínea ou através de sanguesanguínea ou através de sangue  Como pode acontecer?Como pode acontecer?  Através:Através:  da partilha de seringasda partilha de seringas contaminadas;contaminadas;  de transfusões comde transfusões com sangue contaminado;sangue contaminado;  de objectos que lesemde objectos que lesem a pele e mucosas,a pele e mucosas, quando contaminados.quando contaminados.
  14. 14. Transmissão do vírus por via peri-natal ouTransmissão do vírus por via peri-natal ou mãe filhomãe filho  Como podeComo pode acontecer?acontecer?  Quando uma mulherQuando uma mulher portadora de HIVportadora de HIV transmite o vírus aotransmite o vírus ao seu bebé durante aseu bebé durante a gravidez, no parto ougravidez, no parto ou na amamentaçãona amamentação..
  15. 15. Não Transmissão do HIVNão Transmissão do HIV  Utilizar os mesmosUtilizar os mesmos lavabos e tomarlavabos e tomar banho combanho com portadoresportadores  Beijar e abraçarBeijar e abraçar
  16. 16. Não Transmissão do HIVNão Transmissão do HIV  Utilizar os mesmosUtilizar os mesmos copos e talherescopos e talheres  Contactos sociais eContactos sociais e profissionaisprofissionais
  17. 17. PrevenirPrevenir o contagio do HIV?o contagio do HIV? Via Sexual Manter o mesmo parceiro sexual Utilizar correctamente o preservativo Via sanguínea Não partilhar agulhas, seringas máquinas de barbear e outros materiais cortantes ou injectavas Via peri-natal A mulher que deseje engravidar e pense que pode estar infectada deve consultar o médico
  18. 18. Teste de detecção do HIVTeste de detecção do HIV Teste ELISA – mostra se no sangue existem anticorpos contra o HIV (os resultados são confidenciais) Como é feito o teste? Tira-se algum sangue para ser testado Para se ter a certeza absoluta o teste deverá ser feito duas vezes num período de três meses. Onde se faz? Em hospitais, laboratórios e /ou nos centros de aconselhamento e detecção (CATs)
  19. 19. Medicamentos contra o HIVMedicamentos contra o HIV  Não existe qualquer medicamento capaz de destruir oNão existe qualquer medicamento capaz de destruir o VIH.VIH.  O AZT, o DDI e outros,são medicamentos antivíricosO AZT, o DDI e outros,são medicamentos antivíricos usados actualmente para retardar o desenvolvimento dausados actualmente para retardar o desenvolvimento da infecçãoinfecção..  A investigação Mundial aposta, na descoberta não só deA investigação Mundial aposta, na descoberta não só de novos medicamentos mas também de uma vacina quenovos medicamentos mas também de uma vacina que consiga travar o HIV.consiga travar o HIV.
  20. 20. Apoio em caso de SidaApoio em caso de Sida Agir como sempre (tocar,abraçar eAgir como sempre (tocar,abraçar e acariciar)acariciar) Tratar com humanidade éTratar com humanidade é importante para oimportante para o equilíbrio psicológico doequilíbrio psicológico do indivíduo infectado e doindivíduo infectado e do doentedoente Todos precisamos unsTodos precisamos uns dos outrosdos outros Telefonar com frequência e fazerTelefonar com frequência e fazer visitasvisitas Apoiar na correspondência, na idaApoiar na correspondência, na ida às consultadas, no hospital etc.às consultadas, no hospital etc. Convidar paraConvidar para festas,exposições,cinema etc.festas,exposições,cinema etc. Falar da doença com naturalidadeFalar da doença com naturalidade Não recusar os contactos pessoaisNão recusar os contactos pessoais e sociais.e sociais.
  21. 21. Sida em PortugalSida em Portugal Desde 1984 morreram em Portugal 5456 pessoas com Sida * 0,52% dos adultos portugueses estão Infectados pelo HIV* * Dados de 2001
  22. 22. Mais vale prevenir!! Não corra riscos ... Porque existe a SIDA
  23. 23. BibliografiaBibliografia  www.abraço.ptwww.abraço.pt
  24. 24.  PreservativoPreservativo  PílulaPílula  EspermicidasEspermicidas  DiafragmaDiafragma  DIUDIU  LaqueaçãoLaqueação  Método NaturalMétodo Natural  ConclusãoConclusão  BibliografiaBibliografia
  25. 25. PreservativoPreservativo  É uma fina capa de látex, usada no pénis ou na vagina,É uma fina capa de látex, usada no pénis ou na vagina, onde os espermatozóides ficam retidos.onde os espermatozóides ficam retidos.  Se usada correctamente, sua eficácia é alta, varia de 82Se usada correctamente, sua eficácia é alta, varia de 82 a 97%.a 97%.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.  Regras.Regras.
  26. 26.  VantagensVantagens Quase todas as pessoas podem usar; protege contraQuase todas as pessoas podem usar; protege contra doenças sexualmente transmissíveis, inclusive AIDS;doenças sexualmente transmissíveis, inclusive AIDS; previne doenças do colo uterino; não faz mal a saúde;previne doenças do colo uterino; não faz mal a saúde; fácil acesso.fácil acesso.  DesvantagensDesvantagens É preciso usar um preservativo em cada relação.É preciso usar um preservativo em cada relação.
  27. 27. Ter sempre umTer sempre um preservativopreservativo disponível.disponível.
  28. 28. Utilizar umUtilizar um preservativo parapreservativo para cada acto sexual.cada acto sexual. Este deve serEste deve ser colocado antes dacolocado antes da penetração,penetração, mesmo que nãomesmo que não haja ejaculação.haja ejaculação.
  29. 29. Manipular oManipular o preservativo compreservativo com cuidado de modo acuidado de modo a não danificar onão danificar o látex. Colocar olátex. Colocar o preservativo sobrepreservativo sobre o pénis erecto,o pénis erecto, segurando nosegurando no reservatório dereservatório de modo a evitar amodo a evitar a acumulação de ar.acumulação de ar.
  30. 30. Utilizar umUtilizar um lubrificantelubrificante adequadoadequado (hidrossolúvel) ou(hidrossolúvel) ou pomadapomada espermicida,espermicida, disponíveis nasdisponíveis nas farmácias. Nãofarmácias. Não usar vaselina,usar vaselina, óleos solares ouóleos solares ou gordurasgorduras alimentares, todosalimentares, todos estes produtosestes produtos degradam o látex.degradam o látex.
  31. 31. Não usar umNão usar um preservativopreservativo danificado - seco,danificado - seco, que cole ou comque cole ou com cor não uniforme.cor não uniforme.
  32. 32. Ter o cuidado deTer o cuidado de retirar oretirar o preservativo,preservativo, segurando na suasegurando na sua base, depois dabase, depois da ejaculação e antesejaculação e antes do fim da erecção,do fim da erecção, para evitar opara evitar o derramamento doderramamento do espermaesperma
  33. 33. Não utilizar umNão utilizar um preservativo jápreservativo já usado.usado.
  34. 34. Conservar osConservar os preservativos aopreservativos ao abrigo do calor, daabrigo do calor, da luz e da humidade.luz e da humidade.
  35. 35. VerificarVerificar regularmente aregularmente a data de validadedata de validade dos preservativos.dos preservativos. Não usar umNão usar um preservativopreservativo fabricado há maisfabricado há mais de cinco anos.de cinco anos.
  36. 36. PílulaPílula  A pílula contém hormonas que evitam a libertação doA pílula contém hormonas que evitam a libertação do óvulo.óvulo.  A eficácia é alta, se usada correctamente. Varia de 97A eficácia é alta, se usada correctamente. Varia de 97 a 99,9%.a 99,9%.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.
  37. 37.  VantagensVantagens Pode ser a redução dos problemas menstruais; nãoPode ser a redução dos problemas menstruais; não interfere na relação sexual, protege contra algumasinterfere na relação sexual, protege contra algumas doenças ginecológicas inclusive alguns tipos de câncer.doenças ginecológicas inclusive alguns tipos de câncer.  DesvantagensDesvantagens É preciso disciplina e constância; pode produzir efeitosÉ preciso disciplina e constância; pode produzir efeitos colaterais como, náuseas, mal estar gástrico, mudançacolaterais como, náuseas, mal estar gástrico, mudança de peso, dor de cabeça, tontura, diminuição dasde peso, dor de cabeça, tontura, diminuição das menstruações, acne, dor mamária, sangramento entremenstruações, acne, dor mamária, sangramento entre as menstruações, alterações emocionais.as menstruações, alterações emocionais.
  38. 38. EspermicidasEspermicidas  Este método mata ou imobiliza os espermatozóides,Este método mata ou imobiliza os espermatozóides, impedindo a entrada destes no colo uterino.impedindo a entrada destes no colo uterino.  A sua eficácia é de 58 a 90%.A sua eficácia é de 58 a 90%.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.
  39. 39.  VantagensVantagens O seu uso é simples; protege contra algumas doençasO seu uso é simples; protege contra algumas doenças ginecológicas, como infecções vaginais, inclusiveginecológicas, como infecções vaginais, inclusive herpesherpes..  DesvantagensDesvantagens Deve ser colocada antes de cada relação sexual,Deve ser colocada antes de cada relação sexual, mesmo quando praticado em um curto espaço demesmo quando praticado em um curto espaço de tempo; exige muita disciplina no seu uso; algunstempo; exige muita disciplina no seu uso; alguns espermicidas só são eficazes em conjunto com algumespermicidas só são eficazes em conjunto com algum método de barreira.método de barreira.
  40. 40. DiafragmaDiafragma  É um anel flexível, coberto por uma membrana deÉ um anel flexível, coberto por uma membrana de borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina,borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina, para cobrir o colo do útero. Como uma barreira, elepara cobrir o colo do útero. Como uma barreira, ele impede a entrada dos espermatozóides.impede a entrada dos espermatozóides.  Usado em conjunto com o espermicida a sua eficácia éUsado em conjunto com o espermicida a sua eficácia é alta, varia de 82 a 97%.alta, varia de 82 a 97%.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.
  41. 41.  VantagensVantagens Não interfere no ciclo menstrual; ajuda a conhecer oNão interfere no ciclo menstrual; ajuda a conhecer o corpo; é relativamente fácil de usar; não diminui o prazercorpo; é relativamente fácil de usar; não diminui o prazer sexual; protege contra doenças do cervix; se bemsexual; protege contra doenças do cervix; se bem cuidado só precisa de ser substituído a cada quatrocuidado só precisa de ser substituído a cada quatro anos ou após mudança de peso.anos ou após mudança de peso.  DesvantagensDesvantagens Preço do diafragma. Efeitos colaterais, como irritaçãoPreço do diafragma. Efeitos colaterais, como irritação vaginal; reacção alérgica; dor na relação; infecçãovaginal; reacção alérgica; dor na relação; infecção urinária.urinária.
  42. 42. DIUDIU  É um dispositivo feito de cobre, colocado no interior doÉ um dispositivo feito de cobre, colocado no interior do útero, para matar ou diminuir os movimentos dosútero, para matar ou diminuir os movimentos dos espermatozóides. É desencadeada uma reacção, peloespermatozóides. É desencadeada uma reacção, pelo cobre, quando os espermatozóides se aproximam do DIU,cobre, quando os espermatozóides se aproximam do DIU, matando-os. O tipo mais usado é em forma de "T".matando-os. O tipo mais usado é em forma de "T".  A eficácia é considerada alta, varia de 95 a 99,7%.A eficácia é considerada alta, varia de 95 a 99,7%.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.
  43. 43.  VantagensVantagens É bastante eficaz; pode ser usado durante aÉ bastante eficaz; pode ser usado durante a amamentação; não interfere nas relações sexuais; nãoamamentação; não interfere nas relações sexuais; não exige preocupação diária ou disciplina da mulher.exige preocupação diária ou disciplina da mulher.  DesvantagensDesvantagens Precisa de intervenção médica para colocar e tirar; oPrecisa de intervenção médica para colocar e tirar; o útero pode não aceitar o DIU e o expelir; pode produzirútero pode não aceitar o DIU e o expelir; pode produzir efeitos colaterais, como por exemplo, aumentos daefeitos colaterais, como por exemplo, aumentos da quantidade do sangramento menstrual; anemia: cólica;quantidade do sangramento menstrual; anemia: cólica; predisposição a inflamações ginecológicas e corrimentopredisposição a inflamações ginecológicas e corrimento em função de má higiene; gravidez tubária; formação deem função de má higiene; gravidez tubária; formação de coágulos; risco de inflamação do útero, trompas ecoágulos; risco de inflamação do útero, trompas e ovário, que podem resultar em esterilidade.ovário, que podem resultar em esterilidade.
  44. 44. LaqueaçãoLaqueação  A laqueação é feita através de uma cirurgia, que bloqueia asA laqueação é feita através de uma cirurgia, que bloqueia as trompas de Falópio (pela secção, cauterização, anéis outrompas de Falópio (pela secção, cauterização, anéis ou clipes). Deste modo os espermatozóides são impedidos declipes). Deste modo os espermatozóides são impedidos de chegar ao óvulo.chegar ao óvulo. A decisão deve sempre partir da mulher de maneiraA decisão deve sempre partir da mulher de maneira voluntária, pois este procedimento é irreversível, ou seja, avoluntária, pois este procedimento é irreversível, ou seja, a mulher nunca mais poderá ter filhos.mulher nunca mais poderá ter filhos.  É um método altamente eficaz, variando de 99 a 99,9 %.É um método altamente eficaz, variando de 99 a 99,9 %.  Vantagens e desvantagens.Vantagens e desvantagens.  Ilustração.Ilustração.
  45. 45.  VantagemVantagem Não apresenta efeitos colaterais a longo prazo; nãoNão apresenta efeitos colaterais a longo prazo; não interfere nas as relações sexuais ou função sexual; nãointerfere nas as relações sexuais ou função sexual; não há produção de hormónios pelos ovários.há produção de hormónios pelos ovários.  DesvantagemDesvantagem A mulher pode se arrepender mais tarde, nesse caso aA mulher pode se arrepender mais tarde, nesse caso a reversão requer cirurgia complexa; pode haver riscos ereversão requer cirurgia complexa; pode haver riscos e efeitos colaterais da cirurgia; o valor da operação éefeitos colaterais da cirurgia; o valor da operação é muito elevada e tem pouca garantia de eficácia; o valormuito elevada e tem pouca garantia de eficácia; o valor dessa cirurgia é mais alto do que a vasectomia;dessa cirurgia é mais alto do que a vasectomia; dor/desconforto de curta duração após procedimento.dor/desconforto de curta duração após procedimento.
  46. 46. Método NaturalMétodo Natural  Este método tenta encontrar, através de cálculos, o início eEste método tenta encontrar, através de cálculos, o início e o fim do período fértil.o fim do período fértil.  Como calcular o período fértil:Como calcular o período fértil: Basta saber qual o provável dia da próxima menstruação.Basta saber qual o provável dia da próxima menstruação. Pegue nesse número e subtraia pelo número 14. DepoisPegue nesse número e subtraia pelo número 14. Depois conte 5 dias antes desse valor e 5 dias depois. Assimconte 5 dias antes desse valor e 5 dias depois. Assim saberá qual é o seu período fértil.saberá qual é o seu período fértil.  Ilustração.Ilustração.
  47. 47. ConclusãoConclusão A sida é uma doença mundial que mata inocentes.A sida é uma doença mundial que mata inocentes. Por enquanto não existe cura para a sida.Por enquanto não existe cura para a sida. Daí o nosso trabalho no sentido de aprender-mos a alterarDaí o nosso trabalho no sentido de aprender-mos a alterar os nossos comportamentos na vivência da sexualidade.os nossos comportamentos na vivência da sexualidade. Concluímos que e necessário informarmos com clarezaConcluímos que e necessário informarmos com clareza sobre este problema que não escolhe sexo e nos podesobre este problema que não escolhe sexo e nos pode acontecer.acontecer. A solução é: informares-te, dialogar com o outro, seresA solução é: informares-te, dialogar com o outro, seres sincero e não fazer da vivência da sexualidade apenassincero e não fazer da vivência da sexualidade apenas uma “curtição” que te pode trazer consequênciasuma “curtição” que te pode trazer consequências dramáticas.dramáticas. Por isso previne-te…Por isso previne-te…
  48. 48. BibliografiaBibliografia  www.olaporto.com/contraceptivoswww.olaporto.com/contraceptivos  www.adolecentes.psc.br/adolecentes/contwww.adolecentes.psc.br/adolecentes/cont raceptivosraceptivos  www.hmdap.com.br/3_dicas/dicas_metodwww.hmdap.com.br/3_dicas/dicas_metod os_contraceptivosos_contraceptivos

×