Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentaçao Stéphane Bellon CBA-Agroecologia2013

484 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentaçao Stéphane Bellon CBA-Agroecologia2013

  1. 1. DESAFIOS DA PEQUISA EM AGROECOLOGIA Stéphane Bellon Unité Ecodéveloppement INRA-SAD Avignon
  2. 2. O triângulo da agroecologia (D1) Políticas Práticas Ciências (adaptado de Wezel et al., 2009)
  3. 3. Mensagem Os desafios da pesquisa em agroecologia se referem: • A identificação de questoes e temas de pesquisa • A maneira de abordar estes temas (perspectiva: programmaçao e agenda de pesquisa) Os avanços existem, mas o campo de exploração continua ainda importante. Por quê? • Para todos, a Agroecologia significa mudar a concepção de agricultura a partir de novas bases • É também tentar re-ligar agricultura, alimentação, meio ambiente, ciência, e projeto político…
  4. 4. Sete desafios • • • • • • • Visão, programação Societal, cidadania (pesquisa publica) Estrategico Cognitivo Abordagem (metodos) Innovacion Integracao, cooperacao • (formação)
  5. 5. Os desafios sobre os quais há acordo (D2) Questões • As multiplas incertezas e inseguranzas (clima, água, energia, nutrição, alimentação), mas inseguranzas se convergem (suas interações são muitas e importantes) • Limítes do modelo agrícola dominante (em seu sentido amplo), necessidade de mudança, de transição nos sistemas agri-alimentares
  6. 6. Abordagens e convergências (D3) Bases de construção • Atuar sobre as regulações biológicas mais do que insumos para aumentar a produção • Fazer a gestão dos recursos raros e não renováveis « O nó agroecológico » • Concepção de sistemas, con varias proposições: reconstituir os ecossitemas « originais », favorecer as co-evoluções [praticas/ meio ambiente], conceber novos sistemas [assentamentos)... • Combinar os saberes camponenses • Agrobiodiversidade com os conhecimentos científicos • Insumos agrícolas • Adaptar as soluções técnicas caso a • Criação animal caso; ajudar os agricultores a • Reciclagem de recursos (alimentos, buscar suas próprias soluções energia, agua) • Articular as escalas da parcela, da unidade de produção, do território, • Acesso ao alimento e sistemas alimentares locais do sistema alimentar, para buscar soluções econômicamente • Redes de inovação rentáveis e socialmente justas. (desde Tomich et al., 2011)
  7. 7. (from Dumont et al., 2013)
  8. 8. Novos conhecimentos sobre agroecossitemas (D4) Sem receitas para todos, mas sim princípios gerais • Explorar novos processos ecológicos, e situações agrícolas distantes de ótimos ja conocidos • Aumentar a diversidade genética no nível das culturas, da rotação, e da combinação policultivos - pecuária • Levar em conta as dinâmicas sócioecológicas ao nível da paisagem e do território Um desafio Principios definidos para oriundar programas de pesquisa (o P&D) poden alimentar estrategias tecnocraticas tal como sostener uma transicao transformativa de abajo para encima Repensar categorias habituais • Exploração agricola – cadena productivas ... • Desempenho e formas de avaliação de desempenhos • Papéis de indicadores e outros métodos de avaliação, ou de « valoração » (« valuation ») • Sair da idea de compromiso (tradeoffs), para uma visao mais organica (metabolismo, propriedades...) • Formas e fontes de conhecimento A noção de saúde pode ser central e levar à repensar varias categorias
  9. 9. Enfoque, abordagem e metodos (D5) • • • • Articulaçãoes entre: conocimiento situado (camponense/ ) e conocimineto de cientistas, en un mundo que troca (tema do congreso de Curitiba) metodos de pesquisa (modelos de: laboratorio/ terreno/ pesquisaçao) modelização, experimentação sistêmica e redes de propriedades produção cientifica e impacto da pesquisa • • • • Traduccion Formas de conocimiento e interaccion entre elas Actuar en incerteza y explorar situaciones // novas Perennisacao da [pesquisa na] AE (permacultura, pueblos, plantas, integracion lavora pecuaria) Valorizacao dos processos e resultados, individuais e colectivos
  10. 10. Novos esforços para innovar (D6) Frente a diversidade da agricultura • Situações agrícolas muito contrastantes (solo, clima, recursos, estruturas de produção, vulnerabillidade ecológica, sistema agroindustrial, demanda local …) • Uma diversidade de visões de futuro dos atores do território, levando a uma diversidade de opções em matéria de sistemas agrícolas • Não é possível (nem desejável) buscar inovações consensuais, ou sistemas de produção ideais. • É preciso preparar uma diversidade de soluções, para deixar a escolha aos agricultores, e para lhes ajudar a enfrentar situações diversas. • Dotar os agricultores das ferramentas e dos métodos que os permitam inovar por eles mesmos e adaptar inovações externas pertinentes a sua realidade. • Rolo de collectivos (grupos de interes economico e ambiental?)
  11. 11. Integraçion em programas (D7) Orientações gerais Documentos de orientação (Inra e seus departamentos/Cirad/.. Ministérios) Macro et meta-programas (instrumentos mais comuns ) Exemplos do l’Inra: • Gestão integrada da saúde animal (GISA) • Manejo sustentável da sanidade vegetal- SMaCH • EcoServ • GloFood • ACAF Ao nivel internacional • Horizonte 2020 (Europa) • PEI (partenariats européens de l’innovation) • Inovações agroecológicas (Ifoam) • Programas de formação (ex: escola de verão internacional em agroecologia; universidade virtual de agroecologia através do ensino à distância...) • Des communautés restant à structurer à l’international
  12. 12. Conclusões • Agroecologia: uma abertura a novos saberes e novos arranjos de pesquisa • Uma diversidade de situações, uma diversidade de respostas adaptadase • O pesquisador deve interagir fortemente com a realidade agrícola para ser coerente • Pensar e agir de maneira sistêmica (adequação de escalas, retro-ação, efeitos indiretos e sinergisticos…) • Perspectivas…
  13. 13. Thematicas No inra Agronomia* ecologia • Ces objectifs ont été déclinés selon les cinq priorités scientifiques : – – – – – P1- Interactions biotiques dans les agro-écosystèmes ; P2- Agro-écologie du paysage ; P3- Evaluation multicritères et services des écosystèmes ; P4- Gestion durable de la multifonctionnalité des sols et des eaux ; P5- Conception et transition de nouveaux systèmes agricoles. No SAD agroecologia para accion • AE comme champ interdisciplinaire, liant sciences agronomiques, écologie et sciences économiques et sociales • Deux finalités sont définies : • (i) l’analyse des systèmes sociotechniques, des systèmes socioécologiques et leurs dynamiques en agriculture, dans les territoires et les filières innovantes • (ii) le développement de concepts et de démarches pour favoriser les processus d’innovations et accompagner les transitions.

×