Cartografia primeiro ano

5,189 views

Published on

  • Be the first to comment

Cartografia primeiro ano

  1. 1. 1
  2. 2. b a 2
  3. 3. CIÊNCIAS CARTOGRÁFICAS Coordenadas Geográficas  Não é dado nenhum nome específicos aos círculos máximos secundários, mas a palavra meridiano define cada semicírculo de um par, que juntos formam um círculo secundário.  A cada meridiano, opõe-se o seu antimeridiano, ou seja o meridiano diametralmente oposto. O círculo secundário completo, compreende o meridiano e o seu antimeridiano. M ei rO io dm i r ang e E q u a d or
  4. 4. LATITUDE E LONGITUDE Latitude: é a distância em graus de qualquer ponto da superfície em relação à Linha do Equador.( Só pode ser Norte ou Sul) Longitude: é a distância em graus de qualquer ponto da superfície em relação ao Meridiano de Greenwich.(só pode ser Leste ou Oeste). 4
  5. 5. 5
  6. 6. 6
  7. 7. 7
  8. 8. LOCALIZAÇÃO 8
  9. 9. MOVIMENTOS DA TERRA E CONSEQUÊNCIAS Rotação: *Dias e Noites; *Movimento aparente do sol Translação: *Ano Bissexto; *Estações do ano 9
  10. 10. ESTAÇÕES DO ANO Devido ao eixo de inclinação da Terra e a seu movimento de translação temos a estações do ano. 10
  11. 11. ESTAÇÕES DO ANOHemisfério sul Hemisfério norte 21 dezembro = verão 21 dezembro = inverno 21 junho = inverno 21 junho = verão 21 março = outono 21 março = primavera 23 setembro = primavera 23 setembro = outono 11
  12. 12. 12
  13. 13. AS DATAS QUE MARCAM O INÍCIO DAS ESTAÇÕESDO ANO RECEBEM A DENOMINAÇÃO DE: EQUINÓCIO  SOLSTÍCIO 13
  14. 14. EQUINÓCIO Equinócio(noites iguais aos dias) 21 de março = hemisfério boreal é equinócio de primavera e no hemisfério austral é equinócio de outono. 23 de setembro = hemisfério boreal é equinócio de outono e no hemisfério austral é equinócio de primavera. 14
  15. 15. SOLSTÍCIO No dia 21 de junho, ocorre o solstício de verão no hemisfério setentrional. É o dia mais longo e a noite mais curta. No hemisfério meridional solstício de inverno, com a noite mais longa do ano. No dia 21 de dezembro, ocorre o solstício de inverno no hemisfério setentrional.É a noite mais longa e o dia mais curto. No hemisfério meridional solstício de verão com o dia mais longo do ano. 15
  16. 16. 16
  17. 17. CARTOGRAFIA Arte ou ciências de fazer mapas
  18. 18. CARTOGRAFIA Segundo ABNT, a “arte ou ciências de levantamento , construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza” recebe a denominação de Cartografia. 18
  19. 19. 19
  20. 20. 20
  21. 21. 21
  22. 22. RECURSOS UTILIZADOS PARA ELABORAÇÃODE MAPAS Aerofotogrametria Sensoriamento remoto Geoprocessamento (GIS- sistema de informações geográfica) Para obter o sucesso é preciso complementar o trabalho com dados obtidos em uma pesquisa de campo no local fotografado. 22
  23. 23. AEROFOTOGRAMETRIA  É a elaboração de cartas através de fotografias aéreas. 23
  24. 24. 24
  25. 25. SENSORIAMENTO REMOTO São cartas feitas através de imagens obtidas por satélites artificiais, obtém-se uma melhor representação da superfície terrestre. Podemos chamar de sensoriamento remoto o conjunto de técnicas que permitem obter informações sobre a superfície terrestre através de sensores instalados em satélites artificiais. As informações captadas pelo sensor são processadas digitalmente por modernos equipamentos. 25
  26. 26. GEOPROCESSAMENTO É o conjunto de tecnologias que permite a coleta de dados e a análise de informações sobre determinado tema. Essas tarefas são executadas pelo GIS. O GIS permite a superposição e o cruzamento de informações. Sua principal característica é integrar, em uma única base, informações diversas (imagens, dados cartográficos, dados de censo, etc.), de forma que seja possível consultar, analisar e comparar as informações, além de produzir mapas. É o uso integrado do sensoriamento e o GIS. 26
  27. 27. 27
  28. 28. O QUE SÃO AS PROJEÇÕESCARTOGRÁFICAS?Os sistemas de projeções constituem-se de uma fórmula matemática que transforma as coordenadas geográficas, a partir de uma superfície esférica, em coordenadas planas, mantendo correspondência entre elas.O uso deste artifício geométrico das projeções consegue reduzir as deformações, mas nunca eliminá-las.
  29. 29. POR QUE ESTUDAR CARTOGRAFIA NOENEM Todos os mapas, gráficos e imagens são utilizados nas questões para identificar, localizar e contextualizar fatos sociais, ambientais, políticos e econômicos; Leitura de mundo não textual; Semiótica (do grego semeiotiké ou "a arte dos sinais") é a ciência geral dos signos e da semiose que estuda todos os fenômenos culturais - sistemas de significação. Mais abrangente que a lingüística.
  30. 30. PARA LER E INTERPRETAR MAPAS E GRÁFICOS ÉNECESSÁRIO OBSERVAR:Mapas Gráficos Título; Título; Legenda; Legenda; Escala; Coordenadas geográficas; Tipo do mapa:
  31. 31. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Todosos mapas são representações aproximadas da superfície terrestre;Éimpossível representar uma superfície curva em uma superfície plana sem que haja deformações; Por isso os mapas preservam certas características ao mesmo tempo em que alteram outras;
  32. 32. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS As projeções cartográficas são formas ou técnicas de representar a superfície terrestre em mapas. Todos os mapas são representações aproximadas da superfície terrestre, uma vez, que a forma esférica da Terra é desenhada sobre uma superfície plana, assim: TODO MAPA POSSUI DISTORÇÕES DE DIREÇÃO, ÁREA OU FORMA!
  33. 33. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Tipo de Superfície Adotada Quanto ao tipo de superfície adotada, são classificadas em: CILÍNDRICAS, PLANAS OU AZIMUTAIS E CÔNICAS Projeção Cilíndrica - o mapa é construído imaginando-o desenhado num cilindro tangente ou secante à superfície da Terra, que é depois desenrolado.
  34. 34. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Tipo de Superfície Adotada Quanto ao tipo de superfície adotada, são classificadas em: CILÍNDRICAS, PLANAS OU AZIMUTAIS E CÔNICAS Projeção Plana ou Azimutal - o mapa é construído imaginando-o situado num plano tangente ou secante a um ponto na superfície da Terra. Ex. Projeção Esterográfica Polar.
  35. 35. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Tipo de Superfície Adotada Quanto ao tipo de superfície adotada, são classificadas em: CILÍNDRICAS, PLANAS OU AZIMUTAIS E CÔNICAS Projeção Cônica - o mapa é construído imaginando-o desenhado num cone que envolve a esfera terrestre, que é em seguida desenrolado.
  36. 36. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASMAIS USADAS PARA O ENEM Projeção de Mercator; Projeção de Peters; Projeção Azimutal;
  37. 37. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÃO DE MERCATOR
  38. 38. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÃO DE PETERS
  39. 39. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS
  40. 40. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICASPROJEÇÃO AZIMUTAL
  41. 41. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Comparação: Conforme / Equivalente Proporção no mapa Mercator Proporção no mapa Mollweide
  42. 42. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS 3) Projeções Eqüidistantes são as projeções que não apresentam deformações em linha reta; -Isso só é possível em determinada direção. -São menos empregadas que as projeções conformes e equivalentes, porque raramente é desejável um mapa com distâncias corretas apenas em uma direção
  43. 43. REVISANDO
  44. 44. TIPOS MAIS COMUNS DEPROJEÇÕES A maioria dos mapas é feita a partir da projeção dos meridianos e paralelos curvos da esfera terrestre numa das figuras geométricas abaixo.
  45. 45. PROJEÇÃO CILÍNDRICA Na projeção cilíndrica, a superfície terrestre é projetada sobre um cilindro tangente ao elipsóide que então é longitudinalmente cortado e planificado.
  46. 46. NESTA PROJEÇÃO OS MERIDIANOS E OS PARALELOS SÃOLINHAS RETAS QUE SE CORTAM EM ÂNGULOS RETOS. NELAAS REGIÕES POLARES APARECEM MUITO EXAGERADAS. OSMAPAS-MÚNDI SÃO FEITOS EM PROJEÇÕES CILÍNDRICAS.
  47. 47. PROJEÇÃO CÔNICA Naprojeção cônica, a superfície terrestre é projetada sobre um cone tangente ao elipsóide que então é longitudinalmente cortado e planificado.
  48. 48. NESTA PROJEÇÃO OS MERIDIANOS CONVERGEM PARA OSPÓLOS E OS PARALELOS SÃO ARCOS CONCÊNTRICOSSITUADOS A IGUAL DISTÂNCIA UNS DOS OUTROS. SÃOUTILIZADOS PARA MAPAS DE PAÍSES DE LATITUDES MÉDIAS.
  49. 49. PROJEÇÃO AZIMUTAL São projeções sobre um plano tangente ao esferóide em um ponto. No tipo normal (ou polar), o ponto de tangência representa o pólo norte ou sul e os meridianos de longitude são linhas retas radiais que partem deste ponto enquanto paralelos de latitude aparecem como círculos concêntricos.
  50. 50. A DISTORÇÃO NO MAPA AUMENTA CONFORME SE DISTANCIA DOPONTO DE TANGÊNCIA. CONSIDERANDO QUE DISTORÇÃO É MÍNIMAPERTO DO PONTO DE TANGÊNCIA, AS PROJEÇÕES AZIMUTAIS SÃOAPROPRIADAS PARA REPRESENTAR ÁREAS QUE TÊM EXTENSÕESAPROXIMADAMENTE IGUAIS NAS DIREÇÕES NORTE-SUL OU LESTE-OESTE.
  51. 51. PROJEÇÃO AZIMUTALCENTRADA NA CIDADE DE SÃO PAULO
  52. 52. OUTRAS PROJEÇÕESPROJEÇÃO DE MOLLWEIDE
  53. 53. PROJEÇÃO DE GOODE
  54. 54. CARACTERÍSTICAS DAS PROJEÇÕES• Eqüidistantes – mantém as distâncias lineares (apartir de um centro), mas apresentam distorçõesnas áreas e nas formas.• Equivalentes – apresentam formas distorcidas,mas as áreas mantém o mesmo valor da área real(as formas ficam prejudicadas).• Conformes – procuram manter os ângulos,conservando assim as formas terrestres (masapresentam distorções nas áreas).
  55. 55. MERCATOR X PETERSDIFERENTES VISÕES DO “MUNDO” Sãoos mapas-múndi mais usados. Ambos feitos a partir de projeções cilíndricas. MERCATOR (1569) PETERS (1973)
  56. 56. PROJEÇÃO DE MERCATOR Excelente para a navegação. É uma cilíndrica conforme. Perfeita nos ângulos e formas. Distorcido nas áreas, com as terras próximas ao Pólos (elevadas latitudes) desproporcionalmente maiores. Coloca a Europa no centro do mapa (Eurocentrismo).
  57. 57. PROJEÇÃO DE PETERS Cilíndrica equivalente. Perfeito nas áreas (o tamanho de cada nação ou continente) Distorcido nos ângulos e formas África no centro Propostas de Peters:1. Valorização do mundo subdesenvolvido, mostrando sua área real.2. Ressaltar a idéia que por trás de cada mapa, sempre existe um conteúdo Político- Ideológico.
  58. 58. ANAMORFOSES São mapas esquemáticos, sem escala cartográfica. São representações em que as áreas sofrem deformações matematicamente calculadas, tornando-se diretamente proporcionais a um determinado critério que se está considerando. Vejamos exemplos:
  59. 59. PAÍSES:INVESTIMENTOS EM PESQUISA EM 2000
  60. 60. PIB DAS UFS EM 1990
  61. 61. POTENCIAL DEBIODIVERSIDADE COLÔMBIA INDONÉSIAPERU BOLIVIA BRASIL CONGO
  62. 62. ?????? RÚSSIA R. UNIDO FRANÇA ÍNDIA EUA ISRAEL PAQUISTÃO CHINA
  63. 63. ????? EUA RÚSSIA ARÁBIA SAUDITA IRÃ
  64. 64. ESCALAS É a relação entre o tamanho representado no mapa e o tamanho real na superfície terrestre. 73
  65. 65. 74
  66. 66. TIPOS DE ESCALAS Escala gráfica Escala numérica 75

×