Bdm aula 6 - normalização - ticianne darin

1,393 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,393
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
106
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Bdm aula 6 - normalização - ticianne darin

  1. 1. Bancos de DadosMultimídiaTicianne Darin
  2. 2. Normalização
  3. 3. NormalizaçãoProcesso que consiste em estruturar ainformação em tabelas da forma maisadequada tendo em consideração asoperações que podem vir a ser executadassobre essa informação.
  4. 4. NormalizaçãoPermite evitar redundâncias desnecessáriase eliminar problemas que podem ocorrerem operações de inserção, eliminação eatualização de dados.
  5. 5. Anomalias de AtualizaçãoENOME ECOD DNO DNOME DGERJoão Silva 620.042 D1 Pessoal Tereza CostaMaria Alves 328.345 D2 Brinquedos Marcia MendesAna Pereira 245.980 D2 Brinquedos Marcia MendesFabio Costa 567.987 D3 Roupas Iris PereiraJane Lima 456.321 D1 Pessoal Tereza Costa DNO DNOME, DGER Para um mesmo valor de DNO, DNOME e DGER terão os mesmos valores
  6. 6. Solução: DecomposiçãoENOME ECOD DNOJoão Silva 620.042 D1Maria Alves 328.345 D2Ana Pereira 245.980 D2Fabio Costa 567.987 D3Jane Lima 456.321 D1 DNO DNOME DGER D1 Pessoal Tereza Costa D2 Brinquedos Marcia Mendes D3 Roupas Iris Pereira
  7. 7. Modelo ER ID Nome Endereço Hobby 1111 Joe 123 Main {biking, hiking}Modelo Relacional ID Nome Endereço Hobby 1111 Joe 123 Main biking 1111 Joe 123 Main hiking ……………. Redundância ID Nome ID Endereço
  8. 8. Dependência Funcional
  9. 9. Dependência Funcional• Seja a tabela A com a seguinte estrutura: A (x,y,z,w): – z é funcionalmente dependente do atributo x, se, para um dado valor de x o valor de Z é sempre o mesmo. – x é dominante, z é dependente x z
  10. 10. Dependência Funcional Elementar• Seja a tabela A com a seguinte estrutura: A (x,y,z,w): – quando o atributo w depende do conjunto {x,y} como um todo, e não depende de nenhum dos seus elementos (ou subconjuntos) tomados isoladamente – w é irredutivelmente dependente de {x,y} {x,y} w
  11. 11. Exemplo MATRÍCULAS (disciplina, estudante, semestre, nota) {disciplina, estudante} semestre, nota Estudante Disciplina Semestre Nota Erico Silva Banco de Dados 2012-2 8,5 Erico Silva Banco de Dados 2012-2 7,5
  12. 12. Regras de Inferência para DF• RI1:Regra da reflexidade: Se X  Y então XY• RI2:Regra do acréscimo: Se XY então WX  WY• RI3:Regra da Transitividade: Se X  Y e Y  Z então X  Z• RI4:Regra da União: Se X  Y e X  Z então X  YZ• RI5:Regra da Decomposição: Se X  YZ então X YeXZ• RI6:Regra da Pseudotransitividade: Se XY e WYZ então XW  Z
  13. 13. Normalização de Relações• Levar um esquema de relação por uma série de testes – Certifica se ele satisfaz certa forma normal• Testes de forma normal
  14. 14. Normalização de Relações• Propriedades que os esquemas relacionais devem ter: – Propriedade de junção não aditiva • Extremamente crítica – Propriedade de preservação de dependência • Desejável, mas às vezes é sacrificada por outros fatores
  15. 15. Na prática...• Projetos resultantes de alta qualidade e atendem as propriedades desejáveis• Normalização apenas até a 3FN, FNBC ou, no máximo, 4FN• Não precisam normalizar para a forma normal mais alta possível
  16. 16. Definições de chaves e atributosparticipantes em chaves• Definição de superchave e chave• Chave candidata – Se um esquema de relação tiver mais de uma chave • Uma é a chave primária • As outras são chamadas chaves secundárias
  17. 17. Primeira Forma Normal (1NF)Uma relação de variáveis está na primeiraforma normal se cada tupla contiver umvalor para cada atributo.
  18. 18. Primeira Forma Normal (1NF)• Parte da definição formal de uma relação no modelo relacional básico (plano)• Os únicos valores de atributo permitidos são os valores atômicos (ou indivisíveis)
  19. 19. Primeira Forma Normal (1NF)• Técnicas principais para conseguir a primeira forma normal – Remover o atributo e colocá-lo em uma relação separada – Expandir a chave – Usar vários atributos atômicos
  20. 20. Primeira Forma Normal (1NF)• Não permite relações aninhadas – Cada tupla pode ter uma relação dentro dela• Para alterar a 1NF: – Remova os atributos da relação aninhada para uma nova relação – Propague a chave primária para ela – Desaninhar a relação para um conjunto de relações 1NF
  21. 21. Segunda Forma Normal (2NF)Uma relação de variáveis encontra-se nasegunda forma normal se estiver naprimeira forma normal e todos os atributosque não são chave primária, dependemirredutivelmente da chave primária.
  22. 22. Segunda Forma Normal (2NF)• Baseada no conceito de dependência funcional total (não parcial)
  23. 23. Terceira Forma Normal (3NF)Uma relação encontra-se na terceira formanormal se já estiver na segunda formanormal e todos os seus atributos que nãoforem chave primária forem nãotransitivamente dependentes da chaveprimária.
  24. 24. Terceira Forma Normal (3NF)• Baseada no conceito de dependência transitiva
  25. 25. Forma Normal de Boyce-CoddPor definição uma relação está na BCNF setodos os atributos são funcionalmentedependentes da chave, de toda a chave enada mais do que a chave
  26. 26. Forma Normal de Boyce-Codd• Cada relação em FNBC também está na 3FN – Uma relação na 3FN não necessariamente está na FNBC• Diferença: – Condição que permite que A seja principal está ausente da FNBC• A maioria dos esquemas de relação que estão na 3FN também estão na FNBC
  27. 27. FNBC versus 3NF• FNBC – Para cada DF X->Y de uma relação R: • Y é um subconjunto de X ou • X é uma superchave da relação• 3NF – Para cada DF X-> Y de uma relação R: • Y é um subconjunto de X ou • X é uma superchave da relação • Y é um subconjunto de K, para alguma chave K de R (um subconjunto de uma chave não é uma chave)
  28. 28. Os esquemas estão em BCNF?MATRÍCULA (s#, c#, semestre, nota) - S#, c#, semestre notaEMPREGADO (emp, dept, sal) - emp sal - suponha que um empregado pode trabalhar em mais de um departamento.
  29. 29. Decompõe! EMPREGADO (emp, dept, sal)EMP1 (emp, dept) EMP2 (emp, sal)
  30. 30. Exercício em Sala
  31. 31. Feliz é o homem que acha sabedoria, eo homem que adquire entendimento;Provérbios 3:13 Até a próxima aula!

×