Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Aula américa latina_30-11-2012

1,650 views

Published on

  • Be the first to comment

Aula américa latina_30-11-2012

  1. 1.  INTRODUÇÃO  MÉXICO - Demografia - Economia - Nafta e EZLN - Guerra ao Narcotráfico e política  AMÉRICA CENTRAL - Países da América Central e Caribe - Aspectos gerais (América do Sul na próxima aula)
  2. 2. • Do ponto de vista étnico-linguístico, consideramos que as Américas são divididas em apenas 2 partes: • América Anglo-Saxônica • América Latina • A América Anglo-Saxônica é composta por Estados Unidos e Canadá. • A América Latina é composta por México, América Central e América do Sul.
  3. 3. • A América Latina se constitui de um conjunto de países do continente americano que apresentam como traço comum a herança cultural dos países latinos da Europa, a saber: * Portugal * Espanha * França * Itália • Como sabemos, a imensa maioria dos países da América Latina possui herança linguística de Portugal e da Espanha. Alguns poucos da França. Nenhum da Itália.
  4. 4. • A maioria dos países da América Latina falam a língua espanhola - com exceção do Brasil, de língua portuguesa, e de alguns poucos de língua francesa - e foram subjulgados por uma colonização de forte caráter explorador. • Esses países fazem parte do designado "Terceiro Mundo", cujos sinônimos correntes parece confundir-lhes a identidade: * "países em vias de desenvolvimento" * "subdesenvolvidos" * "dependentes" * "periféricos" * "emergentes"
  5. 5. • Outro traço socio-econômico comum são os problemas sociais que afligem em maior ou menor escala todos eles. • As partes do continente americano que compõem a América Latina são: * México * América Central * América do Sul • Vamos estudá-las
  6. 6. • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil.
  7. 7. • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil. • O México possui 112 milhões de habitantes
  8. 8. • Com um quadro natural marcado pelo aspecto montanhoso, o México configura-se atualmente como a segunda maior economia latino- americana, atrás apenas do Brasil. • O México possui 112 milhões de habitantes • Os mexicanos são resultado da miscigenação entre a população nativa, remanescente dos Aztecas principalmente, e o colonizador europeu.
  9. 9. • Essa população concentra-se sobremaneira no centro-sul do país, pois na franja setentrional há adversidade climática que dificulta a permanência de grandes populações. O norte do México é desértico. • A população mexicana é predominantemente urbana: 75% vivem nas cidades.
  10. 10. • A metrópole da Cidade do México possui 19,8 milhões de habitantes e é a terceira maior do mundo, atrás apenas de Tóquio (Japão) e Seul (Coreia do Sul). • Só para comparação, São Paulo é a 3ª maior metrópole do mundo com 20,4 milhões de habitantes (Grande São Paulo). • A metropolização mexicana é mais um exemplo de "macrocefalismo" e segue a mesma tendência dos grandes aglomerados urbanos de todo o Terceiro Mundo, ou seja, apresenta um crescimento desordenado. • Macrocefalismo = crescimento desordenado da cidade
  11. 11. • Por conta do crescimento desordenado, proliferam-se nessas metrópoles a presença de habitações anormais, ou "favelas", na qual vivem pessoas que não podem pagar por condições mais dignas de moradia.
  12. 12. • Entre outros problemas decorrentes desse crescimento desordenado, o que mais tem chamado a atenção é o avançado estágio de poluição atmosférica dessa metrópole, uma das mais poluídas do mundo. • Quanto ao crescimento demográfico, o país apresenta um paradoxo: apesar de ter declinado muito nos últimos anos, a natalidade é ainda bastante alta
  13. 13. • Já o crescimento vegetativo é corrigido pela taxa de emigração - milhões migram para o país vizinho rico do norte: os Estados Unidos da América • Calculam-se que sejam, legalizados ou ilegais, aproximadamente 18 milhões de mexicanos nos EUA.
  14. 14. • O México, tal qual o Brasil, é designado como "país emergente". • Dono de uma balança comercial digna de respeito, comparada com alguns países de "primeiro mundo". • Na agricultura, a geografia mexicana não é das mais favoráveis, pois o clima árido do norte e o aspecto montanhoso do território limitam em muito a prática agrícola. Mesmo assim, o país consegue bons rendimentos.
  15. 15. • No México são muito comuns os "éjidos". • Éjidos são pequenas propriedades camponesas mexicanas, instituídas após a reforma agrária empreendida no país ainda no começo do século 20, como consequencia da Revolução Mexicana. • Os "éjidos" são o tipo de propriedade predominante no país, e os principais produtos são: * Milho * Café * Feijão * Batata * Cana-de-açúcar * Algodão • A partir das conquistas no desenvolvimento agrário observadas ao longo de sua história e com o respectivo aumento da produtividade, o país reduziu em muito sua dependência na importação de alimentos, hoje na casa de 9% de suas necessidades.
  16. 16. • Com uma produção atual que alcança 3,4 milhões de barris ao dia, o México se situa entre os maiores produtores mundiais de petróleo. • Isso torna o setor petroquímico o mais importante da indústria mexicana. • O combustível é um dos principais responsáveis pela pauta de exportação, em que pese a qualidade de seu hidrocarboneto não estar entre as melhores.
  17. 17. • O petróleo no México é abundante no Golfo do México, no litoral leste do país. • No mesmo Golfo do México, mas a norte, fica a maior região produtora de petróleo dos EUA, o litoral do Texas. • A prata é encontrada em abundância desde antes da chegada do europeu. • Apesar da exploração absurda da prata, o país ainda figura entre os maiores produtores mundiais. Mas as reservas estão quase acabando. • A produção de chumbo, cobre e ferro, encontrados nos altiplanos, está sob controle de empresas mineradoras dos EUA.
  18. 18. • Os rios tributários da vertente pacífica têm elevado potencial hidrelétrico, o que explica a localização das usinas. • A produção supera a demanda, fornecendo energia elétrica suficiente para aproveitamento doméstico e industrial. • Os fatores que contribuíram para o processo de industrialização mexicana são: 1. As reservas minerais existentes no país 2. O petróleo 3. O bom parque energético instalado 4. A centralização estatal num primeiro momento 5. Investimento de capital externo, principalmente dos EUA.
  19. 19. • Os principais centros industriais são: 1. Cidade do México 2. Guadalajara 3. Monterrey, no norte do país. 4. Puebla • O setor de bens de produção merece destaque em Monterrey e na Cidade do México, enquanto Guadalajara e Puebla apresentam tradicionais indústrias de bens de consumo. • É inegável o predomínio das multi-nacionais estadunidenses na indústria automobilística, com a presença da Ford, da General Motors (Chevrolet) e da Chrysler.
  20. 20. • Em outros setores não é muito diferente: no elétrico- eletrônico, por exemplo, há a presença da General Electric, da Philco, entre outras. • As indústrias nacionais mexicanas estão presentes em setores mais tradicionais como o alimentício e o de bebidas, com empresas como Herdez, Corona, Tecate, Del Valle e Sol. • E não podemos esquecer da força maior que possui a indústria petro-química, liderada pela empresa estatal de petróleo: PEMEX, Petróleos Mexicanos.
  21. 21. • Contudo, a maior tendência industrial mexicana nos últimos 20 anos tem sido as "maquiladoras". As indústrias maquiadoras. • Esse tipo de fábrica se caracteriza pela linha de montagem: localizadas quase na fronteira do México com os EUA, a maior zona aduaneira do planeta, configuram-se no transporte diário dos produtos que: 1. inicialmente são projetados nos EUA 2. em seguida são montados no México 3. e voltam para ser vendidos nos EUA. • As "maquiladoras" são, na realidade, uma extensão do capitalismo estadunidense, uma espécie de filial de empresas dos EUA que utilizam: * a mão-de-obra mais barata do México * a isenção alfandegária em vigor desde a criação do Nafta.
  22. 22. • Em 1993 o México ingressou no Nafta, um acordo entre os países norte-americanos para o livre comércio, formando um bloco econômico, em moldes similares ao Mercosul. • O Nafta é composto por: * Canadá * Estados Unidos * México • Nafta é a sigla de "North American Free Trade Agreement" - Acordo de Livre Comércio Norte-Americano.
  23. 23. • No sul do México, a partir de 1994, ganhou projeção um movimento que veio trazer novos ares políticos ao país. • No estado de Chiapas - um dos mais pobres do país, e habitado majoritariamente por indígenas descendentes dos maias - irrompeu-se um levante contra a situação de extrema pobreza e o descaso do governo central. • Optando pela luta armada, surgiu o EZLN - Exército Zapatista de Libertação Nacional - inspirado nos ideais de Emiliano Zapata, líder da Revolução Mexicana no início do Século 20 (1911-1917). • A proposta autogestionária tem, entre outras bandeiras, o combate explícito ao neoliberalismo e ao ingresso do México no Nafta. • Segundo os zapatistas, a entrada do país no Nafta agrava a situação da população camponesa sem apoio, uma vez que estes serão estrangulados com a invasão de gêneros agrícolas estadunidenses. • O líder do EZLN é o subcomandante Marcos.
  24. 24. 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Mortes • Desde 2006 se intensificou no México a guerra entre os cartéis da droga. • O tráfico de drogas é um problema antigo no México, remete desde os anos 70 e 80, mas a intensificação ocorreu em meados da década passada por conta de ações de combate aos principais cartéis que se formaram no país. • Quando o Presidente Felipe Calderón assumiu em dezembro de 2006, e iniciou as ações, os cartéis responderam assassinando um altíssimo número de pessoas, envolvidas ou não com o mundo das drogas. • Nesta verdadeira "guerra civil" que tomou conta do país ao longo dos últimos 6 anos, os grandes cartéis das drogas mobilizam seu "exército" tal como ocorre na Colômbia, ou nas comunidades do Rio de Janeiro. Possuem armamento pesado, e métodos violentos.
  25. 25. 0 2000 4000 6000 8000 10000 12000 14000 16000 18000 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Mortes • Já o governo, responde com ações das Forças Armadas do país, Exército, Marinha, Aeronáutica e Polícia Federal. • Os cartéis vem dominando algumas áreas do país, sejam em zonas rurais ou suburbanas, enquanto as Forças Armadas tentam recuperá-las. • Os motivo da existência de tantos cartéis de droga no México é o fato do país ser um grande centro de distribuição das drogas ilícitas, pois é rota de passagem delas rumo aos Estados Unidos, o maior mercado consumidor de drogas ilícitas no mundo. • Desde 2006, mais de 54 mil pessoas morreram nos combates entre governo e cartéis, e também em confrontos entre diferentes cartéis. Muitas pessoas foram sumariamente executadas.
  26. 26. • O México possui uma política singular, pois ao longo dos últimos 100 anos passou por uma longa fase de predomínio político. • Após a Revolução Mexicana (1911-1917), na qual grupos a favor da reforma agrária e de profundas reformas institucionais e políticas saíram vencedores, o México se consolidou como uma República Presidencialista de sistema democrático. Mas há controvérsias. • Durante 71 anos (1929-2000) apenas um único partido político governou o México, o PRI - Partido Revolucionário Institucional, de orientação centrista. • Durante todas essas décadas sempre havia a suspeita de fraudes nas eleições mexicanas, reforçadas pelo fato de que não havia observadores internacionais, e o sistema de votação era considerado muito vulnerável à fraudes. Isso pode explicar o motivo do PRI ter governado o México por tanto tempo. • A partir do final dos anos 80 as eleições mexicanas começaram a se estruturar de modo que tornasse mais difíceis as fraudes, e no ano 2000 o PRI perdeu o poder pela 1ª vez em 7 décadas.
  27. 27. • As principais características que foram instituídas pela Revolução Mexicana e permanecem até os dias atuais são: * O mandato presidencial é de 6 anos. * Não há reeleição * Não há 2° turno nas eleições. • Ou seja, alguém pode vencer a eleição presidencial com uma pequena porcentagem de votos (menos de 30% do total) contra vários candidatos, e governará o país por 6 anos. • Isso aconteceu nas duas últimas eleições presidenciais mexicanas: em 2006 e 2012. • Em 2006 o direitista Felipe Calderón (do PAN, Partido de Ação Nacional) venceu as eleições por apenas meio porcento de vantagem sobre o esquerdista Andrés Manuel López Obrador. Foi 35,8% contra 35,3%, e o primeiro foi eleito. • A controvérsia levantou suspeitas de fraudes em algumas localidades, que poderiam alterar o resultado das eleições, e geraram protestos de rua por todo o país nos meses seguintes à eleição.
  28. 28. • Algo semelhante ocorreu em 2012, quando da eleição presidencial no último mês de julho, mas com menor intensidade, já que o vencedor obteve 38% dos votos. • O novo Presidente do México assumirá o cargo no próximo dia 1° de Dezembro, e será o jovem Enrique Peña Nieto, do PRI, o mesmo partido que durante 71 anos dominou no México, está retornando ao poder.
  29. 29. • A menor fatia de terra latino-americana é a América Central, um elo entre as Américas do Norte e do Sul. • Compreendida entre os oceanos Atlântico e Pacífico, o que por si só indica a posição geoestratégica dessa porção americana - que foi intensamente assediada ao longo da Guerra Fria. • A América Central é subdividida em dois blocos: 1. O istmo, um corredor continental que liga as porções norte e sul da América 2. A porção insular, formadas por ilhas, as Antilhas, mais conhecida como Caribe.
  30. 30. • Situada em clima tropical, a região acusa paisagens diversificadas, com uma maior presença de floresta tropical, em estilo semelhante ao da Amazônia, mas com tamanho tremendamente menor. • Já o relevo da região é produto da herança terciária: é acidentado, e com baixas montanhas. • A população é predominantemente indígena e mestiça (entre europeus e indígenas) no corredor continental. • Já no Caribe, é muito forte a presença de afro-descedentes, herança do período escravista que a região possuiu nos séculos 16, 17, 18 e 19. • Muito fragmentada politicamente, composta por países pobres e pequenos, sua principal atividade econômica reside na agricultura, cuja prática predominante ainda é o latifúndio, a "plantation", visando a exportação. • Os principais produtos são gêneros tropicais, tais como: * Cana-de-açúcar * Café * Banana * Frutas em geral
  31. 31. • A indústria é incipiente, fraca. • O principal destaque mineral fica por conta da bauxita da Jamaica. • Como se sabe, a bauxita é a matéria-prima para a exploração do alumínio. Trata-se de um processo de transformação bastante caro devido ao alto emprego energético. • Assim, esse recurso mineral encontra-se sob domínio de empresas multi- nacionais, particularmente dos EUA e Canadá.
  32. 32. • No Caribe está localizado o Haiti, um país que vive em permanente crise. Ao longo de 2 séculos de independência, o país sofre com instabilidade política e social, além de muita pobreza. Foi vítima no início de 2010 de um terrível terremoto que matou mais de 250 mil pessoas. • O Haiti é um país de língua francesa, que em 1804 se tornou independente da França em uma rebelião dos escravos, que tomaram o poder do país, e expulsaram os colonos brancos. • A população haitiana é majoritariamente afro-descendente, e por conta da combinação de seguidas crises econômicas, políticas e sociais ao longo das últimas décadas combinado com a catástrofe de 2010, muitos haitianos estão imigrando para outros países, inclusive o Brasil.
  33. 33. • No Caribe também está localizada Cuba, o único país panamericano a adotar o socialismo como regime político, econômico e social. • Por conta disso, é submetido a um poderoso embargo imposto pelos Estados Unidos, que já dura 50 anos, e é o maior motivo da crise econômica na ilha. • Obedecendo ao bloqueio econômico imposto pelos EUA, os países latino- americanos ignoraram Cuba, fortalecendo o seu isolamento no contexto continental. • A posição geográfica do país muito próximo dos EUA promove um sentimento na população cubana de permanente ameaça do poderio militar estadunidense.
  34. 34. • De modo geral, o território cubano não possui recursos minerais variados, como por exemplo o petróleo, e o abastecimento dependia da União Soviética entre 1959 e 1991. • Com o fim da União Soviética e do comunismo na Europa Oriental, cujos países constituíam os principais parceiros econômicos de Cuba e que muito a beneficiaram nas trocas comerciais, obrigou o governo cubano a fazer concessões no sentido de liberalizar o regime, no sentido da abertura ao turismo e permissão para o cidadão possuir moedas fortes, como o dólar. • Essas reformas em Cuba ocorrem de maneira muito lenta e gradual, para o regime socialista não perder o controle da situação e evitar a ameaça do poderio americano.
  35. 35. • Já no corredor continental da América Central, os países majoritariamente são de língua espanhola (a exceção é o Belize, de língua inglesa). • No passado distante formaram um único país, a Federação Centro-Americana, em meados do século XIX (19), mas se fragmentaram politicamente. • Em 1960, a maioria desses países se juntaram em um bloco econômico: O Mercado Comum Centro-Americano (MCCA). Nos mesmos moldes do Mercosul e Nafta, que surgiriam décadas depois. • Os países membros do MCCA são: * Guatemala * El Salvador * Honduras * Nicarágua * Costa Rica
  36. 36. • A América Central é caracterizada pela presença de uma importante hidrovia para a navegação internacional: o Canal do Panamá. • Este canal interliga os oceanos Pacífico e Atlântico. • Ele é de grande importância econômica para o tráfego marítimo, pois, além de reduzir cerca de 15.000 quilômetros a distância a ser percorrida pelos navios que ligam os portos norte-americanos de ambos oceanos, economiza combustível e possibilita o menor desgaste das máquinas. • E além da América Latina, o Canal do Panamá também é importante para os países asiáticos (principalmente China e Japão), países andinos (Colômbia, Peru, Equador e Chile), Austrália e países europeus. O
  37. 37.  AMÉRICA DO SUL – PAÍSES  AMÉRICA DO SUL – RELEVO E VEGETAÇÃO  AMÉRICA DO SUL – ESTRUTURAS  AMÉRICA DO SUL – ECONOMIA  AMÉRICA DO SUL – MERCOSOL E UNASUL  AMÉRICA DO SUL - POLÍTICA
  38. 38. • O subcontinente sul-americano, inserido geograficamente no continente das Américas, e no subcontinentel étnico- cultural da América Latina, pode ser dividido em 4 zonas: - América Andina - América Platina - Guianas - Brasil • A América Andina é composto por países de língua espanhola que possuem a Cordilheira dos Andres como característica física mais marcante. Altitudes elevadas, litoral no Oceano Pacífico ou Mar do Caribe • A América Platina é composto por países de língua espanhola mais ao sul do continente, com hidrografia majoritariamente dentro da Bacia Platina, dos rios que desembocam no Rio da Prata.
  39. 39. • As Guianas são três pequenos países pouco populosos no norte da América do Sul que não usam nem o espanhol nem o português como idioma. • O Brasil todos nós conhecemos, é o único país das Américas que usa a língua portuguesa, é o maior da América Latina em extensão territorial, em população, em tamanho da economia, e etc.

×