Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Filosofia

3,197 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Filosofia

  1. 1. Filosofia Subjectivismo moral: é uma teoria filosófica segundo a qual o valor de verdade dos juízos morais ( valor ) depende das crenças , dos sentimentos e opiniões dos sujeitos que os emitem. Não há verdades morais objectivas e universais. Também se chama de relativismo individual já que cada individuo julga a situação a partir dos seus próprios códigos (princípios) morais. O subjectivismo diz-nos que a moralidade é uma questão de gosto pessoal, isto porque os valores variam em função de cada pessoa – das suas necessidades , da sua personalidade , da identidade( porque determina as preferências de cada um ), as vivências , e as experiências na infância, as amizades , a família , o meio em que se vive , a religião , a formação académica – assimsão os factores individuais que condicionam o modo como cada um encara os acontecimentos e os valores. Para um subjectivista os valores são individuais e estritamente subjectivos. Razões que levam a aceitar o subjectivismo : 1. O subjectivismo moral torna possível a liberdade porque agimos livremente apenas quando damos voz aos nossos sentimentos e agimos de acordo com eles. 2. O subjectivismo promove a tolerância entre pessoas com convicções morais diferentes porque tornamo-nos mais capazes de aceitar como legítimas as opiniões e as acções que vão contra as nossas preferências. Objecções ao subjectivismo: O que caracteriza o subjectivismo moral é que os juízos morais descrevem sentimentos de aprovação ou reprovação do indivíduo que julga. Para um subjectivista os juízos morais têm valor de verdade mas a sua verdade é relativa a cada sujeito. Por isso, esta teoria é criticável. 1. O subjectivismo permite qualquer que juízo de valor seja verdadeiro e neste sentido qualquer ponto de vista por absurdo que seja pode ser considerado certo ou errado dependendo das crenças dos sentimentos ou dos valores de quem julga. 2. Para o subjectivista a educação consiste em deixar as pessoas seguir o seu sentimento de aprovação ou reprovação. 3. Se à partida ambas as partes têm razão então nada há para debater e por isso este tipo de crítica diz que o subjectivismo tira todo o sentido ao debate racional sobre questões morais.
  2. 2. 4. O subjectivismo não consegue explicar a existência de desacordos morais porque os desacordos morais para os subjectivistas são uma ilusão, isto é , duas afirmações podem ser consistentes mas não traduzem correctamente as afirmações que anteriormente não aceitavamqualquer desacordo entre eles. Caracterização do relativismo cultural:  A correcção dos juízos e das normas morais é sempre relativa a uma dada sociedade e á cultura que nela existe .  Para o relativista cultural o certoe o errado variam de sociedade para sociedade. Não há nada que esteja certo ou errado , pois há culturas diferentes e com opiniões diferentes.  Diz-nos que a moralidade os hábitos alimentares as cerimónias de casamento ou os estilos de vestuário variam de sociedade para sociedade. Sociedades com culturas diferentes têm uma moralidade diferente e nenhuma está mais certa ou errada do que outra .  Interpreta os juízos morais em termos de aprovação social. ( os juízos são correctos ou incorrectos em função da sociedade e da cultura.)  Cada sociedade possui as suas convenções ( normas estabelecidas por cada grupo social). MULTICULTURALISMO (diversidade cultural) – é a situação de coexistência de culturas diferentes ou diversas. Por razões particulares pessoas e espaços culturais diversos são obrigados a relacionar-se e a ter de conviver. Etnocentrismo (rejeição): Xenofobia (ódio aos estrangeiros); Chauvinismo (patriotismo fanático); Racismo (repúdio a determinados grupos sociais). Relativismo cultural (coexistência): Tolerância, isolamento, racismo, estagnação. Interculturalismo (diálogo): Convivência, Pluralismo, direitos humanos. Cultura: a cultura é o modo de vida próprio de uma sociedade e manifesta-se de formas específicas e divergentes. A cultura é um modo de adaptação – qualquer ser humano é produto de uma cultura. A cultura é um conjunto de respostas – os padrões culturais obrigam as pessoas a comportar-se de determinada forma que permitem que essa pessoa conviva com os
  3. 3. outros numa determinada sociedade. A cultura é a criação porque a nível artístico as culturas diferenciam-se umas das outras, a nível gastronómico, a nível de vestuário etc . A cultura é um sistema de símbolos. A cultura é um factor de humanização que permite que cada individua se sinta integrado numa determinada sociedade. Relacionar a noção de cultura com a necessidade dos valores:  Os valores influenciam as culturas. o O homem é produto e produtor de cultura.  A cultura é dinâmica e selectiva. o Quando uma cultura estagna desaparece/ extingue-se.  O bem e o mal são definidos pelos valores que defendemos.  Uma sociedade funciona segundo a hierarquização dos valores. o Os valores mais elevados para uma sociedade podem constituir os valores mais baixos para outra e por isso de acordo com os valores defendidos os vários aspectos de uma sociedade são tratados de maneiras diferentes.  A cultura é informação porque em cada cultura as pessoas devemsaber como se comportar de acordo com os valores aceites nessa sociedade.  É um sistema de símbolos porque cada símbolo é uma referência a uma determinada cultura e consequentemente com a hierarquização dos valores .  É uma forma de adaptação porque uma pessoa da cultura ocidental por exemplo no oriente tem de se adaptar á cultura do local.  É a criação porque em cada cultura diferentes crenças elementos da natureza são defendidos.  As culturas não são estáticas – uma cultura vai adoptando certos valores de outras culturas formando assimuma cultura cínica pois adopta apenas aquelas que acham importantes e interessantes. Desta forma a cultura evolui senão extingue-se.  A cultura é invenção.

×